Max e os Felinos

Max e os Felinos Moacyr Scliar




Resenhas - Max e os Felinos


44 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Manuella 05/05/2021

Max e os felinos
Max e os felinos, lançado originalmente em 1981, é uma fábula encantadora sobre a imigração e a liberdade. Em poucas páginas, ao criar a cena do pequeno Max dividindo um bote com um jaguar no meio do oceano, Scliar eternizou na literatura um dos mais profundos conflitos humanos a luta interna entre o homem e suas feras
comentários(0)comente



Daniel Teles 04/04/2021

Foi grandessíssimamente homenageado.
Fiz essa leitura muito mais por causa do suposto plágio a tal cena so barco, e depois de ler, cheguei a conclusão de que houve uma gradessíssima inspiração e homenagem, (pra não dizer outra coisa) da obra de Moacyr pelo escritor Yann Martel, das Aventuras de Pi. Apesar de ter sim este momento, depois as histórias vão para caminhos diferentes, então da pra gostar das duas ao mesmo tempo.
comentários(0)comente



|Cinara| @fleur.de.livres.lis 31/03/2021

"Puxou a caixa para junto do barco. Examinou - a e constatou que tinha, na parte superior, uma tampa fechada por um cadeado que agora, quebrado, pendia frouxo. Max retirou-o.
Alguma coisa pulou de dentro da caixa, arremessando - o com força inaudita contra o chão do escaler. Max bateu com a cabeça, perdeu os sentidos.
Aos poucos foi se recuperando. Abriu os olhos.
O berro que soltou atroou os ares. Diante dele, sentado sobre o banco do escaler, estava um jaguar. "

Acho que a maioria das pessoas conhecem essa cena né? Esse livro não foi só apenas "inspiração" para As aventuras de Pi, e sim um plágio como até mesmo o Moacyr descreve! A cena principal de todo As Aventuras de Pi no barco parece que só foi copiada e colada pelo Yann Martel, até a pescaria de peixes tudo!!!! Casos assim com da Sucessora da Carolina Nabuco que foi plagiado pela Dafne du Maurier, só comprava que brasileiro faz e qualquer um vêm e rouba e fica de boas. "Inspiração" Aham tá bom senta lá Cláudia!?

Gostei muito de Max e os Felinos, é bem curto como se fosse um conto. O fato de ser um alemão fugindo para o Brasil me deu flashs do filme Cinema, aspirinas e urubus.
comentários(0)comente



emii 30/03/2021

Max e os Felinos - Moacyr Scliar
Existiram três felinos na vida de Max Schmidt e embora muito curto o livro é uma história de vida, cobrindo partes significativas da vida de Max, desde seu nascimento em Berlim em 1912 até sua morte no Brasil em 1977.

(felino 1 - O Tigre Sobre o Armário) Seu pai era peleteiro e, portanto, "Max cresceu em meio a peles", mas a loja da família se chamava Ao Tigre de Bengala, em homenagem ao tigre empalhado que o pai de Max havia matado na Índia - um animal que Max sempre teve medo, pois ele parecia estar sempre olhando por ele.?

(felino 2- O Jaguar no Escaler) Max estava mais focado em si mesmo e em seu próprio prazer do que no que está acontecendo ao seu redor na Alemanha e eventualmente ele é forçado a fugir. Ele consegue uma passagem para uma viagem ao Brasil, mas não em um navio de passageiros e, com uma carga de animais no porão, a viagem acaba sendo uma viagem para lugar nenhum: Max logo se encontra em um bote em alto mar junto com um jaguar. Outra relação incômoda com um felino se desenvolve, Max percebe que, para o animal, ele sempre será a refeição de último recurso se nada mais estiver disponível...

(felino 3 - A Onça no Morro) No Brasil Max recomeça a vida. Como alemão, ele enfrenta algumas dificuldades quando o Brasil declara guerra à Alemanha em 1942, mas no geral se sai razoavelmente bem. Após a guerra, ele visita sua terra natal, mas não encontra nada lá e quando volta ao Brasil um novo vizinho constrói uma casa perto da dele e Max o reconhece. Esta terceira variação do tema felino é diferente, mas igualmente ameaçadora e Max a confronta de frente.
Max e os felinos é uma história de vida muito compacta, focada apenas em episódios específicos. Scliar tem boas ideias e a história é atraente, mas no final das contas não é totalmente satisfatória...
comentários(0)comente



Fabiana 03/12/2020

Max e os felinos
Confesso que minha curiosidade sobre a obra decorreu da polêmica com A vida de Pi (Yann Martel). Foi pesquisando sobre plágio que cheguei a este livro e recomendo-o por suas próprias qualidades: leitura rápida e que nos faz questionar o quanto da experiência de Max é força de sua imaginação. Depois é ler a obra de Yann e tirar minhas conclusões.
comentários(0)comente



Vasya - A Corsária 15/11/2020

Eu Nem Gosto Muito De Felinos
❛❛Max Schmidt morreu em 1977. Estou em paz com meus felinos, dizia em seus últimos dias, e ninguém sabia exatamente o que queria dizer. Mas era aquilo mesmo: Max estava, enfim, em paz com seus felinos.❞


#28 - Com o passar dos anos eu comecei a ser aquela mamãe ursa protetora da sua cultura então quando finalmente tirei as aventuras de pi do meu book jar e fui pesquisar sobre esse livro e descobri toda as polêmicas sobre plágios e tudo mais eu admito que fique incrivelmente revoltada por um escritor desvalorizar tanto um companheiro de escrita e além disso, falar mal de um brasileiro! Pra que rapaz, eu deixei esse livro pra lá sem pensar duas vezes e corri atrás de Max e os felinos, claro que agora mesmo não tendo lido o outro livro sei que eles têm suas diferenças então não vamos focar nisso e sim no fato de que essa polêmica serviu pra algo: Trazer de volta a história de Max, um jovem refugiado que tenta seguir sua vida depois de fugir dos nazistas.
Sendo bem escrito e fluido (tem um momentos meios maçantes mas seguimos o baile) Moacyr consegue levar o leitor em uma viagem agradável e profunda.
comentários(0)comente



BibiCourty 14/07/2020

O livro "Max e os felinos" ganhou grande notoriedade na mídia quando a obra ganhadora de prêmios "A vida de Pi" foi acusada de plagiar a obra brasileira.
Embora o livro de Moacyr seja conhecido pelo trecho supostamente plagiado no qual Max tem que encarar um Jaguar enquanto está à deriva em um escaler, a obra do brasileiro é uma história sobre um homem que sofreu com o nazismo e as consequências que esse regime ocasionou na vida dele.
Uma boa obra, que nos leva a refletir sobre os impactos desse período no Brasil e no mundo.
comentários(0)comente



Daubian 25/07/2019

Amigo da onça
Tive contato com este livro na polêmica envolvendo a Vida de Pi. Fui ver qual era do texto original. Primeiro que de não for plágio é no mínimo um grande material de referência. Mas as abordagens finais são tão diferentes quanto listras são de manchas.
O mais interessante de diferente entre as obras é justamente o fato do livro tratar o que aconteceu com o protagonista após a chegada na América. A história como um todo é crível, mas fantástica e não é leve e animadora, pelo contrário, vai nas feridas, cruel como a onça. Porto Alegre dos anos 40 está bem longe de ser o paraíso pintado pelo Canadá de Pi. Por isso a história ganha camadas e plot twists muito mais humanos e interessantes. Algumas conveniencias absurdas? Talvez. Mas duvidar da sua história não fará a onça desaparecer. A paz aqui é alcançada depois de muito desenvolvimento pessoal, de uma história cruel e difícil, sendo que você vê os felinos (do tigre aos angorás) como pontos chave na vida de um homem. Acho particularmente engraçado que o homem dos felinos matou 5 cães. Tudo é espirituso e informativo mostrando que nós temos muitos felinos pra dar em conta. Pi pode ser um número irracional, mas Max e os Felinos é racional até demais. Leitura excelente
comentários(0)comente



JonRausch7 08/06/2019

História boa, como um todo
O autor me pareceu que não soube como dar fim à obra. Achei muito sem pé e nem cabeça a trama final, mas a escrita e a história, como um todo, vale a leitura.
comentários(0)comente



Kari 11/02/2019

Max x Pi
Resolvi ler "Max e os Felinos" porque sempre ouvi dizer que esse livro servira de inspiração para "As aventuras de Pi" (admitido pelo próprio autor do livro que inspirou o filme). Como não sou boba, fui direto à fonte, ou seja, ao livro do Imortal e, se der tempo, lerei "As aventuras...".
Bom, o livro de Scliar traz a famosa temática judaica e da cidade de Porto Alegre (recorrente nas obras do autor), o que é um ponto de aproximação para quem, como eu, conhece a cidade. A temática da emigração de alemães também está presente nesse livro.
Max - personagem que dá título ao livro - atravessa o oceano para tentar uma vida nova, fugindo da perseguição nazista existente na Alemanha. A partir daí, coisas surreais acontecem, e a perseguição assombram o protagonista o tempo todo, deixando o leitor na dúvida quanto a sanidade de Max.
Não é um livro surpreendente, enfim, mas vale a pena ler, principalmente aqueles que viram o filme, para saber até que ponto houve plágio ou pura inspiração por parte do autor de "As aventuras de Pi".
teapacks18 11/02/2019minha estante
Valeu pelas dicas, Kari! Decidi que primeiro vou ler o livro e depois ver o filme. Beijinhos!




BetoPlacido 11/10/2018

Quase um conto, este pequeno livro do Scliar ganhou notoriedade após o famigerado caso de "plágio" do autor de "A Vida de Pi". Uma poderosa fábula sobre a humanidade e seus monstros interiores - muitos quais, alimentamos sem perceber.
comentários(0)comente



leila.goncalves 18/07/2018

Tigre Ou Jaguar?
O sucesso do filme "As Aventuras de Pi", lançado em 2013, trouxe a tona uma antiga discussão, envolvendo o livro homônimo do escritor canadense Yann Martel cuja a narrativa exibe a história de um menino que passa um longo tempo perdido no mar, a bordo de uma jangada na companhia de um tigre.

Para surpresa geral, quando lançado, o autor afirmou que o texto havia sido baseado numa novela de um escritor brasileiro, Moacyr Scliar, que conta uma aventura semelhante na qual um jovem fica a deriva num pequeno escaler junto de um jaguar. Foi mais além, criticou o texto, afirmando que se tratava de uma boa ideia, mas mal explorada, porém, "distraído", sequer lembrou de pedir licença para realizar uma nova versão da narrativa...

A confusão estava criada e as opiniões divididas, inclusive, foi aventada a hipótese da abertura de um processo por plágio. Sclyar não tomou essa atitude e todo o episódio está contado nessa edição, colocando um ponto final no assunto.

Com relação as duas obras, se elas guardam semelhanças, apresentam também muitas diferenças. Apesar das duas personagens realizarem uma viagem fantástica para chegar à América, a trajetória de Pi apresenta uma conotação religiosa e acaba quando ele chega ao Canadá. Quanto a Max, um judeu fugindo do Nazismo, a história segue até a velhice, apresentando sua luta para reconstruir a vida e vencer um trauma de infância.

Essa última fábula, muito mais abrangente, ultrapassa a perspectiva individual para apresentar uma visão histórica da época em que foi escrita. Em 1981, Max representava o Brasil, um país atormentado por um regime militar que perseguia seus adversários. Logo, ao enfrentar seus inimigos, ele representa a luta de um povo pela democracia e a garantia de seus direitos civis. Hoje em dia, essa história continua atual e evidencia a importância da superação dos medos, reais ou imaginários, para a formação de um ser cidadão capaz de buscar uma sociedade mais justa.

Particularmente, aprecio mais a novela de Sclyar de quem sou fiel admiradora. Sem dúvida, essa escolha envolve um quê de ufanismo como também por ter vivido esse processo histórico. No entanto, o livro de Martel, premiado e prestigiado, é encantador e muito bem escrito, portanto, fica a indicação das duas leituras.
comentários(0)comente



MF (Blog Terminei de Ler) 19/02/2018

Livro que inspirou "As aventuras de Pi" é exemplo de ficção bem escrita, instigante e original
Livro "Max e os felinos" do brasileiro Moacyr Scliar. A obra conta a história de um jovem alemão que fugiu para o Brasil, escapando do nazismo. No meio da viagem, seu navio, que transportava também alguns animais de um zoológico, afunda. Max sobrevive em um pequeno escaler, na companhia de um perigoso jaguar.

Lançado originalmente no início da década de 80, mais de 20 anos depois, a obra se viu diante de uma polêmica internacional. O escritor canadense Yann Martel foi acusado de plágio, após ter copiado idéias do livro de Scliar e utilizado elas para escrever o livro "As aventuras de Pi" (Life of Pi), posteriormente adaptado para o cinema. E de fato: a ideia é a mesma. Porém, as histórias são completamente diferentes. A edição que li, feita pela sempre excelente L&PM Editores, traz uma introdução sobre essa polêmica, escrita pelo próprio Scliar. Ainda sobre o plágio, há na edição um estudo literário assinado por Zilá Bernd, que compara ambos os livros. O que chama atenção na polêmica foi a forma petulante/arrogante de Martel, quando foi acusado. Ele, na ocasião, disse ter se inspirado em uma resenha "negativa" de um livro de um "escritor menor" (ou algo nesse sentido). O jornal onde, supostamente, essa crítica tinha sido escrita, posteriormente divulgou uma nota desmentindo Martel, afirmando que jamais tinha feito alguma resenha negativa de Scliar. A questão do plágio foi discutida na imprensa do mundo todo, principalmente no Canadá e no Brasil. A arrogância de Martel foi duramente criticada na época. Moacyr Scliar foi um de nossos maiores escritores, tendo sido o autor de mais de 80 livros.

Enfim, o livro é pequeno mas muito bem escrito. A história é ótima e vale a pena dar uma conferida!

Abaixo, um link sobre o livro e a polêmica (não recomendado para quem pretende ler o livro de Scliar).

http://poressaspaginas.com/resenha-max-e-os-felinos

P.S.: Caso tenha gostado do que escrevi, visite https://mftermineideler.wordpress.com/
comentários(0)comente



Sil 13/01/2017

Legal
Gostei desse livro, mas confesso que fiquei com medo do felino. HAhaHAha
comentários(0)comente



Carla 26/07/2016

Para aqueles que ainda preferem o vinho Chileno e o filme Francês, toma esta! Reconheça que podemos ser e estar entre os melhores, sem que pra isso um idiota gringo tenha que atestar. A obra que literalmente "pariu" o filme "as aventuras de Pi" embora não tenha sido totalmente endossado o devido plágio! Obrigada Moacyr e tapete vermelho póstumo pra ti.
comentários(0)comente



44 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3