Teatro Completo

Teatro Completo Nikolai Gógol


Compartilhe


Teatro Completo





Mestre da paródia, do humor crítico e do nonsense, Nikolai Gógol ocupa uma posição singular no panorama da literatura mundial. Por um lado, é reconhecidamente o precursor de toda uma linhagem da ficção russa do século XIX que inclui autores tão fundamentais, e diferentes entre si, quanto Dostoiévski e Tchekhov. Por outro, seus textos teatrais estão na origem de algumas das experiências mais criativas do teatro de vanguarda do século XX. Neste sentido, vale observar que a invenção literária genial de O inspetor geral, levada ao palco pela primeira vez em 1836, só iria encontrar o seu perfeito equivalente cênico em 1926, na célebre montagem de V. E. Meyerhold (1874-1940), que trouxe à tona todo o potencial revolucionário da peça.

O presente volume reúne a totalidade da obra teatral de Gógol - que inclui também Os jogadores, O casamento, À saída do teatro e Desenlace de O inspetor geral -, com exceção de quadros fragmentários e inacabados, não incluídos em suas obras completas. A tradução de Arlete Cavaliere, professora da Universidade de São Paulo, e autora também das notas e do estudo introdutório, parte de uma compreensão profunda do universo gogoliano, fruto de anos de convívio com sua poética. Em busca do tom e do espírito do original, o texto em português tira partido da oralidade, dos jogos de linguagem e dos lances inesperados, para recriar em nossa língua esse humor insurgente, afiado e atualíssimo, que fascina leitores em todo o mundo.

Literatura Estrangeira

Edições (1)

ver mais
Teatro Completo

Similares

(17) ver mais
Ivánov
Nova antologia do conto russo
Misterio-bufo
A Cultura Popular na Idade Média e no Renascimento

Resenhas para Teatro Completo (6)

ver mais
on 16/3/13


O teatro de Gógol é eloquente, fascinante e virulento como sua prosa. Teatro de acusação, espelho erguido contra o mundo, mostrando sua face podre e torta, que reverbera até os dias de hoje. Em "O Inspetor Geral" temos uma galeria de personagens corruptos que desfilam suas tolices e maquinações torpes por todos os cantos da peça. Enganados por um algoz igualmente torpe, são levados ao paroxismo da estupidez, e tudo isso em uma peça de tons revolucionários. Em "Os Jogadores", Gógol ... leia mais

Estatísticas

Desejam120
Trocam1
Avaliações 4.4 / 83
5
ranking 53
53%
4
ranking 39
39%
3
ranking 7
7%
2
ranking 1
1%
1
ranking 0
0%

50%

50%

fred
cadastrou em:
25/12/2009 19:59:58
C
editou em:
28/11/2019 13:37:14

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR