Wieland, ou A Transformação

Wieland, ou A Transformação Charles Brockden Brown


Compartilhe


Wieland, ou A Transformação





Edgar Allan Poe, H. P. Lovecraft, Nathaniel Hawthorne, Stephen King... esses e muitos outros escritores de terror dos Estados Unidos fazem parte de uma tradição que começou ainda no século XVIII, a literatura gótica norte-americana.
Transferindo o horror do castelo mal-assombrado europeu para a mansão, utilizado as paisagens inóspitas e inexploradas do continente e tratando de temas culturais específicos, como o caso das bruxas de Salem, o gótico nasceu nos Estados Unidos com sua cara própria.

Essa tradição foi oficialmente iniciada por um escritor chamado Charles Brockden Brown, reconhecido por ter escrito o primeiro romance gótico do país, chamado Wieland, ou a transformação.

Charles Brockden Brown nasceu na Filadélfia, estado da Pensilvânia, EUA, no ano de 1771. Além de escritor, foi editor e historiador, discutindo sempre temas que estavam em voga em sua época, como religião, política e lutas por direitos, como os da mulher. Entre suas principais referências filosóficas, estavam William Godwin e Mary Wollstonecraft, pensadores e escritores britânicos e, também, pais de Mary Shelley. A grande obra de Mary Shelley (Frankenstein), aliás, possui influências de Brown.

Charles Brockden Brown morreu cedo, com apenas 39 anos, em 1810, de tuberculose.

Entre seus escritos, podemos encontrar sete romances, diversos contos e também textos não literários, como ensaios sobre a defesa dos direitos femininos e questões políticas e territoriais.

Publicado pela primeira vez em 1798, Wieland, ou a transformação, é o romance que dá o pontapé na literatura gótica norte-americana.

A história é passada na zona ural do estado da Pensilvânia, onde vivem os Wieland, um casal de irmãos, após uma tragédia que levou a vida de seu pai. Sem causa aparente, mas atribuída a uma possível vingança divina, o pai dos protagonistas morrera por combustão espontânea, deixando a propriedade para eles.

A questão do fanatismo religioso, tanto do pai, quanto do próprio Theodore Wieland, é um dos grandes temas do livro. Devido a uma crença inabalável, os personagens se vêem envolvidos em tragédias que jamais imaginaram possíveis.

Além disso, a história do romance, que é narrado por Clara Wieland, apresenta o tema da manipulação psicológica, que acontece por meios bastante não convencionais.

Em Wieland, ou a transformação, acompanhamos, assim, o dia a dia da vida de Clara e de sua família, dia a dia este que, aos poucos, começa a deturpar-se e tornar-se opressor devido a novos elementos assustadores que surgem em cena. Muitos desses elementos são inexplicáveis, sendo atribuídos a questões sobrenaturais e misteriosas. A vida pacata e tranquila do campo, aos poucos, dá espaço para o medo e para a desconfiança e, ao fim do romance, a vida de ninguém é mais a mesma.

A arte da capa foi feita em aquarela por Preto Pasin, que já trabalhou com a editora em projetos anteriores, tendo lançado a HQ Phobiafilia e ilustrado para outros projetos também. A ideia foi fazer uma releitura da famosa pintura American Gothic (1930), de Grant Wood. A obra original representa um fazendeiro e sua filha em frente a uma casa de estilo gótico, o que dialoga diretamente como o contexto de Wieland e, por isso, decidimos fazer uma releitura que englobasse ainda mais o espírito do livro. O fogo, como você verá durante a leitura, tem um papel importante no romance.

Terror

Edições (1)

ver mais
Wieland, ou A Transformação

Similares

(50) ver mais
O Vampiro
A Mão do Macaco
A Queda da Casa de Usher
Transformação

Resenhas para Wieland, ou A Transformação (1)

ver mais
Wieland ou a Transformação, de Charles Brockden Brown
on 3/2/21


Uma leitura que eu aguardava ansioso Depois da live que fiz com a querida Úrsula Antunes, eu fiquei muito curioso sobre a história de Wieland ou a Transformação, de Charles Brockden Brown. Ela foi uma das preparadoras de texto, tendo acesso ao livro. Suas dicas sobre o rumo do enredo eram incríveis e certamente instigantes. Com tradução de Nathalia Sorgon Scotuzzi e Mimi Zanetti, esta obra é um dos lançamentos de 2020 da Editora Diário Macabro. O livro é um importante representante... leia mais

Estatísticas

Desejam5
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 3.6 / 14
5
ranking 7
7%
4
ranking 64
64%
3
ranking 21
21%
2
ranking 7
7%
1
ranking 0
0%

41%

59%

Mauricio (Vespeiro)
cadastrou em:
09/01/2021 02:04:28
Jessica
editou em:
13/01/2021 16:26:46

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR