Pagu

Pagu Lia Zatz


Compartilhe


Pagu


A luta de cada um




Jornalista, escritora, militante comunista, Patrícia Rehder Galvão, a Pagu, foi uma das grandes vozes da vanguarda de seu tempo. Nascida na cidade paulista de São João da Boa Vista, onde se formou professora, ela não tinha nada das meninas do interior. Pintava os lábios de roxo, usava decotes e roupas transparentes e fumava em público. Aos 18 anos, rompeu com a família e foi praticamente adotada pelo casal Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral. Um ano depois, fez parte do movimento da Antropofagia. Em 1930, casou-se com Oswald, com quem teve seu primeiro filho, Rudá. Integrante do Partido Comunista, Pagu foi presa e torturada por participar de manifestações políticas. Em 1933, ela publicou, com o pseudônimo Mara Lobo, o livro Parque Industrial, documento sobre a vida da classe trabalhadora paulista no início do século. Em 1950, foi candidata a deputada pelo Partido Socialista Brasileiro. Lançou também a Famosa Revista, em que criticava a esquerda nacional, o jornal A Vanguarda, e criou o primeiro Suplemento Literário do Diário de São Paulo.


Edições (1)

ver mais
Pagu

Similares


Resenhas para Pagu (3)

ver mais
"Pagu" - Lia Zatz
on 16/7/11


O que me fez querer ler este livro foi uma frase presente em um livro de história que tenho aqui, na última página de um capítulo entitulado "A Crise do Populismo". Eis a frase, que se encontra entre parênteses no original: "Pagu foi presa e torturada pela polícia getulista". Ao lado, uma imagem da "intelectual ingajada", como se refere a ela o autor. Sabendo alguma coisa sobre o que foi o governo Vargas, não me foi preciso muito para subentender o porquê da perseguição a Pagu, ainda ... leia mais

Estatísticas

Desejam19
Trocam4
Avaliações 3.7 / 133
5
ranking 26
26%
4
ranking 37
37%
3
ranking 29
29%
2
ranking 6
6%
1
ranking 3
3%

16%

84%

Juliana Piovani
cadastrou em:
06/01/2009 18:10:53