Razão e sensibilidade

Razão e sensibilidade Jane Austen


Compartilhe


Razão e sensibilidade #único





Elinor, a filha mais velha, tinha uma capacidade de compreensão e uma serenidade de julgamento que a qualificava, embora tivesse apenas 19 anos, a ser a conselheira da mãe… Possuía um coração excelente, era afetuosa e seus sentimentos eram fortes, mas sabia como governá-los: era um conhecimento que a mãe ainda não havia aprendido e que uma das irmãs tinha resolvido nunca aprender. As habilidades de Marianne eram, em muitos aspectos, bastante iguais às de Elinor. Ela era sensata e inteligente, mas ansiosa em tudo: seus sofrimentos e suas alegrias não tinham moderação. Ela era generosa, amável, interessante: era tudo, menos prudente.

Literatura Estrangeira

Edições (1)

ver mais
Razão e sensibilidade

Similares


Resenhas para Razão e sensibilidade (3)

ver mais
Bastante envolvente
on 27/6/18


Uma excelente leitura. Tem capítulos curtos e diálogos que não se arrastam desnecessariamente, personagens bastante interessantes e divertidos, mesmo aqueles que deveríamos odiar. Apenas não gostei da forma como foi escrito o final, o último capítulo pareceu que foi apressado e deixou um pouco a desejar em questões de narrativa.... leia mais

Estatísticas

Desejam12
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 4.2 / 30
5
ranking 53
53%
4
ranking 27
27%
3
ranking 17
17%
2
ranking 3
3%
1
ranking 0
0%

7%

93%

João gregorio
cadastrou em:
21/06/2018 14:27:35
Ju Cabral
editou em:
19/09/2018 17:41:59