Mortina

Mortina Barbara Cantini




Resenhas - Mortina


19 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Duda 04/10/2020

É perfeito.
Fez com que eu quisesse ser criança novamente para ser amiga da Mortina! As ilustrações são perfeitas, o final te deixa com um quentinho no coração e com uma sensação de quero mais. Amei!!!
comentários(0)comente



hanny.saraiva 19/08/2020

Muito mais que creepy, é ultra fofo
A história é super fofa, o traço da ilustradora também e apesar de ter várias referências a um universo mórbido, o livro inteiro é ultra mega fofo, super agrada pequenos humanos e humanos adultos, pois além de ser divertido, traz uma nova roupagem sobre o sobrenatural.
comentários(0)comente



Karla Beatriz 01/10/2020

Super fofo
minha primeira leitura da #MLH2020 concluída com muito sucesso, eu amei amei amei, adorei acompanhar a mortina no dia das bruxas dela, e os desenhos de tirar o fôlego, perfeito e divertido, não importa a idade.
comentários(0)comente



Fabio Pedreira 27/05/2019

Mortina
Fala galera, hoje vim trazer para vocês a resenha desse livro extremamente divertido que é Mortina, lançado pela Companhia das Letrinhas. É uma resenha menor do que de costume, por tratar-se de uma história bem rápida e pequena. Porém, muito divertida. =D

Meu nome é Mortina
Mortina não é uma garota comum. Ela tem uma pele extremamente branca, de uma brancura mortal, puxando para o cinza-esverdeado, seus olhos eram redondos como uma bola e contornados por duas olheiras arroxeadas. E, para completar, ela podia arrancar qualquer parte do corpo, como se fosse uma boneca. Isso porque Mortina é nada mais, nada menos que uma menina zumbi.

Isso é bom e divertido, mas também é um problema. Devido a ser uma menina zumbi, Mortina vive com sua tia Fafá Lecida no Palacete Decrépito, brincando praticamente sozinha, tendo como companhia apenas o seu cão galgo albino Tristão. A garotinha consegue se divertir de várias formas, mas o que ela gostaria mesmo era de brincar com outras crianças.

Isso sua tia não aprova, pois, devido a sua condição peculiar, o medo do que as pessoas podem fazer com sua sobrinha ao descobrir que ela é uma zumbi acaba afetando a Fafá Lecida. Mas a garota é obstinada e não vai desistir tão fácil. E não tem oportunidade melhor para isso do que o Halloween.

E a história do livro é justamente nos passar lições sobre o medo do diferente e sobre a aceitação de que ser diferente está tudo bem. Um fato muito interessante nessa história é que mostra como geralmente esse medo vem dos adultos, fazendo com que as crianças reproduzam esse comportamento.

Apesar de ser compreensível o medo da tia Fafá Lecida, o bom é que Mortina resolve arriscar mesmo assim e se aventurar até o vilarejo próximo para conhecer novas crianças. E é justamente o fato de ser diferente que acaba conquistando as outras crianças. Em vez de acharem aquilo assustador, medonho e querer distância, as crianças acabam achando tudo muito legal, querendo conhecer mais a Mortina e passando a brincar com ela.

Diversão de morrer
No geral é isso, uma história contada de forma muito divertida, com imagens sensacionais e divertidas. As ilustrações ficam por conta da própria autora - Barbara Cantini - ganhadora de alguns prêmios como Ilustradora Italiana do ano em 2012 e 2018.

Esse livro é apenas o primeiro de uma série de livros que a Mortina aparece para aprontar. Lá fora já foram lançados 3 e o volume 4º está a caminho. Eu espero muito poder dar continuidade a essa leitura bem engraçada e divertida.

Leia para vocês, leia para seus filhos, parentes pequenos ou em grupos de leituras. É um ótimo livro para estimular, em crianças, o hábito de ler. Eu não deixaria passar essa oportunidade de jeito nenhum.

Bjs de morte e até a próxima.
comentários(0)comente



Carol 23/10/2020

Muito fofo e gostosinho pra ler depois de uma leitura pesada, cansativa. Já quero os outros. Adoro livros infantis e esse não me decepcionou em nada. Muito amorzinho!!
comentários(0)comente



Glaucia @blogmaisquelivros 03/04/2020

Mortina não é como as outras meninas, ela é uma menina-zumbi. E embora esteja longe de ser uma normal, não se sente assim tão diferente, mesmo que sua pele não tenha o aspecto rosado típico como o das meninas do vilarejo de Logo Ali.

Ela mora com a tia Fafá Lecida no Palacete Decrépito, um lugar com muitos cômodos e um jardim enorme onde pode brincar e correr o dia inteiro, sempre tomando cuidado para não ser vista. Seu fiel amigo é Tristão, um galgo albino que lhe faz companhia nas brincadeiras e ao pé da cama todas as noites. No entanto, Mortina não pode ter o que mais deseja - a amizade e companhia das crianças do vilarejo.

Sua tia sempre havia proibido qualquer interação com o mundo lá fora, e tal proibição se devia ao fato de que a velha senhora temia que ao serem descobertas pudessem ser expulsas do Palacete.

Mas a chegada do outono e da festa de dia das bruxas trouxe uma grande ideia para a menina-zumbi. Ela finalmente poderia participar das brincadeiras de gostosuras e travessuras com as crianças humanas, para isso bastava apenas fingir estar fantasiada como todos. O plano não podia dar errado e tia Fafá nem precisava saber.

Com a ajuda de Tristão, Mortina se preparou para o grande dia e mesmo tímida se misturou com a criançada fantasiada. Ela queria fazer amigos e estava disposta a tudo para tê-los. Mas será que elas a aceitariam após saber sua verdadeira origem?

Esse livro foi uma boa surpresa. Além da edição linda e das ilustrações que compõem cada página, a autora Barbara Cantini nos entrega uma história repleta de fantasia e inocência. Mortina é uma criança feliz, mas lhe falta um algo mais... Ela quer ter amigos e se sentir aceita do jeito que é, afinal ela está satisfeita com sua própria realidade. A tia a proíbe de sair da área do Palacete por segurança e por medo do que as pessoas irão pensar ou da forma que poderão agir caso as descubram, porém o encontro de Mortina com as demais crianças é lindo e demonstra que aos olhos de uma criança, todos são iguais, independente de suas diferenças.


site: https://www.instagram.com/blogmaisquelivros/
comentários(0)comente



Jezreela Kemilly 11/07/2020

Fofo
Achei super fofo, bem ilustrado, porém podia ter mais páginas, acabou muito rápido. Traços que lembram o visual do Tim Burton, mas tem uma identidade própria, comprei pela capa e agora já qro os outros 2 volumes.
Eu criança amante de Familia Addams teria amado ler e ter esse livro.
comentários(0)comente



Michelle 04/10/2020

Mortina #1 Uma História que Vai Fazer Você Morrer....de rir
Mortina mora no Palacete Decrépito com sua Titia Fafá Lecida e passa a maior parte do tempo brincando com Tristão, seu amado galgo albino. Mas as coisas não são tão fáceis quanto parecem para esta garotinha zumbi - tudo que ela quer é um amigo de verdade. Ela tenta se aventurar além das paredes da mansão, mas não consegue esconder sua pele verde acinzentada pálida ou os círculos roxos profundos sob seus olhos. As outras crianças terão medo dela e ninguém vai querer ser seu amigo. Mas quando chega o Halloween, Mortina traça um plano brilhante. Todas as outras crianças comuns estarão vestidas como monstros, então Mortina pode sair para a cidade e ser inteiramente ela mesma. No final, todas as crianças percebem que Mortina é (quase) igual a eles e aprendem que a amizade pode vir de várias formas.
comentários(0)comente



Letícia 16/07/2019

Literatura infantil que agrada até adultos
Simplesmente estou encantada com a construção da personagem Mortina, ainda não conhecia a autora e ilustradora Barbara Cantini mas posso afirmar que a forma como o livro foi elaborado é bem leve e muito divertido.
Conseguimos encontrar várias referências maravilhosas desde Stephen King a Edgar Allan Poe. As ilustrações interagem com a escrita de forma sábia o que aguça o olhar de quem lê. Nota máxima e favoritado.
comentários(0)comente



Jeeni 23/02/2020

Halloween o ano todo
Para os amantes do Halloween (e para aqueles que não são) esse é um livro que diverte!
Mortina (apesar de ser uma menina-zumbi) é cheia de vida que infelizmente não pode ter contato com outras crianças porque é um zumbi. Mas, Mortina descobre que logo tem o dia das bruxas e bola um plano para ir pedir doces e travessuras.
Mortina (o livro e a menina) é uma graça e toda sua composição traz um quentinho no coração para aqueles que gostam de Halloween ??
comentários(0)comente



Stéfani V. Corrêa 20/09/2020

Surpreendente
Amei as história da Mortina, apesar de ser um livro infantil tem história e você se surpreende com o trabalho incrível de ilustração.
comentários(0)comente



C. Aguiar @coelhoobrancoo 18/05/2019

Mortina assim como qualquer outra criança deseja fazer amigos, mas infelizmente há algo que atrapalha isso! Ela não é uma menina comum, é uma menina-zumbi; com olheiras roxas, pele branca - quase esverdeada - e consegue soltar partes do seu corpo.
Sua tia Fafá Lecida tem medo que o pior aconteça caso Mortina se aproxime das outras crianças, ninguém aceita muito bem o que é diferente, muito menos irão aceitar "monstros". Por isso, Mortina está extremamente proibida de ir brincar com as crianças humanas.

A menina-zumbi passa seus dias brincando no Palacete Decrépito e tem como companhia seu galgo albino Tristão (ainda é um mistério se o cachorro de Mortina está vivo ou morto por causa da sua aparência).
Um dia Mortina escuta as crianças falando sobre uma festividade e isso a deixa empolgada. Mortina terá um dia inteiro para ser ela mesma sem assustar ninguém com sua aparência, todos pensarão que ela está fantasiada de zumbi.

Então ela decide colocar seu plano em prática sem que sua tia suspeite que ela pretende interagir com humanos. O problema é: E se eles descobrirem que ela não é "humana"? Será que Mortina e sua tia Fafá Lecida correm perigo?
O livro é divertido e tem uma linguagem extremamente acessível ao público alvo, sem contar é claro que toda a história é extremamente meiga! Mortina quer apenas viver sua vida sem medo do que os outros vão achar ao descobrir que ela é um zumbi.

A autora/ilustradora com certeza acertou ao criar uma série voltada para o diferente, o incomum, o desajustado; fiquei muito feliz ao ler história. Espero que a editora continue lançando os demais livros no Brasil! Quem me dera ter tido acesso a esse tipo de conteúdo durante a minha infância 💀.

O livro é completamente ilustrado e a leitura pode ser feita em poucos minutos. Se você está pensando em investir em uma nova série infantil, sugiro dar uma olhadinha nessa obra. Vale lembrar que o livro é de capa dura 💖

site: http://www.seguindoocoelhobrancoo.com.br/ ou https://www.instagram.com/coelhoobrancoo/
comentários(0)comente



Panfeca | @Panfeca 07/12/2020

Fofo
Uma linda historia, fofa e sombria de uma menina zumbi que apenas deseja ter amiguinhos para brincar.
comentários(0)comente



Coisas de Mineira 27/06/2019

Barbara Cantini, autora de Mortina, é ilustradora de inúmeros livros para crianças e jovens leitores. Além disso, mora na região da Toscana com o marido, duas filhas e pets. Ela é nascida em Florença.

Nossa resenha de hoje, com efeito, é justamente sobre Mortina, o primeiro projeto escrito e semelhantemente, ilustrado pela própria escritora. Esse livro foi publicado em 2017. Também se tornou o primeiro livro de uma série de sucesso.

“Mortina não era uma menina normal. Mas não se sentia tão diferente assim, Bom, sua pele não tinha o rosado típico das meninas. Na verdade, ela era completamente branca. Ou melhor: era de uma brancura mortal, puxando para o cinza-esverdeado”.

Mortina em inglês se chama Ghoulia, e ela é uma menina-zumbi. Mas, como qualquer criança ela também tem sentimentos, vontades, e até medos. Nessa primeira história Mortina acaba por aprender a auto aceitação. Ela também tem um desejo grande de fazer amizades.

O Palacete Decrépito é onde Mortina vive com sua tia Fafá Lecida – Eu sei! Adorei também… – e com Tristão. Esse último é um galgo albino (cachorro) e é muito amigo da menina-zumbi. AMEI todas as ilustrações onde Tristão aparece fazendo algo interessante… de fato ele realmente é um cachorro cheio de facetas.

Você precisa saber que primordialmente, o maior sonho de Mortina é poder fazer amizade com as demais crianças. Sua tia, a saber, não a deixa sair jamais de casa. Na cabeça de tia Fafá Lecida, os humanos terão reações adversas ao encontrarem com uma criança que é zumbi.

Porém, o Dia das Bruxas está próximo, e nossa querida menina-zumbi tem uma excelente ideia. Dessa forma, inesperadamente acompanharemos toda a armação e toda preparação de Mortina para “pôr a cara no sol”. Com o intuito de sair do Palacete, acompanharemos os feitos de Mortina.

“Quantas vezes Mortina tinha ficado escondida vendo as crianças brincarem nos campos perto do Palacete Decrépito! Às vezes, a curiosidade as levava até o portão do Palacete. Mas nenhuma delas jamais teve coragem de entrar”.

Conseguiram entender a moral da história, né? Certamente que a garota simplesmente deduziu que as demais crianças estarão todas fantasiadas de forma horripilante. Então assim ninguém se dará conta que Mortina é na verdade uma zumbi. Ela não é inegavelmente inteligentíssima?

Ademais, como esse é apenas o primeiro livro de uma série, não sei se essa será a aventura mais ousada de Mortina. Mas com certeza foi uma aventura muito divertida e muito arrojada, ao mesmo tempo. Já estou torcendo para que a Companhia das Letrinhas lancem os demais livros, analogamente, já que são um sucesso mundial e traduzidos para mais de 13 línguas.

“Era uma noite de chuva, de chuva das grossas
Eu saía de casa pisando nas poças
Surgiram de repente, bem à minha frente
Os muros e túmulos de um cemitério diferente.
Que escuro que estava, que frio que fazia!
Vagando entre as tumbas de lajes cobertas
Eu vi uma loira, a loira mais linda!
Ela era o fantasma da tia Benvinda limpando,
Que cúmulo! Seu próprio túmulo!”

A edição saiu pelo selo que tem como proposta editar e publicar livros voltados para o público Infanto-juvenil, a Companhia das letrinhas. O livro possui 56 páginas, que aliás, tornam-se viciantes conforme as viramos. Visto que as ilustrações são muito boas. A historinha contada é cativante. E os detalhes inseridos nas ilustrações dão um toque sensacional para a arte e história contada.

Em suma, o livro é uma gracinha. Um presente adorável para qualquer criança, pois trata esse tema sobre “zumbis” de forma engraçadinha e leve. A garota é muito divertida, e principalmente esperta. Acredito que chamará a atenção das crianças tanto para as próprias manusearem a obra, como também lerem junto dos pais. Chama muito a atenção as ilustrações, as cores, e a fonte escolhida. Um presentão na certa!

Por fim, ressalto, não perca a oportunidade de dividir essa história com uma criança; ou mesmo, não perca a oportunidade de ter esse livro em casa. Logo que está é uma leitura rápida, agradável, descontraída e que deixa a gente com aquele sorriso bobo quando chegamos ao fim. Seja como for, dá aquela saudade de ser criança…

No site da autora, você pode conferir mais sobre suas obras, acompanhar algumas de suas ilustrações, e até dar uma conferida no blog dela que é bem interessante, mas infelizmente não está sendo atualizado.

“Certa manhã de verão, Mortina teve uma brilhante ideia: – Vou me maquiar e me vestir com uma menina viva!”

Por: Carol Nery
Site: www.coisasdemineira.com/resenha-mortina/
comentários(0)comente



ELB 05/08/2019

Nem preciso dizer que quando bati o olho nessa capa, eu já quis fortemente, né?
Barbara Cantini é uma ilustradora e autora de livros para crianças e jovens adultos. Caso você ache que já viu esses traços, você pode estar certo. A Barbara é autora de uma série bem famosa, a Ivy Pocket, publicada pela editora Rocco. Mortina é uma série de livros, com o quarto para ser lançado logo mais em inglês..

A resenha irá ser um pouco curta dessa vez, porque o livro em si é uma história curtinha, mas cheia de significados.

Esse livro irá introduzir a nossa protagonista, Mortina, na nossa primeira aventura juntos. No primeiro momento, conhecemos o Palacete Decrépito, onde ela mora com a tia Fafá Lecida, e como é a sua rotina no dia a dia.

Como toda garota da sua idade, exceto que ela é uma menina-zumbi, Mortina adora brincar, mas como a única criança do Palacete, ela se sente sozinha e se empenhada em fazer amizade com as crianças do Vilarejo de Logo Ali. Mas Mortina logo é reprendida pela tia que a proibi de ser vista pelas outras crianças, temendo que as pessoas os expulsassem dali.

Um dia, Mortina escuta as crianças falarem de uma festa onde se fantasiaram de monstros, A Festa de dia das Bruxas. E aí que Mortina começa bolar seu plano de ser ela mesma, e ir fazer amizade com essas crianças.

Como as crianças tem uma pureza no coração, eles não tem os receios da Tia Fafá Lecida, e logo aceitam a menina com todas as suas peculiaridades como uma amiga. E esse é só o começo de várias aventuras entre esses amigos.

Eu amei como a Barbara apresenta de forma simples e direta assuntos um pouco difíceis de se tratar com as crianças hoje em dia. Não tem grandes dramas, nem mimimi, porque criança tem um jeito tão simples de ver as coisas, diferente dos adultos. E é nítido como uma simples diferença na pessoa não é nada para elas, Mortina continua sendo uma criança assim como elas.

Então, aí você vê como o livro é lindinho, não apenas pelos traços, ou as cores maravilhosas, mas pela história que de uma forma singela, nós ensina sobre igualdade. É um belo livro para quem tem filhos, em uma sentada, você consegue contar essa história e ainda educar seu filho para que ele seja muito mais sensível para com os outros.

Apesar do tom simplista e direto para que prenda crianças pequenas no enredo, a criação não deixa de encantar também crianças mais velhas ou até mesmo adultos, todos os trocadilhos feitos com os nomes são de arrancar risos!

A inteligência emocional do livro que garante as 5 estrelas está justo na mágica de casar níveis de interpretação variados e os desenhos fofos que agradam a todos.

Estou ansiosa para os próximos livros da série, e descobri o que essa turminha irá aprontar.


site: http://www.everylittlebook.com.br/2019/07/resenha-mortina-barbara-cantini.html
comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2