O unitário

O unitário Pedro Puech


Compartilhe


O unitário


A história de um médico perseguido pela Inquisição




O ano é 1553. Da cidade italiana de Ancona, o jovem Benjamin e seu tutor, o médico e anatomista português Amatus Lusitanus (1511-1568) – ambos judeus portugueses convertidos ao cristianismo por força da Santa Inquisição – , são convocados a Roma pelo renomado artista Michelangelo Buonarroti (1475-1564) para um encontro secreto. Na capital da Igreja Católica, ambos são envolvidos em uma trama que levará Benjamin à França, ao Sacro Imperio Romano-Germânico e à atual Suíça, passando pelo ambiente de efervescência intelectual da Sorbonne e do Collége Royal, em Paris, e do Gymnasium, em Estrasburgo, e pelo regime rigoroso da Genebra governada por João Calvino (1509-1564), em busca de uma informação que pode alterar a história da medicina.



Resgatando a tradição do romance histórico, Pedro Puech mescla em O unitário personagens fictícios e históricos como Calvino, Michelangelo e o próprio Lusitanus, reconstituindo o ambiente acadêmico e político da Europa do século XVI; a tensão e a turbulência causadas pelas discussões teológicas inflamadas; e a perseguição movida por católicos e protestantes contra seguidores de doutrinas que ousaram questionar, entre outros dogmas, a Santíssima Trindade, como os unitários e os arrianos.



Neste cenário, um confuso Benjamin correrá riscos constantes e viverá uma jornada de medo, mas também de conhecimento, durante a qual irá se deparar com a vaidade levada a extremos por figuras como o médico do papa Julio III, Realdo Colombo (1516-1559); com a intransigência e firmeza de convicções na pessoa de Michel Servet (1511-1553), um cristão fervoroso que rejeitava a Santíssima Trindade, crendo em Deus como uma só entidade, motivo pelo qual era chamado – como outros – de “unitário”; e verá de novo a face da intolerância, assistindo a processo religioso semelhante ao que levou seu pai a arder na fogueira da Inquisição por se recusar a abandonar sua religião em favor do cristianismo, em Portugal.



Puech retrata em seu livro os dois lados da Europa renascentista, onde o humanismo e revoluções artísticas e científicas conviveram com a intolerância religiosa e regimes totalitários, tanto seculares quanto teocráticos. Seu protagonista guia o leitor por este período confuso, traçando o caminho até as origens de uma grande descoberta científica e ajudando a compreender alguns de seus personagens mais emblemáticos, como o anatomista, médico, teólogo e astrólogo Michel Servet, dando forma a um romance histórico que segue as pegadas do clássico O nome da rosa.



http://www.rocco.com.br

Edições (3)

ver mais
The Two Chambers
O unitário
O unitário

Similares

(11) ver mais
O Físico
O Último Judeu
O Nome da Rosa
O EGÍPCIO

Resenhas para O unitário (5)

ver mais
Uma história inacreditável!
on 31/1/11


A história de O UNITÁRIO é tão incrível que custei a acreditar que o romance fosse realmente baseado em uma história real, como o autor diz na introdução. Mas, depois de ler, fiz uma breve pesquisa na internet e vi que realmente os personagens existiram, e que essa inacreditável história aconteceu mesmo. O livro é escrito sob a forma de romance, parece ficção mas é resultado de uma pesquisa extensa. Aprendi sobre coisas que eu jamais imaginava que pudessem ter existido. Devorei o livro... leia mais

Estatísticas

Desejam19
Trocam3
Avaliações 4.0 / 116
5
ranking 39
39%
4
ranking 37
37%
3
ranking 16
16%
2
ranking 5
5%
1
ranking 3
3%

36%

64%

Lu
cadastrou em:
29/08/2009 16:52:25