Morte e Vida Severina

Morte e Vida Severina João Cabral de Melo Neto




Resenhas - Morte e Vida Severina


203 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


rafacastro 18/04/2021

é livro bem complicado de entender por conta do gênero textual que foi escrito e ele é bem pesado pela história de miséria que conta sobre o nordeste brasileiro, eu precisei pensar bastante lendo ele e acho que é interessante para que gosta de um livro mais complicado é que precisa pensar mais para ler
comentários(0)comente



bruunaboch 18/04/2021

Morte e vida Severina
Esse livro me surpreendeu muito, não estava esperando que ia gostar tanto.

Enquanto lia não pude de deixar de comparar os acontecimentos com o nosso contexto atual.

Um livro fácil e rápido de ler, recomendo muito.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Michele 14/04/2021

Relendo um dos poemas preferidos
Foi uma releitura, já que adquiri o livro com a obra. Se trata de um auto em forma de poema que acompanha a saga de um retirante do sertão pernambucano em busca de oportunidades melhores em Recife. No entanto, por onde ele passa, esbarra sempre com a morte. Os versos enfatizam muito as questões sociais, a exclusão, a gritante diferença entre a riqueza e a miséria e o sonho até hoje suspenso da reforma agrária. Minha estrofe preferida: “- Essa cova em que estás,/ com palmos medida,/ é a conta menor/ que tiraste em vida./ - É de bom tamanho,/ nem largo nem fundo,/ é a parte que te cabe desse latifúndio.”
comentários(0)comente



John.Brenno 06/04/2021

Marcante!
Fui apresentado a essa obra no ensino médio, na aula de literatura. Me impressionei demais com a técnica do autor e a facilidade da sua rima enquadrando-se nas métricas.
Sobre a obra em si, trata-se de um auto de natal, profundo e marcante. Expõem a situação do nordestino retirante, na figura do Severino, que representa todos aqueles que enfrentam a fome, a miséria, mas que tem determinação para lutar por um dia a mais de vida.
Me recordo do quadro do Portinari "os retirantes" que representa bem o sentimento e a angústia desse povo sofrido. É triste vê que o sonho por uma vida melhor em outro local, é quase como uma utopia, mas é dessa busca, que faz e fez do nordestino, um sobrevivente.
Sou do Nordeste com orgulho?
comentários(0)comente



Laura 05/04/2021

Um clássico da literatura nordestina!
Retrata com sensibilidade a vida sofrida do retirante.
comentários(0)comente



Gabriel.Juca 30/03/2021

Essa leitura faz parte do meu projeto de 2021 de reler clássicos que li na escola. O intuito é ler obras bem avaliadas com a maturidade que tenho hoje, que não tinha na época.
Morte e Vida Severina me impressionou mesmo na adolescência. É uma obra densa, de significado pesado. Conta a história de Severino, Severino de Maria, Severino de Maria de Zacarias. É mais um entre muitos Severinos. Um retirante, fugindo da seca severa, procurando em Recife uma forma de sobreviver. Vida e Morte Severina fala de morte e de vida, do luto e do nascimento, da seca não só ambiental, mas também pessoal.
Vida e Morte Severina é um retrato do Brasil, não só do Sertão.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lucas.Gabriel 20/03/2021

Um coletânea interessante de poemas
Mesmo que o ponto alto desse livro seja "Morte e Vida Severina", vale a pena ressaltar o quão interessante são os outros poemas. Só o último que fala sobre a faca e os instrumentos do homem que não me excitou tanto, mas o primeiro, que fala sobre a trajetória do Rio Capibaribe e toda sua forma heterogênea, é super interessante. É contada a história da visão do rio durante todas as atividades que acontecem no seu percurso. Mas, com toda certeza, o melhor de todos é o "Morte e Vida Severina". A reflexão sobre o retirante Severino e toda a questão de sua ida ao Recife, além da questão do que isso significa mais do que sua sina, além de ter um final extremamente reflexivo.
comentários(0)comente



Renata Molina 18/03/2021

Surpreendente
Eu tinha começado a ler uma vez e desisti. Acho que não era o momento. Ontem peguei pra ler e li em um dia. Viajei com o rio em suas histórias, como se estivesse em um barco. Sofri com Severino em sua saga e com o bebê que veio ao mundo, aenti esperança de mudança.
É uma obra-prima.
vicqs 18/03/2021minha estante
Livro maravilhoso


Renata Molina 18/03/2021minha estante
Sim! Perdi tempo não lendo antes.




Patti Vieira 07/03/2021

A seca e a pobreza em forma de poemas
Um pernambucano com uma imensa sensibilidade retrata em seus poemas as diversas paisagens desde o interior do estado até o litoral, ilustrando a vida e morte de retirantes. Poemas que prendem o leitor e muitas vezes emocionam.
comentários(0)comente



Tamiris 04/03/2021

Somos todos Severinos
“E se somos Severinos
iguais em tudo na vida,
morremos de morte igual,
mesma morte severina:
que é a morte de que se morre
de velhice antes dos trinta,
de emboscada antes dos vinte,
de fome um pouco por dia.”


Morte vida Severina conta a história de muitos Severinos retirantes que saem do Sertão para Litoral a procura de uma vida melhor, pelo seu caminho Severino vai encontrando outros Severinos, mortos por bala, morto de velhice e etc.

Me chamou a atenção a parte que ele conversa com uma senhora procurando emprego porém tudo que conhecem nada lhe serve porque o que da dinheiro nessa terra, é lhe dar com a morte, como profissões de médico, rezadeira, benzedeira, farmacêutico. A parte do funeral do Lavrador em que foi feita a música do Chico Buarque também é muito bonita.

Severino ouve uma conversa entre dois coveiros em que não entendem porque tantos severinos vêm para o litoral para ganhar a vida, mas na verdade vem trilhando seu caminho para a morte.
-E que então, ao chegar, não têm mais o que esperar.
-Não podem continuar pois têm pela frente o mar.
- não tem onde trabalhar e muito menos onde morar.
- e da maneira em que está não vão ter onde se enterrar.

Ouvindo a conversa ele decide tirar sua vida, mas encontra José e questiona o porquê viver. Nesse meio tempo o filho de José nasce (essa parte ele relaciona com o nascimento de Jesus). Após José voltar ele responde:

E não há melhor resposta
que o espetáculo da vida:
vê-la desfiar seu fio,
que também se chama vida,
[...]
mesmo quando é assim pequena
a explosão, como a ocorrida;
mesmo quando é uma explosão
como a de há pouco, franzina;
mesmo quando é a explosão
de uma vida Severina.

Querendo dizer mesmo que a vida é sofrida, ela vale a pena!.

Uma excelente obra, como os demais poemas que compõem o livro!,
Pedro 04/03/2021minha estante
"Mesmo que a vida é sofrida, ela vale a pena."
Excelente, Tamiris:)
Eu também acredito nesse ideal. Sei que nunca sofri como esses retirantes, mas também acredito que a vida vale a pena, apesar dos pesares.
Isso me lembrou o livro Em Busca de Sentido, do psiquiatra judeu Viktor Frankl, que foi um sobrevivente do Holocausto nazista, chegando a passar três anos nos campos de concentração, inclusive Auschwitz.
Viktor Frank acreditava que a vida só valia a pena quando nós damos um sentido para ela, e isso é algo inteiramente pessoal. Ele tinha como lema de vida o seguinte pensamento de Nietzsche:
"Quem tem por que viver, pode suportar quase tudo."

Obrigado por compartilhar a sua leitura conosco;)


Tamiris 04/03/2021minha estante
Eu que agradeço Pedro pela sua contribuição .
Como você disse apesar dos pesares encontramos força em nossa espiritualidade, nossa família ou até em nós mesmo.
E toda dificuldade ou dor se torna um aprendizado ou algo que nos fortalece. Pelo menos vejo dessa forma.



Porém nos deparamos com muita gente que não encontra sentido, e não quer viver. O que realmente é muito triste. ?

Não conheço esse livro vou acrescentar na minha lista ???


Tamiris 04/03/2021minha estante
Já assistiu o desenho Soul ? Kkk adoro desenho. Mas traz também essa reflexão do sentido da vida. Bem legal ?


Pedro 04/03/2021minha estante
"A vida só pode ser compreendida, olhando-se para trás; mas só pode ser vivida, olhando-se para frente."

Soren Kierkegaard

Apesar do passado deixar marcas em nossas vidas, ele não nos define. O nosso futuro é uma folha em branco, e somente nós temos o poder de escrever.


Pedro 04/03/2021minha estante
Não, Tamiris, eu ainda não vi esse desenho. O último desenho que eu vi foi Frozen. Culpa da minha sobrinha. Ela me obrigava a assistir - e cantar - com ela. Às vezes eu me pego cantando no chuveiro "Livre estou, livre estou..."
???


Tamiris 04/03/2021minha estante
Você vem com filósofos e eu com desenho. Não estou no seu nível ??.

Brincadeiras a parte, obrigada por dividir suas opiniões. Veio a agregar ?.


Pedro 04/03/2021minha estante
Você lê João Cabral de Melo Neto, e ainda vem dizer que não está no meu nível? Eu tô quase me sentindo um analfabeto perto de você...?????
Eu que agradeço a você, Tamiris. É muito bom compartilhar nossas leituras. Ao meu redor, eu não conheço ninguém que gosta de ler, aí eu acabo me sentindo frustrado, sem ter com quem conversar. As pessoas não sofreram com Derfel, como nós dois sofremos;)


Tamiris 04/03/2021minha estante
Verdade chorar, sofrer dar gargalhadas com um personagem é maravilhoso né kkkk. A leitura nos transporta para muitas dimensões e nos faz perceber diferentes pontos de vista, que pena que o índice é tão baixo de leitores.
Mas não se engane meu repertório de literatura brasileira é bem baixo ?
Mas desde o ano passado pensei bastante em mudar isso.


Pedro 04/03/2021minha estante
Também sou deficiente em literatura brasileira. Confesso que tenho predileção por autores estrangeiros, mas vou ter que rever meus conceitos.
Sobre o que você falou a respeito da leitura, eu lembrei de um texto do George Martin. Era esse aqui:

"Eu vivi mil vidas e amei mil amores. Andei por mundos distantes e vi o fim dos tempos. Porque eu li."


Tamiris 04/03/2021minha estante
Oh então vou te incentivar, vamos mudar isso é conhecer mais nossos autores ?.

Tenho raiva do George Martin cadê o sexto livro da Guerra dos Tronos ?? estou a anossssss esperando. Isso foi muita maldade.

Adorei a citação.


Pedro 04/03/2021minha estante
O último autor brasileiro que eu li foi o Felipe Castilho. O livro se chamava Ordem Vermelha, uma fantasia com elementos do folclore brasileiro. Foi uma excelente leitura.
Quanto ao Martin, eu já desisti das Crônicas de Gelo e Fogo. Já li todos os livros anos atrás. Perdi o tesão pela história. Eu não me importo mais:(




Isabela.Araujo 01/03/2021

Um épico moderno.
Em geral, poesias narrativas me davam muito medo. Pensava que eram prolixas, chatas e de leitura cansativa, mas, diferentemente do que eu achava, Morte e vida é de leitura fluida.
Ao contar a estória de Severino, João Cabral se envolve em várias questões relevantes ao sertão nordestino, entre elas: a seca (obviamente), a emigração dos sertanejos, a comercialização da morte e até da frustração ao perceber que o esforço de sair do seu local de origem, não resulta em nada.
Severino nada mais é do que a representação de um povo, um povo que sofre por não achar a solução para seu problema, sofre por não conseguir trabalho por causa da baixa instrução, sofre com a desilusão da vida perfeita.
"... morremos de morte igual, mesma morte severina: que é a morte de que se morre de velhice antes dos trinta..."
comentários(0)comente



Leo 20/02/2021

Crítica Social Braba
O livro parte de duas perspectivas da viagem do sertão até Recife, de um lado temos o rio que passa uma sensação de calma e, ao mesmo tempo, mostrando a miséria da região e de outro a do próprio retirante, mostrando a dificuldade do percurso e a solidão que muitos percorrem todos os anos pra fugir da fome e seca.
comentários(0)comente



Aline 19/02/2021

"Morte e Vida Severina e Outros Poemas em Voz Alta" é uma coletânea de poemas do autor João Cabral de Melo Neto. Os 10 poemas presentes nesse livro são:

Velório de um Comendador
O Relógio
"Generaciones y semblanzas"
O Motorneiro de Caxangá
Sevilha
Jogos Frutais
Congresso no Polígono das Secas
Festa na Casa-Grande
Morte e Vida Severina (1954-55)
O Rio (1953)

Destes, o mais famoso sem dúvida é Morte e Vida Severina e por isso é esse o nome do livro... rs

Morte e Vida Severina é de uma sensibilidade tão grande que se tornou o meu favorito dentre todos os poemas. O universo poético de João Cabral de Melo Neto tem, em geral, uma mesma temática, que é o nordeste e sua região, os retirantes nordestinos, os engenhos, as usinas... Paraíba... Pernambuco, que é a terra natal do autor.

Fugindo um pouco desse tema, o poema Sevilha tem como base o tempo que o autor viveu na Espanha, portanto, fazendo várias referências culturais à Espanha nos seus poemas, referenciando também as paisagens espanholas, as pessoas e os seus costumes. Para quem não sabe, o autor morou em países como Espanha, Inglaterra, Senegal, Equador e Honduras.

Outro poema que achei bem diferente foi “Jogos Frutais”, que é um poema que, digamos, eu não imaginava ser a temática do autor. Esse poema representa surpreende pela sua forte sensualidade e representação erótica da mulher.

O Relógio foi um dos poemas que mais me identifiquei, pois o tempo é sempre algo que me ‘enjaula’.

"Tais gaiolas vão penduradas nos muros;
outras vezes, mais privadas,
vão num bolso, num dos pulsos."

São poesias bem elaboradas e tocantes! Um livro que vale a pena ser lido! Recomendo demais!
comentários(0)comente



203 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |