Amor Nas Entrelinhas

Amor Nas Entrelinhas Katie Fforde




Resenhas - Amor nas Entrelinhas


26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Sophia.Merkauth 27/01/2019

Esperava mais!
Livro complicado, ainda não tenho certeza se gostei ou não, mas vamos salientar alguns pontos positivos e outros negativos.
O livro começou bem, a personagem Laura para ter um papel promissor no livro, de fato ela tem, como profissional, como pessoa é uma chata! Ela tinha tudo para fazer tanto o livro quanto o próprio enredo serem maravilhoso, mas não foi assim. Ela fica muito no ideal e foge do real, não sabe dialogar sobre seus sentimentos e prefere fugir, conjecturando situações, criadas por sua mente ingenua e infantil, que não existem de fato.
Dermot é fantástico , o tipo de mocinho que conquista as leitoras. Pena que ele foi muito suscetível e compreensivo, até demais, com relação ao comportamento de Laura. Se fosse outro, teria mandado catar coquinho na certa!
A autora se arrasta demais em situações desnecessárias para o desenvolvimento do enredo e apenas pincela aquelas situações que ela poderia ter explorado mais. Também acho que faltou mais temperamento a personalidade dos personagens, são todos tão passivos e indiferentes, não há paixão nas atitudes deles ou qualquer outro sentimento que faça o leitor sentir o livro, é tudo tão superficial que nem parecem reais, mesmo que sejam personagens do livro.
Mas o romance entre os protagonistas é fofinho, por mais que careça de paixão e emoção, porém fica nas entrelinhas!

Está disponível no Kindle Unlimited: https://amzn.to/2CQ8l2P

site: https://www.facebook.com/colecionando.romances/
comentários(0)comente



Ca Agulhari @literario_universo 11/03/2018

Romance leve mas clichê.
O romance é leve, previsível como quase todo romance é e tem alguns personagens cativantes. Naturalmente que tais personagens não são os protagonistas. O livro tem muitos clichês típicos do gênero, algo que me afasta desse estilo mas deu pra passar o tempo. Pela sinopse, eu esperava muito mais.
comentários(0)comente



Isabela.Lopes 27/11/2017

Uma grande decepção
Ano passado li Uma pitada de amor desta autora e ficou entre os meus livros favoritos do ano. Portanto, fui atrás de outros livros escritos por ela e encontrei este. E que decepção!
Primeiro, o livro poderia ter menos páginas, já que algumas coisas que aconteceram durante a história são descartáveis. Segundo, o romance entre os protagonistas não tem sentido. E terceiro, a construção dos personagens é horrível! Em cada capítulo do livro o personagem(ambos os protagonistas) está de um jeito. Me decepcionei muito com esse livro.
comentários(0)comente



Vivi 23/10/2017

Boa surpresa
Não tinha muitas expectativas quando comecei a ler, achei que seria um livro leve para passar o tempo. Não que seja um livro profundo mas passa longe de ser um livro bobinho.
A história é interessante e a autora soube conduzi-la muito bem. Quando terminava um capítulo queria logo ler o seguinte. A história prendeu minha atenção. A protagonista Laura é muito fofa e carismática. Ela não é perfeita, sua insegurança e sua timidez a dominam em alguns momentos, mas isso a torna mais humana e mais longe de apenas um personagem fictício. Seus amigos Mônica e Grant conquistam nossa simpatia. O par romântico Dermont apesar de ser um pouco ranzinza e aparentemente convencido, depois também nos conquista, assim como fez com Laura.
Algo que me chamou a atenção foi como a autora explorou a mudança de comportamento de Laura no decorrer do livro. Laura gostava de trabalhar como vendedora em uma livraria (até por isso havia se acomodado naquele emprego) mas era visível que ela tinha capacidade de crescer fora dali. Ela tinha formação universitária em Literatura, lia bastante e tinha um senso crítico muito bom em relação aos livros. Ela tinha o sonho de ser editora mas não corria muito atrás por comodismo. Quando a livraria que ela trabalhava fecha as portas, ela precisa de outro emprego, e é aí que ela é forçada a sair de sua zona de conforto. Ela passa a organizar um festival literário, algo que nunca havia feito, faz novas amizades e contatos, conhece uma editora influente e escritores famosos e, claro, um novo amor. E é interessante notar que ela não teria se arriscado se não houvesse perdido o emprego na livraria. Como se diz: Há males que vem para o bem. O livro também nos leva a pensar se não estamos fazendo o mesmo com nossas vidas, se não ficamos presos em uma ilusória segurança e deixamos de nos arriscar no que poderia nos fazer mais feliz.
Dani 12/11/2017minha estante
Tá na mim lista de desejados.


Vivi 12/11/2017minha estante
Eu gostei bastante, mas tem gente que não gostou tanto. Enfim, gosto é muito subjetivo, acho que vale a pena arriscar e formar a própria opinião.


Dani 12/11/2017minha estante
Obrigada pela dica!
Vou compra e ler algum dia sim:)




Naminakawa 17/03/2017

ROMANCE SEM SAL
Gente!! por que não tem nenhuma frase, parágrafo, trecho dos livros do Dermot Flynn???!! Caracas meu, quando ele escreve um conto, não tem nem um trecho pra gente ler!! fica o livro inteiro dizendo que o cara é um escritor muito foda, muito isso e aquilo, e não mostra nada dele, que saco! achei que o mocinho ficou muito escondido no livro inteiro. Quero ler o livro do Dermot Flynn agora kkkkkkkk fiquei mais curiosa pra saber sobre os livros dele, do que no livro em si!
Enfim, romancezinho clichÊ e sem graça...
comentários(0)comente



Nati 13/12/2016

Esse livro me encantou pela capa, quando a vi quis na mesma hora ler o livro. Assim que comecei a leitura me arrependi, pois a premissa da história até que é interessante, mas a mocinha é a reunião de vários clichês e o enredo não me prendeu, nada me surpreendeu e até mesmo na narrativa nada chama a atenção. A forma que a autora escreve é de fácil leitura, mas não atrai o leitor a vira a página. Os personagens secundários não são bem explorados - e muitos tem bom potencial. Nem mesmo os personagens principais são bem explorados. Perde-se muito tempo com os conflitos de sociais/sentimentais de Laura.
Eu admito que até gosto de um clichê, mas esse livro foi demais. Na verdade, o problema não é ser clichê, é problema todo é porque o livro é muito chato mesmo. Tudo gira em torno de um festiva literário que Laura ajudará a organizar e ela terá que convencer um escritor excêntrico e depressivo a participar, então esse escritor é escritor que ela mais ama, tema de TCC e tudo e lógico que ela tem uma paixão platônica pelo cara, idealiza ele como o príncipe encantado no cavalo branco e o cara está bem longe de ser algo assim, mas bem longe mesmo. E nessa trama toda de autodescoberta Laura irá se envolver com Demort, o escritor Irlandês estrassadinho que tanto idealiza e descobrir a figura miserenta que ele é. Mas como é um romance, lógico que ao invés de fugir de uma pessoa autodestrutiva a personagem irá é correr atrás do miserável mesmo.
Porém, a narrativa é tão cansativa e tudo gira em torna de acontecimentos que ao invés de abrir o campo das possibilidades para enriquecer a história é o contrário tudo só gira em torno de Laura e Demort e parece que a leitura toda, tudo que acontece leva você de volta ao acontecimento anterior e parece que na leitura você não sai do ponto inicial, para nada desenvolvi-se para somar, o romance entre Laura e Demort nem te faz se quer sorrir, quanto mais suspirar. . E além disso, a personagem sofre de baixa autoestima aguda, sério, porque toda mocinha precisa se achar feia, que não serve para ninguém, que podem trata-la como lixo? Ela acha Demort um deus e de deus ele não tem nada.E com isso, até o romance só torna a história mais chata ainda.
comentários(0)comente



Claudia 26/08/2016

Ambientado no mesmo lugar que o outro livro da moça, com a presença de alguns mesmos personagens e eu só fico me perguntando: pra quê?
comentários(0)comente



Namorando Livros 27/04/2016

Namorando Livros: Amor nas Entrelinhas
Amor nas entrelinhas da escritora Katie Fforde é um romance calmo, com algumas partes engraçadas que mostra aos leitores um pouco dos bastidores do mundo literário. A historia gira em torno de Laura uma amante dos livros que trabalha numa livraria prestes a fechar e que apos uma seção de autografo de um escritor ela conhece uma agente literária que fica impressionada com seu grande conhecimento literário e a convida para trabalhar em um festival literário, Laura mesmo um pouco relutante aceita participar. A partir dai entramos juntos com a Laura no universo dos livros, o grande drama da história, o grande X da questão é que a Laura precisa convencer um grande escritor a participar do festival. Dermot é o escritor mais famoso da Irlanda atualmente, mas também é um homem muito recluso e cabe a Laura a grande missão de convencer esse excêntrico escritor a participar e salvar o festival.

Eu havia lido outro romance da Katie algum tempo atrás chamado (Uma Pitada de Amor) e percebi muita similaridade entre ambos embora o tema central seja bastante diferente, os personagens são muito parecidos deste os principais aos secundários, o enredo também é bastante similar, ou seja, durante todo o livro eu tinha uma sensação de dejavu o que prejudicou muito a leitura, mas o resultado final foi bastante satisfatório. Com certeza o que mais gostei no livro foi que a autora nos mostrou um pouco mais sobre o mundo dos livros porque nos enquanto leitores desconheceram o processo que o livro leva ate chegar a nossas mãos. Enfim, gostei do livro mesmo com as semelhanças com o outro romance da autora e com a leitura um pouco arrastada o livro é bem legal e pretendo conhecer mais sobre os trabalhos da escritora e espero sinceramente que seus outros livros sejam mais versáteis.

site: http://namorandolivros.com.br
comentários(0)comente



Meu Vicio em Livros 22/03/2016

Podia se chamar apenas "Entrelinhas", porque de "Amor" não tem absolutamente nada.
Fazia tempo que eu não tinha tanta dificuldade em terminar uma leitura. Escolhi este livro pelo fato de abordar um assunto que eu amo que é o mundo literário e pensei: se vai falar de livros a história deve ser ótima. Ledo engano! Fui atraída pela capa também, o único ponto positivo neste livro que podia se chamar apenas "Entrelinhas", porque de "Amor" não tem absolutamente nada.

Laura precisa descobrir o que fazer quando a livraria que tanto ama trabalhar está prestes a fechar. Aos 26 anos de idade, é escalada para organizar um festival literário e uma das maiores tarefas que lhe foram confiadas é trazer o autor best-seller irlandês, Dermot Flynn para participar. Ela não tem ideia de como organizar um festival e logo começa a entrar em pânico por isso. Dermot não tem conseguido escrever nada há muito tempo devido a um bloqueio, vive recluso em sua cidade na Irlanda. Não gosta de participar de eventos a menos que eles aconteçam em sua cidade e a dúvida se ele vai ou não vai comparecer ao da Laura como prometeu á ela é o que mantém a história.

Laura e Dermot passam a maior parte do livro separados e quando finalmente ficam juntos, tudo acontece de forma muito apressada. A personalidade da personagem principal me incomodou e a interação do casal não foi suficiente para que merecesse ser definida como uma história de amor, pelo contrário, logo que a conhece, a condição que Dermot impõe de transar com Laura para participar do festival beira o ridículo e o pior é que ela não vê nenhum problema nisto e se apaixona por ele quase que imediatamente. Mesmo assim, passa a maior parte do tempo fugindo dele por causa de mal-entendidos que não foram justificados em detalhes no final.

Conforme o enredo se desenvolvia eu me encontrava mais e mais entediada. Tudo gira em torno da protagonista viajar para convencer o autor e sobre a loucura que é organizar o evento. Não costumo dar continuidade a livros que não me prendem a atenção, mas neste caso em especifico, eu decidi terminar para descobrir não só o desfecho, como também os motivos de alguns leitores terem dado 5 estrelas para a obra. A escrita é extremamente lenta e quando eu pensei que o romance iria ficar interessante com a declaração de Dermot... ele acabou.

Não existiu nenhum charme irlandês aqui, o mocinho era na verdade um antipático e não consegui me envolver o suficiente com a mocinha para desejar que ela tivesse seu final feliz. Laura realmente ama o seu trabalho, ama os livros e domina muito o assunto, então, se você quiser conhecer mais sobre o universo literário, se está interessado em saber sobre como iniciar um festival de livros amador, se inteirar dos bastidores da vida de um autor e de como funciona uma publicação, este livro pode ser um boa leitura para você.
LEIA MAIS AQUI:http://www.meuvicioemlivros.com/2016/03/desafio-fuxicando-sobre-chick-lits-amor.html

site: http://www.meuvicioemlivros.com/2016/03/desafio-fuxicando-sobre-chick-lits-amor.html
comentários(0)comente



deborap 23/01/2016

--
Eu já tinha abandonado "Uma pitada de amor" com aquela protagonista hipócrita e aquele mocinho sem sal. Aí resolvi dar uma chance para esse Amor nas Entrelinhas, porque sempre aparecia na minha timeline com notas ótimas e todas as resenhas que eu li dizem que o livro é muito bom etc, só que não.

A história é meio que uma história de Cinderela. Laura, a mocinha obscura, inábil socialmente, é encontrada por Eleonora, uma espécie de fada madrinha extravagante que provoca uma revolução em sua vida ao pedir que ela organize um festival literário. Mesmo o final, com Dermot à procura de Laura, telefonando para todos os amigos e conhecidos em comum até encontrá-la na casa dos pais, evoca essa coisa de príncipe encantado em busca de princesa.

Porém, os personagens que Katie Fforde criou são, na maioria das vezes, desinteressantes ou rasos.

Sua protagonista, Laura, vibra em uma frequência de "não sou tão boa para Dermot", "Dermot me usou", "me sinto manipulada", coisas assim. Qual é, estamos no século XXI, em uma era pós-feminista, o próprio mocinho perguntou se ela estava disposta a ir em frente (com a relação sexual) e Laura disse ok, então por que o lamento depois? Laura mal conhecia o cara, na cabeça dela Dermot era o maior mulherengo e ela chegou mesmo a escolher mulheres bonitas para a oficina de escrita para que Dermot "escolhesse alguma", portanto, essa choradeira não faz sentido. Aliás, Laura se queixa tanto que Dermot não a procura, mas ela nem sequer atende às ligações, se recusando a falar com ele e várias filhaputices.

E Dermot é raso como um pires. É um tipo de pop star literário recluso que vive nos cafundós da Irlanda, achei todas as cenas dele forçadas. Mal construído, mal trabalhado, ainda sim consegue ser um pouco menos ruim que a protagonista.

De interessante, apenas as duas personagens que identifiquei como alter ego - um bom e um malvadinho - da autora, Anne e Veronica. E também Grant, apesar de recair no estereótipo do amigo gay.

É um livro que recomendo para quem tem muito tempo livre e bom humor de sobra. Não me diverti durante a leitura e quase abandonei o livro, devido à imensa irritação que senti da protagonista.
deborap 23/01/2016minha estante
Eu deveria ler os livros da minha meta de leitura, isso sim!




Elaine 14/08/2015

Gostei bastante!
Romance bem bonitinho e diferente de todos que já li.
Gostei bastante do final!
comentários(0)comente



Dani 07/07/2015

IMPRESSÃO: ACONCHEGO - BLOG ULTIMA IMPRESSÃO
PALAVRA-CHAVE: ACONCHEGO

Um livro muito gostoso de ler. A capa já transmite um certo conforto. É suave, mas ao mesmo tempo te instiga a ler rápido para saber o que acontece.

O improvável casal, uma funcionária de uma livraria e seu maior ídolo literário, têm uma história de amor bucólica, se é que tal adjetivo se aplica a relacionamentos amorosos.

O mocinho, um famoso escritor, muito charmoso, um pouco louco, é claro. Imaginei aquele homem meio largado, mas que exala charme pelos poros. Ela é bem real, pé no chão. Não espere grandes arroubos, a autora conduziu o romance em "banho-maria", mas é gostoso acompanhá-los no decorrer da trama, com todo aquele flerte e tal.
Enfim, só o fato de se ambientar no meio literário e editorial já garante muitos pontos.
Recomendo, sem dúvida

Posso dizer que alguns trechos me fizeram gargalhar (sério - e bem alto, olha que sou muito exigente no quesito humor)


site: BLOG ULTIMA IMPRESSÃO
comentários(0)comente



nathy 20/06/2015

Indico para aquelas pessoas que gostam de romance e que tenham interesse em conhecer mais sobre o ambiente literário.
Amor nas Entrelinhas é um chick lit lançado pela Editora Redord em 2014 e foi o primeiro livro que li da autora Katie Fforde. Devo confessar que a capa e a sinopse foram os motivos principais que me influenciaram para que arriscasse na leitura.

O livro conta a história de Laura Horsley, uma mulher inglesa que prestes a perder o emprego- já que a livraria independente onde trabalha vai fechar as portas - recebe um convite para organizar um festival literário. Sua primeira grande missão para a organização deste festival é conseguir convencer o autor Dermot Flynn, que mora na Irlanda, a participar do evento.

Tudo poderia ser simples, entretanto, não é bem assim. Dermot é um dos autores vivos mais importantes da Irlanda e que nunca participa desses eventos fora da cidade que ele vive, sem falar que ele é bem temperamental e sofre um bloqueio criativo- onde as únicas pessoas que sabem disso é a sua agente literária, Eleanora e posteriormente a própria Laura- há quinze anos.

Só com este pedacinho dá para se ter uma ideia (mesmo que levemente) do que encontramos no livro da Katie. O que mais me agradou na leitura foram os personagens principais, a Laura, por exemplo, é uma mulher que ama e conhece muitos livros, é ingênua (mais que sabe o que quer), não tem muitos amigos e tem uma insegurança (que me incomodou ás vezes, é verdade) mais que aos poucos vai tratando de deixá-la de lado. Já o Dermot é maravilhoso em todos os momentos em que aparece na trama (perto do final então??? Ganhou muitos pontos comigo...kkk). Também existe outros personagens como o chefe da nossa protagonista- o Henry, e os seus amigos- o Grant e a Mônica, que são pessoas que gostam bastante da Laura.

Outra coisa que gostei na trama foi o fato de que pude entender um pouco como são os bastidores desses eventos literários, desde a questão das escolhas das atrações, das reuniões, da importância do patrocínio e dos anseios dos organizadores para que tudo seja um sucesso.

Apesar desses pontos que super me agradaram devo falar que uma coisa me incomodou bastante. Acredito que o livro poderia ter sido mais editado (lembro da Laura falando isso sobre alguns livros que ela leu...kkkk), tinha muitos diálogos que poderia ser retirado e não faria falta. Isso acabou comprometendo um pouco o ritmo da trama que é narrada sobre a perspectiva da protagonista. Fora isso, estou contente com o livro e o indico para aquelas pessoas que gostam de romance e que tenham interesse em conhecer mais sobre o ambiente literário.

site: http://ventoliterario.blogspot.com.br/2015/06/o-vento-me-disse18-amor-nas-entrelinhas.html
comentários(0)comente



Laura 12/04/2015

Quando eu me deparei com esse livro na livraria, eu imediatamente me apaguei a ele rs Foi uma daquelas vezes que a gente logo pensa "Esse livro vai ser ótimo". E não me enganei. Eu simplesmente devorei esse livro em dois dias. Resolvi fazer esta resenha pois, logo antes de começar a ler, procurei pela internet resenhas sobre ele (eu sempre faço isso quando estou prestes a ler um livro pela primeira vez) e não achei nenhuma, talvez por ser um lançamento.

Laura é uma mulher inglesa extremamente apaixonada por livros e leitura. Mas também é uma pessoa muito solitária. é filha única e seus pais não concordam com sua escolha de carreira. Trabalha em uma livraria independente, que está prestes a fechar as portas, deixando-a a beira do desemprego. Ela é bem próxima do dono da livraria, o adorável Henry e o seu melhor (e único, no começo do livro pelo menos) amigo é o seu colega de trabalho, Grant.
É em uma noite de autógrafos na livraria que sua vida começa a mudar, quando conhece a agente literária Eleanora Huckleby. Eleanora fica encantada com os conhecimentos de Laura e decide apresentá-la a sua sobrinha Fenella, que juntamente com seu marido Rupert, está organizando um festival musical e literário. No começo, Laura fica bem receosa de aceitar o convite, afinal, na cabeça dela, não tem a capacidade de organizar um evento dessa magnitude.

Mas nada é sempre tão fácil não é mesmo? O milionário Jacob Stone só irá patrocinar o evento se o escritor irlandês Dermot Flynn comparecer. E quem vocês acham que ficou encarregada desse pequeno detalhe? Claro, nossa querida Laura. Acontece que Dermot está em reclusão e se nega a participar de qualquer coisa nos últimos 15 anos. E não vamos esquecer que ele é o escritor favorito de Laura. A partir daí ela embarca em uma missão na Irlanda e acaba se envolvendo bastante com Dermot... e ele também com ela.
O livro é de uma escrita muito tranquila, um romance bem leve e apaixonante. A maioria dos personagens são bacanas: Dermot é o tipo de cara garanhão mas que no fundo é sensível, Grant é o melhor amigo engraçado, Mônica é amiga "pau pra toda obra", Fenella e Rupert o casal maravilha e Eleanora a agente osso duro de roer mas que é uma espécie de fada madrinha. Os únicos personagens que eu nã gostei, foram os pais de Laura. Eles não aparecem muito na trama, mas quando aparecem eu tenho vontade de dar uns tapas na cara rsrs
Vale a pena a leitura, é o primeiro livro que leio da autora e recomendo bastante. No final do livro você vai estar implorando por uma continuação, pode acreditar.

site: http://resenhasdeumabookaholic.blogspot.com.br/2014/04/resenha-amor-nas-entrelinhas.html
comentários(0)comente



Laura 20/02/2015

Muito bom!
É tão bom quando um livro no qual não se deposita qualquer tipo de expectativa acaba por surpreender. É o caso de " Amor nas Entrelinhas" , que me ganhou nas primeiras 50 páginas. Um romance delicioso, fácil de ler.
Se não dou 5 estrelas, é porque acho que a autora não precisaria ter distendido o romance em mais de 400 páginas. Em vários momentos, houveram cenas e diálogos totalmente desnecessários, que em nada acrescentavam à história. Mesmo assim, vale a pena lê-lo.
Nay 05/03/2015minha estante
Laura!Como vai,amiga?
Estou sempre de olho nas suas resenhas.E acho até engraçado,pois temos gosto literários bem parecidos.

E pra não ser diferente,mais uma vez faço minhas, as suas palavras.
Se não me engano o Dermot demorou 58 páginas para aparecer nessa história e aquela reta final prolongadaaaaaa nem me causou frio na barriga e sim uma ÚLCERA nervosa KKK
Fora isso, eu amei esse livro e todo aquele charme de galã Irlandês(Deus sabe que os meus favoritos são os mocinhos Escoceses,e depois o bonitões da Irlanda rsrs).




26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2