Micrômegas e outros contos

Micrômegas e outros contos Voltaire


Compartilhe


Micrômegas e outros contos





"Micrômegas" foi escrito por influência de "As aventuras de Gulliver", de Swift que Voltaire leu em Londres. Revela também traços de a "Pluralidade dos mundos", das palestras de Fontenelle e da mecânica de Newton, que Voltaire estudara com cuidado.

O resultado é uma obra agradável que induz à meditação sobre o homem, suas crenças, costumes e instituições.

Voltaire continua a ser brilhante em suas críticas e ironias.



A respeito da afoiteza em compreender o universo baseado na observação superficial, diz o seguinte:



O anão, que as vezes raciocinava muito apressadamente, concluiu a princípio que não havia habitantes na terra. Seu primeiro argumento era de que não vira, ninguém. Micrômegas, polidamente, fez-lhe sentir que ele não raciocinava muito bem:



- Como não distingues com os teus pequenos olhos, certas estrelas de qüinquagésima grandeza que eu percebo distintamente; concluiu daí que essas estrelas não existem?



- Mas - replicou o anão eu apalpei bem.

- Mas sentiste mal - respondeu o outro.



A insignificância física do homem na face da terra mereceu esta observação:



Não pretendo chocar a vaidade de ninguém, mas sou obrigado a pedir às pessoas importantes que façam uma pequena observação comigo: é que, considerando a homens de cerca de cinco pés de altura, não fazemos, à face da terra, maior figura do que faria, sobre uma bola de dez pés de circunferência, um animal que medisse a seiscentésima milésima parte de uma polegada.



Mais adiante Voltaire insiste em demonstrar sua desconfiança para com os sistemas filosóficos:



Se alguém chegou ao cúmulo do espanto, foram sem dúvida as pessoas que ouviram tais palavras. Não podiam adivinhar de onde partiam. O capelão de bordo rezou exorcismos, os marinheiros praguejaram, e os filósofos do navio elaboraram um sistema; mas, por mais sistemas que fizessem, não atinavam com quem lhes falava.



A grandeza aparente do mundo físico, em comparação com o espiritual recebe uma crítica incisiva:



"Reconheço, mais do que nunca, que nada devemos julgar por sua grandeza aparente. Ó Deus, que destes uma inteligência a substâncias que parecem tão desprezíveis, o infinitamente pequeno vos custa tão pouco como o infinitamente grande; e, se é possível que haja seres ainda mais pequenos do que estes, podem ainda ter um espírito superior ao daqueles soberbos animais que vi no céu e cujo pé bastaria para cobrir o globo a que desci".



A obra não é grande, mas seu conteúdo é enorme, merece uma leitura atenta.

Edições (1)

ver mais
Micrômegas e outros contos

Similares

(19) ver mais
Viagem aos Impérios do Sol e da Lua
História Verdadeira
Science Fiction: A Historical Anthology
No Planeta Vizinho

Resenhas para Micrômegas e outros contos (2)

ver mais
Irônico e brilhante!
on 3/6/09


-Para falar a verdade, o que me leva a acreditar que não existem habitantes nessa esfera é que parece que nenhum ser sensato estaria disposto a morar aqui. - Bem , nesse caso- disse Micromegas-, talvez os seres que a habitam não tenham juízo. (Um alienígena para outro, ao se aproximarem da Terra)... leia mais

Estatísticas

Desejam16
Trocam2
Avaliações 4.4 / 62
5
ranking 55
55%
4
ranking 34
34%
3
ranking 10
10%
2
ranking 2
2%
1
ranking 0
0%

53%

47%

Samir
cadastrou em:
03/06/2009 23:39:26

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR