Amante Renascido

Amante Renascido J. R. Ward




Resenhas - Amante Renascido


66 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Kênia Cândido 15/05/2019

Misturando Meus Sentimentos
Amante Renascido não foi uma leitura fácil, pois mais uma vez, a Ward conseguiu misturar meus sentimentos. Estava completamente indecisa porque tinha lido a sinopse do livro e confesso que em relação a Wellsie, eu tenho um carinho muito especial, pois quando a historia começou em Amante Sombrio, ela já era vinculada ao Tohrment e foi a primeira fêmea que mostrou como era ser uma Shellan.

Porém entrar na mente de Tohr e obter mais informações desse passado foi bastante triste, mas foi necessário para sua superação. Que livro lindo! .

Apesar de voltar a lutar contra os redutores, Tohr ainda vive deprimido, sem nenhuma esperança de continuar sua vida e mesmo tendo a ajuda de Lassiter, Tohr resolve que não vai facilitar as coisas para o anjo. Mas Lassiter encontra outra maneira de ajudar Tohr a se recuperar e pede ajuda a No’One, mãe de Xhex, para ajudá-lo nessa tarefa.

Durante a leitura, eu achava essa idéia de Lassiter totalmente errada por causa da situação de Tohr e sua teimosia que estava enorme. ( Como deu vontade de dar uns tapas nesse guerreiro!) Contudo minhas perspectivas foram crescendo, a historia foi ficando cada vez mais interessante e quando percebi, já estava na torcida pelo casal.

Nas historias secundárias, Blay, Saxton, Qhuinn e Layla deixaram momentos eletrizantes e mostraram que o próximo livro promete fortes emoções. As coisas mudaram um pouco entre eles após alguns acontecimentos e minha curiosidade está imensa, principalmente por causa do Qhuinn. John e Xhex também enriqueceram o livro com uma crise no relacionamento deles e mostraram ainda precisam aprender a respeitar as necessidades um do outro.

E para finalizar o Bando de Bastardos novamente atraiu minha atenção com esse lado vingativo e violento deles. Cada vez que eles aparecem trazem uma surpresa e desta vez, eles realmente me deixaram assustada com o futuro.

Bom... Acho que não preciso dizer como adorei a historia de Tohr e como estou empolgadíssima pelo trouxe livro. Enfim, recomendo demais Amante Renascido juntamente com a série inteira. Leiam!

site: https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/2016/03/resenha-amante-renascido-jrward.html
comentários(0)comente



Natalie e Vivian @avidezliteraria 15/04/2019

Tohr é o personagem mais triste da saga. No começo, é casado e está esperando um filho, mas Wellsie é morta por um redutor, e Tohr desaparece por um bom tempo, ninguém sabendo se está vivo ou não. Esse livro é a construção de seu luto, e ele aprendendo a voltar a viver. Soma-se a isso, um anjo que o encontra e que tem a missão de resgatar Wellsie do limbo (por seu marido não seguir em frente, ela e o filho estão presos). É muito triste, é duro ver o desespero de Tohr perante a dor do que perdeu. Outro momento que não perdoo a autora. Temos uma morta que volta como fantasma, uma pessoa terminal que “congela” no tempo, uma morta e enterrada que volta renascida, um reencarnado, é só escolher. E ela mata um personagem tão interessante. Que raiva. Como processo de seguir adiante, entra em cena Autumm, que é uma espécie de empregada das Escolhidas, é mãe de Xhex e já teve uma trama no passado com Tohr. Mais uma mocinha pacata. Tohr merecia Wellsie e ninguém mais.

site: https://avidezliteraria.wordpress.com
comentários(0)comente



Ju 13/02/2019

Muitas emoções...
Começarei a resenha falando sobre a controversa capa: Confesso que não curti muito não, nem tanto pela mulher, mas o cara da capa tá longe do Tohr que imaginei ( Henry Cavill, mais para Clive Owen) , tá meio artificial, já a No´One não consegui associa-lá a ninguém.
Tohr é um personagem que gostei desde ( será que ao escolher seu nome, a Ward já tinha idealizado todo o seu tormento??) o 1° livro, estava ansiosa pra chegar nesse volume ( adoro romances com mocinhos viúvos) ele e a Welsie eram perfeitos, mas se tem algo que aprendi com essa série é que se tudo está perfeito é porque algo vai dar errado, aprendi especificamente com o Phury e agora com Tohr e o maravilhoso anjo Lassiter ...
Sinceramente, concordei com o Tohr em muitos pontos de vista, entendi a raiva dele por várias fêmeas terem tido uma segunda chance enquanto que a dele, nada. Também achei que 1 ano (e meio??) é pouquíssimo tempo pra alguém ser praticamente obrigado a se envolver com outra pessoa, e quanto mais o anjo o pressionava, mais raiva dava; achava que ele ia se envolver com uma escolhida, foi uma grande surpresa ser a No'One, achei interessante a saga dela, saber que era uma mimadinha esnobe da glymera que amadureceu e evoluiu na marra, ainda mais por ter sido sequestrada e violentada logo quando entrou no cio, e isso me deixou uma dúvida: apesar de obviamente odiar o sympatho, ela inconscientemente meio que o aceitou por causa das dores desse período? Como é dito no livro, é uma coisa biológica, aliás, esse período só dura algumas horas?? Achei que fossem dias. Então, não simpatizei pelo casal, mas foi pela pressão de ser obrigado a sair do luto; foi maravilhoso vê-la evoluindo como mãe e até mesmo deixando de ser aquela mulher totalmente submissa, mas assim como o Tohr, tbm fiquei p da vida por ela ter recusado ser drogada, então deu a entender sim, que no fundo, ela queria que ele a servisse. Tbm não me convenceu porque na primeira vez que ele a ofendeu, ela teve atitude, jogou na cara dele que não tinha interesse em macho nenhum e algumas páginas depois já tava soltinha, passando de No'One pra Autumm.
Esse livro permitiu mergulhar fundo na dor de seu luto, acompanhar cada fase desse processo, de fato ele também teve atitudes bem estúpidas em relação a ela, sem dúvida é o livro mais dramático de todos, um dos melhores, me lembrou o que o Phury passou por não ter sido aquela paixão arrebatadora, foi um amor que foi acontecendo aos poucos.
Falando agora dos personagens secundários: Fiquei fula com o que o Xcor fez com o Throe, xinguei muito esse cara nessa parte, aliás, todo o resto do bando, e eis que ele faz algo que me leva a considerar e até sentir um pouco ( só um pouco ) de dó dele ao conhecer melhor suas fraquezas, mas essa sede de poder que ele tem, sei não... A glymera é idiota demais por achar que está no controle e tem algum poder diante dele...
O casal John e Xhex encheu um pouco com aquele drama, ora, ele sabia muito bem com quem tinha se casado, aliás, me perguntei porque raios a Payne não ficou ao lado dela???? Ela fica trancada na mansão?? As duas são guerreiras, a autora perdeu uma boa oportunidade de desenvolver uma amizade entre as personagens que tanto têm em comum!
Amei os trechos de humor do livro ( Assail saindo posudo da sala de reunião e se trancando todo quando estava no carro, foi hilário!!), até mesmo Tohr, apesar de todo o drama, mandou bem na dobradinha com o anjo, esse que estava perfeito o livro todo e me deixou curiosa ´pra saber mais de seu passado.
Foi legal também "rever" Marissa e Butch.
Gostei demais das tramas políticas; to curiosa pra saber mais sobre o enigmático Assail. Dei falta dos policiais do livro passado, achei que o José De La Cruz e, principalmente Veck, o personagem que me deixou com a pulga atrás da orelha, seria mais bem desenvolvido, mas, pelo que li, ele na verdade é personagem de outra série de livros da mesma autora.Deixa pra lá. Mas ainda gostaria que o experiente José investigasse o desaparecimento de Butch e do Dr. Manello entre outros mistérios de Caldwell, seria legal, daria uma movimentada legal também na série!
Bom, acho que não esqueci de nada, o livro teve de tudo na medida certa ( tirando o romance principal que não me convenceu, daí uma estrela a menos): humor, drama,trechos hot, cios (!!!) surpresas, como sempre, aliás, o que foi aquele acontecimento na cerimônia do Fade?? Ward é genial, divina demais, sempre, sempre me deixa boquiaberta em cada livro, nesse eu jurei que ia me atentar a cada detalhe, mas que nada!!! Me senti igualmente catatônica tanto quanto o povo que testemunhou o acontecido, gente, muito louco!!!!
Aliás, por falar em divina, achei que a Virgem Escriba fosse a "deusa-mor" da irmandade, não sabia que tinha um Criador, e mais uma dúvida: seria o mesmo Criador dos humanos??? Lembrei de Crepúsculo, quando o Edward tinha aquelas dúvidas existenciais/religiosas.
Continuo a sentir falta da Virgem Escriba e suas lições de moral que nos deixam fulos da vida, dei como certo que ela apareceria nesse livro por conta de toda a carga dramática, sério, esperei mesmo por isso e cadê??? Também queria saber como foi o papo entre o anjo e o Criador...
Ah, pra encerrar, não acredito que o povo ficou de mimimi por causa dos palavrões que, enfim, voltaram a fazer parte dos livros, eles são essenciais para os personagens, para o livro como um todo, tava artificial demais aquela suavização, o livro é adulto, oras!!!
Bom, agora é ler ( daqui a alguns meses agora) o desenrolar de Qhuinn e Blay,mas confesso mesmo que to é ansiosa pra ver como ficará o triângulo Xcor, Layla e Throe. Será que ela vai ser a Yoko Ono do Bando dos Bastardos??? é aguardar pra ver...
comentários(0)comente



Kelly Martinez 04/10/2018

O livro do casal sem química!
Amante Renascido.
J. W. Ward
Editora Universo dos Livros
704 páginas
3/5

Décimo livro da saga Irmandade da Adaga Negra.
Tohrment, viúvo de Wellessandra está perdido. Para um vampiro vinculado, perder a sua amada é um golpe de morte, capaz de enfraquecer seu corpo e sua alma.
Mas com a presença do Anjo Lassiter na mansão da Irmandade, Tohr descobre que sua shellan está presa no Limbo, incapaz de chegar ao Fade. E para salvá-la desse local cinzento e triste, Tohr terá que aprender a amar outra mulher, o que definitivamente não está nos seus planos.

Bom gente, eu sou suspeita pra falar desse série pq desde o primeiro livro, eu fiquei viciada!
Temos aqui a história de um personagem forte da Irmandade. Praticamente o braço direito do Rei, enfrentando a perda de sua fêmea vinculada, o que por si só daria uma bela história de superação.
Do outro lado, temos No?One, seu par feminino que tentará ajudá-lo nessa árdua tarefa de se libertar de sua esposa morta pra deixá-la seguir rumo ao paraíso.
Acontece que o casal não tem química!
Ele, por ser loucamente apaixonado por Wessie, não passa credibilidade na tal paixão por No?One e ela por sua vez, com síndrome de mártir, se vitimiza o livro quase inteiro ( e olha que são 704 paginas! ) e só no finalzinho toma um rumo ! Ela é uma personagem chata! Pronto, falei!
Fora esse romance, que na minha opinião foi bem fraco, a autora vem construindo todo um universo paralelo ao nosso mundo real, com uma disputa ferrenha de poder entre os vampiros e a clássica luta com os membros da sociedade redutora.
Aqui, conheceremos mais o Xcor, o antagonista principal do Rei dos Vampiros, que vem tentando usurpar o trono com a ajuda da glymera - a nata da sociedade vampiresca.
Junto com isso, perceberemos a sútil formação dos próximos pares da saga.
Quem já está acompanhando a série há algum tempo,vai perceber que ela perdeu o encanto!
Três estrelas da bem pago.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Bee 22/07/2017

Apaixonante...
Sem dúvidas foi uma das histórias que eu mais esperei para ler e com toda e absoluta certeza não me decepcionou.

O mais quebrado e sofrido dos Irmãos, porém um dos maiores lutadores porque reaprender a amar não é fácil.

Superrrrrrr recomendo.
comentários(0)comente



Rose 05/06/2017

Thorment (Tohr) sempre foi de grande importância para os irmãos da Adaga Negra. Guerreiro forte e leal, carrega toda a confiança do clã. Mas por conta do assassinato de sua shellan Wellessandra (Wellsie), que estava grávida, Tohr simplesmente se perdeu.
Depois de um longo tempo sem saberem do paradeiro de Tohr, os irmãos ficaram felizes quando o anjo Lassister trouxe Tohr de volta. Mas agora o guerreiro era uma pálida lembrança do que fora em outros tempos.
Magro, de aparência doente, Tohr recusava-se a se alimentar de sangue, comia apenas por obrigação e quando não estava lutando, bebia muito. Sua única motivação era sair toda noite para matar redutores, uma vingança pessoal pela morte de sua amada.
Sua vida estava estagnada, e os irmãos tinham medo do que Tohr poderia fazer a si mesmo, visto que ele não evitava nenhum combate, podendo morrer e nem ligar para isso. Ele queria apenas levar o maior número de redutores neste processo.
Neste contexto, ele se reaproxima de No'One, a mãe de Xhex, a fêmea que ele salvou das garras do Symphato que a sequestrou e estuprou.
No'One era de uma tradicional família da Glymera antes de ser sequestrada. Com o fato, ela ficou reduzida a nada, o que revoltou Tohr na época. Traumatizada, ela acabou cometendo suicídio logo após o parto, mas por algum motivo que ninguém soube explicar, estava viva e vivendo no santuário, ao lado da Virgem Escriba e das Escolhidas.
Após a união de Xhex e John, ela passou a viver com a Irmandade, pois desejava construir laços com a filha que um dia renegou.
Para Lassiter, a aproximação de Tohr e No'One era a chance para que Tohr libertasse Wellsie e o filho do limbo em que viviam. Ele precisava seguir em frente. Tohr por sua vez não aceitava a ideia de ter outra mulher no lugar de sua falecida shellan. O que criava um impasse que prejudicava aos dois.
Neste processo No'One também tinha algumas lições a serem aprendidas e superadas. E não é apenas este casal que precisa aprender algo, John e Xhex estão enfrentando um grande problema, visto que John não está aceitando muito bem o fato de sua shellan estar na linha de frente dos combates, podendo até mesmo ferir-se seriamente. Mesmo ciente da poderosa e capaz guerreira que Xhex é, John não está sabendo lidar com a situação, o que acaba afastando o casal. Eles vão precisar trabalhar este lado se quiserem viver juntos, resta saber se conseguirão.
Em meio a estes problemas, o Bando de Bastardo deixa bem claro sua intenção de derrubar o Rei Cego Wrath. Em manobras arriscadas e ousadas, o bando liderado por Xcor está se aproximando de uma parte da Glymera, ao mesmo tempo em que tenta matar Wrath. Uma briga onde todos correm perigo.
Aliás, Xcor acabou se apaixonando por Layla, a ela escolhida que alimenta os guerreiros da Irmandade e que está de namorico com Qhuinn.
Layla tem duas atitudes que vão mexer com a Irmandade, uma delas em especial entre Qhuinn e Blay, e outra com o próprio Xcor. Layla e Xcor é uma união altamente explosiva. Será que isso é possível, sendo Layla tão leal ao rei enquanto Xcor quer a morte deste mesmo Rei?
É certo que Qhuinn e Layla estão ligados para sempre, mesmo que o coração de ambos tenham outros donos. Resta saber o que eles vão fazer em relação a isso.
Eu confesso que tenho uma certa implicância com a Layla, e neste volume isso acabou aumentando. Sei que ela mostra que gostaria de ver Qhuinn e Blay se acertando, mas desde sempre suas atitudes não ajudam muito. E o que dizer da pisada de bola dela? Só mesmo sendo muito tapada para não perceber ou desconfiar da verdade...
A série continua muito boa, com este livro deixando ganchos incríveis para continuações, sendo o de Qhuinn e Blay a que mais desejo ler. Aliás, falando nisso, que final foi aquele galera???? Prevejo muitas emoções vindo por aí...

site: http://fabricadosconvites.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Ana Paula FZ1 02/04/2017

Como não amar esses Irmãos... Tanto amor, Tanta amizade... Tanta sofrência... Tanto Calor ...
Antes de começar a escrever a resenha preciso deixar uma coisa bem clara, quem não leu os outros livros da Irmandade e pretende ler, não leia resenhas de nenhum livro gente, porque perde toda a graça, muitas coisas acontecem em todos os livros, muitas revelações, muitas surpresas, e ler resenhas acaba com a graça, e vou falar uma coisa, eu amooooo ler resenhas, spoiller, mas tem livros que a surpresa é mais legal que o spoiller.

Dito isso agora posso começar escrever minhas impressões dessa leitura maravilhosa.

Ward nunca cansa de surpreender, primeiro pela forma como ela escreve, segundo por tudo ficar sempre tão bem amarrado, terceiro pela quentura de tudo, ela tem o dom de fazer a gente ficar vidrada em 700 paginas como se fossem 100. Ela tem o dom e é inquestionável.

Apesar de ter amado, como sempre, mais uma das historias dos Irmãos, esse livro me deixou estressada em alguns momentos.

Tava em cólicas com a situação da Xhex e do John, juro que se desse errado todo aquele esforço eu ia ficar muito, mas muito puta da vida com a Ward

Como Thorment sofre, tadinho, tudo bem que teve hora que eu quis sentar ele e dizer, filho, para de frescura, e ou ocupa de vez essa moita, ou desocupa de vez pra outro poder ocupar. Mas o luto, o sofrimento dele por sua shellan é tão grande que a dor passa a ser nossa tambem. Fiquei muito angustiada em vários momentos, nessa busca de ele ter paz de nunca se permitir esquecer sua amada Wellsie, ele so fica mais triste, mais frustrado. Mas nada é por acaso, e o aparecimento de uma nova ( que de nova na vida de Thor não tem nada) faz com que ele comece a se questionar sobre muitas coisas. Ate se ele é capaz de deixar outra fêmea ocupar um lugar que ele jamais achou que pudesse ser ocupado.

No´One caiu na vida de Thorment como uma luva. Toda a historia que eles tem de passado. agora presente e eu torci muito para que tenham de futuro, porque um ensina ao outro o tempo todo. Thor tentando ser uma macho gentil, sem querer assusta-la, deixando ela aos poucos entrar por uma porta que ele jurou que nunca abriria pra ninguém. E ela, ciente de que sua condição nunca mudaria, de repente se ve querendo se abrir, querendo mudar a condição que à ela foi imposta ou que ela se impôs.

Achei que eu ia sofrer muito com esse livro, desde que Wellsie morreu e Thor voltou ficou com muito medo da sofrencia que seria essa leitura, mas ate que não sofri tanto. Alguns momentos me deixaram com lagrimas nos olhos. Um deles foi a reconciliação da Xhex com NoÓne, que momento mais lindo esse perdão. Até a durona da Xhex amoleceu, foi lindo.

Mas lágrima mesmo eu derramei com aquela cerimônia pra Wellsie. Que dor, que lindeza, que sofrimento, que amor. John e Thorment sofrendo lado a lado. Todos os irmãos e suas shellans ali, amparado o sofrimento desses dois guerreiros, eu chorei de suspirar. e xinguei muito com a nova chance que Thor quase perdeu.

Agora esse paragrafo é para Lassiter, só pra ele. Alguém pode me explicar o que é aquele anjo gente. Fala sério, Engraçado, comilão, atrapalhado muitas vezes, e amante dos programas de mulherzinha. Fala sério. Me diverti demais com ele, mesmo quando ele xingava ate o Thor ou mandava ele a merda, ainda assim eu me divertia muito, mas muito com ele.

Mais da Resenha no blog

site: http://paixaoporleituras.blogspot.com
comentários(0)comente



barb ximenes 08/03/2017

Resenha ig @docebiblioteca
"Ele estava pronto para que alguma coisa,para que qualquer coisa,invadisse seu peito:desespero,fúria,frustração.
Tudo o que sentiu foi a sensação de que o que acabara de acontecer era começo,e não um fim."

Amante Revelado é o livro de Tohr, o guerreiro mais sábio e centrado, que já conhecia o amor e as maravilhas de estar vinculado porém sua fêmea foi assassinada brutalmente por um redutor quando ainda estava grávida. Ele fugiu por não aguentar a dor e tentou se matar de inanição.

Tohr foi resgatado pelo anjo Lassiter, mas as feridas internas terão que sarar sozinhas com a ajuda do próprio guerreiro. Ele está mais morto do que vivo, uma bomba que luta sem parar pois ele quer morrer com dignidade para se juntar à Welsie no Fade.

Mal sabe ele que Welsie e seu filho estão presos no limbo. Lassiter o salvou justamente por isso, guia-lo para libertar sua amada.

No?One aparece. Tohr sente-se sujo por ter pensamentos que só teria com Welsie. Lassiter acha que encontrou a solução, mas sexo e alimentação só muda o guerreiro externamente.

Ele usa No?One por amor a Welsie, e mesmo ela sabendo disso aceita, pois se acha indigna de ser amada por um macho tão honrado. No'One se punia do Outro Lado sendo empregada das Escolhidas e quando veio se juntar à Xhex (vão ter que ler o livro anterior para entender) continua se punindo, servindo à irmandade.

O bando de Bastardos tem bastante destaque neste livro. Xcor está manobrando a Glymera para fazer o que quer: roubar o trono do Rei. O que o deixa na mira da Irmandade.

Fiquei pasma com o final pois numa hora estava chorando e na outra rindo... Lassiter acabou tendo um papel muito importante e não sendo apenas o anjo irônico e bad boy.

Apesar de todo o sofrimento de Tohr, o livro não deixa a desejar. Suas cenas são quentes e emocionantes.

"Quando ele assentiu solenemente,ela o envolveu em seus braços e o segurou firme.Ser nomeada era ser reivindicada,e aquilo a fez sentir-se renovada e?renascida."

mais resenhas aqui: https://www.instagram.com/docebiblioteca/
comentários(0)comente



LT 03/10/2016

“Uma série longa, você não cansa de ler livros desse universo, não?”
“Não, não canso. Quanto mais leio IAN, mais quero!” U_u

Então, é isso mesmo, chegamos ao décimo livro da Irmandade da Adaga Negra e continuo apaixonada por essa série! Sim, ela tem suas falhas, mas nada que me tire a vontade de lê-la. Não conhece a série? Confira mais sobre a premissa de IAN no nosso Sobre Sagas – clicando aqui. Bom, agora vamos falar desse livro que... bem, vamos lá!

Amante Renascido é um título perfeito para contar a história de Tohrment ou Tohr, como preferirem. Ele que é o centro desse livro, ele que é um personagem considerado “certinho”, que sempre foi o mais centrado, coerente, conciso, ele que era amigo de Darius (alguém que muito lhe ajudou no passado) e depois, ainda que não saiba – SPOILER A SEGUIR, PULE ESSE PARAGRAFO SE AINDA NÃO LEU ATÉ O TERCEIRO LIVRO DA SÉRIE – adotou como filho aquele que é a reencarnação de Darius, um companheiro sofrido, um Pai machucado, um macho muito ferido, uma alma destruída... Será Tohrment realmente capaz de renascer? Onde ele está? O que tem feito? Encontrou a morte? Renasceu do outro lado? Encontrou o fade? Todas essas informações você só descobrirá lendo.

Muitos estão entristecidos, o sofrimento se abate com frequência sobre a cabeça dos nossos amados Guerreiros e suas companheiras. Momentos de alegrias, momentos de dor, a guerra não para e não existe trégua seja no âmbito físico ou emocional para ninguém.

Depois de muito, muito tempo mesmo, Tohrment tem uma oportunidade e ele precisa escolher entre fazer o que é correto e se permitir viver ou desistir da vida de vez. Depois de ter sua companheira e o filho que ela carregava no ventre ceifados de forma violenta e brusca pelas mãos dos redutores (os principais inimigos do vampiros) ele isolou-se, deixando para trás John – seu filho adotivo – e todo o seus irmãos que são mais do que irmãos de raça, são família, amigos, tudo!

Quem acompanha a série sabe que em Amante Consagrado muitas coisas começaram a mudar e por isso, nesse livro, temos a oportunidade de conhecer melhor uma personagem que se esconde, que não se acha digna, uma personagem tão destruída quando o Guerreiro Tohrmet, ela que é conhecida, tristemente, como No’One. Ela punia a si mesma, pelo que? No’One tem um passado obscuro, complicado, mas na verdade, ela sempre foi apenas uma vítima, mas a dor de tudo pelo que passou a faz sofrer, faz com que ela suplante a seu corpo, mente e alma punições, o psicológico dessa personagem é um tanto complicado, confesso que gosto dela.

Dois seres destruídos podem tornar-se amigos e ajudarem um ao outro? Pode ser um caminho muito perigoso... será que vale a pena arriscar?

Nas histórias paralelas temos o Bando de Bastardos – também inimigos da Irmandade – em grande destaque, os planos vem avançando para destronar o Rei e nesse livro gostei muito da participação desse Bando e as manipulações com a Glymera.

Também posso destacar a participação de Assail – um personagem mais recente e enigmático que chegou com vontade e quer liderar o tráfico de drogas da região de Caldwel que outrora fora dominada por Rehvenge. Assail rouba a cena as vezes, me encantei por ele e estou esperando para ver muito mais sobre esse enigmático personagem.

Enfim, esse livro nos faz avançar passos importantes na série. Nele encaramos luto, desentendimentos, egoísmo, dor, muita dor. Chorei quando No’One se permite ser mãe, quando ela se abre para ajudar a quem precisa, quando ela avança várias casas dentro do seu eu destruído para renascer. Sim, ela tem uma filha! Sim, Tohr faz parte do passado dela! E sim, eles podem ser a nova chance um para o outro ou podem ser a destruição das cinzas nas quais vivem.

Preciso dizer e podem me contar: Existiu um momento em que simplesmente odiei o Tohr por cada palavra que ele cuspiu, como se a culpa fosse dos outros. Odiei um momento em específico e se eu vivesse naquela realidade nunca o perdoaria (não posso falar do que se trata porque seria um spoiler gigante, mas se você leu ou for ler, acredito que vai me entender).

Parte dos momentos finais desse livro me tiraram o folego, me fizeram chorar novamente e, de certo modo, aceitar a história que pra mim estava sendo muito difícil. Não quero me prolongar na premissa e na verdade tentei não contar quase nada, o que posso dizer sobre Amante Renascido? Leia! Leia com uma caixa de lenço do lado se você for uma pessoa emotiva, vai precisar. Preste atenção nos detalhes e desenvolva suas teorias, porque sim, virão muitos outros livros da série e a autora as vezes nos deixa pistas nas entrelinhas.

Para quem curte a série: não deixe de ler esse livro!
Para quem quer conhecer a série: Ande, vamos, corra já para ler Amante Sombrio e quando você for ver já vai estar lendo A. Renascido pois a série é viciante!

Como nem tudo são fores, as passagens dos redutores me irritaram, eles estão mais em segundo plano nesse livro, mas tudo bem, eles ainda são necessários – haha.

Quanto ao livro: A edição é simples, porém bonita. Uma revisão legal com alguns errinhos mas nada que atrapalhe a leitura. A capa é bacana, o título se encaixa perfeitamente e eu quero um Lassiter para chamar de meu! (Lassiter é um anjo terrível que chega com tudo para abalar as estruturas dessa série!). A escrita da J.R. Ward continua cativante e ainda que tenha momentos em que a odeio, na verdade amo-a por ter nos presenteados com essa série de fantasia urbana tão gostosa de se ler.

[QUOTES]
Quando fechou os olhos, John viu a loucura no rosto de Tohr enquanto o irmão atacava o redutor. Sim, pensou, ele agora sabia até os ossos exatamente como Tohr se sentia. O inferno na terra forçava um macho a fazer um monte de merda.

"…eu errei ao ter virado minhas costas para você. Foi errado de minha parte esperar tanto tempo. Errei em tudo, mas…" Ela bateu o pé. "Esta noite eu assumo todos os meus erros, para que eu possa lhe entregar meu amor, independentemente de quão imperfeito e indesejado ele seja. Eu não mereço ser sua mãe ou chamá-la de filha, mas talvez possamos formar uma espécie de amizade... Mas saiba que estou aqui, com meu coração e mente abertos, para descobrir mais sobre quem você é e o que você é."

Quando ele assentiu solenemente,ela o envolveu em seus braços e o segurou firme.Ser nomeada era ser reivindicada,e aquilo a fez sentir-se renovada e …renascida.

Tudo o que sentiu foi a sensação de que o que acabara de acontecer era um começo,e não um fim.

Mas então, ele acreditava que o processo de recuperação, em contrário ao de trauma, era gentil e lento… O suave fechar de uma porta, ao invés de uma batida forte.

Esse livro tás o início de mudanças, vale a pena conferir. É isso! Leia! Leia! Leia! E finalmente chegaremos ao décimo primeiro livro... em breve! ;-)

Resenhista: Ana Luz.

site: http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Ingrid 20/09/2016

Amante Renascido, é o 10° livro da Irmandade, ele traz à tona a historia de Tohr. Após perder Wellsie, Tohr entra em depressão e a única coisa que o motiva a levantar todas as noites é a cede de vingança e a vontade de matar os redutores. Em meio a todo esse drama, surge No'One -mais tarde chamada de Autumn- e talvez ela seja a única esperança de salvar Tohr desse tormento que ele vive. Lassiter o anjo "queridinho" da Irmandade, tenta acordar Tohr para o que está acontecendo com Wellsie por causa de seu sofrimento e da sua incapacidade de seguir em frente após a sua perda, com isso começa uma jornada para tentar salvar Wellsie de se perder para sempre no Limbo.
Antes que eu me esqueça, a autora deu mais espaço para Xcor e o seu bando de bastardos, e o rapaz aí não brincou em serviço, colocou suas garrinhas -ou devo dizer foices- de fora e mostrou a que veio... O próximo livro promete, assim eu espero.
E depois de tecer esses comentários aí em cima 👆quero ressaltar mais algumas coisas, esse livro retrata muito o caso de superação após uma perda, e nesse caso o personagem sofreu muito até compreender que precisava seguir em frente e deixar a sua amada também seguir o seu caminho.
comentários(0)comente



Marcy 13/09/2016

Perfeição..!!
Livro Maravilhoso. Sem Palavras.
É um livro que te surpreende a cada página lida.
Amei o desenrolar da História; Te faz entender os dois lados e n apenas o lado dele, e tbm te faz aprender a valorizar a quem vc ama e q as vzs n damos valor achando que a vida é longa, mas quando menos esperamos a vida nos tira quem mais amamos.
O que tbm amei neste livro é q o amor que surge entre eles vai sendo brotado a cada dia, superando sofrimento, barreiras e passado assombroso, e que quando menos esperam ja estão apaixonados.
Livro apaixonante. Amei ainda mais o Tohr dps deste livro. Agora vamos ler o tão esperado livro do Qhuinn. Kkkk ;)
comentários(0)comente



Paraíso das Ideias 08/03/2016

E lá vamos nós para mais uma história de mais um dos irmão mais sexy que já ouvimos falar.... e vamos combinar que tem irmão a beça nessa saga!!! =P

Bom quem acompanhou a saga até aqui sabe que Tohr sumiu do mapa assim que perdeu sua amada shellan... Mas enfim o irmão pródigo volta ao lar, mas não de bom grado claro ele veio arrastado pelo anjo caído gatíssimo do Lassiter que por acaso é inimigo mortal do nosso amado V até esse livro. Mas no desenrolar vocês vão entender o porque de tudo isso e até o machão do V vai ter que aceitar que o Lassiter é bacana apesar de perturbado e viciado em Oprah!!!!

Mas vamos lá.....

Todos sabemos claramente do sofrimento de Tohr e de suas tentavas de suicídio por não conseguir mais viver sem sua Welssie, mas apesar de tudo o amor por seus irmãos também é imenso e agora mesmo que ele esteja crescido ( e põe crescido nisso ) e não precise mais dele Tohr sabe que deixou a desejar quando abandonou John em seu momento de fraqueza, só que agora a coisa esta realmente séria, Tohr esta tendo sonhos com Welssie e seu filho não nascido. E é ai que ele descobre que sua shellan e seu filho estão sendo mantidos presos no In'between uma espécie de lugar paralelo entre o céu e o inferno pelo seu amor e sua dor, e se Tohr não conseguir se desprender desse sentimento os dois sumirão para sempre.

E é aí que finalmente Lassiter se faz útil, porque vamos combinar que desde o livro do John que ele só enche a paciência e assisti Oprah!!! Nesse momento descobrimos o porque Lassiter salvou Tohr, e apesar de ter sido por um motivo próprio e o levaria muitos a chama-lo de egoísta ele pega carinho por Tohr e mesmo quando o irmão se faz o mais teimoso da face da terra Lassiter continua ali até o fim, claro com muitas trocas de socos e ofensas, mas juntos...

E claro que não pode faltar uma shellan, afinal todos eles precisam de uma e é então que nossa No'One entra na história e se faz necessária para a salvação de Welssie, é isso aí esse será o casal da vez.. Entre muita dor, traumas e sofrimentos o sentimento nasce entre os dois e por mais que Tohr lute e se sinta culpado com ralação aos seus sentimentos se sentindo traindo sua amada ele sabe que só assim poderá salva-la e fazer com que ela e o filho tenham o descanso eterno.

Nessa continuação da saga J.R Ward nos fornece muito mais que apenas romance e sexo, muuuuuuito sexo ela nos presenteia nesse romance com uma lição de vida usando o sofrimento de Tohr e No'One para nos ensinar o verdadeiro valor da vida e do perdão.

No decorrer da história teremos um pouco mais de ação e o desenrolar de alguns romances pois é nesse livro que nossa célebre autora começa a abrir caminho para o final feliz de Blay e Qhuin para o próximo livro ( finalmente \o/ ) enquanto isso Jhon e sua shellan Xhex passam por momentos difíceis pois seu macho vinculado esta dificultando a relação com essa guerreira que não quer deixar sua essência de lado.

Sem palavras pra descrever a emoção dessa história e sinceramente não posso nem imaginar o que nos espera no próximo volume dessa saga que tem nos conquistado cada dia mais.


site: http://paraisodasideas.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Bruna 25/01/2016

Para evitar spoilers, essa resenha será dividida em duas partes. Na primeira, falarei mais sobre minhas impressões sobre o livro. A segunda parte contém spoilers da série, mas não do livro, e recomendo que seja lida apenas por quem leu o livro até o oitavo livro. Beleza?

Vamos lá.

Parte 1 - Sem spoilers

Amante Renascido narra a história do guerreiro da Irmandade da Adaga Negra, Tohr, o mais antigo Irmão da composição atual. Tohr está na irmandade a mais de trezentos anos, desde a época do antigo rei dos vampiros, pai do atual. Ele é um homem forte, corajoso e implacável na luta contra os inimigos da raça. Porém, uma terrível perda o tornou quase um morto-vivo, alguém que não vive de verdade, apenas existe em meio a dor e sofrimento, o que não o impede de continuar sendo um tremendo guerreiro.

Esse livro trouxe algumas mudanças importantes na série. A entrada de um novo grupo de guerreiros vampiros questionando o poder e competência do Rei inciam um processo de revolução e insurreição. Desta forma, Amante Renascido foi um livro que trouxe vários focos, mas não se perdeu, pois tudo estava relacionado e afetaram diretamente a estrutura da sociedade vampira. Mas não pensem que por isso deixamos de ter nosso casal principal lá, firme e forte, levando um relacionamento a trancos e barrancos.

Como já é comum a série, livro está recheado de ação e cenas de lutas. Porém, também foi um livro mais político, ao mostrar as engrenagens político-sociais e os jogos de poder se movimentando, e isso foi demais! Sério, me apaixonei ainda mais pela série, com essas mudanças que estão acontecendo. Além da ação, aventura e luta, o livro tem revelações, romance, cenas hots (super hots mesmo!), e palavrão adoidado. Quem já leu Ward, sabe como é o esquema, *-*. E houve alguns acontecimentos muito importantes, envolvendo Qhuinn, já preparando para o próximo livro, que será protagonizado por ele.

Só um parênteses, agora. Lembram que eu critiquei um erro de continuidade de cronologia na última resenha da série, do livro 9, Amante Libertada? Bom, esse erro se torna mais evidente aqui, porque Amante Renascido (10º livro da série) é continuação direta e praticamente imediata de Amante Meu (8º livro), o que torna o nono livro algo quase perdido no espaço, kkkk.

A diagramação da Universo dos Livros está muito bem feita, o livro conta com páginas amareladas e letra de um tamanho confortável para leitura, o que é importante, uma vez que tem mais de 600 páginas. Porém, não gostei dessa capa, além de achar feia, os modelos não combinaram com os protagonistas.

Enfim, esse foi um ótimo livro, perfeito na parte geral e política da sociedade. Perfeito nas partes que envolviam o Rei e a irmandade como uma unidade. Mas que perdeu uma estrelinha por causa de uma trama específica, e por um ponto da condução do casal principal, que abordarei abaixo, na parte para Leitores da série.


Parte 2 - Contém spoilers da série
Apenas para quem leu até o 8º livro da série







Quase dois anos se passaram desde a morte de Welsie, a amada companheira de Tohr, que estava grávida do primeiro filho do casal, e ele não se recuperou nem um pouco. Se recusando a se alimentar de sangue (os vampiros da série precisam se alimentar do sangue de outros vampiros do sexo oposto), ele está cada vez mais magro e fraco, e apesar de lutar todas as noites, não consegue realmente viver. Quase três séculos atrás, ele ajudou no resgate de uma dama da aristocracia vampira, que volta a sua vida agora, mas atendendo pelo nome de No'One. Logo fica óbvio que os dois formaram um casal, mas a forma como isso aconteceu me incomodou um pouco.

A autora criou uma situação em que para salvar a alma de sua falecida esposa, Tohr deveria aprender a seguir enfrente, e isso implicava um novo relacionamento. Acho que o livro foi quase perfeito, e a forma como mostrou a dor e o sofrimento de Tohr foi sensacional. Sério, sofri demais com ele, acho que seu processo de luto foi perfeito! E esse é o livro que tem a maior passagem de tempo da série, retratando um período de um ano. As cenas finais do foram de partir o coração e arrancar lágrimas dos leitores. Perfeito mesmo! Porém, e aqui temos um grande Porém, eu queria que ele tivesse "seguido em frente" de forma mais natural, e menos como uma imposição. A forma como ele foi “obrigado” a se envolver com No'One não foi legal, para nenhum dos dois, até porque, eles se sentiam atraídos um pelo outro, e creio que teriam se envolvido naturalmente, se fosse dado tempo ao tempo.

Bom, eu não gostei muito de algumas coisas na condução do relacionamento de Tohr e No'One, porém isso não me faria tirar uma estrela do livro. O que fez isso foi a trama paralela envolvendo John Mathew e Xhex. Tipo, os dois protagonizaram o livro 8, ou seja, dois livros atrás! Tiveram seu 'felizes para sempre', e agora, duas semanas após (sim, passaram apenas 2 semanas entre o final do 8 e início do 10), eles tem uma big crise no relacionamento por pura e simples palhaçada e infantilidade do John! Eu já disse e repito agora, que uma mulher forte e fodona como a Xhex merecia um homem mais maduro que o JM, que em muitos ângulos é pouco mais que um adolescente metido a grande macho. Fazer o que? Só sofrer.

Bom, pessoal, é isso!


site: http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/2015/12/resenha-amante-renascido-ian10-jr-ward.html
comentários(0)comente



Swellen 11/12/2015

"(...) A vida era curta, independente de quantos dias lhe fossem concebidos. E as pessoas eram preciosas, todas elas, independentemente de quantas vezes você tivesse a sorte de ter em sua vida. E o amor... valia a pena morrer por amor.
E também valia a pena viver por amor".
Amante Renascido - J. R. Ward

Amo o personagem masculino deste livro, porém tenho uma certa antipatia pela "mocinha", então, não está entre os melhores da série.
comentários(0)comente



66 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5