Uma vez na vida

Uma vez na vida Marianne Kavanagh




Resenhas - Uma Vez na Vida


34 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Carol Pilar 23/08/2020

Uma vez na vida
Esse não é um dos melhores livros que li, nem está classificado como bom também.
Primeiramente, nesta edição pelo menos, os diálogos dos personagens são marcados por aspas, e não por travessão, uma coisa que particularmente eu acho que atrapalha muito a leitura. Segundo, a escrita da autora é bem "crua", por assim dizer, pois ela não se aprofunda nos personagens, não há diálogos interessantes e a história se desenrola de uma maneira estranha.
O final é feliz, a mocinha consegue o que quer juntamente ao mocinho, personagens já adultos, mas da mesma forma, não é um livro que você consiga mergulhar na história.
comentários(0)comente



Mila F. @delivroemlivro_ 09/10/2014

Tinha tudo para ser muito bom, mas...
For once in my life (2009) é o primeiro romance da escritora e jornalista Marianne Kavanagh e apesar de ter dito boas críticas lá fora, na minha concepção foi um livro frio, não teve clímax e em nenhum momento você fica a suspirar pelo casal.
Tudo começa em 2002 quando Tess cruza com sua alma gêmea, George, na rua, mas como ambos não se conhecem, passam indiferentes um pelo outro. Entretanto, Tess tem uma amiga, Kristy, que conhece George e que sempre afirmou categoricamente que os dois tinham nascido um para o outro, a partir daí ela se esforça ao máximo para fazer com que os dois se conheçam, mas o destino parece não estar disposto a facilitar as coisas para os dois e ambos não têm a oportunidade de se conhecer até terem se passado quase dez anos, embora diversas vezes tenham estado sob o mesmo teto.
É apenas em 2011, quando ambos estão bem maduros e que desistiram de seus sonhos porque avida não lhes foi generosa é que Tess e George tem a oportunidade de se conhecerem. George já está casado e tem uma filha. Tess está morando com seu namorado e já tem uma vida planejada com ele. Nesse ínterim, quando Tess e George se conhecem tudo parece mudar, primeiro ambos se dão conta de que são almas gêmeas, segundo eles percebem que a vida deles seguiram caminhos diversos e terceiro os dois não são felizes com suas escolhas, mas aprenderam a viver com elas.
Tess é uma personagem encantadora ela ama roupas vintage e sonha com sua própria loja de roupas vintage. George é, também, um bom personagem, ele ama música e sonha em ser um cantor famoso. Ele tem talento, Tess também, mas as circunstâncias de suas vidas castraram seus sonhos, até que Tess e George se conheceram e se deram conta de que valia a pena lutar pelos sonhos.
Uma Vez na Vida é um livro que tem tudo para ser bom: um enredo interessante, personagens interessantes e histórias que se passam em vários lugares e países, mas infelizmente a história não se desenvolveu, foi lenta e os sentimentos tão frios quanto gelo. Apesar de ter gostado do casal Tess e George e ter sofrido pelos dois nunca terem se encontrado, esse casal não conseguiu me fazer ficar na torcida deles.
Considerando todos os pontos que este livro tinha para ser maravilhoso e não foi, culpo a forma como ele foi escrita: muito fragmentado, distante e frio, era como se cada palavras do livro fosse um tijolo formando uma parede ao redor dos personagens e nos privando de seu carisma. Uma Vez na Vida é uma leitura fria e sem emoção, não tem clímax, o leitor espera, espera, espera, espera e espera para que algo aconteça e NADA. Nem quando Tess e George enfim se conheceram não houve aquele clima de fogos de artifícios...
Então Uma Vez na Vida é um livro ruim? Não, não é. O livro é regular e é uma leitura agradável, embora seja lenta quase se arrastando por isso, não quero desmotivar ninguém a lê-lo, se você ficou com vontade de ler, vá em frente, mas vá preparado para não ter grandes surpresas.

Camila Márcia

site: www.delivroemlivro.com.br


Dany 03/01/2015

Uma vez na vida
Uma Vez na Vida conta a história de Tess e George. Os dois têm vários amigos em comum mais por ironia do destino nunca se encontrar pessoalmente. Todo mundo diz que eles formam um belo casal, que ambos nasceram um para o outro. A maior incentivadora para que dos dois se encontre e a amiga doidinha de Tess a Kirsty.

Uma Vez na Vida poderia ser aquela típica história que vez em quando se escuta contando por ai, que a vida de ambos não é lá um mar de rosas, que eles deveriam seguir seus sonhos, que estão desperdiçando seus tempos com pessoas que não combina com eles e por ai vai.

Tess e apaixonada por roupas vintage e sonha um dia ter uma loja mais enquanto esse sonho não se torna real ela continua com sua vidinha, além de ter um namorado muito lindo mais que todo mundo diz que não sabe por que eles continuam juntos. George toca em uma banda de jazz é sonha em fazer uma carreira de sucesso. Porém há uma briga constante entre ele e os músicos.

Fiquei com a tensão de quando eles vão enfim se encontrar? Como será o encontro dos dois? Por incrível que pareça eles vez em quando estão no mesmo local mais nunca se encontram. Até chegar o tão aguardado momento – que para mim foi a melhor cena do livro.

Ao terminar fiquei com uma sensação estanha, não sei ainda se gostei muito ou não dá história. Acho que fiquei esperando mais, principalmente do final que não deixou a desejar em certas partes mais também não foi uma grande surpresa assim.

site: http://recolhendopalavras.blogspot.com.br/2014/09/resenha-uma-vez-na-vida.html
comentários(0)comente



Barbara.Teodoro 24/06/2020

Mais do mesmo
O mesmo água com açúcar de sempre. Quem gosta de romances, vai gostar do livro, ou não. Me irrita esse tanto de desencontros! "Sem querer", os personagens QUASE se conhecem diversas vezes e vão só se ver pela primeira vez lá pelo meio do livro, aff!

De qualquer forma, tem quem goste e se sinta contemplado.
comentários(0)comente



Blog Imaginação 25/01/2016

Uma vez na vida
"Uma vez na vida" é um livro que estava bastante ansiosa para ler, desde que soube de seu lançamento, mas ao mesmo tempo hesitante por já ter lido muitas resenhas que não falavam tão bem do livro assim e isso me deixou sem saber o que esperar.

Tess vive uma vida tranquila, sem pensar muito no futuro, vai levando da forma que quer e faz o que bem entende. Ela namora Dominic, um dos seus relacionamentos mais longos. Os dois tem uma relação meio morna nada muito romântico, mas ambos se dão bem. A não ser por sua melhor amiga que odeia seu namorado e acha que ele não serve para ela.

George é músico, ama tocar com sua banda e espera ansiosamente pelo dia em que farão algum sucesso, afim de que eles possam viver apenas daquilo que amam fazer. Porém enquanto isso não acontece ele se sustenta apenas com seus trabalhos temporários, os famosos bicos.

George e Tess são almas gêmeas e desde o inicio isso nos é apresentado no livro. Eles tem muito amigos em comum, no entanto, não se conhecem. Sempre tem algo que os afasta quando eles estão próximos de serem apresentados. E mesmo o destino trabalhando para juntar esses dois, está bem complicado.

O livro possui uma narrativa bastante fluida e toda a história é contada em terceira pessoa mudando os pontos de vista para podermos entender melhor tudo o que se passa, mas diferente das narrativas comuns, a história é contada com o passar dos anos (a trama me lembrou muito a do livro "Um dia" de David Nichols). Contudo com os protagonistas nunca se encontrando, confesso que por vezes isso foi frustante para mim, dando a impressão de que a autora estava enrolando para as coisas finalmente acontecerem. E quando acontece... É coisa mais linda.

A capa é bastante diferente da original e eu particularmente gostei mais desta, acho que combina com a história e o contraste das cores chama bastante atenção, com certeza seria um livro que ficaria curiosa para ler se visse em uma livraria.

Eu adorei os protagonistas, tiveram a personalidade bem construída e as cenas de quase encontro são as melhores, apesar de muito prolongadas. Uma coisa que posso falar que me incomodou um pouco, foi a forma com que os diálogos foram construídos na diagramação, estando eles sempre entre aspas (" ").

No mais "Uma vez na vida" é um livro ótimo, um romance sensível e delicado, perfeito para ser lido em um fim de tarde, capaz de encantar qualquer leitor.

site: http://blogimaginacaoliteraria.blogspot.com.br/2015/11/resenha-uma-vez-na-vida-unicaeditora.html
comentários(0)comente



Mila 13/07/2014

Uma vez na vida
Título: Uma vez na vida
Autor: Marianne Kavanagh
Editora: Única
Páginas: 285
Classificação: 3,5/5
Achei muito interessante a forma como a história de Tess e George foi contada. O livro é dividido em anos, começando em 2002 e terminando em 2012. Ou seja, dez anos de história divididas, dez anos separados pelo destino e pela falta de aproximação. Ambos moram em Londres, porém distantes.
Conheci Tess, que ama roupas vintage e fiquei imaginando seu estilo, seus gostos e em como ela ficava feliz ao ver uma loja de roupas vintage. Ela trabalha em uma empresa mas não se sente muito feliz com esse emprego, pois seu maior sonho era abrir uma loja de roupas vintage, pois Tess conhecia cada tecido, cada estilo, cada história daquelas roupas. Esse era seu sonho, sua paixão, o que a fazia viver. Junto com ela, conhecemos Kirsty, sua melhor amiga, a qual é muito bonita e chama atenção por onde passa e sempre aconselha Tess a largar o emprego e ir em busca de seus sonhos.
Conheci George, um cara comum mas que tem um sonho de fazer sua banda alcançar o sucesso na música. Sonhador, bonito, alegre, músico, chegado em arte, antiquado. Kirsty sempre dizia á Tess que deveria conhecê-lo pois ele era sua alma gêmea, apesar dela estar namorando Dominic, o qual Kirsty não gosta muito.

" Sabe de uma coisa? É bem bom não poder ver as expressões das pessoas. Você reage ao que elas dizem, e não ao que você acha que elas poderiam estar pensando, o que facilita muito as coisas." pág 39

A ideia de Tess sobre alma gêmea sempre fora clara e acreditava que nesse mundo, existia um homem que seria perfeito para ela. Particularmente, não acredito nessas coisas, pois não existe um cara ideal e sim um homem que vai te levar cada dia mais para perto de Deus e tudo o que sonharem e almejarem, irão conquistar. Sem amor não há como dar certo. É isso que acredito. Tess tem um namoro um tanto medíocre com Dominic, o qual é frio, não gosta de conversar com ela, vive trabalhando e quase não tem momentos românticos juntos. Enquanto isso, bem distante, George viaja para tentar alavancar o sucesso de sua banda, mas não houve sucesso nenhum. Ambos ainda não se conhecem. Apesar das tentativas de Kirsty de tentar com que se conhecessem, nada coopera a favor. Nem mesmo um jantar de amigos na casa de Tess em que George fora convidado. Ele ficara doente. Mas Tess, sempre batia a tecla e dizia que sua amiga estava louca, pois nem ao menos conhecia o homem.

"Dá certo quando todos se comportam como um manequim de loja, mas os seres humanos de verdade reagem de maneira imprevisível." pág 45
"Não dá para surfar pela vida numa onda de emoções. Os sentimentos extremados não levam a lugar nenhum." pág 119

Dos amigos de George, alguns conheciam Tess e diziam também que ela era sua alma gêmea. Mas aí começa uma parte da história que não gostei muito, pois as coisas pareciam impossíveis para eles. George fora morar em Nova York após sua banda ter tido um fim trágico. Então ele se viu perdido e foi aí que conheceu Stephanie, uma mulher muito linda, atraente, que vive para os negócios e ganha muito bem para sustentar os dois. George, desanimado de tudo na vida, resolve dar aulas de piano para algumas crianças filhas dos clientes de sua esposa. Isso, esposa... Eles começam a morar juntos, e aí o problema começa. Stephanie sempre fora fria e muito prática, insensível, e George acreditava que ela não teria um coração. As coisas pioram quando ela engravida, e deixa sua filha nas mãos de George, que vive integralmente para cuidar da menina, Mia, a qual Stephanie não dá a mínima pois sempre saía cedo para trabalhar e voltava tarde da noite. A relação dos dois parecia um negócio, e não existia amor. George já não querendo mais dar aulas, e totalmente deprimido pelas atitudes de Stephanie, começa a entrar em questionamentos sobre sua paixão, que é ser músico, e percebe que não toca há anos, e que ela está roubando sua vitalidade.
Enquanto isso, Tess vai vivendo sua vidinha mais ou menos, ao lado de Dominic, que resolve comprar um apartamento para morar com ela. A história dos dois casais é parecida, triste, fria, relações com pessoas medíocres.

"George inclinou-se na janela da frente e pagou, e ela pensou, sentindo-se cansada e zonza com as lágrimas e s tristeza: É assim que é? É assim que é ficar apaixonada?" pág 183
"Não havia razão para se reduzir, agachando-se, tentando se proteger de um chute. Porque os golpes não vinham de fora; vinham de dentro da sua cabeça." pág 189

A história começa a ficar interessante quando finalmente George resolve ir á Londres para visitar seu pai, pois está com sérios problemas de saúde. Nessa mesma semana, é convidado por um de seus amigos para ir ao aniversário de Kirsty, e finalmente Tess e George se encontram. A reação de Tess foi a melhor: ficou pálida, e mesmo sem nunca tê-lo visto, teve certeza que ele era o amor da sua vida, e George sentiu o mesmo. Esse encontro ocorreu de uma forma inusitada, sem hora marcada. Estavam no aniversário, se cumprimentaram e logo foram se isolar do pessoal para poderem se conhecer melhor. George sentiu em Tess uma paixão de vida, que o fez despertar e voltar a tocar, e viver apaixonado pela vida como sempre fora. Alguns dias depois, George fora embora para Nova York, mas sempre pensando em Tess e como ela havia mexido fundo em seu coração. Mas ele precisava voltar á realidade pois era casado e tinha uma filha de dois anos que precisava de um pai presente.
As coisas ficaram tão ruins para eles que pensei que não iriam ficar juntos jamais, mas como já previa, uma hora eles iriam ser felizes para sempre, como em um conto de fadas. Até eles ficarem realmente juntos, muitas coisas boas e ruins se passaram e estava muito agoniada pois o livro estava terminando e nada de me deliciar com um romance. Senti que a autora deixou muito a desejar em relação ao toque de amor e romance, e com certeza esperava muito mais desse livro, muito mais amor, muito mais suspiros, o que não ocorreu.

"A gente diz essas coisas, não é? Mas nunca é realmente verdade. A vida lhe pertence, não é de mais ninguém. Na maioria das vezes, a única coisa que nos impede somos nós mesmos." pág 243"
Algumas pessoas conseguem as coisas sozinhas, mas são raras. São aquelas feitas de aço. O restante de nós precisa encontrar alguém que nos ame, nos encoraje, e nos mantenha em segurança." pág 284

Esse livro é muito água com açúcar e por vezes, ficava inquieta pois nada de interessante acontecia. E o final? Foi quase um balde de água fria pois fiquei me perguntando: Cade o resto da história? Cade todo um amor que queria suspirar por dias nesse livro? A leitura vale a pena pois a autora te envolve. Mas para quem ama romances como eu, senti muito essa falta.
comentários(0)comente



Psychobooks 21/07/2014

- Premissa e Alba, é um chick-lit?

Conheçam Tess e George. Os dois não se conhecem, mas são perfeitos um para o outro.
Ela está num emprego chato, tem uma vida chata, numa casa chata, com um namorado... Adivinhem? Chato (para caramba!). Se veste de forma chata, se acha chata, tem parentes chatos...

George trabalha em uma loja de instrumentos. George até que não é tão chato... No começo; depois ele chega lá.

Os dois passarão anos contando ao leitor porque são perfeitos um para o outro e quanto tempo leva para que enxerguem isso. É isso.

Aí vem a questão: Alba, é um chick-lit?
Olha, eu considero chick-lit quando o livro é bem engraçado e superbem-humorado e me tira altas risadas. Tess e George são muito chatos para que eu os enquadre no gênero, mas vamos à narrativa.

- Narrativa / Vai pra onde, moça?

Então temos visão de Tesse e visão de George, mas em terceira pessoa, que é pra gente não se aprofundar demais - obrigada, Marianne Kavanagh - nos pensamentos dos dois protagonistas.

10 anos serão contados entre encontros e desencontros entre Tess e George e a ideia da autora é fazer com que a gente perceba o amadurecimento dos dois dentro de seus relacionamentos e de sua caminhada na vida para que, a cada novo acontecimento, o leitor enxergue como tudo está errado e como eles têm que ficar juntos.
Mas não é assim que as coisas funcionam.
Durante a leitura, me senti entendiada em diversos momentos. A magia que a autora tenta imprimir à escrita simplesmente não aconteceu. O amadurecimento dos personagens também não é agradável de se observar. Diria que é, inclusive, penoso.

- Nem tudo está perdido

Apesar de a leitura ter me desagradado bastante, a habilidade da autora salta as páginas em alguns momentos. Há um momento em especial que achei superbem-escrito. Esse é o momento de ruptura do livro, o momento da virada.
A partir dele as coisas começam a ficar mais interessantes e a leitura dá uma pequena - bem pequenina - acelerada.

- Vale a pena, Alba?

Sinceramente? Não. Eu não gostei. Me senti lendo "Um dia", do David Nichols, mas com tudo errado. As pessoas com falas erradas, os acontecimentos errados, os personagens sem saber como se portar... Enfim.
Para mim não funcionou. Faltou sincronia.

site: www.psychobooks.com.br
comentários(0)comente



Estela | @euviestrelas 07/09/2014

Tess mora em Londres com sua amiga Kirsty e trabalha na parte de atendimento ao cliente da Golden Garden, uma espécie de papelaria virtual. Ela namora o Dominic, um cara que nunca fala nada e controla as finanças como ninguém. Amadora de roupas vintage, seu maior sonho é abrir uma loja para esse tipo de roupa, mas está sendo bem difícil já que ela não ganha muito. George também vive em Londres, divide um lugar com seu amigo Rhys e seu sonho é ser um músico famoso/reconhecido. Ele tem uma banda de Jazz que aposta que tem futuro.

Kirsty também é amiga de George e jura de pés juntos que ele e Tess foram feitos um para o outro, são almas gêmeas, e Rhys que também conhece Tess, concorda com ela. Mas tem um problema, eles não se conhecem e parece que toda vez que isso está prestes a acontecer, vem o destino e muda tudo.

Tess e George são almas gêmeas e isso o leitor percebe perfeitamente ao desenrrolar da história. Percebe-se também que os dois estão sempre prestes a se encontrar, George com sua jaqueta de couro está sempre por perto, só que isso nunca acontece, você fica ali "Ops é o George, espero que agora eles se conheçam" mas nada dá certo, sempre tem algo que impede o encontro, alguma doença ou uma escolha errada.

Gostei bastante do George, da Tess, da Kirty e do Rhys, são personagens super bem contruídos. Kirty é aquela amiga louca que ama uma festa e troca mais de emprego do que de roupa. Além deles, conhecemos alguns outros personagens que são bem importantes para o desenrolar de tudo. Dominic é bem chato, pra mim ele só estava ali para atrapalhar. A história me surpreendeu por ser um pouco diferente, vemos que as escolhas refletem muito no destino e eles fazem muitas escolhas erradas e isso irrita um pouco porque por mais que você saiba que os dois vão ficar juntos no final, às vezes você perde um pouco a esperança e dá vontade de ir lá e juntar eles de vez. Super recomendo o livro e se prepare para torcer por um casal que combina mais que pizza e refrigerante. Beijos

site: http://estantedecristal.blogspot.com.br/2014/05/resenha-uma-vez-na-vida-marianne.html
comentários(0)comente



cris.leal.12 02/07/2017

Podia ser melhor...
Almas gêmeas... esse é o tema do livro 'Uma Vez Na Vida', de Marianne Kavanagh.

Tess e George não se conhecem, mas têm amigos em comum e esses amigos apostam que eles foram feitos um para o outro, verdadeiras almas gêmeas. No entanto, sempre que aparece a oportunidade de se encontrarem, a vida se encarrega de distanciá-los. E a graça do livro está na expectativa do grande encontro. Ou deveria estar!
.
Apesar da premissa intrigante, achei que a história se arrastou um pouco e em alguns pontos meio que se diluiu, se perdeu... Outra coisa que me incomodou foi a personalidade passiva demais do George. Em determinado momento, apesar da ideia de que ele era o homem ideal para Tess, eu meio que torcia para que ela não o encontrasse nunca.

Bem, o que aconteceu é que eu me desiludi com a fragilidade do mocinho e aí, a leitura desandou.


site: http://www.newsdacris.com.br/2014/09/eu-li-uma-vez-na-vida.html
comentários(0)comente



Raffafust 27/03/2014

Sabem aquela velha história de jamais julgar um livro pela capa? Podem pensar nisso com " Uma vez na vida", a princípio estranhei essa capa, continuo a achando feiosa, meio livro de auto-ajuda ou religioso, mas aí você pega o livro para ler e como mesmo parar sem se envolver com os protagonistas George e Tess?
Quem nunca ouviu de uma amiga que fulano super combina com você? O problema é que volta e meia se o encontro não acontece, passa um tempo e mesmo que você esteja sozinha vai perguntar do fulano para amiga e ela responde: " Ih, casou, já tem até um filho!" e aí aquela pessoa que era sua alma gêmea deixa de ser e você parte para outra pessoa que seja sua cara, pedindo para as amigas lhe apresentarem alguém interessante.
Com esse livro a autora recria a história de outra forma, as tais almas gêmeas vão viver uma vida de desencontros, vão saber por meio de amigos que estão cada um com eu devido par mas mesmo assim vão continuar sonhando com o dia que ficarão juntos. Não que eles tenham se visto de verdade, na verdade demora um bom tempo - mais da metade do livro - para que isso ocorra, mas toda vez que a vida dá uma desanimada pelo menos Tess lembra que George existe, mesmo com Tess morando com seu namorido Dominic na Inglaterra e George já sendo pai de uma menina fofa e casado com Stephanie em Nova York.
Tess é sonhadora, gosta de roupas vintage porque imagina quem as usou e suas histórias, não está satisfeita durante nenhuma parte do livro com o namorido ou com seu trabalho e isso faz com que ainda mais ela sonhe com o homem perfeito que sua melhor amiga acredita ser George.
Enquanto George não está ganhando quase nada como músico, sua esposa é quem sustenta a casa e a filha é a maior alegria da vida dele.
Insatisfeitos com suas vidas e ainda sonhando um com o outro essa história beira o drama durante boa parte do livro já que romance mesmo só vamos ver lá para frente. E como toda história que duas pessoas comprometidas se juntam sempre tem os que saem feridos esse foi meu porém a história, odeio quando alguém larga alguém que está há anos e é super legal com a pessoa para ficar com outro.
Mas enfim, é ficção, os personagens são as vezes divertidos e as vezes melancólicos - leiam e descubram! - mas o final é bem bacana e muita gente vai gostar!
comentários(0)comente



@cheiade9h 08/04/2014

Uma vez na vida é o livro lançamento da Única Editora e nele nos conta a estória de um casal que grande parte viveu só desencontros, Tess e George.

Tess é uma mulher que ama roupas vintage e seu sonho é de abrir uma loja de roupas desse estilo, mas trabalha em uma papelaria. Ela namora Dominic, um cara que parece ser o par perfeito da nossa personagem. E como toda e boa personagem feminina, Tess tem sua melhor amiga Kirsty. Ela é o tipo de amiga que seria impossível ficar de mau humor ao seu lado, impossível ela não ter conselhos que preste para dar a Tess.

"Trabalho é o que precisa ser feito pra pagar o aluguel. Vida é o que acontece quando seu turno termina"
Página 13 - Kirsty

Do outro lado da estória há George, um músico que está em busca de reconhecimento com a sua banda de amigos, vive e respira música. É um cara que tem o seu sonho pronto para realizá-lo mas George sente que há algo faltando em sua vida. Quando conhece Stephanie, parece (só parece) que agora tudo está o.k., está tudo no seu devido lugar, dinheiro vindo, ele dando aulas de música; mas assim como o romance da Tess com Dominic, vai demonstrando que não é o certo, George e Stephanie também vai por esse caminho.

"George sentiu uma tristeza momentânea. Não achava que alguém de fato precisasse dele. Na verdade, sentia-se infinitamente substituível."
Página 118

É graças a Kirsty que Tess "conhece" George, porque todas as oportunidades que foram dadas a eles para se conheceram nunca foram concretizadas. Só depois de uma década. Mas antes desse encontro, antes dos dois olharem um para o outro e ver "é você" temos que conhecer mais a fundo a vida de cada um deles e foi isso o mais importante no livro. A guerra do íntimo da Tess lutando para descobrir se Dominic era sua alma gêmea e George vendo que com Stephanie ele não poderia ser ele mesmo. Marianne teve que desenvolver muito bem a história dos dois para que no final o "amor a primeira vista" tivesse algum embasamento, não sendo aquele romance fútil e boboca de se olharem e pronto, estão apaixonados, em Uma vez na vida eles podem ter se conhecido pessoalmente dez anos depois mas já se conheciam indiretamente graças aos bons amigos e isso é o diferencial do livro e não dá pra não gostar desse caminho trilhado pela autora para nos contar uma estória de amor.

"'(...) A vida lhe pertence, não é de ninguém mais. Na maioria das vezes, a única coisa que nos impede somos nós mesmos.'"
Página 243

A narrativa em Uma vez na vida é em terceira pessoa e isso faz com que conhecemos por completo a vida, os receios, desejos de Tess e George de forma intensa, de forma que nos identificamos com os personagens porque eles são bem reais, a estória é um romance bem real, é algo que é possível acontecer com duas pessoas. É uma mistura de pé no chão com sonhador, mas que continua sendo algo realista.


"'(...) a vida é o que acontece enquanto você está ocupada fazendo outros planos.'
'Mas se você não fizer planos, você acaba à deriva', disse Tess.
'O que tem de errado em estar à deriva?'"
Página 96 - Kirsty para Tess

Foi uma grande surpresa Uma vez na vida, até porque eu não tinha nenhum tipo de expectativa de como seria de fato o enredo e de como ele seria desenvolvido, só sei que agora posso dizer com todas as letras que ele está na minha lista de favoritos e na lista de livros com os melhores quotes do universo -q

"O fato de ser boa em alguma coisa não significa que você tenha que passar a vida toda fazendo aquilo."
Página 61 - Kirsty

Uma vez na vida, realmente é um livro que além de tirar algumas risadas do leitor é aquele livro que deve estar na sua cabeceira, sempre que possível ler alguns trechos inspiradores para melhorar o seu dia, não é só mais uma estória de amor, mas é A estória de amor e de como não devemos ser passiveis com a nossa vida, devemos fazer o que nosso íntimo e nosso coração nos diz para fazer porque será algo bom para nós. Viver como se cada dia fosse o último.

E o trabalho da Única Editora com o livro foi muito bem caprichado, a diagramação e espaçamento do livro está muito confortável e olha que não sou chegada a livros que tenha diálogos em aspas como é em Uma vez na vida, mas fiquei tão ligada a estória que nem me incomodei com isso :P

E participem da pesquisa que está rolando no post original da resenha :

site: http://www.livroterapias.com/2014/04/resenha-uma-vez-na-vida.html
comentários(0)comente



Kari 09/04/2014

Uma história de amor onde temos a certeza de que do destino ninguém escapa; onde percebemos o quanto fazemos algumas coisas porque todos fazem assim ou porque a vida é dessa forma.. Onde vemos duas pessoas nascidas uma para a outra frequentarem os mesmo lugares e ciclos e não se conhecerem de fato, onde vemos o quanto muitas vezes deixamos de lado nossa felicidade e o que desejamos por acharmos que não merecemos mais ou não somos capazes de lutar por mais.. Onde aceitamos pouco, menos, nada e o que for, apenas para não termos que nos arriscarmos na estrada da vida!

Em Uma vez na vida seremos apresentados a Tess e George.

George é músico praticante em uma banca que está na estrada aguardando o reconhecimento e prestígio, porém existe um vazio que não sabe de fato o que quer dizer. Como se mesmo prestes a engatar no seu "sonho" aquilo não bastasse mais! Tudo parece melhorar quando Steph entra na sua vida. Eles engatam em um relacionamento onde tem como fruto uma linda filha, que é a razão da alegria da vida de George.


Tess é uma jovem mulher que deseja abrir uma loja vintage, mas que tem de se contentar em trabalhar em uma papelaria; tem uma namorado chamado Dominic com quem mora e uma melhor amiga para a vida toda chamada Kirsty que acredita que George é o par perfeito para Tess.


A relação de George e Steph, e Tess e Dominic começa a ir por ralo abaixo. George não se sente a vontade o bastante ao lado de Steph e eles não tem o que ele imaginaria que um casal deveria ter em todos os sentidos para seguirem em frente apesar da filha que ambos possuem, e sem contar os problemas financeiros.

Dominic demonstra ser um ótimo namorado, porém Tess é quem demonstrou desde sempre que nada em sua vida fazia sentido. Que parecia estar vivendo uma vida que não lhe pertence.

Vira e mexe, mesmo sem conhecer de fato George, Tess idealiza o mesmo, afinal se sua melhor amiga acha que ele é seu par perfeito, porque não seria?



Em dado momento esse casal finalmente se encontra, e na troca de olhares e através dessa apresentação, eles percebem um algo mais, como se de fato se sentissem ligados a alguém verdadeiramente! Como se um pedaço de si, finalmente voltasse para seu lugar de origem! Como se um pertencesse ao outro!

E aí o que será que eles farão a partir dali? Ambos estão em seus relacionamentos e possuem vidas distintas.. Vale a pena jogarem tudo para o alto para viverem a paixão e a tão sonhada história de amor verdadeiro?

Leiam e descubram!


Eu gostei muito da história e dos personagens, as descrições feitas pela autora da vida individual dos personagens foi bem clara e me fez compreender o sentimento que surge quando Tess e George se conhecem. Particularmente não gosto de traições, seja no sentido literal ou figurado. Então isso de ambos possuírem outras pessoas em suas vidas e mesmo assim se envolverem, mesmo como foi, me incomodou bastante! Mas .. compreensível, a vida é assim não é mesmo? Quando amamos alguém, simplesmente amamos e infelizmente nem todos ficam felizes com nossas escolhas quando esse amor não é aquele com quem namora ou se casou inicialmente!


Era uma vez, é uma história romântica, intrigante, e que nos faz refletir e ponderar nossos próprios sentimentos e desejos. Extremamente palpável, pois podemos reconhecer nas situações de Tess e George fatos da vida real!

comentários(0)comente



Gabriela Amoroso 06/05/2014

Uma Vez na Vida
Uma vez na vida é um livro delicioso e encantador. Apesar de abordar o tema de almas gêmeas (que sugere um amor de conto de fadas) o livro nos mostra uma história de amor totalmente possível e vai além: apresenta personagens com problemas e inseguranças reais e mostra as consequências de não tomar as rédeas da sua própria vida.

Tess é uma garota apaixonada por moda vintage. Ela coleciona roupas e acessórios da segunda guerra, época em que sua avó era adolescente. Quando ela está usando alguma roupa vintage, sempre aparece uma pequena descrição, com a marca e o ano em que foi fabricada. Seu sonho é juntar a sua coleção e abrir uma loja, mas a realidade em que vive é bem diferente. Tess trabalha em uma firma que vende papel artesanal pela internet. Namora Dominic, um cara dominado pela razão, e tem a sensação de que sua vida inteira está sendo planejada por outra pessoa.

George tem uma banda de jazz e é apaixonado pelo que faz. Apesar de ser muito bom, nunca conseguiu decolar em sua carreira. Quando seus amigos desistem da banda, ele se vê obrigado a tomar uma atitude. Seguindo carreira solo, ele passa a se apresentar em festas de aniversário, reuniões empresariais e qualquer tipo de evento que aparecer. Ainda não consegue se sustentar com a música, mas está feliz com o que faz. E então, quando ele menos espera sua sorte muda, mas ele não tem certeza se é mesmo para melhor.

Durante vários anos, amigos em comum de Tess e George tentaram fazer com que eles se conhecessem, pois todo mundo sabia que eles eram perfeitos um para o outro. Porém, toda vez que eles iam se encontrar, o destino mudava os planos e o encontro não acontecia. Os anos passaram e Tess e George foram atropelados pela vida, fizeram as escolhas mais seguras e abandonaram seus sonhos. Agora, só o destino poderá unir essas almas gêmeas e fazer renascer antigos sonhos.

Tess e George são aquele tipo de personagem que causa empatia no leitor. Eles são tão reais, que é impossível não se encontrar um pouquinho em cada um. Todo mundo já passou ~ou vai passar~ por aquela fase da vida de “cheguei até aqui, e agora?”.

O livro é narrado em terceira pessoa e cada capítulo representa um ano. Dentro de cada capítulo, o narrador alterna acontecimentos da vida de Tess e George. A diagramação do livro é linda, só demorei um pouquinho para me acostumar com os diálogos, que sempre aparecem entre aspas. Mas, depois de um tempo, a história fica tão boa que isso nem faz mais diferença.

Como eu disse lá em cima, Uma vez na vida não é apenas sobre uma história de amor. O livro nos mostra como uma escolha pode alterar todo o curso da nossa vida. Será que vale a pena abrir mão de uma carreira concreta para viver um sonho? É normal se sentir assim, como se estivesse faltando alguma coisa? Enfim, eu amei a leitura. Ao mesmo tempo em que é leve, consegue abordar vários questionamentos. Mescla um pouquinho de moda e um pouquinho de música e tem personagens cativantes. Super recomendo.

site: http://pitadadecultura.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Isabel.Dornelles 30/04/2020

Apaixonante
Um daqueles livros gostosos de ler! Personagens apaixonantes, história envolvente, partes engraçadas e tristes... Receita de sucesso! Fazia tempo que não lia um livro tão agradável! ?
comentários(0)comente



34 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3