Revivente

Revivente Ken Grimwood




Resenhas - Revivente


35 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Leite 03/07/2019

Um livro que deveria ser lido pelo menos uma vez na vida
A história começa com um personagem comum, bem semelhante ao próprio autor, inclusive. Não demora muito para o drama que envolve a história se revelar. A trama gira em torno dos desafios pessoais do protagonista, que lida não apenas com a dor, mas também com as vantagens de viver a "mesma" vida diversas vezes, todas elas com características diferentes umas das outras. O desenrolar dela é envolvente e misterioso, porém não é muito rico em detalhes no quesito ficção.

É um livro relativamente curto, o que explica a falta de detalhes diante dos porquês na vida de Jeff, o protagonista. Cabe ao leitor apenas aceitar os fatos e seguir com o foco do livro, que é a visão do protagonista e da estratégia dele em como lidar com esses acontecimentos. As possibilidades vão aparecendo para Jeff, e é muito interessante ver a mudança de perspectiva conforme as vidas de Jeff vão avançando. O personagem está sempre em evolução, sempre mudando a visão, mas de uma forma conexa, onde os fatos fazem o coração dele bater em outro ritmo. Com isso, criamos um certo apreço pelo personagem e torcemos para que ele seja feliz e continue sempre evoluindo com maturidade.

Revivente está mais para um livro de romance, que agrega uma fantasia simples, mas não sem graça. É um livro extremamente emocionante. É praticamente uma montanha-russa. Sempre que a narrativa começava a cansar, algum fato me despertava a curiosidade novamente e me mantinha sempre firme na leitura, que, aliás, é muito prazerosa, fácil de entender e bem objetiva. O autor não perde tempo e busca sempre envolver o leitor na jornada, mantendo a vontade de prosseguir até o fim da história e sempre gerando uma reflexão diante das escolhas de Jeff.

Portanto, se você busca um livro rico em ficção, em detalhes e resoluções de mistérios de deixar o queixo caído, provavelmente esse livro não é pra você no momento. Mas se você busca um livro repleto de emoções, com poucos, mas atentos personagens, além de uma ambientação muito boa, descrições eficientes e reflexões saudáveis sobre valorização da vida, esse livro é definitivamente recomendado.

Foi uma das leituras mais prazerosas de 2018 pra mim. Me fez pensar em vários aspectos existenciais, partindo de valores, porém não de uma maneira chata. Depois desse livro, nunca mais me perguntei "e se?". Simplesmente aprendi a dar valor para o meu presente e minhas escolhas. Talvez a gente pense diferente no futuro, se pararmos para lembrar do nosso passado, mas isso não quer dizer que pensaremos em algo melhor, por mais que pareça ser. Estamos em constante mudança, e Jeff mostra isso de uma forma muito pura.

Não importa o quão diferente você seja, caso possa voltar atrás na sua vida e fazer algo distinto, o resultado sempre nos surpreenderá. Passaremos a olhar diferente para as coisas, pois alguma coisa vai deixar saudade. É besteira achar que poderíamos ter alcançado a perfeição. Para termos a vida que temos hoje, foi necessário passar por tudo que já passamos. Obrigado, Ken Grimwood, por me fazer enxergar isso. Descanse em Paz.
comentários(0)comente



Marcos 14/02/2019

Jeff é um cara comum, uma vida comum, até que ele morre e tudo deixa de ser comum. Jeff volta para sua vida nos anos de faculdade, de início não entende nada, mas acaba tirando proveito da situação. Até que Jeff morre de novo, de novo e de novo. Entre suas mortes e retornos Jeff acaba conhecendo outras pessoas, amores, amigos, fazendo fortuna, criando inimizades, fazendo história. Mas o que causa isso? Por que ele sempre volta no mesmo período? Até que ele não volta mais no mesmo período e as perguntas aumentam. O que está por detrás disso? Bom, o livro termina e você nunca descobre, mas algo acontece, algo é repassado. E as linhas de histórias nunca serão as mesmas.
comentários(0)comente



Leonardo Gois 28/10/2018

Segundas Chances
Acredito que nas entrelinhas, esse tenha sido um dos livros mais interessantes que já li, no quesito propósito de vida. Spoilers a parte, (assim como mostra na própria sinopse do livro) Jeff morre aos 43 e volta aos 17 novamente por várias vezes. O próprio personagem não entende o que acontece e mesmo assim decide cada vez viver uma vida melhor que a última, com outros propósitos.

Será que se soubéssemos com plena certeza de que viveríamos mais uma vez, viveríamos menos preocupados com coisas banais e nos esforçaríamos mais para ter uma vida melhor?

Geralmente pessoas que recebem segundas chances na vida real, pouco se interessam em enriquecer ou satisfazer seus desejos materiais, porque de fato viver é muito mais do que ter. Aqui nessa dramática estória, Jeff por ter vivido uma primeira vida um pouco mais dura, acha que a felicidade mora no dinheiro, e sua segunda vida o prova que pouco importa o que o dinheiro pode fazer, o importante é viver, amar e ser amado.

Dentre tantas passagens pela terra, tantas aventuras, só alguém que teve todo possível, sabe o valor de cada conquista, a dor de sempre perder tudo, o torpor de sempre aos 43 deixar que tudo se acabe para começar mais uma vez. Um constante apocalipse esperado.

O autor ken Grimwood, utiliza de uma narrativa rica de sentimento, com muitos plot-twists a história nos amarra e nos coloca lado a lado com protagonista em busca de resposta. Uma escrita coesa e rica de reflexão. Sem contar as muitas referencias e influencias a acontecimentos reais como o assassinato do presidente Kennedy, as guerras, os conflitos mundiais, as empresas emergentes de sua época como Kodac e Apple. Até mesmo referências cinematográficas como a apoteose de Stephen Spielberg e George Lucas. Uma história envolta em mistérios, drama, romance e claro, a boa e velha ficção. Leia, absorva, reflita e faça uma analise do que realmente lhe importa ter e ser. Lembre-se, o tempo não para aproveite bem o seu!

site: https://mundohype.com.br/reviews/como-seria-ter-a-chance-de-viver-novamente-conheca-o-livro-revivente-de-ken-grimwood/
comentários(0)comente



Ruh Dias 11/10/2018

Já Li
Muita coisa em "Revivente" é autobiográfica. Assim como o protagonista, Jeff Winston, Ken foi jornalista e estudou no Emory College, uma universidade em Atlanta. Falecido em 2003, este livro, publicado em 1986, continua sendo sua obra mais popular.

No original, o nome deste livro é "Replay", o que faz mais sentido na estória. Jeff Winston, quando alcança o ano de 1988 com 43 anos, morre e renasce em sua época de universitário em Emory. Jeff não sabe se estes replays de sua vida começaram a acontecer de repente ou se ele só adquiriu consciência deles a partir daquele momento. Em 2003, "A Mulher do Viajante no Tempo" de Audrey Niffenegger também usou o conceito de um viajante do tempo que retorna para o passado sempre que completa 43 anos.


Em seu primeiro replay, Jeff resolve investir todas as suas economias em corridas de cavalo e campeonatos de futebol americano. Ele fica milionário, rapidamente, e começa a investir em todas as empresas que ele sabia que, no futuro, seriam promissoras, como IBM e Microsoft por exemplo. Ele também vai atrás de sua esposa, Linda, ainda jovem, mas ela o despreza. É aí que Jeff percebe que as suas várias vidas não serão exatamente iguais e que tanto ele quanto os fatores externos poderão intervir no curso das coisas. No ápice de sua frustração, ele interfere no assassinato de John F. Kennedy, só para "ver o que acontece."

O que acontece é que, ao chegar aos 43 anos, ele morre novamente. Quando Jeff renasce em Emory, ele decide dar uma segunda chance à sua namorada da adolescência, Judy. Eles casam e tem uma filhinha chamada Gretchen. Jeff leva uma vida calma e amorosa e, quando chega aos fatídicos 43 anos, morre outra vez. Este replay o deixa particularmente arrasado, afinal, ele perde uma filha. As memórias de todos os replays se acumulam dentro de Jeff. Quando ele renasce, todas as lembranças das vidas anteriores o acompanham, e a saudade da filha Gretchen irá atormentá-lo em todos os replays.

Até aqui, para mim, a leitura estava cansativa. Achei que Ken Grimwood usou dois clichês de estórias de viagem no tempo: o dinheiro ganho com apostas e investimentos porque o viajante conhece o futuro e as tentativas de relacionamento com todas as namoradas do passado para descobrir como seria o futuro com cada uma delas.

Meu interesse foi resgatado quando Pamela Philips apareceu. Jeff vai ao cinema e assiste a "Starsea", um filme que está fazendo um enorme sucesso por causa das idéias futuristas e progressistas de sua produção e roteiro. Ele consegue contatar a diretora e produtora do filme, Pamela, e logo descobre que ela é uma revivente como ele. Dali em diante, eles se procuram em todos os replays, pois descobrem o amor verdadeiro. E sim, quando apareceu esse lance de "amor verdadeiro" perdi o interesse de novo, afinal, não gosto de histórias de amor melosas.

Segue-se mais um clichê, quando Pamela e Jeff resolvem contar o que são para o mundo e os militares dos Estados Unidos resolvem prendê-los e subjugá-los.

O que manteve minha leitura até o fim foi a curiosidade. A cada replay, tanto Jeff quanto Pamela renascem cada vez mais perto da data de suas mortes. Além disso, eles levam mais tempo para se lembrarem dos outros replays a cada renascimento.

Tempos atrás, li "As Quinze Vidas de Harry August", de Claire North, publicado em 2014. Infelizmente, a similaridade entre as duas obras foi tão grande que acabei perdendo o interesse pelo livro de Ken Grimwood. Embora "As Quinze Vidas de Harry August" tenha sido lançado posteriormente, como o li primeiro, fiquei com a sensação de que "Revivente" era uma cópia cheia de clichês.

E, caso você não queria saber um spoiler sobre o final da estória, sugiro interromper a leitura deste post aqui. Infelizmente, Ken Grimwood não provê maiores explicações sobre os replays e os reviventes, tampouco as consequências do que Pamela e Jeff alteraram na História. Como tudo o que eles fazem é "zerado" a cada replay, a estória fica sem aprofundamento e sem surpresas. Por isso, não é uma leitura que recomendo.

site: https://perplexidadesilencio.blogspot.com/2018/10/ja-li-78-revivente-de-ken-grimwood.html
comentários(0)comente



Raul 15/08/2018

Resumidamente...
Não tem como negar como sensacional é esse livro. Mas ja aviso de agora que ele não é cheio de aventuras, e reviravoltas e essas coisas. É um livro bem reflexivo, e intenso que vale cada pagina lida. Em resumo, o livro te faz perceber que o que tiver que acontecer vai acontecer, e que temos que aproveitar a vida ao maximo hoje, sem deixar nada para amanha.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



DaniM 05/01/2018

Revivente – Ken Grimwood: obra premiadíssima, deu origem ao filme O Feitiço do Tempo, vendeu milhões de cópias e é um sucesso desde seu lançamento em 1988. O personagem principal morre e descobre que tem o poder de reviver. E morre novamente. E revive de novo. Isso acontece inúmeras vezes ao longo do livro. E é de uma chatice sem fim. Repetitivo, cansativo, um personagem principal sem carisma, sem nada de novo a oferecer ao leitor, a não ser uma confusão com relação a tudo que está acontecendo com ele. Um livro que não me acrescentou absolutamente nada, a não ser um tédio infinito.
“Não dava mais para negar o que tinha acontecido; ele não conseguiria racionalizar aquilo de qualquer forma que pudesse parecer outra coisa. Estava morrendo de infarto, e então sobrevivera; estava em seu escritório em 1988 e agora se encontrava...aqui, em Atlanta, 1963”

site: https://www.instagram.com/danimansur/
comentários(0)comente



Ryllder 27/12/2017

O que você faria se tivesse a oportunidade de viver sua vida de novo,e de novo...
Já ouvi minha mãe dizer a seguinte frase várias vezes:"se pudesse ter meus vinte e poucos anos, com a cabeça e experiência que tenho hoje, teria feito outras escolhas, teria cometido menos erros...". Creio que ela teria cometido outros erros. Escolhas diferentes geram resultados diversos, mas no fim das contas tudo é viver, sofrer, alegrar-se...
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lindsey 18/03/2017

Muito bom!
Espetacular! Não tem outra palavra pra definir esse que é um dos melhores livros que li nos últimos tempos. Imagine se você pudesse voltar no tempo e viver uma nova vida, o que faria? Sabendo de todos os fatos marcantes do ‘futuro’ você jogaria na Mega e compraria ações da Apple para viver de caviar e champanhe? Ou procuraria aquela velha paixão, pra retomar o romance e ter o ‘felizes para sempre’? Ou então ‘tocaria o foda-se’ e viveria em Las Vegas curtindo a vida adoidado, estilo Ferris Bueller? Ou ainda, quem sabe, tentaria mudar o futuro da humanidade, alertando as pessoas sobre acidentes aéreos, catástrofes climáticas e da guerra? Jeff Winston fez tudo isso. Ele era um jornalista de 43 anos, que estava preso a um casamento fracassado e a um emprego sem futuro, até que morreu. Segundos depois, acordou com 18 anos, em seu quarto, na faculdade. Ele não entendeu nada, mas foi seguindo a (nova) vida, mudando o que convinha, optando por se tornar um ricaço fútil, até que morreu novamente. Isso se repetiu várias vezes, de várias formas. E nessa de morrer e viver, morrer e viver, ele acaba conhecendo Pamela, que também sofria desse fenômeno (que passam a chamar de ‘replay’) e juntos tentam entender o porquê disso tudo. Apesar das muitas indas e vindas da história, ela não é nem por um segundo repetitiva ou massante e vai te prendendo do começo ao fim. E que final surpreendente, viu! Recomendadíssimo!
* Confira minhas outras resenhas no Instagram @livro100spoiler

site: https://www.instagram.com/livro100spoiler
comentários(0)comente



suellem 02/03/2017

Revivente
Jeff está ao telefone com sua mulher linda, infeliz no seu trabalho e infeliz em seu casamento quando acaba tendo um infarto. Sem saber como ou pq jeff acorda na sua antiga faculdade com seu colega de quarto aos 18 anos (? ). Jeff reconstrói sua vida, ganha muito dinheiro em apostas que ja sabia o resultado e casa-se novamente com uma nova mulher, tem uma filha, ele acha que tudo está bem e que por algum milagre Deus lhe deu uma nova chance. Até que na mesma data de sua morte anterior, Jeff acaba tendo outro infarto e morre. Porém um tempo depois revive novamente e isso ocorre diversas vezes até ele conhecer Pamela que também é uma reticente como ele. Os dois juntos vão viver uma história de amor e tentar descobrir o que acontece com eles. Vão seenvolver em vários problemas, mas um ajuda o outro.
Um livro bem escrito, bem elaborado e que mexe com o leitor e nos faz pensar em nossa própria vida. Gostei bastante da leitura. Apesar do escritor ter morrido escrevendo o segundo livro, esse fecha muito bem, sem atrapalhar a leitura.
comentários(0)comente



Ariel.Rodrigo 01/03/2017

Incrível
Atual mesmo sendo escrito em 1988. Daria um filme incrível se fosse adaptado fielmente. Um livro sobre o tempo, a vida e arrependimentos. Jeff e Pam são apaixonantes.
Mizael 23/08/2017minha estante
O filme "feitiço do tempo" foi baseado nesse livro, mesmo sendo uma história completamente diferente.




ANDERSON 11/12/2016

Para onde foi?
Apesar da premissa ser boa, o autor confabula muito sobre o que está acontecendo o desfecho decepcionante e a falta de carisma do personagem faz a leitura um tanto cansativa, porém para quem quer se intrigar para saber o que está acontecendo é um bom livro que te prende e te faz torcer.
comentários(0)comente



Branco Junior 13/09/2016

Fodastico!
Impossível ler e não criar a própria história baseada na premissa do livro, conforme o desenrolar da trama! Satisfação imensa em descobrir esse livro e poder devorá-lo!
comentários(0)comente



Lia 11/08/2016

Muito envolvente!
Achei a leitura deliciosa. Vale muito a pena!
comentários(0)comente



35 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3