Minha Pequena, Grande Mulher

Minha Pequena, Grande Mulher Simone Fraga




Resenhas - Minha pequena, grande mulher


29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


saamii 15/12/2017

O livro é mediano, muito bem escrito, há alguns poucos erros de gramatica.
É narrado pelo casal, contudo a troca de ponto de vista é confusa, não há uma distinção clara de quem esta narrando, com base em palavras que tem para ambos os sexos é que vemos se é ele ou ela quem narra. As vezes na mesma frase há a narração dos dois.
A maioria das cenas de ação são muito rapidas, não dá tempo nem mesmo de ficarmos angustiados ( aquele angustiado bom de leitura), como se tivesse sido acrescentada sem pensar muito. Não acho que essa tenha sido a intenção da autora, mas acabou parendo dessa forma. Acho que essas cenas poderiam ter sido melhor trabalhadas.
O foco da autora pode não ter sido romance policial, mas o mocinho trabalha com uma empresa de segurança, então invariavelmente alguma coisa nesse sentido aconteceria.
O livro nos mostra que todos temos dois lados, basta apenas uma chance para mostra- lo, seja para o bem ou para o mal.
Juju é uma criança muito doce e inteligente para sua idade, sempre que aparece rouba a cena.
Júlia é uma personagem em construção, as vezes muito forte e outras confusa, como seria de se esperar pelas situações que passa.
Lucas é um cavalheiro a seu geito, atencioso, amoroso e muito cuidadoso com suas Julias.
No todo um livro muito bom e gostoso de se ler.
comentários(0)comente



Kamilla 08/11/2016

Não esperava muito do livro, mas me surpreendi...
Ganhei esse livro em 2014 e até hoje não havia lido, porquê? Nem eu sei. E acabei curtindo bastante a leitura, mas vamos ao livro. Ele conta a história de amor entre Lucas e Júlia, mas nem tudo são flores... principalmente no começo de uma relação. Os dois se conhecem desde sempre, mas sempre ficaram na amizade, porquê? Porque não queriam perder a amizade um do outro com uma relação, por isso guardaram pra si o sentimento. Anos se passaram, a vida dos dois mudou completamente... Júlia se tornou uma mulher bem sucedida, forte e independente e o Lucas mais ainda, criou sua própria empresa de segurança. Eis que entra o Sr. Alfredo, tio (que é um paizão) contrata o Lucas pra cuidar da segurança da Júlia, vocês devem estar se perguntando o porque disso, correto? Eu explico, a Júlia passou por poucas e boas, que nenhuma mulher merece passar, ela não chegou a ser estuprada, mas pra violentar uma mulher, queridos, não se precisa ser só de forma física. Enfim, voltando a trama, Lucas - obviamente - aceita e quando vê a Júlia o sentimento retoma ainda mais forte e adivinhem o que acontece com a Júlia? se sentiu da mesma forma.

Como disse a Júlia passou por poucas e boas e o(s) responsável(is) por isso é alguém que era próximo, mas não irei dizer quem, a pessoa não aparece logo. Mas já sentimos um ódio pelo que ele fez a nossa protagonista passar, o Lucas se sente da mesma forma e esse foi o motivo da criação da empresa de segurança, que se tornou uma das maiores do mundo. Será que ele consegue proteger a Júlia?

O envolvimento dos personagens foi rápido até, levando em consideração que ambos se conheciam e isso fica bem claro e mais claro ainda fica o sentimento que ambos sentem. Particularmente gostei bastante de não ter enrolação em relação à isso... Apesar do Lucas ter uma equipe maravilhosa de segurança, a Júlia ainda está bastante vulnerável e várias coisas acontecem em que aflige o leitor. Por exemplo a Júlia nas primeiras cenas é dopada, colocam algo na sua bebida pra tentarem pegá-la... Muitas coisas similares e bem piores acontecem. As tentativas de pegar essas pessoas e fazer com que a Júlia não venha mais passar por isso é o foco principal da trama, mas há outras... Focando nesta primeiro, há muita ação e suspense com direito a sequestro, tiros, polícia envolvida, criança sequestrada (falei que o Lucas tinha uma filha? acho que não, ele colocou o nome da filha igual ao nome da mulher da sua vida. Sim, Júlia, falarei da pequena mais a frente), tem pessoas fingindo ser quem não é, amizades falsas, intrigas, ciúmes... é uma trama recheada.

Mudando de assunto, a capa do livro remete à algo hot, correto? Mais precisamente a algema que pra mim remete a uma relação BDSM (Bondage, dominação, disciplina, sadismo e masoquismo), mas tudo é levado de forma não muito pesada... A Júlia passou por momentos que pra qualquer mulher causa medo, revolta e até vergonha - infelizmente, mas é assim, apesar de nós não termos culpa - o fato é que o Lucas desde sempre afirmou pra Júlia que tinha gostos peculiares (lembrei do Sr. Grey haha), a Júlia ficou meio "hein? que?" e não ela não é nenhuma ingênua, mas ele apresentou tudo devagar pra nossa protagonista por causa dos traumas que ela já passara. Como um todo eu curti, mas houve algumas cenas que achei meio forçadas, tentativas do Lucas de se impor, que não me convenceu.

Vamos saber mais sobre os personagens?
Lucas é um romântico fofo, meigo, cuidador (às vezes até demais) e uma pessoa que é bem confiável. Não irei falar sobre o porte atlético da pessoa, porque é raro se ver protagonistas de hots gordinhos ou negros (imaginem um negão alá kid bengala kkk #brinks), sempre segue o esteriótipo. Bonito, gostoso e com gominhos (autores coloquem coxas grossas, obg).
Júlia é uma personagem forte, independente, que não se deixa abalar tão fácil. Sério gente, se eu tivesse passado por metade que ela passou, não levantaria a cabeça pra baterem como ela faz... É bem complicado tudo que ela passou. A Simone foi bem feliz na construção da personagem.
A criança, Júlia, lembram que falei dela lá em cima? O Lucas colocou o nome dela igual ao do amor da sua vida. Ela é uma garotinha mais linda, meiga, fofa e inteligente... uma das minhas personagens favoritas. A ingenuidade de uma criança é fantástico.

Sobre os detalhes: Não curto muito a capa, apesar dela ter muito a ver com a trama. Apesar de ter a algema, ela não foi usada na relação. A flor tem sim a ver com a trama do livro, aliás MUITO mesmo. Diagramação, eis um tópico que irei ser chata, a minha edição foi a primeira, cuja a autora publicou de forma independente... a fonte é horrível, é daquelas desenhadas e pior ainda o tamanho dela é pequena. As folhas são brancas, o que torna a leitura cansativa. Há alguns erros de digitação e gramática. Eu ainda não vi a nova edição publicada pela Qualis, mas creio que alguns desses pontos tenham sido resolvido (tenho o conto desse livro publicado pela editora e tem folhas amarelas e a fonte é a normal/padrão).

Comentário final: O livro é bem bacana, com alguns gêneros misturados, mas que não foram jogados ao leitor. Houve uma construção gradativa que foi legal de se acompanhar... Os personagens foram bem construídos também, mas mais que isso é um livro que consegue fisgar o leitor. Vi que algumas pessoas não gostaram muito e outras amaram, sinto que nesse caso fico apenas no gostei... e por isso indico que leiam e tirem suas conclusões.

site: http://www.lendoeapreciando.com/2016/07/resenha-minha-pequena-grande-mulher.html
comentários(0)comente



Nathy 13/09/2016

Minha pequena, Grande Mulher – Simone Fraga – #Resenha
Ainda estou tentando decidir qual é o sentimento final que tive por esse livro. Porque quando vi a capa e a sinopse fiquei muito empolgada. Ainda mais depois de ver que a A.C. Meyer escreveu seu prefácio. Mas, logo tive alguns problemas com a história. A ideia que a autora teve foi muito boa. No entanto, em minha opinião não foi muito bem desenvolvida. Houveram muitas abordagens onde em dois ou três capítulos a trama já era resolvida e novos dramas eram introduzidos. Particularmente teria preferido que a autora tivesse explorado apenas um drama e o desenvolvido com mais calma. O romance também foi de uma forma muito rápida e não me deixou conectada com os personagens.

O livro conta a história de Júlia. Uma mulher que sofreu diversos abusos em sua infância. Hoje esse passado volta para lhe atormentar, então seu tio-pai – como é chamado durante o livro – contrata Lucas o amigo de infância dela para protegê-la desse perigo. No meio de toda a loucura que a vida de Júlia se transforma, os dois passam a ter sentimentos até então adormecidos. No entanto, Lucas tem um gosto peculiar que pode acabar assustando Júlia e ele não está disposto a perder a mulher que amou durante toda a sua vida. Uma mistura de Um Caso Perdido com Cinquenta Tons de Cinza.

Meu outro problema com o livro foi a sua narrativa. Tudo começa sendo descrito em terceira pessoa. De repente muda para primeira pessoa com a Júlia descrevendo os fatos. Depois muda para Lucas descrevendo seus sentimentos. E logo volta a ser em terceira pessoa. Tornou tudo um pouco confuso a meu ver. Poderia ter sido determinado em primeira pessoa mesclando os capítulos entre os dois. Ou apenas em terceira pessoa. Porque desse jeito mesmo com uma marcação nos personagens ficou pouco confuso.

Júlia abriu os olhos e num pulo rápido, saiu da cama.

Mesmo que tentasse de todas as formas não conseguia me conectar com a Júlia. Ela me pareceu uma personagem muito imatura em suas diversas atitudes. Queria mostrar que já era uma mulher poderosa. Mas, a forma que agia era um tanto infantilizada. Em diversos momentos me irritou, no entanto, um deles foi ao extremo. Eu fiquei pensando se uma pessoa era mesmo desse jeito. Por exemplo, chegar no local de trabalho do homem que está tendo um envolvimento e não se apresentar propriamente. E nisso fazer com a pessoa fosse mandada embora por um erro dela. Não cheguei a torcer para que sofresse. Porém, com tudo o que passou em sua vida e estava passando, o mínimo esperado era que ela tivesse atitudes mais maduras.

Continue lendo a resenha no link abaixo:

site: http://www.oblogdamari.com/category/livros/resenhas/page/29
comentários(0)comente



"Ana Paula" 26/06/2016

Não sei bem como começar essa resenha... há muito tempo eu desejava este livro, tanto que assim que passamos para a parceria com a editora, logo ele me veio a mente para solicitar. Mas o livro era tão desejado, que sempre estava esgotado. Até que finalmente, consegui solicitá-lo, lê-lo e agora, trago minha resenha para vocês.

"A minha amiga de infância e o amor da minha vida, aquela menina que eu cuidava quando pequena, continuava necessitado de proteção. Eu não precisava pensar muito a respeito, já sabia o que tinha que fazer. Também seria a chance de estar novamente próximo dela."

Para Amar e proteger: Minha Pequena Grande Mulher é um romance hot. Nele, vamos conhecer Júlia, uma mulher que já sofreu muito na vida. Hoje, ela é uma mulher forte, independente e que comanda a cadeia de hotéis de sua família. Mas chegar até aqui não foi fácil para Júlia: Ela sofreu e ainda sofre com os abusos que viveu e viu sua mãe sofrer.

Lucas é o melhor amigo de Júlia. Essa amizade foi essencial para Júlia se livrar um pouco do fardo que carregava quando criança. Lucas sempre esteve lá por ela, mas depois que Júlia foi morar com seu tio, Lucas saiu do país e ficou muito tempo fora.
Lucas cresceu e investiu na área de segurança, criou uma empresa super estimada que está no ranking das melhores do mundo. Tudo isso por causa de Júlia, se ele não poderia protegê-la, ao menos faria isso com seus clientes, amigos e família.

Em uma visita ao Brasil, Lucas é contratado pelo tio de Júlia para cuidar de sua segurança, pois o passado que tanto a assombra, voltou para sua vida. Lucas então, volta de mala e cuia para o Brasil, afinal, a mulher que sempre amou ainda precisa dele. E eis uma chance para conquistá-la para sempre.

Júlia também ama Lucas desde sempre, mas com a distância entre os dois, era impossível viver esse amor. Agora que Lucas está tão perto, será impossível mantê-lo afastado de sua vida. Júlia o quer, mas será que está pronta para se entregar de corpo e alma a este homem que tem "gostos peculiares"?

Confesso que me sinto a pior das criaturas por não ter me envolvido com a trama. Infelizmente, o livro tinha tudo para me agradar, mas os personagens, a narrativa e o enredo, me fizeram ter uma leitura enfadonha e cansativa.

"- Você acha que eu bateria numa mulher só para vê-la machucada? Por que essa foi sua expressão ao me fazer essa pergunta. Não, pequena, eu não vou bater em você pata te diminuir ou para te machucar, mas, algumas vezes, se você permitir, farei para te dar prazer, muito prazer. E se você gostar, podemos repetir, do contrário, esquecemos. Mas eu quero te mostrar esse mundo, quero que seja nosso mundo de amor e prazer."

Vamos começar pelos personagens: Júlia até pode ser aquela mulher forte e determinada que a sinopse diz, mas perto de Lucas, é uma menina mimada, birrenta e bobinha. Lucas não a deixa fazer nada sozinha, até cuidar a higiene dela ele cuida. Mas, em algumas partes, a mulher forte dá as caras e deixa o leitor de queixo caído com suas atitudes.

Lucas não me convenceu. Até entendo seus "gostos peculiares", mas o cuidado excessivo com Júlia acabou me dando sono. Não se passou nenhuma estrofe em que ele não a tratasse com um objeto que é dele e de mais ninguém. Não houve aquele começo gostoso da conquista, afinal, eles já se amavam desde pequenos, mas senti falta de uma paquera - fazia muito tempo que eles não se viam, ambos mudaram, acho que deveria ter havido algo mais elaborado para ambos se conhecerem melhor e intensificar o amor que já sentiam um pelo outro. Ao contrário disso, a autora usou de personagens secundários para motivar o ciúmes entre eles e fazê-los ficarem juntos.

"- Por que você está falando assim comigo?
- Júlia - ela me olhou séria, as lágrimas escorrendo pelos olhos, se esforçando para não demonstrar que estava em pânico, nua e milhada. Tinha que me controlar para não colocá-la no colo e dar umas palmadas. Antes que meu último pensamento se findasse ela virou as costas, tentando sair.
QUE PORRA!!! Como cuidar de uma menina em pânico, rebelde e mimada??? Peguei-a pela cintura antes que conseguisse sair e a prendi no meu colo, ela tentou se afastar, mas não permiti."

O enredo, tirando as partes melosas que é boa parte do livro, convence. Os abusos que Júlia sofreu e ainda sofre, é tenso e cheios de sentimentos. Quando passa a conhecer melhor Lucas e seus gostos durante o sexo, Júlia sente conflitos dentro de si. Achei essa maneira de abordar o assunto, bem expressiva. Júlia está conhecendo seu corpo de uma maneira que nunca pensou que fosse possível, e Lucas a trata com carinho e sempre está ali para auxiliá-la quando ela precisa.

A narrativa me ganhou pelo simples fato de não haver divisão. Ambos os personagens principais narram em tempo real. Nunca li nada assim e no começo, me senti um pouco perdida, mas depois de me acostumar, gostei muito e quero ler mais livros com esse tipo de narrativa.
Infelizmente, não consegui me apegar aos personagens principais e não senti curiosidade em saber o que aconteceria com eles. Dos personagens secundários, destaco Juju, filha de Lucas e um amor de criança. Nela, conseguimos entender a falta que uma criança sente de uma figura materna presente.
As descrições são exageradas e muito minuciosas. Não tenho problemas com descrições nos livros, até gosto, mas neste livro, a autora exagerou na quantidade; principalmente nas roupas e comida.

As cenas de sexo deixaram a desejar. Falação durante o ato é a gota d'água. Experimentar e sentir são os conceitos que prezo em uma boa leitura hot, mas Lucas é um falante de carteirinha. Foi difícil eu me envolver com as cenas enquanto Lucas falava: "Te amo minha pequena, goze para mim, você é minha... blábláblá". Algumas palavras são essenciais em um momento íntimo, mas aqui, o essencial foi parar longe.
As descrições das cenas no entanto, são muito boas. A autora soube descrever os momentos e não usou palavões para intensificar as cenas. Cada cena, mesmo parecendo serem iguais, tiveram um ponto ápice que deixou a leitura mais gostosa.

"- Ninguém mais vai tocar em você, por circunstância alguma, se depender de mim. Vou te manter segura ao meu lado, você é minha para sempre. Minha Pequena!"

A capa é linda e condiz com o enredo apresentado; a editora está de parabéns pela edição: a diagramação é simples, mas bem feita, com rosas nos começos de capítulos e na quebra de narrativa; possui folhas amarelas e letras em tamanho confortável para a leitura. Não encontrei nenhum erro de revisão.
Do mais, indico a leitura para quem goste do gênero e não seja tão criteriosa quanto eu. Terminei a leitura com a sensação de que não conheci os personagens por completo.

site: http://livrosdeelite.blogspot.com.br/2016/06/resenha-para-amar-e-proteger-minha.html#.V2_OPPnR_Dc
comentários(0)comente



Padronizado 23/06/2016

RESENHA: MINHA PEQUENA, GRANDE MULHER - SIMONE FRAGA
Olá! Hoje vim falar sobre "Minha Pequena, Grande Mulher", da série "Para Amar e Proteger", de Simone Fraga. O livro é publicado pela Editora Qualis, parceira aqui do blog, e já está em sua 3ª edição!
Julia Harrison teve uma infância sofrida e mesmo naquela época, a única pessoa que a fazia sentir protegida e amada, era Lucas. Quando seu tio/pai consegue sua guarda, ela e o menino se afastam, mesmo sem gostarem dessa ideia. Quinze anos depois, quando Lucas é contratado para protegê-la, eles se encontram.
Lucas Tuner, dono da maior e mais bem sucedida empresa de segurança do mundo, volta ao Brasil para proteger sua tão amada Julia... tão amada que sua filha leva o mesmo nome, a pequena Juju, de quatro anos. Lucas é um dominador.
Quando os dois descobrem que sempre nutriram sentimentos um pelo outro, é impossível separá-los, e Julia e Juju logo se dão bem e se tratam como mãe e filha. Porém, o casal está rodeado de pessoas que os querem mal, inclusive o padrasto de Julia. Esta, terá que passar por diversas provações e ser muito forte para sobreviver e construir sua família.
Apesar de pensar que a autora, as vezes, corria um pouco no tempo, recomendo a história de Lucas e Julia. É hot na medida certa e uma linda história de amor. Leiam, não irão se arrepender!


site: http://blogpadronizado.blogspot.com.br/2016/06/resenha-minha-pequena-grande-mulher.html
comentários(0)comente



estantedasuh 02/12/2015

Minha pequena, grande mulher - Blog Era Uma Vez o Livro
Júlia é uma mulher decidida e que já sofreu muito na vida. Tem traumas que marcaram fundo a sua alma, mas mesmo assim tenta ter uma vida feliz. Ela nunca teve um relacionamento duradouro, pois sempre amou um único homem o seu amigo de infância Lucas. Eles não se veem há anos e isso acabou amornando o amor que ela sentia só que esse amor nunca morreu.

Lucas é um homem bem sucedido, tem a melhor empresa de segurança do ramo. Ele sempre amou uma única mulher, sua melhor amiga Júlia. Lucas nunca falou dos seus sentimentos para ela por que achava que ela não o amava como homem. Ele tem uma filha de três anos que se chama Júlia, ou Juju para os íntimos. O nome foi dado por causa do seu grande amor.

Depois de anos fora do Brasil Lucas retorna com um grande objetivo, estabelecer uma filial e também foi convocado para um trabalho muito importante. Júlia está em perigo e Lucas vai fazer de tudo para mantê-la são e salva. Eles vão passar muito tempo juntos e por isso não vai dar mais para esconder o amor que sentem um pelo outro.

O livro já começa bem intenso, pois Júlia tem muitos inimigos e eles querem fazer mal a ela de todas as formas. Lucas faz de tudo para mantê-la em segurança, só que há momentos que ela sofre e gente são as piores partes da história. A escritora escreveu com realismo as cenas e me deixava com o coração na mão e com uma pena de Júlia. Apesar de ela passar por tudo isso, essa mulher não se abala e se recupera rápido. Claro que o amor de Lucas é o que a sustenta.

Vemos um amor muito grande entre o casal. Eles são entrosados e muito carinhosos. Lucas é super protetor, mas eu entendo. Ele viu tudo que sua amada já sofreu e ainda está sofre e faz de tudo para que esse tormento acabe.

Eu amei o casal, achei muito fofo o amor deles e como eles superam as dificuldades. Outra coisa que me emocionou foi a Juju, filha de Lucas. Ela é uma menina adorável e muito inteligente, uma personagem muito importante da história. Ela assim que conhece Júlia se encanta por ela e depois de um tempo passa a chamar de mãe. O amor delas é lindo de se ver.

Além dos personagens principais, temos os secundários que são muito importantes para a trama como o melhor amigo de Lucas, sua irmã Amarílis, seus pais, o pai de Júlia que na realidade é o seu tio, Val a assistente de Lucas que virou amiga da família. E não poderia deixar de faltar os vilões da história, mas esses não posso citar os nomes, pois vou dar spoiler.

Eu só tirei um ponto dessa história, pois teve algumas partes e falas que eram parecidas com outros livros do gênero, só que depois que passa os primeiros capítulos à história se mostra inovadora e me prende até o final. E outra coisa que me deixou confusa foi que os pensamentos dos personagens apareciam no meio da história e era separado por aspas. Então demorou um tempo para me acostumar com esse método de escrita.

A capa do livro é linda e demonstra todo o amor do casal, a diagramação é perfeita, como flores espalhadas pelas folhas. Não vi erros ortográficos. As folhas são amareladas e de ótima qualidade.

Esse livro passa uma mensagem de superação, amor, família, amizade, proteção e muita sensualidade. Foram momentos maravilhosos e intensos que passei lendo esse livro e super recomendo essa história.


site: http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/2015/12/minha-pequena-grande-mulher-de-simone.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



dayukie 31/10/2015

Wattpad trazendo muito amor pra minha vida...
Eu iniciei esse livro no Wattpad, mas não consegui terminar lá, não lembro se foi porque a autora parou de escrever lá ou não, só sei que comprei e digo, é um bom livro, apesar de tudo, é sim um bom livro.
A história serve para quebrar o tabu que todo dom é frio, insensível, teve um passado sofrido e todas essas coisas que 50 tons trouxe em seu livro.
A história do livro é contada pelos pontos de vista de Lucas e Júlia, que se conheceram quando crianças, porém ele partiu com a família para outro lugar.


Confira a resenha completa lá no blog!

site: http://goo.gl/cR1Vc9
comentários(0)comente



luzuanon.appromances 13/10/2015

Desde que vi a capa do livro pela primeira vez, me chamou atenção. Depois, que li a sinopse a minha curiosidade sobre a história aumentou cada vez mais. Agora, após uma parceria com a editora, tive a oportunidade de lê-lo e devo dizer que foi uma leitura angustiante e intensa.

Adorei Júlia Harrison desde o começo. Ela é uma mulher forte, decidida, carismática e também teimosa. Herdeira de uma rede de hotéis, nos últimos anos se focava totalmente em seu trabalho, o problema é que ela vinha sofrendo ameaças do padrasto que não admitia ter perdido o controle sobre ela e toda a sua fortuna, além é claro de outras intenções. Muito preocupado com a segurança dela, o seu tio contrata o serviço de uma conceituada empresa de segurança.

O proprietário é Lucas Tuner... Um homem lindo, protetor e também muito bem-sucedido que vai se revelando e te conquistando aos pouquinhos. Ele foi o melhor amigo de infância de Júlia e já a havia protegido das garras do padrasto anos atrás e que agora retorna a sua vida para cuidar da sua segurança e será capaz de tudo para protegê-la. Posso dizer que a personagem da Júlia foi uma grata surpresa, a autora soube criar uma mocinha bem atípica, apesar de todos os traumas vivido na infância e de ser perseguida constantemente por pessoas sem escrúpulos, ela é bem destemida.

Os dias passam lentamente enquanto Júlia se acostuma com a rotina de ter Lucas na sua cola e eu gostei muito de como temos tempo para conhecer melhor os motivos que culminou no afastamento deles. E também o crescimento da relação já que ambos estão envolvidos o bastante para não conseguirem ignorar a paixão irrefreável e, a partir daí eles vivem momentos loucos juntos. Por que além do romance, temos momentos de ação com perseguições, mistérios que consegue manter o leitor focado na leitura.

Agora o que realmente me agradou na história foi conhecer a Juju, a filha do Lucas, que me fez rir alto com seus comentários. Não é por acaso, ela é uma criança adorável, doce e meiga e muito inteligente pois soube lidar bem com toda a situação que caiu sobre ela. Confesso que conhecer a Juju só me fez desejar um dia ter uma garotinha dessas na minha vida.

A escrita de Simone é simples e esclarecedora que nos leva a sentir as paixões e os medos de cada personagem. O relacionamento e interação de cada um deles são muito bem elaborados, tanto Lucas, Júlia, Juju, Jony, Amarílis e outros personagens possuem suas características e singularidades e um papel essencial em toda trama. Torci muito pelo casal principal e senti uma raiva imensa das pessoas que fizeram tanto mal em particular uma "pessoa".

Tenho uma única ressalva quanto ao livro - apesar de curti histórias com uma pegada erótica -e esperar as cenas picantes com todo o linguajar necessário, eu tive um probleminha com algumas cenas de sexo, a autora se estendeu demais em alguns momentos, e acabou ficando cansativo e repetitivas. Isso influenciou um pouco a minha a nota, mas ignorando esse detalhe, fiquei com gostinho de quero mais pois a história vale à pena.

A Editora Qualis escolheu uma fonte de tamanho agradável para a leitura e diagramação ficou perfeita, a cada início de um capítulo encontramos uma frase com desenhos. Adorei! A capa também é muito bonita.

site: http://www.apaixonadaporromances.com.br/2015/10/resenha-minha-pequena-grande-mulher-de.html
comentários(0)comente



Fer - Mato Por Livros 30/09/2015

Julia teve uma infância muito sofrida. E quando digo muito, é muito mesmo.
O que ela passou com certeza nenhuma criança (na verdade ninguém, mas principalmente crianças) deveria passar.
Mas ela sempre teve ao seu lado seu tio e o seu grande e melhor amigo Lucas. Ele sempre esteve ao lado dela a protegendo do mal que sempre esteve em sua vida, mesmo que algumas vezes nem ele pudesse afastar completamente esse mal.

Por obras do destino, eles precisaram se separar. Mas quando parece que o passado terrível de Julia ameaça voltar, com ele volta também Lucas. Seu fiel amigo e protetor.

Alfredo, tio de Julia contratou Lucas para que ele cuidasse da segurança de sobrinha. Pensando em tudo o que viveram, nos perigos que ela corria e em todo o seu amor por ela, Lucas voltou e decidiu permanecer ao lado de sua melhor amiga para protegê-la novamente de todo o mal.

O reencontro é lindo. A amizade entre eles é algo que superou até mesmo a distancia. Mas é visível que o sentimento ali não é só de amizade.
Então eles decidem dar uma chance a esse amor.
Infelizmente para Julia, a vida não trouxe somente Lucas de seu passado, ela trouxe novamente todos os problemas. E parece que eles terão que enfrentar perigos que nem mesmo Lucas poderá ser capaz de deter.

A história é linda. Sério mesmo. A autora criou um tema que poderia ser somente o clichê, mas ela inseriu outros ingredientes capazes de deixar a trama envolvente. Mas infelizmente na minha opinião, pecou em algumas coisas.
Primeiro a narrativa que é um pouco confusa. Em alguns momentos estamos em uma narrativa na terceira pessoa, logo nos vemos com Julia narrando os fatos, em outros momentos Lucas e até alguns outros personagens. Mas infelizmente não houve uma separação adequada. Então realmente em alguns trechos me vi precisando parar a leitura e observar melhor quem estava narrando os fatos. Esse fator infelizmente deixou em alguns momentos a leitura cansativa.
Outro ponto que eu estranhei um pouco na leitura foi a diversidade de acontecimentos. Ok, geralmente em um romance o enredo contem mais de um tipo de conflito desenvolvido ao longo da trama. Mas nessa história tivemos vários conflitos. Então acontecia determinado “problema” e a autora começava a desenvolver, mas de repente quando menos esperava tudo já estava solucionado e um novo conflito se apresentava. Acho que com a história que a autora criou, ela poderia ter se atentado a uns dois ou três conflitos e desenvolver mais sobre eles. Acho que aquela sensação de espera, aquela aflição que nos consome de quere saber o que vai acontecer, de esperar que tudo de certo, nem foi possível de sentir muito, pois como eu disse eram vários conflitos e solucionados de forma muito rápida.

Julia é uma personagem muito real e difícil de entender. Em alguns momentos era a força em pessoa em outros uma adolescente teria mais maturidade que ela. Mas como eu digo gosto sempre de me por no lugar dos personagens e realmente não seria muito fácil ser Julia. Mas mesmo assim era difícil de aceitar algumas atitudes infantilizadas dela.

Lucas é o cavalheiro de armadura, pronto para proteger seu grande amor em todos os momentos, ele também demonstrava ser infantil em alguns momentos, e por horas eu queria socar ele rs, mas mesmo assim não tinha como não ser conquistada por ele.

A relação deles com certeza foi uma relação muito conturbada, afinal, eram amigos que descobriram outros sentimentos, todo o perigo envolvendo a vida de Julia, e ainda por cima o gosto peculiar de Lucas.

Eu leio muitos livros hot, ainda não tinha encontrado um que abordasse esse tema abordado no livro, mas como sempre digo é preciso ter a mente aberta, cada um faz o que bem entende com sua vida e com seu corpo. Mas eu sinceramente passaria muito longe de um lugar assim. Acho a privacidade tudo na vida de uma pessoa rs.

Quem me ganhou do começo ao fim foi a pequena Juju, filha de Lucas. Gente eu quero uma filha assim para mim rs. Ela é um doce e uma criança muito inteligente. As cenas com ela realmente achei lindas.

Outros momentos que achei muito bem escritos foram os momentos onde Julia estava em perigo. Ali sim, eu consegui sentir todo o medo e o pavor que a autora quis transmitir. Infelizmente é algo muito real, a gente sabe que existe, e a forma com que ela descreveu isso demonstrou isso muito bem.

Bem o que eu posso dizer é que realmente a temática foi muito bem criada, mas como eu disse infelizmente o desenvolvimento ficou um pouco confuso.
Não me entendam mal, eu não sou nenhum tipo de critica literária, sou uma simples leitora rs, então essa visão é a MINHA e do que eu espero ou não de um livro e do que eu achei.

Então muitos outros leitores podem ter lido e se sentir de forma diferente. Então como sempre digo: cada um deve ler e tirar suas conclusões. E além do mais eu quero continuar a série e saber o que mais o destino reserva para esses e outros personagens.
A diagramação é linda, os detalhes nas páginas são um charme a parte, e acho que a capa tem tudo a ver com a história.
Espero que leiam e depois me contem o que acharam.

site: matoporlivros.com.br
comentários(0)comente



Silvânia Alves 04/09/2015

Para Sempre...adorável!
Antes de começar a esta resenha, uma pergunta á nobre escritora Simone Fraga..
Não dá pra rolar uma promoção do tipo,"COMPRE O LIVRO E GANHE O LUCAS"?
Eu li o livro em 2 dias e assim que acabei fui correndo pegar a continuação pra saber como acabava esta história...É um livro fantástico e o leitor precisa estar atento por que tudo acontece muito rápido.
Em uma página o casal está se amando ( e diga-se de passagem: Que amor!) e na página seguinte está em uma cena eletrizante.
O livro aborda temas como violência sexual, tráfico de mulheres e a escritora soube aborda estes temas de forma sucinta, fazendo o leitor refletir sobre o tema.

Leia na íntegra no blog!


site: http://www.detudopouco.com.br/2015/05/resenha-do-livro-minha-pequena-grande.html
comentários(0)comente



Gabi Moreira 20/07/2015

Não aguento mais, então, desisto, senhor!
Eu simplesmente não consegui me envolver com a história, o casal protagonista é insuportável, não consegui me apegar a nenhum dos dois. Para ser ter noção, os únicos personagens que me cativaram foram Jony, melhor amigo do protagonista, e a Juju, filhinha do Lucas.

Achei a história muito superficial, uma tentativa de ser o "50 tons tupiniquins" e para mim, passou longe. A protagonista, Júlia, é uma chorona chata... Ok, sei que ela passou o diabo, mas eu não aguento tanta choradeira.

Posso acrescentar que o romance-miojo (= instantâneo) também é mais um item para contribuir para meu desânimo com essa história. Ah, você vai dizer que diz na sinopse que eles se amam desde sempre, mas o que me incomodou foi que eles ficaram anos sem se ver e quando se viram, declararam-se, queriam casar, ela virou mãe da Juju, assim, tudo de uma vez. Me poupe!

Posso completar minha a lista de reclamações ao dizer que a história não tem um enredo bem amarrado e isso fez com que eu desistisse de saber sobre os mistérios do passado de Júlia. Eu já continuei a leitura de outros livros que nem me envolvi tanto com o romance só para saber do mistério, mas, nesse livro, nem isso me prendeu.

Adeus, Júlia e Lucas, quero que vocês vão para bem longe de mim!
comentários(0)comente



Sou Aficcionado 15/07/2015

Resenha feita por um Homem
Intenso, Emocionante, Cativante, Arrebatador… Estas são algumas palavras que me veem a mente quando penso nesse livro. Não sou um leitor ávido do gênero, e tenho poucas referências, mas sei reconhecer uma boa história quando leio.

A história de Julia e Lucas é simplesmente apaixonante, desde sempre. Ele um rapaz que protegeu sua amiga e amada durante sua adolescência o quanto lhe foi permitido pelos pais. Ela, mal tratada e castigada por algo que não tinha culpa, sempre teve uma vida difícil nas mãos de seu terrível padrasto. Julia consegue algum socorro, quando finalmente é retirada daquele grande mal ficando com seu Tio, que fez o papel de pai, bondoso e dando todo o carinho que lhe foi negado na infância. Somente após isso Lucas pode seguir com sua vida e completar seus estudos e se tornar um homem de negócios.

Mas o que Júlia nunca poderia imaginar, é que aquele amor de sua juventude, foi tudo, menos não correspondido. E tudo volta à tona quando, alguns anos depois do pior episódio de sua vida, o destino, com uma ajudinha de seu Pai, colocam o amor de sua vida novamente em seu caminho.

Minha Pequena, Grande Mulher, traz uma trama envolta de muita ação e sexualidade ao extremo. Lucas tornou-se um homem bem sucedido e muito bonito, mas o que Julia não esperava que além de tudo, ele ainda poderia oferecer a ela tudo que sempre quis, dentro e fora da cama.

Podemos classificar esse livro como uma bela introdução ao gênero HOT, com cenas explicitas fortes, porém belas, além de muito bem explicadas, com um tom de realismo que faz a temperatura de qualquer leitor subir vertiginosamente, seja você homem ou mulher.

Este livro vai fazer você repensar sobre seus conceitos e pudores, além de fazer você refletir sobre como a felicidade pode ser conquistada através de muita luta, mas vale a pena, então não desista!

Minha opinião sobre essa trama é que ela nos faz torcer cada vez mais pelo bem dos protagonistas. Ele é repleto de momentos “oooohhhh”, que me fez “suar pelos olhos”, a final, como resistir a uma menininha tão fofa e inteligente, e demonstrações de amor que superam as barreiras da dor e autosacrifício. Ou seja, o livro tem tudo para virar um bom filme de grande bilheteria. Sexo, Violência, Redenção, Sexo, Amor, Inocência, Sexo…. eu já falei Sexo?

Bom é uma grande recomendação, e para minha surpresa fiquei tão envolvido com a história e seus personagens, que me peguei enxugando as lágrimas assim que terminei de ler esta narrativa e isso me deixou mais curioso para ler a continuação.

Parabéns Simone, fui conquistado por sua escrita!

site: http://www.casalaficcionado.com.br/minha-pequena-grande-mulher-de-simone-fraga/
comentários(0)comente



Cia do Leitor 26/06/2015

Minha pequena, grande mulher
Julia, uma jovem mulher com um passado destruído pela violência e perdas. Nascera em meio ao caos, sua mãe mesmo grávida era agredida e violentada por seu padrasto e seus capangas, por sorte nascera livre de sequelas, mas cresceu presenciando toda a violência. Após a morte de sua mãe, as atenções foram voltadas todas para Julia, que tornou-se a herdeira de toda a fortuna da família Harrison. Fortuna essa motivo principal de tantos maus tratos e desejo doentio de destruir todos que impedisse Jorge Brandeck de obter o que queria. Seu raro momento de conforto e segurança acontecia quando Julia fugia da casa de seu padrasto para refugiar-se nos braços de seu melhor amigo Lucas Tuner.

Uma reviravolta tira temporariamente Brandeck de seu caminho. Sr. Alfredo, seu tio, consegue a guarda de Julia, para alegria e alívio da própria. Mas, nem tudo são flores...

Julia já adulta, assume seu posto de empresária nas redes de Hotéis Harrinson, conta com o apoio de Sr Alfredo e Thomas, seu novo melhor amigo. Mas algo a incomodava, ainda não se sentia protegida, sentia que era constantemente perseguida e vigiada, sabia que mais cedo ou mais tarde algo de ruim aconteceria. E isso, Sr Alfredo estava disposto a não permitir que acontecesse. Como ultima cartada, ele contrata a maior e melhor empresa de segurança pessoal, administrada e supervisionada por nada menos que Lucas Tuner.

É nesse momento que as vidas de Julia e Lucas irão se encontrar novamente e dessa vez, não existia mais a inocência e fragilidade de duas crianças assustadas , e sim a maturidade e sensualidade de duas pessoas que se desejam desde sempre.

Impressões:

O que dizer de Minha Pequena, grande mulher?

Enquanto a autora apresentava para os leitores a sua obra, eu dizia pra mim mesma, quero ler esse livro. Eu sabia que se tratava de um New Adult, mas também sabia que teria cenas de ação, com muita adrenalina, achei perfeita essa mistura, gostei da ideia e mergulhei de cabeça.

Enquanto lia a obra, percebi que a autora cumpria o seu papel. De fato, já nas primeiras páginas deparei com uma protagonista independente, vivendo situações difíceis mas com a força de mil guerreiras. Ponto pra Julia! Mas, mesmo com toda coragem que possuía, era frágil quando o assunto era a sua própria segurança, por isso tinha que ser protegida do pior. Foi quando surgiu Lucas Tuner, o homem perfeito. Além de ser um grande amigo de infância, Lucas era o homem pelo qual ela percebera estar apaixonada, e era recíproco esse sentimento desde a época que ainda garoto já possuía o dom de protegê-la e cativá-la com carinho.

Lucas tornara-se um homem lindo e obstinado, não perdera os dons do passado, mas acrescentara em suas qualidades o poder da sedução e os "gostos peculiares".

A autora tinha nas mãos os elementos certos para transformar Minha Pequena, Grande Mulher em um livro memorável, um ótimo enredo, personagens cativantes e erotismo. Só que, a responsabilidade de manter os personagens em uma harmonia erótica, tirou o foco da trama, que era muito boa e o livro passou a ser apenas YA, tendo alguns raros momentos de ação, a mesma que me deixou muito empolgada nos primeiros capítulos. Devo ressaltar que desde o inicio era esse o objetivo, criar um livro Young Adult com uma pegada de ação, e não o contrário. Eu que exigi demais da obra, então ...

Eu vibrava quando o padrasto ou seus capangas apareciam pra aterrorizarem Julia e qualquer um que se aproximasse dela pra ajudá-la. Não posso dizer o mesmo de Julia, Lucas até tentou, foi atencioso, protetor, carinhoso, fez a mulher gemer sem sentir dor, ou quase isso, mas percebi ela que relaxou demais quanto a sua coragem e força, depois que lucas tomou as rédeas e passou a chorar por tudo, há todo momento. Isso me frustou! Mas, Lucas salvava o dia e a gente sorria pra vitória. ^_^

Percebi também que com o passar dos capítulos o casal estava empolgadinhos demais a ponto de não fazer mais nada na vida que sexo peculiar, 1000 volts de sexo detalhado e bem descrito! rsrs. Não que eu seja contra, como disse, eu sabia que era uma história erótica e que a mesma girava em torno do casal beeeeem quente, sabia que a trama era apenas um plano de fundo. Mas, eu sinceramente ansiava por mais ação, e toda vez que os antagonistas apareciam, já ficava agitada (eram muitos antagonistas). Já diziam das novelas de Janete Clair, os vilões sempre roubam a cena. É verdade isso..rsrs

Me encantei com os personagens secundários, Jony, Amarilis, eles esbanjavam segurança, maturidade e companheirismo. Me apaixonei por Juju (filha de Lucas). Nossa, Juju era uma fofa, muito esperta e única! Ponto pra Juju!

Há quem compare MPGM com a série 50 tons de cinza devido aos fetiches e submissão, mas devemos considerar que esse tal fetiche já existia bem antes dos livros citados. O problema é que antes existia a censura, tudo era pudor, não era exposto como hoje. E aproveitando essa liberdade, os autores estão finalmente colocando pra fora os fetiches sem medo. E parece tudo muito igual, mas não é, pois os enredos são diferentes. E se for falar de plágio, ou mesmice, para conhecimento da galera existe um filme de 2002 que pode ter servido de inspiração a autora E.L James, Secretary e por acaso o nome do protagonista também é Sr. Grey... Então, vamos parar de comparar uma obra com outra, apenas desfrute do livro sem preconceitos e deliciem-se com Lucas Tuner.

Mas, ao final, percebi que Minha Pequena, Grande Mulher, descreve a história de tantas mulheres espalhadas por esse mundão de Deus, que estão a mercê da própria sorte, sofrendo maus tratos, vivendo ou sobrevivendo de agressões desde o berço. E não tem um Lucas Tuner pra ampará-las, amá-las e protege-las. Muitas vezes, os agressores são presos e quando voltam já estão com sede de vingança e quando se concretiza, não podemos voltar atrás. Ninguém pode ser forte diante de tamanha dor, crueldade e pressão sofrida por Julia, como exigi tanto dela! Sim, no final das contas tenho que concordar que eu não sobreviveria um terço do que ela passou, portanto. Ponto pra Julia e palmas pra ela!

Parte Técnica do livro:

A Capa é linda e bem insinuante, expressa exatamente o que iremos encontrar no livro. Diagramação perfeita e a cada capítulo iniciado, temos a figura de algemas decorando e simbolizando o casal quente e no capítulo final é substituída por uma rosa que também tem igual função na simbologia. Me recordo de ter encontrado apenas dois errinhos de edição, nada que prejudicasse a leitura. O livro possui 336 páginas divididas em 26 capítulos.

Não apreciei o subtitulo no rodapé das páginas, porque na empolgação da leitura eu sempre atropelava tudo e terminava lendo o título ao invés de mudar para a próxima página. Isso meio que quebrava o clima.

No geral, é um livro quentíssimo e segue esse ritmo a todo vapor até o fim, o casal tem muita química, e Lucas é o salvador em todos os sentidos. Indico aos amantes de Ya, e alerto que tem cenas de deixar o queixo no chão de tão ousadas e explícita. Portanto, não o indico para menores de 18 anos.

Parabéns Simone Fraga.

site: http://ciadoleitor.blogspot.com.br/2015/06/resenha-minha-pequena-grande-mulher-de.html
comentários(0)comente



Bruna 02/05/2015

Júlia é uma mulher com um passado traumático e violento, que ainda hoje é perseguida implacavelmente por seus antigos algozes. Preocupado com ela, Alfredo, o tio que a cria como pai, contrata Lucas, um especialista em segurança privada, para cuidar do caso. Há muitos anos, a família de Lucas se mudou para os Estados Unidos, e só agora ele retorna, para abrir uma filial de sua empresa, quando é abordado por Alfredo para assumir os cuidados pela vida de Júlia.

Lucas e Júlia têm uma história antiga. Eles se conhecem desde crianças, e foram o primeiro amor um do outro. Lucas acompanhou todo o sofrimento de Júlia, quando criança, e foi esse fato que o motivou a se especializar em segurança e abrir uma empresa do ramo. Então, quando se reencontram, todo esse sentimento vem à tona, acompanhado por uma intensa e forte atração, e logo os dois iniciam um relacionamento.

À princípio, fiquei louca esperando muita ação e drama, envolvendo os perseguidores de Júlia, mas logo percebi que a autora não iria para esse lado. Isso foi frustrante, porque essa parte foi muito bem construída, e o padrasto de Júlia e sua gangue seriam vilões realmente incríveis, e rendido cenas de muita de ação e tensão, caso tivessem mais espaço e aprofundamento.

O livro é uma sucessão de acontecimentos, e a cada momento, os protagonistas tinham de enfrentar algum problema ou crise, e tudo era resolvido tão rápido, que não consegui me envolver com as cenas, ou sentir a tensão dos personagens. Sem falar que essa pressa toda gerou algumas situações pouco verossímeis e confusas.

O romance entre Júlia e Lucas é muito instantâneo, e as declarações de amor eterno, pouco tempo após terem se reencontrado, não me convenceram. Eles ficaram anos sem se ver, o que tinham era um amor de infância, então acho que o relacionamento podia ter ido um pouco mais devagar, até para dar tempo de eles realmente se conhecerem. Aproveitando que estamos falando do relacionamento do casal, cabe ressaltar que esse é um livro hot, e há muitas cenas de sexo, descritivas e detalhadas. Por isso não recomendo para menores de idade.

O livro guarda muitas semelhanças com 50 Tons de Cinza. Lucas é um dominador, e vai introduzindo o estilo BDSM no seu relacionamento com Júlia. Já li muitos livros sobre o tema, mas essa foi a primeira vez que me incomodou, porque, devido a seu passado traumático e violento, sentia Julia insegura e receosa em muitos momentos, e tive a impressão que, apesar de curiosa, ela aceitou a situação mais para agradar Lucas, e por medo de não ser a mulher perfeita para ele. Se a iniciativa de se envolver nesse mundo partisse dela, se ela se mostrasse curiosa desde o início, e visse a relação Dominador/Submissa como algo que poderia ajudá-la a superar seus traumas, eu aceitaria numa boa, mas não foi assim.

Com tudo isso, acabei não me identificando com os protagonistas, como casal, e com Lucas, em especial. Gostei um pouco da Júlia, por ser uma mulher que sofreu muito, e com tudo que ela passou e enfrentou a vida inteira, seria extremamente aceitável que fosse uma mulher perdida e psicologicamente instável. Mas, apesar da insegurança e choro constante (essa chora muiiiiiiito, rs), ela se mantém em pé e inteira. Entretanto, algumas atitudes dela foram muito infantis, como uma cena que ela armou com a recepcionista da empresa de Lucas, que achei exagerada e imatura.

Os personagens que realmente me conquistaram foram alguns dos secundários. Amei a Juju, a linda filhinha de Lucas. A pequena tem 3 anos é a fofurisse em pessoa, adoro crianças nessa faixa etária, pois são super inocentes e sinceras. Também gostei muito do casal Amarilis e Jony, a irmã e melhor amigo de Lucas.

A narração inicialmente é em terceira pessoa, porém, logo começamos a ter narração em primeira pessoa, com ponto de vista de Júlia e Lucas, e em alguns momentos, de Jony também. Achei essa construção muito confusa, pois a autora mudava o tipo de narração de um paragrafo para outro, sem marcação de narrador.

Sobre o trabalho gráfico, acho a capa linda, e foi a primeira coisa que me chamou a atenção e me motivou a ler. As folhas são amareladas, e há desenhos e detalhes no início de cada capítulo. Achei a letra um pouco pequena, e vi alguns erros de revisão, mas nada que comprometa a leitura.


A falta de aprofundamento e desenvolvimento de muitas cenas, e o fato de eu não ter me identificado com os protagonistas, tornaram a leitura arrastada em muitos momentos. Demorei muito dias para terminar o livro. Talvez minha decepção se deva, em parte, às altas expectativas que tinha, e que não foram atendidas. Considerando que Minha pequena, grande mulher é muito bem avaliado no skoob, recomendo que o leiam e tirem suas próprias conclusões, pois, uma leitura que não funcionou para mim, pode ser ótima para você.


site: http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/2015/04/resenha-minha-pequena-grande-mulher.html
Paula 08/07/2016minha estante
Li uma resenha sobre este livro no ano passado, mas acabei não anotando o nome do livro nem da autora. Um belo dia me lembrei da história e fui tentar encontra-lo. Levou dois dias de pesquisa na internet, mas encontrei. Sou determinada, quando eu quero, eu quero. KKK... Queria muito lê-lo. Comecei a leitura e confesso também fiquei confusa com a mudança brusca de narração de um personagem para o outro. Prefiro que a mudança de narração seja feita por paragrafo por exemplo, especificando o nome do narrador no começo. Um exemplo do que quero dizer é como a Abbi Glines faz. Assim temos a visão da mocinha em um momento e depois a visão do mocinho. O livro seria perfeito assim.




29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2