Inimigo Judeu

Inimigo Judeu Jeffrey Herf


Compartilhe


Inimigo Judeu


Propaganda Nazista Durante a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto




A experiência política do nazismo na Alemanha representou a face mais nefasta do fenômeno identitário ao conceber - com bases étnicas e raciais - um padrão ideal
e fechado de povo alemão. Padrão este que não permitia a inclusão ou a simples (co)existência daqueles indivíduos considerados diferentes, e fora dos padrões raciais nazistas, no seio da sociedade alemã do Terceiro Reich (1933-1945). Dessa forma, um dos fundamentos da ideologia nazista foi a nítida contraposição entre aqueles que faziam parte da Volksgemeinschaft (Comunidade do Povo) e aqueles considerados como o "Outro", que, por meio de uma ação violenta e agressiva do regime nazista, deveriam não apenas ser combatidos, mas excluídos socialmente e eliminados fisicamente da comunidade nacional. O nazismo tinha como um de seus princípios fundamentais a missão de "embelezar" o mundo, que, em tempos anteriores, havia sido resplandecente em beleza. Na ótica nazista, a miscigenação e a degeneração o teriam transformado em ruínas, e só com o retorno aos velhos ideais a sociedade poderia florescer novamente. Para isso, o regime nazista desenvolveu um imenso aparato propagandista, ideológico e repressivo tanto para doutrinar e enquadrar os membros da Comunidade do Povo quanto para discriminar aqueles que não se encaixavam no modelo ideal de alemão concebido pela ideologia nazista. Nesse sentido, Inimigo judeu é tanto uma contribuição bem-vinda à discussão historiográfica sobre a propaganda nazista e seus métodos quanto um livro sui generis.
Por que o antissemitismo europeu, especialmente o alemão, que até então nunca havia levado a uma tentativa de assassinar todos os judeus da Europa, tentou fazê-lo entre 1941 e 1945, em meio à Segunda Guerra Mundial? O que mudou para que o antissemitismo se tornasse um método de assassinato em massa em vez de apenas uma continuação dos padrões de perseguição que já existiam há tantos séculos? A resposta reside naquilo que Hitler e seus principais propagandistas e ideólogos tinham a dizer sobre a "questão judaica" no meio da guerra e do Holocausto e em suas tentativas de modelar a narrativa dos eventos por meio da propaganda na imprensa controlada. É de surpreender que, considerada a extensa literatura sobre o assunto, Inimigo Judeu seja o único livro a examinar em profundidade a paranoia antissemita presente no modo como os Nazistas relatavam a guerra mundial.

Edições (1)

ver mais
Inimigo Judeu

Similares

(4) ver mais
Portugueses nos Campos de Concentração Nazis
Crer e Destruir
LTI - A Linguagem do Terceiro Reich
O Holocausto

Estatísticas

Desejam26
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 3.7 / 3
5
ranking 0
0%
4
ranking 67
67%
3
ranking 33
33%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

36%

64%

Marcos Pedro
cadastrou em:
14/09/2014 23:40:01