Sete anos bons

Sete anos bons Etgar Keret


Compartilhe


Sete anos bons





A combinação de humor e compaixão – marca da literatura de Etgar Keret – volta a encantar e surpreender em Sete anos bons. Considerado o principal autor israelense de sua geração, Keret registrou sua rotina durante sete anos, em crônicas e contos que vão do nascimento do filho até a morte do pai. Com momentos de estranha realidade e outros de puro nonsense, mas sem jamais perder de vista a ternura, o resultado é um retrato original e sensível da vida israelense contemporânea.

Na tradição do Velho Testamento, os sete anos de abundância no Egito foram seguidos de sete anos de fome. Os bons tempos de Keret começam na maternidade enquanto aguarda o nascimento do filho. Só que são “bons tempos” que não fogem à normalidade. O parto teve de esperar até que os médicos atendessem uma emergência: feridos de um ataque terrorista.

Os 36 textos curtos do livro levam o leitor a conhecer o modo de vida de Israel às voltas com guerras e conflitos políticos, e como, mesmo assim, os habitantes conseguem respirar mantendo uma sociedade moderna e globalizada. O que importa para Keret, no entanto, é revelar como as dificuldades podem ser enfrentadas através da sátira e do humor negro.

A história pessoal do escritor parece conter a história de todo o país: os pais sobreviventes do Holocausto na Segunda Guerra; a irmã mais velha que abraçou a religião ortodoxa e teve 11 filhos, cada um deles com um nome duplo composto por hífen, como é do costume hassídico; o irmão pacifista a favor da legalização da maconha.

É difícil, até para o filho pequeno de Keret, fugir ao destino que a sociedade obriga. A crônica Exército de fraldas mostra que conversar na escola com outros pais de meninos de três anos inclui uma pergunta obrigatória: “Lev irá para o Exército quando crescer?”

Mas quem se revela por inteiro nas páginas do livro é o próprio escritor. Acompanhar o dia a dia de Keret é descobrir de onde ele tira a inspiração para suas histórias, que alguns críticos comparam às de Kafka. Sete anos bons é uma coletânea de histórias que se lê com um sorriso no rosto, mas que calam fundo, pois sabemos que seus protagonistas jogam com a vida.

Biografia, Autobiografia, Memórias / Contos / Crônicas / Literatura Estrangeira

Edições (1)

ver mais
Sete anos bons

Similares

(6) ver mais
Nu, de Botas
Meu Nome É Lucy Barton
As pequenas virtudes
Meus Documentos

Resenhas para Sete anos bons (10)

ver mais
Vai ser difícil não amar...

Esqueçam tudo o que vocês acham que encontrariam ao ler um autor israelense. Primeiro porque, aqui, não se trata de um autor qualquer, mas um dos mais populares escritores israelenses dos dias de hoje. Etgar Keret já foi publicado em mais de 30 idiomas e, além de escritor, é também roteirista e diretor de cinema. Feita a introdução que considerei obrigatória, me sinto mais apta a adentrar a obra. Sete Anos Bons é o primeiro livro de não ficção do aclamado autor; dividido em sete cap... leia mais

Estatísticas

Desejam58
Trocam2
Avaliações 4.2 / 178
5
ranking 43
43%
4
ranking 44
44%
3
ranking 9
9%
2
ranking 4
4%
1
ranking 0
0%

28%

72%

Rocco
cadastrou em:
30/03/2015 10:48:30
Jenifer
editou em:
15/12/2019 20:40:38