Barbitúricos

Barbitúricos Gustavo Paiva




Resenhas - Barbitúricos


5 encontrados | exibindo 1 a 5


Arcanjo 26/07/2019

Dificil e instigante.
Barbitúricos é um livro que apresenta 10 contos cada um com sua dose de loucura, alguns horrpilantes e nojentos mas ainda assim instigantes e que trazem ao leitor diversas possiilidades de observar a mente humana. Gustava Paiva acertou ao classifica-lo como um livro tarja preta não é mesmo fácil de absorver algumas histórias o que me remete ao Álvaro de Azevedo e sua literatura gótica, talvez seja para ele uma iņfluência.
comentários(0)comente



MH 26/02/2019

Livro bom para passar o tempo
Neste livro lemos 10 contos com diversos temas. Um misto de fantasia, violência e/ou de terror.

Achei interessante como o autor trabalha com o figura materna nos textos. Em vários contos a mãe aparece como figura central, tornando-se indispensável para a conclusão das histórias.
Os contos que realmente me chamaram a atenção foram: Velha Infância; Sinantrópico; Conscientização; Menarca e Carne Osso e Justiça.

O livro possui algumas características que podem melhorar. Alguns contos tem uma linguagem mais culta, outros mais coloquial, o que causa uma falta de linearidade, não sei se essa foi a intenção do autor, mas não me agradou muito.

Acredito também que, uma boa revisão poderia auxiliar, pois há alguns erros de concordância e a falta de uma ou outra letra aqui e ali. Situação comum em muitas obras virtuais. Nada que desabone a qualidade dos textos.

Por fim, é um bom livro para conhecer uma safra nova de autores e passar o tempo( você lê com facilidade em três dias). Acredito que o autor vá aprimorar muito sua escrita e as histórias vão ganhar corpo.

Pretendo acompanhar novos trabalhos.
comentários(0)comente



Liana Sagi 12/02/2019

Foi uma boa experiência! :-)
Não sei escrever resenhas, é isso mesmo! rsrs, entretanto preciso expressar através da escrita, as minhas emoções e sentimentos ao concluir essa leitura. Dos 10 contos apresentados, não gostei de 2. Achei muito forte, violento e nojento. Chegou no meu limite, sabe? Quer saber quais foram os contos que não gostei? Eu digo: Acertos e Sinantrópico.

Porém, ao iniciar e terminar uma leitura, existem outros fatores relevantes que levo em consideração. Pra mim foram predominantes, sentimentos de raiva, nervosismo, tristeza, aflição, medo... O Conto Carne, Osso e Justiça, achei interessante as questões abordadas pelo narrador no decorrer da descrição da história.
Se fosse pra escolher um favorito, eu escolheria o conto A Escultura, foi o que mais gostei! Acho que daria uma boa continuação! Mas fica por conta do leitor usar a imaginação e inventar uma continuação, né! rsrs. Quero e vou ler no futuro, mais obras desse autor.
Quem é fã desse gênero, assim como eu, vale a pena a experiência!! :-)
comentários(0)comente



Lu | @gambiarraliteraria 16/11/2018

O mais assustador é humano
Barbitúricos traz um desfile de contos que faz o sobrenatural parecer fácil de encarar. Utilizando das piores atitudes humanas para caracterizar seus personagens e narrativas, Paiva faz várias metáforas sobre o que é realmente o horror e porque a sociedade se volta para o fantasioso quando o mais terrível e cruel das histórias pode estar entre nós.
Os contos são acompanhados de temas como, psicopatia, megalomania, abuso sexual infatil, bullying e miséria completa. Com uma linguagem de cair o queixo e acalentar àqueles que amam nossa gramática, Paiva se mostra um escritor nacional que gosta da própria língua e a utiliza como material de construção para o enredo de um dos contos.
São tantas metáforas e técnicas narrativas bem colocadas que fazem o leitor se encantar por algo horroroso.
Meu conto preferido foi difícil de encontrar, pois todos são maravilhosos de uma maneira bem bizarra, mas escolho eleger Rosinha como a narrativa que me tocou mais.
comentários(0)comente



Rone 14/09/2018

Horrendo e alucinante!
Em "Barbitúricos" a gente é apresentados a dez contos que caminham pelo terror, horror, suspense e até pelo fantástico.

Paiva gosta de escrever sobre temas fortes.

Vingança, ódio, ciúmes permeia suas tramas assustadoras.

Nós causando incômodo e reflexão em cada página.

Sua escrita sempre afiada e cortante.

Será que somos monstros vestidos de humanos ou somos humanos vestidos de monstros?

Já que muitas das suas histórias os protagonistas não são os verdadeiros culpados pelos seus atos horrendos e doentios e sim, os atagonistas que os rodeiam em suas vidinhas.

Paiva desnuda e deseca o ser humano, o seu íntimo, os seus medos e os seus receios.

E em Barbitúricos ele está em sua pior forma.

O conto titulado "Rosinha" tratando do bullying, é belo e bizarro, escrito de uma forma horrenda e lírica.

“Olhe para mim, ainda estou assim. ”A mãe abraçou-a e sussurrou-lhe aos ouvidos: “Está assim porque sempre foi perfeita, não há o que mudar em você. Quem te vê imperfeita é que deve mudar. ”

Mostrando toda criatividade e versatilidade do autor.

Para ler o restante dessa resenha visite:

site: https://www.instagram.com/p/BmHmlofH3CP/?hl=pt-br&taken-by=cabeca_de_leitor
comentários(0)comente



5 encontrados | exibindo 1 a 5