Bem-vindo à Vida Real

Bem-vindo à Vida Real Christian McKay Heidicker




PDF - Bem-vindo à vida real


Jaxon passa todo o tempo livre – e até o que deveria estar ocupado – na frente do computador, jogando com outros gamers on-line. Duzentas e cinquentas horas por mês, para ser mais exato. Até que um dia, quando sai para levar o carro do pai a um lava jato, ele conhece Serena e consegue garantir seu primeiro encontro com uma garota de carne e osso. O problema é que minutos depois ele é levado para a Vídeo Horizontes, uma clínica de reabilitação para viciados em videogame. Lá, Jaxon vai ter que conviver com outros jogadores em tratamento e aprender habilidades úteis na vida real até acumular 1 milhão de pontos em tarefas do dia a dia. Como Serena não tem celular nem perfil no Facebook, Jaxon tem quatro dias para atingir a pontuação e ter alta da clínica.
E ele fará de tudo — mentir, trapacear, trair e até mesmo aprender a bordar — para alcançar seu objetivo. Mas, se nenhum desses macetes der certo, talvez Jaxon precise, enfim, se abrir de verdade, confrontar a ausência da mãe e, quem sabe, admitir para si mesmo que não é apenas a fissura pelos games que o impede de se conectar com o mundo à sua volta.
Um livro ao mesmo tempo divertido e comovente, Bem-vindo à vida real é uma história repleta dos dilemas e urgências da existência humana, com personagens apaixonantemente desajustados e entremeada de referências que são verdadeiros easter eggs plantados carinhosamente pelo autor – fissurado por ciências e Final Fantasy, Zelda, Mario Kart, Diablo, Dark Souls...





Bem-vindo à Vida Real

Leia o PDF do primeiro capítulo de Bem-vindo à Vida Real

Visualizar

O Skoob é a maior rede social para leitores do Brasil, temos como missão incentivar e compartilhar o hábito da leitura. Fornecemos, em parceira com as maiores editoras do país, os PDFs dos primeiros capítulos dos principais lançamentos editoriais.

Resenhas para Bem-vindo à Vida Real (19)

ver mais
Superficial


O livro parece sair de nenhum lugar para lugar nenhum. Apresenta um protagonista fraco e egoísta incapaz de sentir empatia, exceto por uma personagem (Gravidade) pela qual ele semeia uma obsessão digna de terapia psicológica. Tive grandes expectativas de ler uma abordagem mais aprofundada acerca do tempo excessivo que grande parte dos jovens passa em jogos virtuais, mas só o que vi foram discursos superficiais, jogados à areia do deserto onde a Video Horizontes e seus patéticos persona...
Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR