Ladainha

Ladainha Bruna Beber


Compartilhe


Ladainha





Bruna Beber tenta retirar, ao extremo, o peso, a profundidade e a densidade da poesia A começar pelo título: tipo de canto, prece ou recitação que provém de uma dimensão religiosa, a palavra “ladainha” passou a ser usada para dizer aquilo que se repete incansavelmente apesar de já ter perdido o sentido. Ainda, ao escolher não dar títulos aos poemas, mas apenas enumerá-los com a sequência dos 32 primeiros números primos, Bruna Beber foge à simples infinitude dos números naturais, aspirando a uma infinitude ainda não de todo mapeada. O que poderia ser visto como um exercício de banalidade e humor propositalmente afirmativos é, antes de tudo, uma posição ironicamente crítica da poesia para com sua história, para com a poeta, o leitor, a tradição, o mundo, o nosso tempo e, mesmo, a vida.

Poemas, poesias

Edições (1)

ver mais
Ladainha

Similares

(1) ver mais
outono azul a sul

Resenhas para Ladainha (6)

ver mais
Ganha em estrutura
on 3/6/21


Entendi aqui o que quis a autora, e de fato expressa maturidade com a construção poética. Os surtos de consciência e a repetição por "eco" das ideias se encaixaram bem na estrutura. Porém, havia visto alguns outros poemas dela, apresentados por uma amiga, e me impactaram. Morri de vontade de devorar cada verso, mas talvez tenha escolhido o livro errado pra começar. Um bom livro, minha expectativa é que foi muito alta. Continuarei lendo a autora, buscando os versos que me chamaram a ate... leia mais

Estatísticas

Desejam17
Trocam1
Avaliações 3.2 / 52
5
ranking 4
4%
4
ranking 40
40%
3
ranking 42
42%
2
ranking 8
8%
1
ranking 6
6%

32%

68%

Amanda Ferreira
cadastrou em:
30/05/2017 14:28:31

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR