Submarino

Submarino Joe Dunthorne




Resenhas - Submarino


20 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Lorena 11/11/2020

O Oliver é com certeza o protagonista mais estranho que eu já vi. Ele é intrometido, metido a sabe-tudo e tem uns pensamentos muito aleatórios. Ele tem um estranho desejo de saber TUDO sobre seus pais e quer controlar a vida deles; além disso, ele é um manipuladorzinho nato. Oliver quer manipular todos a sua volta, da família a seus amigos, passando até mesmo por seus "inimigos".

Dito isso, eu gostei bastante do livro. As esquisitices do Oliver são engraçadas e seus pensamentos são bizarramente ridículos e tornam a história divertida, mesmo quando aborda uns assuntos mais pesados. Não sou desses leitores que acha que os protagonistas devem ser perfeitos para a história funcionar e nós nos identificarmos. Tudo dentro dessa história esquisita faz sentido em seu próprio modo e por isso eu recomendo a leitura.
comentários(0)comente



Moreira 21/10/2020

Tate lembra Caulfield, mas eu não ousaria compará-los
Submarino é a história de Oliver Tate, um adolescente tentando salvar o casamento de seus pais. Inteligente e hiperimaginativo, Oliver parece se enxergar como um exímio conhecedor da vida, baseando-se em suas pesquisas na internet. Acaba por se revelar um típico adolescente psicologicamente frágil e perturbado enfrentando não só as dificuldades no lar, como em seu próprio relacionamento com sua primeira namorada, Jordana.

Um dos hábitos de Oliver é todos os dias abrir o dicionário e procurar pelo significado de uma nova palavra; Oliver adora conhecer palavras. Os títulos dos capítulos de Submarino são palavras pouco usuais, que no decorrer da leitura apresentam o seu significado. O estilo da escrita e a forma como o narrador-protagonista expõe seus pensamentos com sinceridade, lembra ?O Apanhador no Campo de Centeio?, mas nem de longe eu ousaria compará-la com a magnífica obra de Salinger. Também não é uma leitura recomendada à menores de idade. Há diversas passagens envolvendo bullying e conteúdo sexual, que além de não agradar, podem causar certo desconforto ao leitor.

A história oscila entre momentos que despertam certo interesse e momentos enfadonhos, onde a leitura se torna cansativa pelo excesso de detalhes e descrições paralelas que não contribuem para o seu desenvolvimento. Submarino parece não se desenvolver, assim como o protagonista, Oliver. Do começo ao fim acompanhamos a estagnação de um enredo, que embora conte com diversas mudanças - algumas até inesperadas -, causa a impressão de ter saído do nada para lugar nenhum.

Por fim, não é um livro que eu recomendaria com entusiasmo, porém, trata-se uma leitura casual e despretensiosa, que em certos momentos pode ser útil para entreter. Vai de cada um.

Para mais resenhas e curiosidades literárias, siga o @resenhafajuta no Instagram.
comentários(0)comente



Jordana Lee 23/08/2020

Chato e cansativo
O livro aborda a história de um adolescente e seus conflitos do cotidiano. O primeiro envolvimento romântico/sexual, suas inseguranças em relação ao casamento de seus pais e suas impressões sobre as pessoas ao seu redor.
Odeio admitir, mas Oliver Tate é um dos personagens mais detestáveis que já li. Talvez por ele ser um jovem fora do comum, já que tem um valor intelectual mais apurado que de seus colegas. Mas Oliver acaba fazendo disso uma arma carregada de desdém, de certa forma. Seu humor seria ácido.. se houvesse humor.
Sem contar relatos do narrador cometendo bullying contra uma de suas colegas. Na verdade, o personagem é insuportável do início ao fim, e a cada passagem do livro, mais chato ele vai ficando. É o tipo de personagem que não evolui ao decorrer da história.
Lembrando que é uma NARRATIVA, então tudo é contado pelo ponto de vista do Oliver. Fiquei imaginando o quão dificil era para os outros personagens conviver com esse menino chato.
Percebi que em várias passagens da leitura, parágrafos bem arrastados com muitos detalhes irrelevantes de coisas que não teria o porquê de delongar, e isso fez a leitura ficar muito cansativa.
Uma grande pena, pois eu queria muito amar esse livro por dois motivos bobos: Primeiro, pela personagem, que é a primeira namorada de Oliver, a Jordana, ser minha xará; Segundo, pelo filme, que foi "levemente" baseado nesse livro, e que eu gostei bastante dele como poesia visual.
comentários(0)comente



Sayuri 09/08/2020

Alex Turner, você me prometeu...
Descobri Submarino após um acesso de burrice por não relacionar a capa do livro no exterior e a capa do álbum *Submarine* do Alex Turner (vocalista do Arctic Monkeys). Felizmente não sabia da existência de uma adaptação cinematográfica, o que ajudou na leitura. Tratando-se de um adolescente levemente problemático, é de se esperar o humor ácido e um tanto ofensivo pela narrativa. Portanto, não recomendo a quem se ofenda facilmente a partir de tópicos como sexualidade, bullying e saúde mental (pode ser que alguns pensamentos do Oliver sirvam como gatilho). Nada mais que um personagem que tem tudo para ser odiado, mas que algo te prende para querer abraçá-lo. Narrativa extremamente rápida e despretensiosa, enredo divertido mesmo abordando questões familiares. Se quiser ler ouvindo ao álbum, é uma forte recomendação, pois as músicas foram feitas para a história, trazendo uma experiência mais completa. Esperava algo diferente, mas não me decepcionei... Foi bem okay.
comentários(0)comente



Rick 30/07/2020

Romance adolescente e bem controverso, com momentos ora hilários ora constrangedores.
comentários(0)comente



gi 25/06/2020

recomendo demais apesar do livro ser mais voltado pra jovens. uma leitura leve, com precedentes da adolescência descritos várias vezes de forma cômica porém sem dispensar a reflexão, de como coisas que não são relacionadas a fase da adolescência de fato podem nós afetar tanto quanto.
comentários(0)comente



Wowlorlupis 24/05/2017

FINALMENTE ACHEI ESSE LIVRO NO SKOOB, MARAVILHOSOOOOOO ESSA É MMINHA RESENHA, VLW FLW
comentários(0)comente



ZDAloy 21/05/2017

Acho que toda vez que olho/penso nesse livro, começo automaticamente a cantarolar Piledriver Waltz. Já adiantando a informação, já que normalmente falo dos filmes no finalzinho, de que Submarino tem uma versão em filme, mas eu ainda não vi. Entretanto, já recomendo com mil estrelinhas a trilha sonora do Alex Turner, vocalista do Arctic Monkeys. São poucas músicas, e todas bem calminhas...Ótimas pra escutar num dia chuvoso, enrolado nas cobertas!

Mas enfim! Falando do livro. Oliver Tate é um garoto bem estranho. Ele não pensa como a maioria dos garotos da sua idade e se acha mais inteligente do que todos ao seu redor. Ele de fato tem uma inteligência bem singular, mas acaba subestimando seus pais, sua namorada, seus amigos...Muita arrogância! Ao mesmo tempo em que ele parecia ser bem cativante, com seus dramas, seus problemas, seus defeitos, ele se mostrava um protagonista bem irritante e insensível com as pessoas.

O Oliver deixou bem desconfortável enquanto lia...O jeito que ele agia com a Jordana e com seus pais me deixava muito, muuuuuito agoniada. Comecei a vibrar de alegria toda vez que ele se lascava, toda vez que tinha o troco por toda a insensibilidade dele, toda vez que ficava mais claro que ele não passava de um aborrescente, e por conta disso, cheio de imaturidades.

Submarino não é um livro ruim. É um livro legal, escrito de forma legal...Mas eu realmente não gostei do Oliver. Quando você repudia o personagem principal, fica meio sofrido continuar lendo. Eu simplesmente odiava aquele pirralho. Talvez isso tenha a ver com coisas pessoais. Eu odeio quando subestimam minhas capacidades, e ver o Oliver fazendo isso com as pessoas fazia com que eu me sentisse atacada.
comentários(0)comente



Marina 13/06/2016

Sei que muita gente adora desse livro, mas confesso que tive uma dificuldade muito grande em gostar porque não consegui me simpatizar com o personagem principal de jeito nenhum. O livro conta a vida do adolescente Oliver, e era para ser uma narrativa bem humorada e sarcástica, mas honestamente, o personagem é tão chato e irritante. Eu fiquei esperando algo acontecer até o fim do livro, mas o Oliver continua insuportável até o fim, não evolui nada, o que não ajudou no carisma. Então pra mim foi bem decepcionante.
Alex.Costa 09/03/2018minha estante
Exatamente. Livro muitíssimo bem escrito, mas Oliver não me desceu. Forcei, mas não rolou.


Jordana Lee 23/08/2020minha estante
Acabei de ler o livro, e minha opinião é a mesma da sua. Fiquei mtoooo decepcionada com o livro :/




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Denise Costa 10/09/2015

Meu preferido!
O Oliver é um dos meus personagens favoritos, ele é muito calculista e neurótico. Mas às vezes ele me deixa um pouco com raiva e pensativa, do tipo "sério que você fez isso?". Por exemplo, (não é spoiler, tá?) ele é o tipo de pessoa que meio que controla a frequência sexual dos pais pela iluminação do quarto deles. Muito normal pra um garoto de 15 anos, não é mesmo? A mãe dele acha que ele tem algum distúrbio mental e isso faz com que ele a provoque, acredito eu, para que ela realmente ache que ele é problemático.
Mais no blog Chá Comigo!

site: http://www.blogchacomigo.com.br/2015/08/resenha-submarino.html
comentários(0)comente



May Furlan 11/12/2014

O Oliver de todos nós
Palavra do dia: ambíguo - que pode ter diferentes significados. Algo duvidoso, incerto, indeciso.


Se eu fosse Oliver Tate e devesse escolher uma palavra no dicionário para resumir minha relação com "Submarino" durante todo o processo de leitura, essa palavra seria "ambíguo". Na verdade, se eu fosse Oliver Tate procuraria uma palavra mais incomum para dizer a mesma coisa, mas, como não sou, me contento com essa.

"Submarino" foi um dos poucos livros que fugiu do meu processo "primeiro livro - depois filme". Topei com o filme (um daqueles bem indie, com direito a Alex Turner na trilha sonora - mas você provavelmente já sabe disso) durante uma fase em que estava consumindo tudo quanto era tipo de película indicada por amigos/conhecidos cujo o gosto eu tinha certo respeito. Ele era um dos favoritos de uma colega minha, com direito a menções no Facebook e capa de Twitter. Confesso que não gostei do filme o suficiente para o colocar na minha Calçada dos Melhores Filmes do Mundo e muito menos para procurar mais sobre, descobrindo que na verdade era uma adaptação. Achei tudo muito antipático, meio superficial, muito ar blasé em algo que deveria servir para criar algum tipo de identificação em quem estava assistindo. Pelo menos não funcionou tanto comigo, achei somente um filme legal.

Foi por acaso que descobri o livro por trás da adaptação, o que foi uma grata surpresa. Havia achado o tema interessante, e o filme foi quase lá para se tornar bom, então quem sabe o livro não seguia a regra de ser melhor do que o filme? Muito provavelmente lá estariam personagens mais trabalhados, menos caricatos, e entrar na mente de um deles sempre ajuda na aproximação, que é a chave do sucesso nesse tipo de história. E, sim, isso é exatamente o que acontece com "Submarino".

O livro é em primeira pessoa e vemos tudo através dos olhos de Oliver, um garoto no final dos seus 15 anos e com certas peculiaridades. Joe Dunthorne escreve de uma maneira gostosa, que te convence de que a história está sendo diretamente contada por Oliver para você. Uma coisa que amei na escrita foi a forma como autor não deixa em momento algum de descrever os outros personagens e suas emoções como se fosse Oliver, oferecendo suas interpretações nada comuns (e muitas vezes hilárias pelo absurdo), mas ao mesmo tempo dando informações para pessoas mais sensatas (nesse caso, os leitores - assim espero) terem como fazer uma avaliação real da situação. Ver as coisas pelo olhos desse menino posso afirmar que é um verdadeiro deleite. Além do mais, aqui temos resolvido o problema do filme, conseguimos nos aproximar de todos os personagens centrais da trama, tendo algum tipo de reação de acordo com o destino de cada um deles (seja ela positiva ou negativa).

Se gostei tanto do livro (a ponto de dar 4 estrelas) de onde veio essa história de ambiguidade? Bem, nem eu sei ao certo. Só sei que tive sentimentos conflitantes e precisei parar analisar o que achava do que tinha acabado de ler. "Submarino" conseguiu mexer com algumas emoções em mim, conseguiu me deixar em dúvida, alegre, triste, indiferente, surpresa, rebelde e apaixonada. "Submarino" conseguiu me mostrar, depois de tanto tempo, o que é ser um adolescente de 15 anos, começando a ter suas impressões mais profundas do mundo. Ele me lembrou a época em todos somos ambíguos e que nossa análise do que nos cerca daria um bom livro. Nossa mente é um lugar incrível. Oliver é o que todos nós já fomos e muitas vezes nos esquecemos ou não queremos admitir.

Não dei nota máxima ao livro somente por achar algumas passagens desnecessárias. Certas coisas me causaram um leve incomodo enquanto estava lendo, pensando que dava para ter passado bem sem essa, principalmente algumas partes sobre a vida sexual de Oliver. Posso dizer que não daria esse livro para um filho meu de 15 anos ler. Acho que seria uma mãe super protetora.

De qualquer forma, "Submarino" é muito bom, com pegadas inteligentes que nos fazem querer contar na hora para os outros a genialidade tão simples que encontramos ali (mas que ninguém apreciaria de verdade se não estivesse lendo também). Um livro que nos lembra a adolescência e como é incrível a história que se passa em nossas cabeças, a forma como encaramos as coisas. No final das contas, todos temos um pouco de Oliver Tate dentro de si.
comentários(0)comente



Bruna 20/11/2013

Um garoto de 15 anos que possui uma mente tão diferente que faz com que sua mãe procure ajuda em livros sobre doenças mentais. Tão controlador e curioso que faz com que seus leitores procurem no dicionário algumas de suas palavras. Tão inteligente que vale muito mais do que anos de aprendizado. Oliver Tate é adoravelmente odiável por seu sangue frio e raciocínio rápido, assusta inicialmente quem o lê por causa de sua sinceridade, mas no fundo quando se quer detestá-lo, percebe-se (principalmente adolescentes) que todos nós somos um pouco dele. O autor trata de assuntos polêmicos com total controle da personagem, desde bullying, sexo e traição, a assuntos mais simples onde Oliver mostra seus momentos de fraqueza. Submarine te deixa com receio quando se descobre que alguém controla através da iluminação do quarto a frequencia sexual dos pais, e te deixa extremamente à vontade quando se descobre que estes mesmo pais podem contar aos filhos seus problemas pessoais.

O filme é outra recomendação. Para aqueles que gostam do estilo retrô e de boa música, o filme é razoavelmente curto e a trilha sonora sensacional, feita por Alex Turner, vocalista dos Arctic Monkeys. E se você já se pegou pensando em como as pessoas reagiriam à sua morte, Oliver Tate confessará o que muitos, inclusive você, não dizem.
mands 19/10/2012minha estante
Sua resenha me deu mais vontade de ler o livro.Realmente a trilha sonora não poderia ser mais sensacional.


Bruna 20/10/2012minha estante
Que bom! Fico feliz que minha resenha tenha te deixado com mais vontade de ler o livro, e realmente, pra quem gosta do estilo musical do Turner, a trilha é sensacional (:




spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Luana 13/06/2013minha estante
onde você comprou o livro?


Kaíque 25/08/2013minha estante
Lua, comprei no site do Submarino há dois anos, rs.




20 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2