A Carícia do Vento

A Carícia do Vento Janet Dailey




Resenhas - A Carícia do Vento


18 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Monca 21/07/2011

Este foi um dos melhores livro que já li.Foi indicação da minha amiga Carla.A leitura foi feita em conjunto com a Luna e foi maravilhoso compartir os altos e baixos que esse livro causou em nossas emoções,pois esse livro não nos deixa indiferente.Recomendo que seja lido,pois vale cada página virada.
comentários(0)comente



Isabel 27/10/2010

Mais um romance açucarado de Janet Dailey, fala de refugiados políticos, vivendo em montanhas do México, o chefe do bando sequestra a mocinha e tals. Um bom entretenimento!!!
Lili 18/03/2015minha estante
Comecei a ler esse livro,abandonei nao consegui me apegar a mocinha.Depois fiquei sabendo do resto da historia,conclui que eu fiz muito bem em nao terminar,so ficaria irritada e cansada da historia.




Blog MVL - Nina 05/05/2011

Blog: Minha Vida por um Livro | Marina Moura www,minhavidaporumlivro.blogspot.com
A primeira vez que li a obra “A Carícia do Vento” foi há três anos. Fui capturada pela narrativa dessa autora talentosa, entretanto não indico o livro para os mais sensíveis. É uma estória dura, sobre pessoas torturadas,que no meio de um intenso sofrimento e contra todas as probabilidades se apaixonam.

Dailey conta a estória de Sheila. Uma jovem mimada, filha de um grande empresário e freqüentadora assídua da alta sociedade americana. Por rebeldia acaba se casando com um homem que não amava só pela sua bela figura, e sim pela sua conta bancária. Partindo em uma lua de mel conturbada, o casal é assaltado em uma estrada no México. Seu marido acaba morto e ela seqüestrada. Em cativeiro ela passa a conhecer o estilo de vida de seus captores e se apaixona por Ráfaga, o líder do bando. Juntos, os dois vivem um conturbado relacionamento onde ambos buscam controlar e possuir um ao outro.

A Carícia do Vento foi originalmente publicado em 1979, o que desperta a minha curiosidade a respeito das reações controversas que o livro deve ter causado naquela época. Além de envolver cenas de estupro e sexo descritivo, a autora também aborda uma síndrome psicológica que havia sido nomeada em 1973. O que hoje conhecemos como a doença psiquiátrica das vítimas de seqüestro. A síndrome de Estocolmo consiste em um relacionamento afetivo da vítima com seu captor. Não são poucos os casos onde podemos encontrar traços dessa situação. Em A Carícia do Vento, Sheila acaba se relacionando sexualmente e emocionalmente com Ráfaga, o responsável por seu seqüestro.

Apesar da óbvia condição amoral na qual Sheila é colocada, o leitor,assim como a protagonista,acaba se apegando a Ráfaga tanto quanto Sheila. É nesse aspecto que a narrativa de Dailey se mostra superior, ela possui o raro dom de manipular seus leitores. O que pode ser bom ou ruim, dependendo de que tipo de leitor você é. A realidade cruel é que a protagonista é uma sobrevivente,ela fez o que foi necessário para permanecer viva e ilesa. A maioria dos homens do bando gostaria de estuprá-la, e então onde ela ficaria? Sheila opta (não conscientemente) em ser a mulher de um só. E estando com o líder, sua proteção estaria garantida. Não é o que acontece, mas isso deixo para os leitores descobrirem sozinhos.

Janet Dailey não poupa os leitores de cenas violentas, o que é revoltante ao longo do livro. Contudo, como uma obra que possui um objetivo maior do que apenas entreter, A Caricia do Vento foi, e ainda é tema de debate garantido.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Cristine 05/04/2011minha estante
eu sempre pensei no final desse livro, e cheguei a conclusão que a autora para aí, simplesmente pq não há como ter um final feliz!! a não ser que fujam para os EUA, o que acho que o rafaga não faria, em algum momento eles vão acabar pegos.




Fabi 19/04/2019

TÃO BOM, QUE MERECE ATÉ SER RELIDO!
''—Tudo o que quero está aqui. - repetiu Ráfaga roucamente, de encontro à sua boca, a respiração cálida misturando-se à dela. —Tudo o que jamais poderia desejar encontrei.''

Sei que não é o correto, mas muitas vezes, um livro me interessa pela capa. E neste aqui, não achei a capa atrativa. A sinopse é bem interessante, mas nunca me batia a animação de pegar e conferir o que me esperava. Quão tola eu fui! Comecei este livro receosa e aos poucos fui me apaixonando pela história. *-*
Já li alguns livros que a refém, se apaixona pelo sequestrador. E eu AMO esse tipo de história! É tão intrigante a forma como o casal vai se envolvendo, aquele ódio se tornando amor. S2 S2
A mocinha do livro é mimada, já que foi criada tendo tudo a seus pés. Quando ela é raptada pelo bando de Ráfaga, já fica toda histérica e falando um monte. Ráfaga é todo misterioso, e claro que Sheila não ficará imune ao mexicano. Lindo do jeito que é, qualquer uma ficaria boba que nem ela. Não a julgo, rs.
Ela o insulta várias vezes, e ele só na dele. Ahhhh como foi divertido, quando Ráfaga se revelou. Deixou Sheila surpresa que só. E a partir daí, o livro ficou ainda mais legal. Aqui não temos um mocinho, 100% mocinho. Ele é quem a sequestrou, ele é quem a mantém prisioneira. Mas é ele também, que mexerá com o coração dela.
Meu coração sempre se aquece com uma história de amor impossível. Lhes digo, que quando a leitura me pegou mesmo, eu nem queria largar o livro. E quando estava chegando no fim, não queria que terminasse. Por mim, este livro teria uma continuação ou ao menos muitíssimas páginas a mais. Minha única reclamação, é em relação ao final. Custava a autora ter escrito mais coisa? :’(
Meus amigos, leiam este livro. POR FAVOR, não deixam de conferir esta maravilha! ^-^
Leitora assídua 19/04/2019minha estante
Parece que estou ouvindo vc me contar em palavras sobre ele :)


Fabi 19/04/2019minha estante
Ahhh obrigada! Me empolgo escrevendo resenhas, rs. ^-^


Tânia (@ritmoliterario) 19/04/2019minha estante
Eu também amo livros com essa temática. Já add esse aqui pra ler?


Mayra 19/04/2019minha estante
Quero !!!


Dea 20/04/2019minha estante
O li há décadas atrás e concordo. Tinha que ter continuação. É aquele livro que você ou ama ou odeia. Eu sou do time que ama. Bela resenha :)


Fabi 20/04/2019minha estante
Tânia e Mayra leiammm! ^^


Fabi 20/04/2019minha estante
Dea, eu amei e ñ foi pouco kkkk
Obgd!


Dea 20/04/2019minha estante
Kkkkk... Ráfaga é igual a Michael Moretti em. A Ira dos Anjos de Sidney Sheldon, é a Vida da História.


Fabi 20/04/2019minha estante
Esse ainda ñ li. Vou pesquisar kkkk


Dea 20/04/2019minha estante
Fabi, eu amei, mas se prepare. Kkkk. Paro por aqui. :p


Charlene 21/04/2019minha estante
Também amo muito, queria um livro daquele outro mocinho, esqueci o nome pq faz anos que li esse livro, aquele que foi amigo da Sheila.


Charlene 21/04/2019minha estante
Dea nunca vou esquecer do livro A Ira dos Anjos, mas ele é mais forte que esse, preciso reler, já faz uns bons 10 anos que li.


Dea 22/04/2019minha estante
Charlene, o livro é forte e vou te dizer que ainda espero uma continuação dele, mas de tão surpreendente ele está entre os meus queridinhos sempre. Mesmo estando com o coração em frangalhos.


Fabi 22/04/2019minha estante
Charlene, o nome era Laredo. Seria interessante sim um livro sobre ele.
Vcs estão comentando tanto sobre esse A ira dos anjos, q estou ficando curiosa kkkk


Dea 22/04/2019minha estante
Fabi, dois estilos diferentes de livros contemporâneos. É aquele livro que o bandido rouba a luz do mocinho e o fim... Não dá pra comentar mais nada, senão tira a surpresa do livro. Charlene vai concordar e Laredo é tdb também, né?


Charlene 22/04/2019minha estante
Preciso urgente reler a ira dos anjos!!!!!!!!! O melhor livro do autor! Sem dó e piedade!


Fabi 22/04/2019minha estante
Vou adc é agr kkkkk
Tantos comentários positivos!


Dea 22/04/2019minha estante
Kkkkk.. Leia e depois chama a gente pro debate


Fabi 22/04/2019minha estante
Ok. Só n será agr. Mas vou ler sim.




Pri 28/04/2012

Só nao dei 5 estrelas ao livro porque o final deixa muito a desejar, fiquei até contanto as paginas para ver se alguma nao tinha caído, pois não me conformei que acabada assim do nada.


Sheila é uma moça rica que se apaixona por uma besta e foge com ele para o méxico para se casarem, mas lá a besta em questão se perder e o carro quebra.... ai começa a história de verdade.
Eles são sequestrados por mexicanos fugitivos, que matam seu marido e a levam como garantia de dinheiro.... e no desenrolar da história ela se apaixona por RAFAGA, um homem frio, mas que na hora do vamos ver, é um homem com H maiúsculo ai ai ai.


as senas Hot são tudo de bom, pena que não duram muito.


beijinhos
Pri
comentários(0)comente



Leitora Geek 14/09/2018

Como eu amei essa história!
Gente eu amei tanto esse livro. Sériooo
No começo fiquei chocada com uns acontecimentos, tenho ódio de alguns personagens e nojo. Mas com a leitura sua opinião vai mudando e vc percebe o livro incrível que está em suas mãos. Leitura super agradável e quando você percebe devorou paginas e paginas do livro. Li emprestado por uma prima. E coo quero ter esse livro em minha estante. Amei! Suuper recomendo.

site: @leitora.geek
Débora 27/09/2018minha estante
Não consegui largar!!! Amei!




Nasa 25/01/2018

“Livro que marcou a estreia de Janet Dailey na lista dos mais vendidos do The New York Times, A carícia do vento consagrou a autora como uma das maiores romancistas do gênero. A protagonista é a jovem milionária Sheila Rogers, bela, impulsiva e mimada que vivia em Austin, no Texas. Sheila contraria as expectativas de seus pais e foge para Juarez, no México, com Brad Townsend, um homem bonito e envolvente, mas que nada mais era senão um caça-dotes. A lua de mel do casal converte-se num verdadeiro inferno quando seu marido é brutalmente assassinado e ela é sequestrada e levada por um bando de pistoleiros para um esconderijo nas montanhas. É ali que Sheila conhece Ráfaga, homem corajoso e idealista, e logo o ódio se transforma numa paixão arrebatadora”.

Para quem nunca leu um livro de Janet Dailey, recomendo começar pelo livro a carícia do Vento. Afinal foi com esse livro que ela estreou como escritora. O livro é para quem gosta de um romance sexy, com aventura e um herói estilo Bad Guys. Se for esse seu caso vai fundo. É uma aventura perfeita.
Quando li o livro a primeira vez fiquei completamente apaixonada e o coloquei no alto da minha lista de favoritos. Ele é um daqueles que você leria mesmo velhinha. Você pode até pensar que estou exagerando, mas essa é uma aventura completa.
Então sem mais delongas vamos falar sobre “A Caricia do Vento”.
Sheila é uma jovem mulher, rica e mimada e sem noção do que é realmente um homem bom e com caráter. Sem experiência por ter sido criado no luxo e superprotegida pelo pai. Ela se envolve com um homem de caráter duvidoso, um sedutor que só busca dinheiro. O mal tem nome e ele se chama Brad. Ele é um lixinho, aquele personagem que você odeia de imediato.
Cega e buscando da forma errada sua liberdade, Sheila não percebe na armadilha a qual foi tragada. Dá para entender o engano dela. Viver em uma redoma de vidro, cercada de tudo a tempo e a hora faz muito mal.
Sem perceber ela colocou sua vida, felicidade e segurança nas mãos de um homem perigoso, aproveitador e sim, violento. Tomou as decisões erradas e vai pagar bem caro por isso.
Fugiu da proteção do pai e casou com Brad. A lua de mel foi um desastre e não vou dar detalhes da noite de núpcias. O aviso estava piscando em vermelho vivo, mas ela ignorou e mais uma vez pagou caro. Mas é uma lua de mel, vamos passear no deserto, no México, numa cidadezinha chamado Juárez. Um lugar perdido dentro do nada. Sabe aqueles lugares que você vê uma bola de capim seco passar arrastada pelo vento? É bem isso.
Numa ideia tremendamente idiota, Brad decide viajar de carro e passeio se transforma numa aventura insólita quando ao pegar um atalho eles se perdem e se deparam com um “bando” nada amistoso.
Dai em diante Sheila se vê refém do bando, eles não falam sua língua e não querem dinheiro. Não agora. Então vamos fazer uma lista dos problemas. Ela está sozinha e num lugar deserto, rodeada de bandidos. Rapidamente vira propriedade de um dos homens do bando. Diga-se de passagem, o pior deles, o mais sujo e mal-encarado.
As coisas estão rolando ladeira abaixo, quando finalmente o líder do grupo a toma em sua proteção. Um homem de rosto sombrio, olhos frios e pouca conversa chamado Rafaga. Lembrem bem desse nome. Para reclamar e pedir ajuda, ela só conta com Laredo, um jovem integrante do bando, que tem bom coração e fala inglês. Ele a mantem viva e segura e longe de problemas até que eles cheguem ao local onde se escondem. Mas com Sheila as coisas são sempre difíceis. Ela luta com unhas e dentes por sua liberdade.
Durante a leitura nos deparamos com situações engraçadas, perigosas, tensas e muito sexys. Sim, o livro tem uma poderosa carga sexual. Rafaga e Sheila são um casal meio Amor e Ódio e essa química explosiva e deliciosa nos leva cada vez mais fundo nessa história com um final imprevisível e digno.
Garanto, quem leu gostou e jamais esqueceu a carícia do vento.
Minha nota? 5 beijos mordidos! Claro!
comentários(0)comente



nathy 06/02/2015

Muito mais que um romance açucarado, marco de Janet Dailey.
Antes de tudo, se você tem um conceito formado em relação a livros que são de banca (pois o mesmo já foi publicado no Brasil como tal) peço que jogue de lado e arrisque na leitura de A caricia do Vento, pois tenho certeza que você sairá dessa aventura amando ou odiando a história, mais jamais será indiferente a ela.

O livro foi publicado inicialmente em 1979 se tornando o primeiro livro de Dailey a entrar na lista de livros mais vendidos do The New York Times, eu tenho a versão mais recente lançada no Brasil pela BestBolso em 2009.

Temos como protagonista da trama a jovem Sheila Rogers, possuidora de grande beleza, fortuna, impulsividade e porque não, certa “mimades” por ser a filha única de um casal milionário. A mesma vê a sua vida mudar totalmente quando decide fugir de Austin (Texas) para Juares (México) com o seu namorado, o trabalhador cheio de encantos, Brad.

Toda a beleza de Brad desaparece quando o mesmo mostra a sua arrogância e ganância após estarem casados. Isso acontece logo nas primeiras páginas do livro, por isso podem ficar tranquilos, essa não é uma história comum em que o “vilão/mocinho” passa a história toda enganando a mocinha. Ainda na lua de mel ele morre, isso mesmo, Brad é assassinado. Esse é apenas o inicio da aventura de Sheila, que será sequestrada pelo bando de pistoleiros que matou o seu marido.

Nas longas montanhas isoladas do México a protagonista encontrará o enigmático Ráfaga, líder do bando. O que ela não imagina é que encontrará nele o homem que mais odeia na face da terra e o que mais ama. Vivendo juntos, um mundo de desejo, ódio, paixões, arrebatamentos e tristezas.

Esse misto de sensações estará presente no livro a todo o momento e temas como a Síndrome de Estocolmo faz parte das discussões sobre o mesmo. Por tanto, estejam preparados para uma leitura agridoce que te fará refletir e mostrará que nem tudo é preto ou branco.

A única critica que faço em relação a história do livro é ao final que foi muito corrido, entretanto, sei que ele permite uma série de questionamentos e possibilidades.

Quem quiser saber mais ou já leu e gostou, passa lá no blog...

Beijos!


site: http://ventoliterario.blogspot.com.br/2015/01/o-vento-me-disse-01-caricia-do-vento.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Nádia 02/07/2015

O Ráfaga é uma ótima espécime tudo-de-bão. Mas o que dizer do final desse livro? Mais ou menos do tipo: Acabou??? Como assim???
Dri 02/07/2015minha estante
Apesar do final insatisfatório pea mim, amo esse livro. Me marcou muito. :-)


Nádia 02/07/2015minha estante
Sério Dri? Gostei tb, mas o final...juro que achei que teria o livro 2 rsrsrs.


Dri 02/07/2015minha estante
Eu lembro que eu procurei o livro original igual uma doida na net, pensando que o que eu tinha lido estava incompleto. rsrsrs Mas não é a toa que esse livro é tido como "marcou gerações"...pelo menos pra mim, amei demais.


Dri 02/07/2015minha estante
(...)" E ela correu para ele..."
Que raivaaaaa da Janet Daley, rsrsrs


Nádia 03/07/2015minha estante
Kkkkkkkkk bem isso mesmo Dri!


Dri 03/07/2015minha estante
:-)




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Mara seidhom 17/08/2013

Um ódio transformado em paixão arrebatadora é a tônica deste romance previsível, porém fascinante, sobre a história de uma bela milionária americana que se envolve com um líder de guerrilheiros no México.
comentários(0)comente



Débora 27/09/2018

Emoção do começo ao fim!
Nas primeiras páginas pode até parecer novela mexicana devido a ambientação da trama (brincadeirinha)! Mas esse livro me pegou, me ganhou de um jeito!!! Surpreendente! Quero mais de Ráfaga e Sheila.
Charlene 27/09/2018minha estante
Eu amei e também favoritei! Ráfaga S2 S2




Deyse 30/08/2016

Surpreendente!!!
Quando li "A carícia do Vento" fiquei me perguntando: "Se esse livro fosse escrito nos dias de hoje, como ele seria recebido pelos leitores?" Digo isso porque, de modo geral, é uma história forte, machista e, por vezes, muito cruel. Acredito que as feministas de plantão odiariam a história. Não que eu não seja uma feminista. Ou que não tenha odiado esse livro algumas vezes. O mocinho não é uma mocinho, de jeito nenhum, mas desperta sentimentos tão fortes que, mesmo o odiando a gente se apaixona. Confesso que gosto de protagonistas assim, que nos despertam sentimentos contraditórios. E o Ráfaga, definitivamente é o cara. É o típico bruto, grosso, gostoso que, quando se apaixona faz loucuras pela mulher amada. E a Sheila é a menina mimada e sortuda que vai ser raptada por esse cara. Apesar desses detalhes e, talvez por causa deles, achei a história fascinante. Do tipo que não se consegue parar de ler. Viciante ao ponto de ter me deixado acordada por horas após ter terminado a leitura. A Janet Dailey é ótima escritora e foi muito feliz em seu romance de estreia. Como é um livro muito antigo foi difícil comprar, mas após várias tentativas frustradas eu finalmente consegui. E não me arrependi. Vale a pena ler "A carícia do Vento". É aquele tipo de história que você nunca mais esquece.
comentários(0)comente



18 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2