Minhas Lembranças de Leminski

Minhas Lembranças de Leminski Domingos Pellegrini


Compartilhe


Minhas Lembranças de Leminski





Pé vermelho (Domingos Pellegrini) entra em contato com a obra de Polaco (Paulo Leminski), no ano de 1964, ao ler um artigo deste na revista Invenções. Alguns anos depois eles se conhecem, iniciando uma amizade que dura duas décadas.

Vinte e cinco anos depois, tendo Leminski já falecido, Pé Vermelho recebe a proposta de uma editora para escrever sua biografia. Como já havia uma lançada, O Bandido que sabia latim, de Toninho Vaz, ele fica em dúvida sobre como deve fazer, e se deve fazer. Pede um tempo pra pensar. Tem, então, um sonho onde está preparando sopa num caldeirão, com Leminski, este a adicionar páprica, ‘tempero fino’, à sopa comum. Ele interpreta com humor: deve escrever algo incomum, não uma biografia convencional, mas algo além, algo escrito pelos dois, sobre as faces poliédricas de Leminski, que tanto escreveu sobre pedras…

Edições (1)

ver mais
Minhas Lembranças de Leminski

Similares


Resenhas para Minhas Lembranças de Leminski (7)

ver mais
Resenha para o blog www.quatroamigaseumlivroviajante.com
on 28/7/14


Minhas Lembranças de Leminski, não é uma biografia “normal”. Não só porque Domingos Pellegrini, conhecia intimamente Paulo Leminski, não. Mas porque, além da história de Leminski, ele conta a própria história na vida do Polaco. Quando Pellegrini recebeu a proposta de pôr em palavras a vida do amigo mais querido, Pé Vermelho pensou. Afinal, não era uma tarefa fácil, e conhecendo Leminski como conhecia, sabia que ele nunca admitiria uma biografia comum. Com “começo-meio-fim” nessa or... leia mais

Estatísticas

Desejam17
Trocam3
Avaliações 4.1 / 38
5
ranking 37
37%
4
ranking 34
34%
3
ranking 26
26%
2
ranking 3
3%
1
ranking 0
0%

35%

65%

Lelê
cadastrou em:
06/05/2014 00:09:23