Poemas ao desabrigo

Poemas ao desabrigo Raul de Taunay




Resenhas - Poemas ao desabrigo


5 encontrados | exibindo 1 a 5


Maria - Blog Pétalas de Liberdade 28/03/2019

Resenha para o blog Pétalas de Liberdade
Como o nome já sugere, é um livro de poesias, com mais ou menos oitenta poemas de diferentes formas e tamanhos: alguns com poucas linhas, outros com mais de uma página, alguns com estrofes, outros apenas com versos, sonetos, entre outros formatos de poemas.

O autor é diplomata, e na data da publicação do livro, estava trabalhando no Congo. Alguns de seus poemas expressam essa realidade de se estar longe do Brasil, como Carnaval na Ásia (páginas 28 e 29), imaginem como deve ser estar acostumado à folia no nosso país e estar do outro lado do mundo mas com a cabeça pensando na festa no Brasil...

Essa sensação de alguém habituado a ir de um país para outro, de uma terra à outra, é uma que também se destaca na obra, que traz ainda descrições da natureza com sua mudança de estações, além da mudança e do amadurecimento do ser humano ao longo do tempo, um sentimento que o autor expressa bem após mais de seis décadas de vida. Há também poemas do tipo que mais gosto e admiro quem consegue os escrever: os que contam histórias através dos versos, como "Tocaia" na página 101, sobre um boêmio carioca.

Meus poemas favoritos foram "A tristeza da partida" ("Seguir, pois ficar não traz nada,/ Infeliz quem naufraga,/ Sem a obra cumprir.", página 13), "Soneto ao Rio Doce" (sim, temos um soneto sobre o vazamento de lama que prejudicou o rio, na página 92), "Lamentares" ("Quisera encontrar os anjos,? Ouvir que o meu caso/ Não é exclusivo./ Escutar que há outros/ Em busca de abrigo.", página 55), "Rindo da Vida ("Vençamos os cabelos brancos,/ Os desencantos, os desenganos, rindo.", página 82) e "Arado" (página 22).

A edição traz uma capa feita través de uma foto que me agradou bastante, páginas amareladas, boa revisão, letras, margens e espaçamento de bom tamanho.

Enfim, fica a recomendação para quem procura por um livro de poesias que tem tudo o que é necessário no gênero: bom vocabulário, boa sonoridade, boas temáticas e

site: http://petalasdeliberdade.blogspot.com/2018/05/resenha-livro-poemas-ao-desabrigo-raul.html
comentários(0)comente



Blog De Bem Com a Leitura 28/05/2018

Poemas ao Desabrigo nos proporciona momentos de leitura que aquecem os nossos corações. São poemas repletos de muito sentimentalismo e intensidade, que falam sobre saudade e nos permitem um olhar mais profundo sobre nós mesmos através de seus versos.

Os poemas de Raul de Taunay refletem a sua experiência de vida e possuem um estilo próprio, marcado por traços muito brasileiros. A saudade de casa (de suas raízes) se faz presente em todo o livro.

Poemas ao Desabrigo é uma obra belíssima e, como amante de poesias, senti-me completamente satisfeita com a leitura. O poeta toca-nos a alma com sua escrita delicada e tão profunda.

A capa é linda e achei que ela combina perfeitamente com a obra, uma paisagem que só de olhar nos provoca uma nostalgia que se repete ao longo do livro.

Eu selecionei 3 poemas para trazer para vocês na coluna De Bem Com a Poesia, são eles: A Tristeza da Partida, De Mão em Mão e Lamentares.

Recomendo demais a leitura!

site: http://vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Milena @albumdeleitura 31/03/2018

Poemas ao desabrigo
O livro é uma antologia de poemas cuja temática variada representa o amor, a saudade, a despedida, a dor, a maldade, a beleza e a autodescoberta.

Com uma escrita marcada por traços essencialmente brasileiros, metricamente construídos e embalados por um ritmo constante, os poemas e sonetos apresentam ora intensidade, ora delicadeza. É assim que cada experiência de vida de Raul de Taunay se transforma em bagagem literária e reforça o convite para que o leitor reflita sobre como a poesia se faz presente em todos os momentos, inclusive, à mercê do desabrigo.

Foi uma grata experiência conhecer essa obra e me deliciar com a sensibilidade e com a combinação de palavras feitas pelo autor. Alguns poemas, como Arado, Eterna...Idade, Poema de Natal, Quimera e Encantos se tornaram meus favoritos e, sem dúvida, fizeram a leitura valer a pena, pois proporcionaram questionamentos e reflexões sobre a vida de forma geral. Indico para os amantes de poesia e àqueles que ainda não deram uma chance à leitura do gênero, pois creio que esse seja um bom começo.

site: https://albumdeleitura.blogspot.com.br/2018/03/dica-de-leitura140.html
comentários(0)comente



Andy.Vieira 22/03/2018

Poemas ao Desabrigo
Eu já tinha ouvido falar do Raul de Taunay, mas apesar de ter ouvido coisas positivas sobre o autor ainda não tinha conhecido sua escrita e esse livro foi uma excelente porta de entrada.

Seus poemas tratam de amor, saudade, podem ser intensos ou delicados, mas todos transmitiram para mim uma emoção muito forte, sentimentos em forma de poesia com os quais me identifiquei, não há só porque senti o que autor sentia ao escrever, mas porque vi os meus próprios sentimentos em cada linha escrita, me senti em um turbilhão de emoções.

As poesias tem uma escrita simples, mas com profundidade e apesar de a muito tempo não me identificar com a poesia romântica, os poemas de amor me trouxeram um quentinho no coração, aquela sensação de acolhimento, que aliás, senti diversas vezes durante a leitura do livro.

Resenha completa no blog

site: https://divagacoesdeleitora.blogspot.com.br/2018/03/resenha-poemas-ao-desabrigo-raul-de.html
comentários(0)comente



Evandro.Atraentemente 26/02/2018

Poemas ao desabrigo
Poemas ao desabrigo, de Raul de Taunay, publicado pela Editora 7 Letras é um livro que nos encanta por sua essência. Mesmo imperando uma estrutura rígida em sua formação, os versos parecem saltar prontos e de forma espontânea em suas páginas.

(...)
E, lá no fundo,
Bem nas profundezas,
Da cavidade do abismo,
Onde o verso sangra sem forma,
Eu me escuto a dizer nada.
(Trecho de Poema Ameno, p. 73)

Conhecer um pouco da vida de Raul de Taunay nos ajuda a entender o homem que se apresenta em cada linha de seus versos. Nasceu em Paris, França em 1949, brasileiro de acordo com o artigo 129 da Constituição de 1946. Sendo filho de diplomatas, teve contato desde muito cedo com outros idiomas e culturas, o que, de certa maneira, é responsável por características presentes em seu trabalho, marcando seu estilo e definindo sua forma de escrever. Atualmente ele reside em Brazzaville, na República do Congo, onde exerce, seguindo os passos dos pais, funções diplomáticas.

Por onde vai a poesia
Que tantos escrevem
E a poucos atinge?
(...)
(trecho de De mão em mão, p. 33)





A poesia de Raul se apresenta com uma alma genuinamente brasileira, ficando clara e evidente em seus traços. Poemas e sonetos metricamente construídos, embalados por ritmo constante, porém com uma rima fácil e espontânea, trazendo a beleza das vivências e andanças por lugares tão diferentes e especiais. Cada experiência na vida do autor, transforma-se em bagagem que reflete em sua inspiração e enfeitam as páginas de Poemas ao desabrigo.

(...)
A mesma flor caída que no chão é tapete ou tropeço,
Nas hastes altas das ramas, é broto, é vida, recomeço.
(...)
(trecho de Andrajos - p. 20)

O poeta passeia por vários sentimentos. A saudade se faz evidente em vários momentos, assim como a relação com a natureza que se mostra de forma representativa, simbolizando suas emoções. Os sentimentos que brotam do espírito do poeta, tomam formas através das mãos expressivas de Raul de Taunay. Muitas vezes suas palavras soam como desabafo, amor, lamento e outras vezes, soam imensamente sedutoras. Enquanto percebemos suas linhas delicadas, nos conscientizamos que, ao mesmo tempo, cada palavra é carregada de significado e representatividade.

Em cada dia me descubro
em alguém que desconheço:
Era falante, sou hoje calado,
Agora quieto, antes agitado, (...)
(trecho de Arado, p.22)

Com 84 poemas em suas 112 páginas, o livro tem folhas amareladas e papel de excelente qualidade. Assim como Raul de Taunay, que parte em sua jornada impulsionada pela profissão diplomática, seus poemas transitam em desabrigo permanente, colecionando lembranças ao tentar fixar raízes em terras por onde passou. É dessa forma que conhecemos o homem por trás das palavras e nos encantamos com Poemas ao desabrigo.

Percebi, ao terminar o livro, que tinha separado mais trechos do que caberia nesse post. Escolhi Alvoroço para mostrar um pouco do que Raul Taunay nos apresenta. Esse, sem dúvida, é um dos meus poemas preferidos pela intensidade dos sentimentos contidos em cada estrofe. Confira o poema completo no blog.



site: http://www.atraentemente.com.br/2018/02/resenha-poemas-ao-desabrigo-raul-de.html
comentários(0)comente



5 encontrados | exibindo 1 a 5