Grande Sertão: Veredas

Grande Sertão: Veredas João Guimarães Rosa
Eloar Guazzelli


Compartilhe


Grande Sertão: Veredas #II





Riobaldo, também conhecido como Tatarana ou Urutu-Branco, um ex-jagunço já envelhecido, relata sua experiência de vida a um interlocutor que não se manifesta, mas é possível perceber sua opinião através das inferências de Riobaldo.
Suas histórias de vingança, lutas, perseguições, medos, dúvidas e amores pelos sertões de Minas Gerais, de Goiás, do sul da Bahia são contadas sempre com uma reflexão sobre tudo que lhe aconteceu. Essas histórias vão sendo entrelaçadas e expostas com a preocupação do narrador-personagem de discutir a existência ou não do diabo, fato do qual depende a salvação de sua alma, pois, quando jovem, para vencer seu maior inimigo Hermógenes, Riobaldo parece ter feito um pacto com o demo.
O romance é marcado por dois grandes conflitos, o primeiro deles é contra Zé Bebelo e os soldados do governo e tem como líderes João Goanhá, Ricardão, Hermógenes, Joça Ramiro, Sô Candelário e Tirão Passos. Zé Bebelo é pego e julgado pelo tribunal composto por esses líderes chefiados por Joça Ramiro. Hermógenes e Ricardão defendem a pena capital para Zé Bebelo, mas, no fim do julgamento, Joca Ramiro sentencia-o a liberdade com a condição de que ele vá para Goiás e não volte sem ordem.
O segundo conflito surge depois de um período de paz no sertão quando Gavião-Cujo, um jagunço, anuncia que “Mataram Joca Ramiro!...”, então, sob liderança de Zé Bebelo que retorna para vingar a morte daquele que lhe concedeu a liberdade, o bando de Riobaldo e Diadorim e demais chefes lutam contra o grupo rival liderado pelos assassinos de Joca Ramiro, Hermógenes e Ricardão, os traidores do bando. Essa guerra se finda com o romance com a morte de Hermógenes na batalha final no Paredão.
Riobaldo vê o mundo com indiferença. O mal é apenas projeção e o ser é a razão e seu temor, o vir a ser.
Grande Sertão: veredas abre parênteses para inúmeras análises literárias, pois é uma obra abrangente que discute a travessia da vida com todos os seus conflitos e labirintos diabólicos. O romance retrata o homem com suas projeções, ações e omissões em um mundo indiferente. É a afirmação dos conflitos humanos construindo e destruindo as teias de vivências; vivendo os paradoxos necessários.

Literatura Brasileira / Ficção / Romance

Edições (21)

ver mais
Grande Sertão: Veredas
Grande sertão: Veredas
Grande Sertão: Veredas
Grande sertão: Veredas

Similares

(34) ver mais
Macunaíma
No Urubuquaquá, No Pinhém
Macunaíma
Cem Anos de Solidão

Resenhas para Grande Sertão: Veredas (445)

ver mais
"o destino guardou essa maravilha pra você"
on 19/5/11


Todo mundo costuma se atrasar pelo menos alguns minutos em suas atividades, principalmente quando as mesmas são: trabalho e estudo. E comigo não poderia ser diferente, e exatos "7 minutos" de atraso me fizeram estar aqui, fazendo uma resenha sobre esse livro que pra mim sempre foi um grande clássico que nunca tinha lido,e que provavelmente nunca leria. Enquanto eu corria mais rápido que o Usain Bolt pra chegar à sala de aula e escolher um bom livro pra apresentar o seminário mensal, ... leia mais

Vídeos Grande Sertão: Veredas (16)

ver mais
Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa [Introdução] | Christian Assunção

Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Ros

Grande Sertão Veredas: Antônio Cândido sobre Guimarães Rosa

Grande Sertão Veredas: Antônio Cândido sobre


Estatísticas

Desejam2.369
Trocam61
Avaliações 4.6 / 6.743
5
ranking 74
74%
4
ranking 17
17%
3
ranking 7
7%
2
ranking 2
2%
1
ranking 1
1%

32%

68%

Walmor
cadastrou em:
23/03/2014 22:40:12
lucervino
editou em:
26/03/2015 20:41:39

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR