Calibã e a Bruxa

Calibã e a Bruxa Silvia Federici


Compartilhe


Calibã e a Bruxa


Mulheres, Corpo e a Acumulação Primitiva




O livro discorre sobre a violência brutal empreendida contra as mulheres durante a transição do feudalismo para o capitalismo na Europa, e sustenta que a “caça às bruxas” relacionou-se diretamente com criação de um novo sistema econômico, forjado na escravidão, na colonização e na exploração e dominação do corpo e dos saberes femininos. O título da obra faz referência a duas personagens shakespearianas — Calibã e sua mãe, Sycorax, uma bruxa — para simbolizar a dimensão sexista e racista que o capital impõe a quem resiste à sua ordem.

Baseada em uma exaustiva pesquisa documental e iconográfica, e em farta bibliografia, Silvia Federici argumenta que o assassinato de centenas de milhares de bruxas foi, juntamente com a submissão dos povos africanos e americanos, um aspecto fundacional do sistema capitalista, uma vez que designou às mulheres o papel de “produtoras de mão de obra”, obrigando-as, pelo terror, a exercer gratuitamente os serviços domésticos necessários para sustentar os maridos e os filhos homens que seriam usados como força de trabalho do sistema nascente.

Nesse sentido, Calibã e a bruxa apresenta um contraponto ao pensamento de Karl Marx sobre a acumulação, afirmando que, em vez de se tratar de um aspecto precursor do capitalismo, a acumulação seria inerente a ele. O livro dialoga ainda com de Michel Foucault, a quem critica duramente por não haver levado em conta em sua História da sexualidade a campanha contra o corpo feminino e o extermínio de centenas de milhares de mulheres na fogueira.

Filosofia

Edições (1)

ver mais
Calibã e a Bruxa

Similares

(10) ver mais
Mulheres que não sabem chorar
Calibán y la bruja
Caliban and the Witch
Calibán y la bruja

Resenhas para Calibã e a Bruxa (7)

ver mais
Calibã e a Bruxa: o terror contra os corpos das mulheres a serviço do capital, ontem
on 9/10/17


As bruxas não são necessariamente uma figura desconhecida dos nossos dias. Elas são tema de filmes, histórias em quadrinhos, músicas, contos infantis, festas e obras literárias. O chapéu preto e pontudo, o vestido comprido da mesma cor, a vassoura, o caldeirão e o gato por companhia compõem o imaginário simbólico de um dos arquétipos femininos mais conhecidos e explorados – seja para se referir de forma caricata e estereotipada às mulheres, seja para, numa releitura, colocar a bruxa co... leia mais

Vídeos Calibã e a Bruxa (3)

ver mais
BOOK TAG COISA BOA (ORIGINAL)

BOOK TAG COISA BOA (ORIGINAL)

'Corpo da mulher é a última fronteira de conquista do capital', diz Silvia Federici

'Corpo da mulher é a última fronteira de conq

CALIBÃ E A BRUXA - CONVERSA SOBRE O LIVRO

CALIBÃ E A BRUXA - CONVERSA SOBRE O LIVRO


Estatísticas

Desejam501
Trocam1
Avaliações 4.8 / 140
5
ranking 86
86%
4
ranking 11
11%
3
ranking 2
2%
2
ranking 0
0%
1
ranking 1
1%

10%

90%

Adriana Scarpin
cadastrou em:
10/07/2017 13:41:05
Fanie
editou em:
26/08/2017 12:51:38