Paraíso

Paraíso Deyse R. Nicoli




Resenhas - Paraíso


35 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Camilla 28/03/2020

Mudanças
Mudar para um lugar novo, pode ser difícil. Apaixonar-se também! Acreditar que pessoas podem mudar... Só o tempo dirá. O paraíso dirá o que é possível (ou não) acontecer com tantas mudanças.
comentários(0)comente



Zana 08/10/2015

Paraíso sem maçã!
Sinopse: Está é a história de uma mulher como muitas outras. Marcada por suas tragédias pessoais, cansada, sem expectativas ou sonhos, Débora deixa sua família e parte em busca de uma nova vida. Sua fuga a levará a um lugar distante de tudo o que ela conhecia. Uma grande fazenda, localizada na pequena cidade de Vila Paraíso. O lugar a surpreende de diversas maneiras. A paisagem é de tirar o fôlego, o novo trabalho é tudo o que ela precisava, e as pessoas, a extensão de sua própria família. Tudo parecia perfeito, mas Marcos, um dos donos da fazenda, vai macular a perfeição desse Paraíso. Ele fará de tudo para afastar Débora de sua fazenda, transformando a tranquilidade de sua nova vida numa sucessão de acontecimentos surpreendentes e angustiantes. Os dois irão travar uma batalha visando proteger suas feridas e esconder as cicatrizes que carregam dentro de si. Porém, um poderoso sentimento surgirá entre eles, fazendo-os abandonar seus princípios e questionar sua própria sanidade. Poderá esse sentimento apagar todas as cicatrizes que eles carregam?
* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

A quem defenda a tese de que o que levou Eva a tentação foi o tédio, aquele idílio sem fim no paraíso foi o que terminou tornando a maçã o fruto irresistível. “Se fosse dor tudo na vida, seria a morte o sumo bem. Libertadora apetecida, a alma dir-lhe-ia, ansiosa: – Vem!” já poetizava Manuel Bandeira. Imagina aí então o inverso, e se fosse prazer tudo na vida?

Deyse R. Nicoli com certeza imaginou no seu livro ‘Paraíso’. A vida descrita na grande fazenda, localizada na pequena cidade de Vila Paraíso é perfeita. O cenário é de tirar o fôlego, como bem posto na sinopse, ao ponto de eu quase fazer as malas e ir para lá, pena que meu pó de prilimpimpim falhou e não consegui me transformar em um personagem, mas enfim. Tirando o mocinho Marcos que ficou fazendo birra como um menino rude e mal educado, toda a família empregadora de Débora a acolheu de forma surreal. Não rolou nenhuma estranheza, inveja, ciúme, um não vou com sua cara. O santo de todos casou com o demônio de todo mundo. Uma verdadeira perfeição entre terráqueos. A autora quis com isso fazer jus ao título do livro?

Narrativa agradável, mas senti falta da tensão, do suspense, da emoção, da intriga (a que rolou foi por demais fraquinha), do clímax e do anticlímax na trama. Então eu pergunto: o que faço com tanta perfeição? Sou uma pecadora confesso, fiquei salivando por uma maçã. O ‘Paraiso’ de Deyse R. Nicoli deixou a desejar porque faltou as benditas (ou seriam malditas?) macieiras. Avaliação regular.
Érica | @aquelacomlivros 09/10/2015minha estante
"Sou uma pecadora confesso, fiquei salivando por uma maçã." ahahaha...adorei a resenha, Zana! Super te entendo, deve ter sido um tédio!


Zana 09/10/2015minha estante
tudo certinho se desvendando praticamente sozinho é chato, quero sobressaltos Érica!


Érica | @aquelacomlivros 09/10/2015minha estante
Claro! A vida sem eles, não é vida! Rsrsrs




Joi Cardoso 13/09/2015

O Paraíso de Deyse
Paraíso é a típica história de cura, onde dois personagens procuram superar os traumas que a vida lhes impôs e Débora é um desses personagens. Ela carrega na alma e em seu corpo as marcas do seu antigo relacionamento e apenas a fuga poderia conforta-la.

Por conta disso, ela procura mudar de vida, tenta se afastar de tudo que possa lembra-la de sua antiga vida. E foi assim que ela acabou na Vila Paraíso, mais precisamente na fazenda Boa Vista onde ela aceitou o emprego de professora para os filhos dos empregados. Débora partiu assim, sem saber o que esperar. A quilômetros de distância da sua casa , ela tentaria uma nova vida.

A fazenda Bela Vista é de dona Carmem, uma viúva muito simpática e acolhedora. Não demora muito para que Débora se sinta querida por Carmem, seus filhos mais novos e sua nora, Eva, Max e Léo. Todos a tratam como um membro da família, todos menos um. Marcos é o filho mais velho e o mais envolvido na administração da fazenda e também, responsável pela contratação de Débora. Alertada por quase todos (muitas vezes), Débora conhece o homem estúpido, frio e rude que Marcos se tornou, depois de que, assim como ela, levou uma rasteira da vida.

Ambos personagens foram do céu ao inferno e vice-versa, e isso foi muito bem construído na trama que Deyse criou. É difícil dizer qual o mais ferido, e vai se sair melhor aquele que esconder melhor sua fraqueza. No meio deste turbilhão de emoções, a paz que Débora tanto queria deixa de existir e outro sentimento passa a atormenta-la. Mas como pôde, se apaixonar novamente por outra pessoa que não a ama?!

Além dos protagonistas, também temos uma boa construção na história de vida dos personagens secundários e isso eu curti bastante de conhecer durante a leitura. Paraíso me fez lembrar um pouco de Em Meus Pensamentos de Bella Andre que carrega uma premissa bem parecida, mas sinceramente, gostei mais da bagagem de Débora, mesmo que tenha sido pouco trabalhada na história.

A leitura é bem fluída e eu li rapidamente um livro de quase 400 páginas. O que me incomodou um pouco foi a insegurança da personagem em relação ela mesmo. Por vezes, fiquei bem estressada com algumas atitudes de Débora, e muito mais pelas medidas precipitadas que ela tomava. Achei Débora, mesmo que paciente e dedica, um pouco egoísta, mesmo depois de saber dos problemas que Marcos carregava.

Mas não me interpretem mal, de forma alguma isso atrapalha a leitura, pelo contrário se você gosta dos personagens evoluindo ao decorrer da história e se mostrando humanos, com certeza esta é a história ideal para você! Sem dúvidas, Paraíso vai te emocionar, de diversas formas, com os diversos tipos de problemas que vemos os personagens enfrentar.

Paraíso, é uma história de recomeços, que vai curar corações e ensina-los a confiar novamente no verdadeiro amor. Através de parte de sua experiência de vida, Deyse encanta qualquer leitor. Ela criou um paraíso só para ela, onde ela pode levar todos os leitores. Para quem ama romances com diálogos engraçados, cenas de tirar o folego, momentos tocantes e encantadores, Paraíso vai te proporcionar, e acima de tudo te fará acreditar.

site: http://www.estantediagonal.com.br/2015/09/resenha-paraiso.html
comentários(0)comente



Fernanda 09/07/2015

Que Paraíso
[VISITE MEU BLOG]

Como começar a falar desse livro? Só pra vocês terem noção eu li quase 400 páginas em 1 dia, eu não conseguia parar de ler, era sempre: "mais um capítulo, só esse capítulo" e quando eu vi já tinha chegado no fim e quase choro. Fiquei surpresa do quanto gostei da leitura.
O livro cota a história de Débora, uma jovem professora de 28 anos e de Marcos, um jovem com um passado tão obscuro quanto o de Débora. Ela decide aceitar o emprego na fazendo da família de Marcos afim de mudar completamente sua vida e deixar pra trás esse passado. Chegando na cidade ela descobre o porque ela se chama Vila Paraíso, o lugar é simplesmente lindo, típico cenário de filme: montanhas cercando a cidade, vegetação bem verdinha e flores por toda parte, e ao chegar na fazendo Boa Vista ela se depara com mais uma surpresa, a casa parece um castelo e todos que vivem lá são muito receptivos e carinhosos, menos Marcos o filho mais velho de Dona Carmem, assim que viu Marcos, Débora sentiu por ele algo que ela não sabia explicar: ele possuía uma beleza extraordinária sem contar que ele era a cara do seu personagem favorito. Dona Carmem cuidava da fazendo com seus outros dois filhos: Max, e Léo, e sua nora Eva (mulher de Max), mesmo Marcos fazendo de tudo para ignorá-la e ser rude, ela se sentia em casa.
Com o passar do tempo ela ficava ainda mais encantada por Marcos, Eva por sinal fazia de tudo pra que Débora ignorasse o jeito bruto e enxergar o homem que existia por trás daquela armadura, e que ela não desistisse de tudo por causa dele. A amizade de Débora com Léo foi crescendo e cada vez mais irritando Marcos, algumas aventuras e sustos depois eles se beijam, despertando nela uma paixão que ela não conseguiu controlar. A história vai passando e descobrimos o passado de Débora e as razões que fizeram de Marcos o ser um homem desconfiado e descontrolado, despertando em nós leitores uma curiosidade pra saber como eles vão conseguir ficar juntos com tanta coisa cercando esse "relacionamento".
No meio dessa história, Débora, Eva e Ângela (namorada de Léo) se tornam muito amigas e ela começa a conhecer um pouco mais da história das duas, sendo Eva a que mais a surpreende, um mulher corajosa, destemida e muito confidente, assim como Dona Carmem que acaba se tornando uma segunda mãe. Muitas confusões, brigas, choros e despedidas depois, Marcos e Débora ficam juntos, Eva e Max vão ter um bebê e Ângela e Léo finalmente estão prontos para um passo maior, porém algo acontece e Débora foge, deixando pra trás tudo que ela conseguiu construir com aquela família. O final do livro é tão lindo, tão cheio de surpresas e te deixa querendo viver uma história assim também.
A autora fala que uma pequena parte do que está escrito é real, a outra parte ela queria que fosse, fazendo o leitor quebrar a cabeça pra saber quais partes são reais e quais não. Um romance de tirar o fôlego, Paraíso é o primeiro livro da Deyse Ramos Nicoli. Ela soube escrever a história com tanta realidade e sentimento, os personagens secundários são tão importantes como os principais e deixam a história ainda mais legal, como as cantadas e o jeito sedutor de Léo, a cumplicidade e a falta de dotes culinários de Eva, os vestido sensuais que Dona Carmem usava nas festas da associação espanhola, as engraçadas cunhadas de Débora que vivem dizendo: "querida, você está perdida". A obra toda é maravilhosa e eu fiquei desejando um Wolverine desse pra mim (vocês precisam ler o livro pra saber essa referência HAHA), cada detalhe foi bem pensado, e as personalidades de cada personagem caiu como uma luva, a capa transmite a beleza que o lugar possui.
Deyse é mais uma parceira do blog e como sempre, aqui agradeço por essa oportunidade e pelo carinho que ela transmite para seus leitores e parceiros, muito obrigada por deixar eu viajar no seu maravilhoso Paraíso.

site: http://soseiquevou.blogspot.com.br/2015/07/resenha-paraiso.html
comentários(0)comente



Lia 06/06/2015

Em Paraíso somos apresentados a Débora, uma mulher com um passado complicado. Sua vida é marcada por tragédias que deixaram marcas que ela quer esquecer. Decidida a fugir do passado que a persegue, ela aceita trabalhar como professora numa fazenda na cidade Vila do Paraíso, longe de tudo e todos que conhece, ela decide começar sua nova vida.

A primeira visão da fazenda surpreende Débora. É um lugar espetacular, onde ela nunca imaginaria que pudesse morar. Ela é recebida muito bem por todos da família, principalmente pela anfitriã, Dona Carmen. Tudo parecia perfeito, até ela conhecer Marcos, com uma beleza que lhe tira o fôlego, mas com um temperamento que contrasta com o resto dos familiares.
Foi atração á primeira vista, mas por conta da personalidade de Marcos, Débora percebe que talvez os dias de sua nova vida na fazenda Boa Vista, não sejam tão tranquilos quanto ela imaginava.

"O meu Paraíso é um lugar real, onde as pessoas são amáveis, a natureza é exuberante e tudo parece perfeito. Ou quase tudo. No meu Paraíso havia uma sombra."

Os personagens são muito bem construídos e desenvolvidos. E o melhor da história são os personagens secundários, a mãe de Débora que é um amor e, principalmente, a família que a recebe e que acaba se tornando uma extensão de sua própria família; ela encontra uma segunda mãe em Dona Carmem, dois irmãos em Max e Léo (esse segundo é um dos personagens mais amado e divertido, do tipo que conquista o leitor logo de cara) e, encontra também, uma melhor amiga em Eva (esposa de Max).

Já Marcos é o tipo de personagem durão, todo másculo e com uma cabeça dura que dá vontade de rachar! Assim como Eva, ele também tem um passado doloroso, quando conhecemos completamente entendemos o porquê dele ter criado um muro de proteção quase impenetrável ao começar desenvolver sentimentos por Débora. Quando ela percebe que o que sente é recíproco, faz de tudo para derrubar esse muro e, como é de se imaginar, isso não é uma tarefa muito fácil. Eu admiro essa determinação, com toda a brutalidade de Marcos, de primeira, eu teria mandado ele á merd*. Mas, mesmo com esse jeito rude dele, nós somos conquistadas e torcemos para que tenha um final feliz.

"Desejei, naquele instante, que tivéssemos nos encontrado muito antes. Antes que nossas tragédias pessoais tivessem roubado nossa credibilidade em nós mesmos. Antes que a vida tivesse nos deixado marcas com feridas tão profundas."(p.222)

O enredo criado pela Deyse é muito envolvente, acompanhamos a evolução dos personagens se curando de suas cicatrizes. Vemos que o enredo não retrata apenas o romance e não é apenas ficção, parte dele é real - experiências da própria autora - percebemos pela forma como é bem escrito, mas não conseguimos definir onde termina a realidade e começa a fantasia.
Tem bastante mensagens que podem tocar o coração e ajudar o leitor que estiver passando por um momento difícil, além de falar de Deus, também.

A ambientação do livro é totalmente encantadora! Fiquei me perguntando que horas eu poderia arrumar minhas malas e me mudar definivamente para a Vila Paraíso, especificamente para a fazenda Boa Vista. Um lugar incrível, tranquilo, bem cuidado, cercado pelo que tem de melhor na natureza.
A autora consegue nos transportar para esse cenário maravilhoso, e de forma detalhada sem tornar a leitura cansativa.

Sabe aquele tipo de clichê que de certa forma tem um final "previsível" mas que nos encanta de qualquer maneira? Paraíso nos transporta para um lugar maravilhoso, nos faz rir com experiências desastrosas e engraçadas, nos faz torcer pelo romance e, principalmente, transmite mensagens que certamente ficam gravadas em nossa mente de forma definitiva.
É uma leitura super fluida que só largamos quando chegamos ao fim.

site: http://construindoestante.blogspot.com.br/2015/06/resenha-paraiso-deyse-r-nicoli.html
comentários(0)comente



Carol Cristina | @blogacdh 15/05/2015

"Num lugar distante e desconhecido eu buscava o meu futuro. Era assustador, como atirar num buraco escuro sem ver o chão. Mas era uma escolha minha. Um futuro distante de tudo o que era o meu passado. Uma nova estrada. Um novo começo."

Eu tinha algumas expectativas com a história de Paraíso e não me decepcionei. O livro é um romance original e de qualidade, mas principalmente, com cara de nacional, e isso é importante. Vejo muitos autores explorando a cultura de outros países em seus livros e tendo sucesso, mas também fico feliz quando um autor consegue retratar a essência do nosso país (ou uma parte dele) de forma natural, e a autora merece esse mérito!
O livro conta a história da Débora, que se vê em busca de um novo começo para a sua vida na Vila Paraíso. Ela encontra um emprego como professora no local e decide sair de sua casa e tentar uma nova vida nessa pequena cidade, bem longe de seus antigos problemas e sofrimentos, e determinada a superá-los: mas isso nem sempre é tão fácil. A personagem passou por um relacionamento bem complicado no passado e ainda convive com sequelas dele, como seus pesadelos e a baixa auto estima.

"Olhei as cicatrizes quase invisíveis em minhas mãos. O tempo apagava-as lentamente. Pena não fazer o mesmo pelas cicatrizes da alma. Essas estavam nítidas como se houvessem sido feitas recentemente. E era difícil conviver com elas."

Vila Paraíso se mostra um lugar tranqüilo e bonito, com moradores bondosos e simpáticos... Ou quase todos. Débora é convidada para morar no casarão da Fazenda Boa Vista, com a família que a contratou: Dona Carmem e seus filhos Max (e sua esposa Eva), Marcos e o caçula Leo. Marcos é a exceção à regra, e também tem motivos para isso. Os dois se estranham logo de primeira, mas entre trombadas e desastres, acabam nutrindo sentimentos indesejados um pelo outro. No entanto, até admitirem isto para eles mesmos e vencerem seus fantasmas... Muitas águas vão rolar.
A Débora é uma protagonista que já sofreu muito e está tentando ser forte e superar seu passado: ela teve um namorado que não foi nada bom pra ela, além de ter perdido um bebê ainda na gravidez. É uma personagem pela qual o leitor consegue ter bastante empatia, e ela também é muito amiga e um pouco muito desastrada, rs.
Quando ela e Marcos se conhecem, Débora literalmente fica deslumbrada com o homem, acha ele muito bonito e todos que o conhecem concordam que é parecido com o ator Hugh Jackman (Wolverine). Ao longo do livro percebemos que há muita paixão reprimida entre os dois, um pouco selvagem até.
O Marcos, assim como a Débora, tem um passado problemático com relacionamentos também, mas reflete isso em sua personalidade. É um personagem muito difícil de se lidar, na maior parte do tempo vemos seu lado estressado, grosso, possessivo e impulsivo... Com paciência vemos que lá no fundo ele é legal XD No entanto, pessoalmente falando, não foi um personagem masculino que me agradou tanto assim. Ele é lindo e talz, mas tem umas características que não gostei muito, e demora milênios para o leitor descobrir o que ele realmente sente, esconde muito o jogo. Mas a autora deixa clara a personalidade dele desde o começo. E como diria a Selena Gomez para a Débora The heart wants what it wants, não tem jeito kk.

"Um homem como ele trazia à tona a mulher que eu queria apagar. Frágil, carente e infeliz. Uma lágrima teimosa caiu sem que eu a pudesse conter. Eu havia vindo para Paraíso fugindo dessa mulher, mas ela estava de volta dentro de mim, ansiando por um homem que não a queria. Mais uma vez."

Os personagens secundários do livro são super importantes e divertidos, e de certa forma, salvam um pouco o andamento da história. A Dona Carmem é uma senhora muito boa para a Débora, a Eva é uma ótima amiga, o Max é super sensato e ótima pessoa, e o Leo é lindo e engraçado.
Esse é um romance do tipo mais adulto. A narrativa da autora é muito boa, dei umas risadas no começo do livro e adorei o cenário que é a Vila Paraíso, dá vontade de conhecer o lugar! Para além do romance, o livro nos traz várias mensagens sobre a vida, e gostei do fato de ter um pouquinho de Deus nele também. O leitor claramente percebe que a autora passou por várias das situações narradas no livro, e achei muito bonito a Deyse conseguir passar essa verdade na escrita dela.
A diagramação de Paraíso é simples, e acho a capa bem bonita e ideal para a história. Encontrei poucos erros de revisão durante a leitura.
Sobre a história, achei um pouco longa demais, o número de páginas poderia ser menor. Não vejo excepcionalidades no enredo em si, mas os personagens e alguns elementos de escrita e construção fazem a diferença nesse livro e valem a leitura.
Algo engraçado é que o enredo lembra muito novela de tv, sabem? Poderia dizer que a história era como se fosse uma novela passando na minha cabeça, muito interessante isso. E o final do livro foi uma graça, gostei bastante!

"[...] posso dizer que estive do outro lado. Onde ninguém quer estar. No lugar antagônico ao Paraíso. Você deve imaginar do que eu estou falando. Mas não pode saber como foi estar lá. Esse castigo é reservado a alguns que, como eu, andaram pela estrada mais larga. É o preço do livre-arbítrio."

site: http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com
comentários(0)comente



Déb 31/03/2015

Resenha: Paraíso
A Débora é uma mulher que sofreu uma desilusão amorosa e por isso aceita trabalhar como professora em uma cidade do interior em uma fazenda, quando ela chega a cidade fica completamente atônica pela paisagem deslumbrante que faz jus ao nome do local “vila paraíso” lá ela conhece a Ângela, uma vendedora super atenciosa que já dar à ela um relatório da fazenda “Boa Vista” onde ela vai trabalhar, mas também a prepara para não se sentir intimidada pelo filho mais velho da dona da casa, Marcos, isso deixa a Débora um pouco receosa e com um pouquinho de medo, de conhecer o tal Marcos. Mas ela quase esquece o medo quando conhece o restante da família, a Dona Carmem é a dona da casa, mãe de 03 filhos, viúva, uma senhora muito simpática e atenciosa...um doce de pessoa, como eu disse ela tem três filhos e como a autora mesmo descreve “lindos”, o Léo é o mais novo, (confesso que fiquei completamente encantada pelo Leo) ele é alegre, tem uma energia contagiante, brincalhão e por varias vezes min fez sorrir muito, o Max é o filho do meio ele é casado com a Eva, esse casal é muito fofo, a Eva é toda simpatia e de cara ela e a Débora se tornam grandes amigas, o Marcos é o filho mais velho da Dona Carmem, assim como os outros irmãos ele é muito bonito, mas carrega uma historia de desilusão amorosa do passado, o que fez dele um homem amargurado, fechado e muitas vezes mal educado, de inicio eu não gostei dele não, achei ele muito bruto, mas quando você aprofunda na leitura e conhece a historia dele, não tem como não se apaixonar por ele também, assim como por todos os outros personagens....e é isso que acontece com a Débora depois de muitos “esbarrões” no Marcos, ela começar a compreender porque ele é tão fechado, e um sentimento maior começar a ser formar, e o sentimento é reciproco. Vocês realmente vão ter que ler esse livro, para compreender o quanto foi uma emoção pra mim ter o privilegio de conhecer esse paraíso.

site: http://bonecaliteraria.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



LetíciaBaldez 19/02/2015

[Resenha] #Paraíso
O livro começa com a protagonista Débora, uma jovem professora que não consegue ser feliz no lugar em que vive, e decide mudar os ares para esquecer um trauma do passado. Ela responde a um anúncio de trabalho em um lugar do interior e decide se aventurar em busca de novos caminhos.

Ela viaja sozinha em seu carro até o destino que ela escolheu viver e no caminho repensa se está fazendo a escolha certa em se separar de sua tão amada família. Mas decide que sim e continua seu percurso. Ela para em um estabelecimento comercial e acaba conhecendo Ângela, e logo as duas se dão bem.

Ângela indica o caminho para Débora e a convida a visitá-la na loja. Ângela fala um pouco sobre os donos da fazenda em que ela vai se hospedar, sobre a dona Carmen, e sobre os três filhos: Max, Léo e Marcos o filho mais velho e mais rude.

Logo ela fica sabendo sobre a personalidade de Marcos ao ser descrito como um homem rude e que a trataria com indiferença a princípio, mas que aos poucos ela perceberia que ele é uma boa pessoa, mas que foi marcada por tragédias.
"Sorri para mim mesma. Sentia-me um pouco como a Bela chegando ao castelo da Fera. Devaneios... Precisava controlar minha imaginação, afinal, eu nem conhecia o tal Marcos. E eu também não era o que se poderia chamar de "Bela". Acho que a fera poderia ser eu - pensei divertida".

Finalmente ela consegue chegar até a fazenda e conhece dona Carmen, os dois filhos mais novos e Eva a esposa de Max o único filho que já é casado. Marcos está trabalhando no horário que ela chegou e o viu de longe mas estava escuro e ela não o viu nitidamente.

Débora ganha um quarto maravilhoso na mansão que mais se parece com um castelo. Ela desce e janta com os novos patrões, apenas Marcos está ausente. Depois do belo jantar ela decide tomar banho e percebe que esqueceu sua bolsa com pasta de dente, escova de cabelo etc, e resolve descer e pegar no carro.

Ao sair ela percebe com está escuro e meio assustada decide voltar às pressas e ao se virar correndo acaba trombando em Marcos deixando-o furioso. Ele pergunta se ela é idiota e a insulta, mas a princípio ela não se importa pois está impressionada com sua beleza rude e fica embasbacada com seu porte de homem trabalhador.

"Arrisquei levantar os olhos e levei um choque. Provavelmente de 200 Watts, pois meu corpo todo esquentou e minhas mãos suaram. Estava diante da mais espetacular figura masculina que eu já havia visto. Não consegui desviar os olhos. O rosto severo com um olhar agressivo e profundo prendeu-me de maneira estranha. Eu estava fascinada. Tudo nele combinava como um conjunto perfeito. O nariz levemente torto, a barba curta, o cabelo espesso e escuro que caía meio sem corte pelo pescoço. Parecia Hugh Jackman na figura de meu herói preferido: Wolverine. E muito nervoso. Senti-me ainda mais ridícula".

Logo ela começa sua rotina de professora em uma escola que foi construída em parceria com a prefeitura e começa a dar aulas para crianças de idades variadas. A única coisa que ainda não se ajustou foi seu relacionamento conturbado com marcos que sempre encontra uma forma de ofendê-la. E mesmo assim os dois irão descobrir juntos como resolver as questões do passado e viver um grande caso de amor.

Então bibouss, eu gostei muito deste livro pois se trata de um romance que não é água com açúcar e sim uma estória com brigas, intrigas, romance e verdadeira amizade. Um personagem que vale a pena ressaltar é Eva. Uma mulher muito pra frente e que sempre aconselha Débora e fica ao lado dela ajudando-a e fazendo-a rir de seu jeito engraçado.

Marcos me conquistou com seu jeito rude, mas ao mesmo tempo protetor. Se trata de um homem muito ciumento e controlador que foi marcado por uma tragédia pessoal e por isso não confia nas mulheres.

Débora também foi marcada por uma forte lembrança e por isso apresenta marcas difíceis de apagar, mas aos poucos seu coração vai se abrindo para amar, não só Marcos, mas a todos que a amam e que estão ao seu lado lhe dando forças.

Quanto ao designer se trata de um livro bem escrito, encontrei apenas alguns erros de digitação. As folhas são amarelas, a diagramação é simples e sofisticada, a capa combina perfeitamente com o cenário descrito e a autora me enviou o livro autografado :D

Eu amei o livro e espero que tenham gostado da resenha, se sim deem um like abaixo do título do post isso me ajuda muito com a divulgação e o crescimento do blog e deixe nos comentários o que acharam da resenha.

site: http://sobangulos.blogspot.com.br/2015/02/resenha-paraiso.html
comentários(0)comente



Lorrane Fortunato 22/01/2015

Resenha - Paraíso / Dreams & Books
Desde que soube da existência do livro Paraíso fiquei com muita vontade de lê-lo. Só pela sinopse deu pra perceber que o livro não era só mais um romance, que tinha muito potencial. Apesar de haver muitos clichês, coisas bem previsíveis e reações um tanto exageradas, o livro é incrível.

Os personagens principais passaram por várias tragédias pessoais que tiveram efeitos diferentes em cada.

“Olhei as cicatrizes quase invisíveis em mim. O tempo apagava-as lentamente. Pena não fazer o mesmo pelas cicatrizes da alma. Essas estavam nítidas como se houvessem sido feitas recentemente. E era difícil conviver com elas.”


E isso dar um ar triste a algumas passagens. Tive que me segurar pra não chorar nessas partes. Apesar de não ter conseguido segurar as lágrimas no final.

Dois personagens secundários que eu me apaixonei foram Eva e Max, acho que a Deyse poderia até ter escrito um livro contando a estória dos dois, seria incrível! Eu gostei bastante do Marcos, mas, tinha algumas horas em que ele me irritava, o achei muito ciumento e possessivo, apesar de entender os motivos para ele ser dessa forma.

A capa do livro é linda! Não canso de olhá-la. Paraíso é aquele livro que além de ser ótimo, ainda serve como item de decoração. As páginas são amareladas, os capítulos são intitulados por números romanos, o que eu acho uma fofura, já que amo números romanos!

Esse é outro livro daquela lista dos que li durante uma madrugada. Impossível de parar a leitura, não há sono, vontade de ir ao banheiro, fome ou mãe berrando pra você ir dormir que te faça largá-lo.

"O gosto do fracasso era muito amargo. A dor ia me dilacerando por dentro. Tirando o ar dos meus pulmões como se eu estivesse me afogando."

Deyse escreve de uma forma que te transporta pra dentro do livro. Você não

se encanta pela personagem principal, você sente que é ela. Você fica triste como se aquilo tivesse acontecido com você e não a com a Débora, você sofre, sente dor, medo, dúvida, chora e se apaixona.  Isso é algo que poucos escritores conseguem fazer e Deyse está de parabéns por fazê-lo tão bem!

A estória de Débora e Marcos é linda, e a parte racional em você que sabe que não é Débora, vai torcer pelo amor dos dois com todas as forças.  Apesar de ás vezes, parecer meio impossível que consigam ficar juntos.

"Lutava contra um muro intransponível. Era uma batalha fadada a derrota
antes mesmo de começar."

Enfim, recomendo Paraíso, um livro que te faz acreditar em finais felizes, apesar de tudo.


"A felicidade era uma companhia que eu não tinha há muito tempo. E eu tinha medo que, de repente, ela resolvesse partir."

site: www.dreamsandbooks.com
comentários(0)comente



Gaby Harket 02/12/2014

Resenha: Paraíso
Hoje trago para vocês a minha resenha de um livro disponibilizado pela querida autora Deyse R.Nicoli, a mesma é uma escritora parceira do meu blog, eu amei muito esse livro, pois possui uma belíssima história, sem dúvida, valeu muito a pena eu ter feito a leitura.

O livro "Paraíso" é uma história narrada em primeira pessoa pela protagonista chamada Débora, a vida da mesma possui um passado bastante conturbado, cheio de problemas difíceis e momentos de profundas tristezas, tais situações tornaram-se impossíveis de serem esquecidas, pois, tais "marcas" foram deixadas de uma maneira forte e principalmente dolorosa, é muito ruim sentir dores físicas, entretanto, a dor interior, isto é, na "alma" é a pior de todas.

"Olhei as cicatrizes quase invisíveis em minhas mãos. O tempo apagava-as lentamente. Pena não fazer o mesmo pelas cicatrizes da alma. Essas estavam nítidas como se houvessem sido feitas recentemente. E era difícil conviver com elas."

"Na minha memória só havia restado a dor daquele relacionamento. E no meu corpo as marcas, visíveis e eternas."

Sem dúvida, Débora sabe que precisa esquecer de uma vez por todas essas trágicas lembranças que a fizeram sofrer tanto, ela deseja uma chance para modificar a sua vida, talvez uma mudança de cidade e um "novo amor" sejam boas formas para que isso possa acontecer.
Então, aparece uma ótima oportunidade para a protagonista conseguir esquecer-se do seu passado e quem sabe acabar descobrindo algo melhor, pois, Débora resolve aceitar o emprego de professora em uma fazenda, a mesma está necessitando de uma educadora para as crianças dos trabalhadores desse lugar, essa fazenda localiza-se em uma distante e pacata cidade.

"Eu realmente preferia tentar uma nova vida, mesmo distante de tudo que conhecia. Voltar seria mergulhar no mesmo mar de amargura no qual vinha me afogando nos últimos anos. Eu estava tendo uma chance, e às vezes, as chances são raras."

Essa belíssima fazenda possui o nome de "Boa Vista", a mesma localiza-se em uma pequena cidade do interior chamada "Vila Paraíso", uma região montanhosa e deslumbrante.

"Misterioso e espetacular. Um desses lugares onde a natureza deslumbra-se em tons e nuances impossíveis de serem copiadas. Uma verdadeira obra de arte do grande criador."

Débora se quer pode imaginar que é justamente nessa fazenda que ela poderá encontrar o seu "Paraíso," claro que não será tão fácil assim conquistá-lo, entretanto, tudo valerá a pena, pois, apesar das mágoas e desilusões sempre devemos redescobrir e dar mais uma chance para o puro amor, pois muitas vezes o "amor verdadeiro" é a melhor maneira de superar a dor.

"... buscamos nosso próprio Paraíso aqui na Terra. A felicidade plena e absoluta."

Após chegar nessa nova cidade a primeira pessoa que a Débora conhece é a simpática Ângela, a mesma lhe fala parcialmente sobre uma certa pessoa que mudará completamente a vida da mais nova futura professora de Boa Vista. Marcos é o nome dele. *-*

"Aconteceram algumas coisas e ele se afastou de todos. Mas é um cara muito bacana. Só não teve muita sorte. Tente não se deixar intimidar por ele. Vai ignorar você no começo, mas talvez mude de ideia quando lhe conhecer melhor."

A fazenda Boa Vista é uma propriedade enorme e muito bem cuidada e administrada, possui paisagens com belezas praticamente "perfeitas", os donos residem em um casarão que mais parece um castelo, o mesmo tem uma misturado entre o estilo gótico e moderno.

"Sorri para mim mesma. Sentia-me um pouco como a Bela chegando ao castelo da Fera. Devaneios... Precisava controlar minha imaginação, afinal, eu nem conhecia o tal Marcos. E eu também não era o que se poderia chamar de "Bela". Acho que a fera poderia ser eu - pensei divertida"

Logo de início percebe-se que os proprietários dessa fazenda são riquíssimos, entretanto, demonstram muita humildade para com as demais pessoas, eu admirei muito o jeito e comportamentos deles, a querida Dona Carmem é viúva e mãe de três filhos já adultos, o mais velho chama-se Marcos, o do meio possui o nome de Max e o caçula é o Léo, Max é muito bem casado com uma linda ruiva chamada Eva. Bem, essa poderia ser uma família linda e feliz, mas nem todos os membros da família sentem-se dessa forma, Marcos é o único que tornou-se uma pessoa amargurada devido a certas coisas.
Dona Carmem é super simpática, a mesma recepciona de uma forma muito atenciosa a Débora, a mesma agora vai passar a morar na mesma casa que os patrões, é a partir daí que ela conhecerá melhor ainda cada um dessa família.
Gostei muito de todos, Carmem é uma mulher maravilhosa, uma verdadeira mãezona, Max é um cara super legal e carismático, nossa, adorei a Eva, pois achei a mesma muito legal, simpática e uma ótima amiga, achei ela um pouco engraçada por ser uma pessoa que fala muito, ela é uma personagem bem "alto astral", sincera e muito honesta, meu querido Léo tornou-se um dos meus personagens favoritos desse livro, pois ele é sensacional, gostei muito do seu senso se humor e seu jeito de rapaz mulherengo, ele é muito legal e engraçado, não tem como não gostar dele.

A primeira vez que Débora viu de perto o Marcos foi de uma maneira meio inesperada e um pouco engraçada, pois ambos sem que percebessem a presença um do outro esbarraram-se, então, a protagonista acabou caindo justamente por cima do Marcos, deixando o mesmo super irritado, mas apesar da sua maneira rude, ela não conseguiu resistir e ficou encantada quando viu aquele "pedaço de mal caminho", quer dizer, bom. kkk Meu Deus, ele é a cara do ator Hugh Jackman, portanto, ele realmente é perfeito! *-* kkk

"Arrisquei levantar os olhos e levei um choque. Provavelmente de 200 Watts, pois meu corpo todo esquentou e minhas mãos suaram. Estava diante da mais espetacular figura masculina que eu já havia visto. Não consegui desviar os olhos. O rosto severo com um olhar agressivo e profundo prendeu-me de maneira estranha. Eu estava fascinada. Tudo nele combinava como um conjunto perfeito. O nariz levemente torto, a barba curta, o cabelo espesso e escuro que caía meio sem corte pelo pescoço. Parecia Hugh Jackman na figura de meu herói preferido: Wolverine. E muito nervoso. Senti-me ainda mais ridícula."

Depois desse "encontro" os dois não se dão muito bem, Marcos aparentemente detesta e ignora a Débora, discutem e "brigam feito gato e rato" todas as vezes que se vem, mas, com o passar dos dias já podemos perceber que eles possuem uma forte e incontrolável química, ou seja, uma apaixonante atração um pelo o outro, eles ficam "entre tapas e beijos", Marcos é tipo de homem que tem aquela "intensa e delirante pegada".

"Olhe, mãe, estou aqui há apenas três dias, mas já apresento sintomas de loucura. Durmo e acordo pensando em um homem que me despreza. E que, provavelmente, por causa dos acontecimentos da noite anterior, também me odeia e quer me matar."

"Estava diante da mais espetacular figura masculina que eu já havia visto. Não consegui desviar os olhos. O rosto severo com um olhar agressivo e profundo prendeu-me de maneira estranha."

Marcos é o tipo de personagem que faz com que a pessoa ao mesmo tempo goste e sinta raiva do mesmo, ele é um homem muito rude, mal humorado, grosseiro e com atitudes desagradáveis para com a Débora, entretanto, durante a leitura descobrimos os reais motivos para ele ser assim, no passado o mesmo vivenciou uma desilusão motivada por uma forte decepção, tais coisas fizeram como que ele se afastasse, tornando-se "seco", sem esperança e vontade de recomeçar, sem abrir o coração e se deixar apaixonar e, principalmente amar e ser amado, é por causa disso que eu consegui gostar dele, além disso, ele possui muitas qualidades.
Ele é um homem lindíssimo, forte, másculo, sexy, sensual, eu também pude perceber que ele é doce, amoroso, carinhoso e gentil, simplesmente ele é apaixonante, mas ainda não se sente preparado ou motivado para ser desse jeito, a única pessoa capaz de libertá-lo e fazê-lo mostrar esse seu "outro lado" é justamente a Débora, obvio que nada disso será fácil e nem muito menos rápido.

"Eu sabia, desde o início, que seria difícil. Mas o que eu sentia era muito forte e seria ainda mais difícil ignorar isso. Esse sentimento avassalador que havia tomado conta de mim desde que eu pusera os olhos em Marcos."

O romance desse livro é maravilhoso, Marcos e Débora possuem uma forte atração um com o outro, apesar das "briguinhas" eles são inegavelmente apaixonados de uma forma doce e sensual na medida certa, sem dúvida, isso é um ponto positivo para esse livro, amei esse casal, são feitos um para o outro.

"O calor daquela paixão me consumia como fogo. Eu sabia que seria sempre assim entre nós. Excitante, quente e poderoso."

"Eu... trazia no corpo a sensação mais estranha e também mais maravilhosa da minha vida. A sensação única de tocá-lo, de estar em seus braços e sentir o sabor de seus beijos. Aquilo estava em mim como uma tatuagem. Marcado sobre a pele."

O casal enfrenta muito problemas e dificuldades, ambos possuem temperamento forte e seus trágicos passados são de certa forma meio semelhantes, Marcos é um homem possessivo e ciumento, ela também é ciumenta, tais coisas as vezes atrapalham o relacionamento dos dois.

"- Minha. Você é minha, entendeu? - sussurrou ele entre meus lábios. Deliciosamente possessivo. E eu quis dizer que sim, eu era dele. E não queria ser de mais ninguém."

"A dor de perdê-lo ia me dilacerando por dentro. Tirando o ar dos meus pulmões como se eu estivesse me afogando."

Será que eles finalmente conseguirão viver em harmonia e entenderem-se?
Perceberão que poderão ajudar um ao outro a esquecer, super e vencer a traumática dor dos seus passados?

"Deixei minhas mãos enlaçarem seu pescoço e encostei a cabeça em seu peito. Eu podia ouvir o som de sua respiração e o bater de seu coração. E senti, naquele momento, que nada se comparava àquilo. Tão poderoso, tão forte. Quase dor. Eu sabia que jamais esqueceria aquela sensação. Jamais esqueceria o calor do corpo de Marcos encostado ao meu. Ou as batidas descompassadas de seu coração junto ao meu ouvido. E, se no fim só restasse isso, teria valido a pena."

Agora vou escrever um pouco sobre a Débora, a mesma é uma personagem incrível, frágil e forte ao mesmo tempo, corajosa e destemida, legal e simpática, em alguns momentos ela demonstrou que não sentia-se uma mulher bonita, mas claro que ela é, principalmente por dentro, percebi que ela é uma mulher que sonha em encontrar o seu grande e verdadeiro amor e assim poder viver feliz.
Meu amor pelo Marcos e a Débora é igual, gostei muito de ambos, foi através do drama deles que eu pude mais uma vez perceber que todos cometemos acertos e erros, ninguém é "perfeito," pois, somos apenas ser humanos, a história também mostrou-me situações que realmente podem acontecer na vida real.

"- Às vezes somos responsáveis pelo próprio sofrimento. É o preço do livre-arbítrio. Escolhas erradas. Consequências desastrosas."

Claro que eu amei muito a leitura desse livro, sem dúvida, estar entre os melhores livros que li nesse ano de 2014, simplesmente eu adorei o romance escrito pela autora Deyse R. Nicoli, a história foi muito bem escrita e desenvolvida, é de fácil entendimento, não possui partes chatas e ou cansativas, é uma leitura agradável e extremamente viciante, quase que eu não conseguia para de ler, pois me prendeu do começo a fim, durante a leitura nós (leitores) aos poucos vamos descobrindo e conhecendo mais coisas sobre os protagonistas, o drama é tocante, emocionante e demonstra a pura realidade, eu me envolvi completamente e emocionalmente com a história da vida do casal, o livro também possui parte intensas de tirar o fôlego, os personagens são super cativantes, gostei muitíssimo das descrições da ambientação, esse livro tornou-se super especial para a minha pessoa, o mesmo também possui ótimos ensinamentos, acredito que um dos mais importantes é: Quando o "amor" é verdadeiro/bom jamais devemos evitá-lo e principalmente desistir do amor. O final do livro foi encantador e perfeito!

site: http://my-stories-wonderful-books.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Yara 18/10/2014

Um verdadeiro Paraíso.
Débora está tentando se afastar dos fantasmas do seu passado e, disposta a viver um recomeço, aceita o emprego de professora em uma escola da Vila Paraíso, mesmo que seja longe de sua casa e sua família.
Ansiosa pela oportunidade, Débora percebe-se frustrada apenas pouco tempo depois de ter chegado à fazenda onde irá lecionar e residir. Não pelo lugar, que parece ter saído dos filmes ou livros, ou por conta de Dona Carmem, a dona do lugar e sim por causa de Marcos, um de seus filhos.
Ao contrário dos irmãos Léo e Max (e também de Eva, a esposa de Max), o lindo Marcos (que mais parece o Hugh Jackman) não parece nada feliz com a chegada da nova professora e não se importa em esconder isso.
E nele Débora vê a possibilidade de todos os fantasmas retornarem com mais força ainda, então também tenta se manter longe, porém o destino parece pensar de forma diferente e, a cada dia, se manter afastado vai se mostrar uma guerra, assim como ficar junto também não será nada fácil...


Sabe quando você lê a sinopse de um livro e pensa "Já vi vários livros com histórias parecidas"? Pode ser que quando vocês terminaram de ler a sinopse de Paraíso tenham pensado isso e eu também pensaria, mas a verdade é que, nesses casos, o que conta mais é o modo com que a história é conduzida, quais caminhos ela irá percorrer e como ela será contada. E Paraíso, em todos esses aspectos (e em muitos outros), é uma perfeição. Tudo acontece de maneira tão cadenciada, com reviravoltas ocasionais (na medida certa sem atropelar a história ou deixar a monotonia reinar), momentos emocionantes, sentimentos à flor da pele e diálogos adoráveis, que é impossível não se deixar levar e querer ler tudo o mais rápido possível, praticamente devorando a história.

Os personagens de Paraíso são perfeitamente imperfeitos, extremamente humanos, carismáticos e palpáveis. Débora e Marcos possuem personalidades fortes, não se deixam vencer facilmente e por isso formam um casal daqueles que fazem meu coração dar piruetas. Os diálogos entre eles são repletos de segundas interpretações, constantemente usam questões do cotidiano para darem aquela "alfinetada" básica no um no outro e começam alguma discussão que sempre termina de forma arrasadora e, por terem sido magoados demais no passado, possuem receio de se magoar novamente no presente, mostrando como por detrás da pose de durões, no fundo, são frágeis. Os dois, separados, são ótimos, mas juntos eles se melhoram e conseguem derreter meu coração, sem contar que todas as mulheres do livro descrevem o Marcos como super parecido com o ator Hugh Jackman!

Mas, protagonistas lindos, humanos e perfeitos à parte, pode começar a declarar meu amor à narrativa da Deyse? Pois é, a mulher escreve super bem! Com um vocabulário simples e ritmo cadenciado, vai nos envolvendo com sutileza e quando você percebe... O livro já acabou e você continua querendo mais. :P Aconteceu isso comigo. Li as 400 páginas sem notar e quando terminei fiquei de bico, querendo mais Débora, Marcos e Leo (eu falei do Leo por aqui? Ele é o irmão mais novo do Marcos, mas é AINDA MAIS perfeito que ele. Sou apaixonada pelo Leo. Gosto mais dele do que do protagonista.) em minha vida, querendo acompanhar a vida deles por mais tempo. Super injusto o livro ser tão curto! Com personagens tão marcantes e únicos, essa narrativa tão deliciosa e uma história tão apaixonante, o livro devia ter, no mínimo, mais umas 200 páginas!

E sabem o que é mais legal? É que mesmo achando que devia ter mais páginas, sei que na verdade não precisa, pois o final foi tão fofo-lindo-incrível-perfeito-e-quero-chorar-de-amor que se fosse acrescentado uma vírgula já iria perder um pouco da graça. Está lindo do jeitinho que está e não quero que mude, queria apenas que existisse alguma forma de continuar acompanhando Débora, Marcos e Léo por mais algum tempo, pois não estava pronta para me separar de todos eles. E é tão lindo quando isso acontece... Quando nos envolvemos tanto na história que ao terminar a leitura sofremos aquele "choque" ao perceber que acabou e você NÃO É um dos personagens, portanto está na hora de se separar (o que não acontece de verdade, porque sempre mantenho algum aspecto da história comigo)... E é por todos esses motivos (por sua narrativa maravilhosa e tocante, sua história doce e verdadeira, seus protagonistas teimosos e adoráveis e sua capacidade de me transportar para a Vila Paraíso) que eu recomendo DEMAIS a leitura da obra da Deyse. Todo mundo que é fã de romances devia ler, e para quem não é... Paraíso é uma ótima oportunidade para conhecer mais o gênero e se apaixonar por ele. :P

"[...] buscamos nosso próprio Paraíso aqui na Terra. A felicidade plena e absoluta.
É uma ena que a maioria das pessoas nunca chegue a esse lugar. Eu, pelo menos, nem cheguei perto, No entanto, poso dizer que estive do outro lado. Onde ninguém quer estar. No lugar antagônico ao Paraíso. Você deve imaginar do que estou falando. Mas não pode saber como foi estar lá. Esse cstigo é reservado a alguns que, como eu, andaram pela estrada mais larga. É o preço do livre-arbítrio. (Prólogo)."

site: Blog Ilusões Escritas. http://www.ilusoesescritas.com/
comentários(0)comente



Vanessa Meiser 09/10/2014

balaiodelivros.blogspot.com.br
Débora está a caminho da Vila Paraíso, mais precisamente para a Fazenda Boa Vista onde irá trabalhar como professora para os filhos dos empregados da referida fazenda. Logo que chega, a primeira pessoa a lhe dirigir a palavra é Ângela, a atendente da loja da cidade. Débora e Ângela logo de cara se entendem super bem e dão início a uma amizade de futuro.
Já na Fazenda, ela é recebida por Dona Carmem a proprietária do lugar, uma simpatia de pessoa. Aliás, todos da fazenda são muito simpáticos e a recém muito bem. Débora não demora
a encontrar também os filhos de Carmem, Max e Leo e também a esposa de Max, Eva que imediatamente se identifica com a nova moradora. O único que destoa do restante da casa é Marcos, o filho mais velho de Carmem que não pode ser mais rabugento do que é.
Marcos é o patrão de Débora, foi ele quem a contratou, mas isto não o impede de ser gentil com a nova professora, pelo contrário, ele é o mais mal educado possível e ao que parece, dedica seu tempo a cultivar mal humor. Porém, não é à toa que ele é assim, conforme vai conversando com Eva e Dona Carmem, Débora acaba por descobrir que Marcos teve uma grande e traumática desilusão na vida com sua ex esposa e a partir de então se fechou para o mundo...No entanto, não há como negar que a beleza e o corpo cheio de curvas de Débora chama a atenção do patrão e ele não consegue esconder o fascínio que sente por ela, assim como a professora que a cada dia que passa mais apaixonada fica pelo patrão sósia do Volverine que arranca suspiros das moçoilas do lugar.


"Desliguei pensando na cara que ela faria, caso eu dissesse - Olhe, mãe, estou aqui há apenas três dias, mas já apresento sintomas de loucura. Durmo e acordo pensando em um homem que me despreza. E que, provavelmente, por causa dos acontecimentos da noite anterior, também me odeia e quer me matar.
Ri dos meus próprios pensamentos. Exatamente como uma louca faria." Pág 83.

Parece que quanto mais Débora e Marcos tentam fugir um do outro, mas atração eles sentem e mais evidente fica para todos que há uma ligação muito forte entre os dois.
Porém, este jeito turrão e grosseiro de Marcos deixa a professora bastante assustada com a situação. Débora também tem uma história trágica em seu passado que ela quer esquecer mais do que tudo, um antigo relacionamento que não terminou bem e que deixou marcas profundas.
Marcos e Débora, duas pessoas maltratadas pela vida que, mesmo lutando contra o sentimento que nasceu e teima em crescer entre eles, terão que se render e decidir entre desistir da felicidade ou refazerem juntos suas histórias buscando um novo começo.
Paraíso é um livro lindo que prende o leitor já nas primeiras páginas. A narrativa é uma delícia, muito leve e fluída e ao mesmo tempo instigante, e não poderia ser diferente já que o livro foi escrito por uma apaixonada pela literatura e que conforme consta na orelha da obra, colocou um tantinho da sua própria experiência nesta história... Deyse nos insere na trama com suas palavras casadinhas e bem encaixadas, você chega ao ponto de quase se sentir parte das cenas apresentadas. Pronto, o que mais falta para a fórmula perfeita para um belíssimo livro? Nadinha de nada. Paraíso é um livro perfeito! Tem dúvidas? Só lendo para saber...
comentários(0)comente



Erika 05/10/2014

Opinião: Desse tempo que passei sem postar, Paraíso foi um dos meus livros queridinhos. Li em uma manhã, acho que passei de uma a duas horas lendo, pois o ritmo de leitura desse livro é maravilhoso, você nem sente o tempo passar com esse livro.

Neste livro conhecemos a vida de Débora, que já passou por muitas situações ruins em sua vida, e pra tentar esquecer seu passado, aceita uma vaga de professora, em uma fazenda distante de tudo que a faça lembrar dos terríveis acontecimentos do passado.

Assim que chega na fazenda, ela se depara com um verdadeiro paraíso. Paisagens lindas de tirar o fôlego, um lugar calmo, distante da cidade e agitado ao mesmo tempo, por conta da quantidade de pessoas que vivem nessa enorme fazenda. Além de ficar encantada com toda a paisagem, ela é bem recebida por Dona Carmem, seus filhos Max e Leo e pela esposa de Max que se chama Eva. Ela não imagina que seria recepcionada dessa maneira tão maravilhosa, pois a pessoa com a qual ela acertou os detalhes do trabalho, foi um tanto quanto rígido ao telefone. Dona Carmem lhe explicou que se tratava de seu filho mais velho Marcos, que apesar de ser uma boa pessoa, sofreu muito no passado e por isso tinha se tornado um pouco amargo.


"Sorri para mim mesma. Sentia-me um pouco como a Bela chegando ao castelo da Fera. Devaneios... Precisava controlar minha imaginação, afinal, eu nem conhecia o tal Marcos. E eu também não era o que se poderia chamar de "Bela". Acho que a fera poderia ser eu - pensei divertida"

O que Débora não esperava era conhecer Marcos de maneira tão desconfortável. Ela acabou esbarrando nele no escuro e ele lhe tratou de maneira grosseira e mal educada. Ela também não imaginava que ele seria um homem lindo de morrer.


"Arrisquei levantar os olhos e levei um choque. Provavelmente de 200 Watts, pois meu corpo todo esquentou e minhas mãos suaram. Estava diante da mais espetacular figura masculina que eu já havia visto. Não consegui desviar os olhos. O rosto severo com um olhar agressivo e profundo prendeu-me de maneira estranha. Eu estava fascinada. Tudo nele combinava como um conjunto perfeito. O nariz levemente torto, a barba curta, o cabelo espesso e escuro que caía meio sem corte pelo pescoço. Parecia Hugh Jackman na figura de meu herói preferido: Wolverine. E muito nervoso. Senti-me ainda mais ridícula."

Ele em todas as ocasiões que se encontrava com ela faz questão de a tratar mal, e ela não entende muito o por que de tanta hostilidade, mas também não fica por baixo e começa a lhe responder a altura. Já não podendo esconder a atração que um sente pelo outro, todos na fazenda começam a perceber, mesmo que os dois sintam essa química tão poderosa, eles são os últimos a admitir o que sentem. Esse é um romance maravilhoso, pois tem muitas coisas envolvidas além do sentimento que um sente pelo o outro.


"Deixei minhas mãos enlaçarem seu pescoço e encostei a cabeça em seu peito. Eu podia ouvir o som de sua respiração e o bater de seu coração. E senti, naquele momento, que nada se comparava àquilo. Tão poderoso, tão forte. Quase dor. Eu sabia que jamais esqueceria aquela sensação. Jamais esqueceria o calor do corpo de Marcos encostado ao meu. Ou as batidas descompassadas de seu coração junto ao meu ouvido. E, se no fim só restasse isso, teria valido a pena."

Fiquei maravilhada com as cenas descritas pela a autora, é muito lindo ver um romance se desenvolvendo. Eu criei muitas expectativas para que no final eles conseguissem se acertar. Enfim esse é um livro que eu super recomendo, se tornou um dos meus favoritos do ano. Acho a capa linda, combinou bastante com tudo que a autora nos passou através de suas palavras. Não deixem de lê-lo.


site: http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Paullyanne 02/10/2014

O livro conta a estória de Débora uma professora que tem sua vida marcada por tragédias, cansada delas e de suas lembranças ela decide aceitar uma oferta de emprego em Boa Vista lugar ao campo ou melhor em um paraíso como professora, a fim de recomeçar sua vida longe de seus antigos problemas.

Ao chegar Débora se instala na casa de Dona Carmen, dona da fazenda, viúva e extremamente boa, Carmen vive na fazenda com seus filhos, Marcos, Leo e Max com sua amada esposa Eva.

Antes de chegar à Vila Paraíso Débora ouve coisas não tão boas sobre Marcos (filho mais velho de D.Carmen), ele teve o passado tomado de tragédias assim como Débora, porém essas tragédias o deixaram frio e desconfiado de qualquer pessoa.

Débora logo fica amiga de todos exceto Marcos que tem digamos um temperamento muito difícil de lidar, porém em alguns momentos ele cede a máscara de durão e se entrega aos poucos momentos bons com Débora.

Ela acaba se apaixonando por Marcos mesmo tentando lutar para não sofrer mais uma vez por amor.

Eles terão que passar por muitos obstáculos para finalmente alcançarem a felicidade.

"Na minha memória só havia restado a dor daquele relacionamento. E no meu corpo as marcas, visíveis e eternas."
O livro é narrado por Débora então sempre estamos a par de seus sentimentos e pensamentos. O livro é emocionante pois retrata o "talvez" o amor de duas pessoas que foram horrivelmente machucadas pelas pessoas que acreditaram amar para sempre...

Ao longo da leitura eu só conseguia pensar em " PRECISO SABER SE ELES FICAM JUNTOS." Sendo assim li 300 páginas dele seguidas em somente um dia, terminando o livro em dois dias.

Senti amor e muitas vezes raiva do protagonista Marcos, ainda sim entendi sua frieza em busca de nunca mais alguém o machucar.

Estava com o livro há algum tempo aqui comigo porém não o li achando que iria ser sobre religião ( julguei pela capa e título sim) porém era totalmente diferente é um romance lindo e maravilhoso estilo os que eu amo ler do meu autor amado Nicholas Sparks.

Gostaria de comunicar a autora que o final não poderia ser melhor, eu amei cada página, cada capítulo.

Bom já repararam que eu amei né? Sei que cada um de vocês também irão amar se lerem.

site: http://garotaliterary.blogspot.com.br/2014/10/resenha-paraiso-43.html
comentários(0)comente



35 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3