O Salmão da Dúvida

O Salmão da Dúvida Douglas Adams




Resenhas - O salmão da dúvida


38 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


FernandoLucena 05/06/2014

Risadas, um breve estado de luto e como conhecer um amigo que já se foi.
Quando segurei "O Salmão da Dúvida" nas mãos pela primeira vez, imaginava uma proposta totalmente diferente do que estava por vir. Quando comecei a leitura, eu encontrei todo um dossiê. Não um dossiê escrito por um autor pra descrever o Douglas. É um dossiê do Douglas pelo próprio. Esse livro NÃO É uma homenagem a ele. Esse livro é A ALMA (quase uma horcrux) do Douglas Adams impressa e vendida pra milhões de fãs.
É inegável a sensação de bate papo que você tem. Apesar de tomar as rédeas como leitor, o Douglas arranca as rédeas da sua mão e conversa com você. Ele te conta experiências, te dá dicas, ele literalmente é um livro aberto.
Me emocionei muito ao ler esse livro, chegando a passar por sentimentos de luto. A cada risada com algo bobo que ele dizia, eu imaginava: "poxa, esse cara morreu. Apesar de deixar um legado de referências e inspiração, ele nunca mais vai produzir nada pra gente."
Leiam "O Salmão da Dúvida" sempre que se sentir sozinho ou pra baixo. Nada melhor pra te dar um up do que trocar uma ideia com seu autor falecido favorito de vez em quando.


site: http://breaking-cast.blogspot.com.br/
angelcirne 01/11/2014minha estante
Seu comentário aqui traduz exatamente o que penso desse livro.


valleria.gbertollo 20/02/2015minha estante
Disse tudo!


unholyana 02/02/2016minha estante
disse tudo o que eu penso! só discordo de uma coisa: as horcruxes são coisas ruins, e a alma do douglas é incrível




Marvin 15/08/2014

Tão incrível que até o Marvin se sentiria feliz lendo!
Douglas Noel Adams é de longe meu escritor favorito em toda a vida, o universo e tudo mais, e ler esse livro foi incrível! Eu só conheci suas obras muito depois de saber que ele tinha morrido, e me senti realmente triste com isso, porque de uma forma que nunca aconteceu antes lendo um livro, eu me fascinei por ele. Pode ser meio difícil de entender, mas de todos os livros que li até hoje, os dele foram os únicos que eu SABIA que havia alguém por trás de tudo! Eu sentia sua presença enquanto sentia a dos personagens também, e criei um carinho imenso por essa pessoa de 1,98m de altura que é gigante e talentoso em todos os aspectos. Não é simplesmente ficção, é muito mais que isso. É filosofia, é a forma de ver o mundo e toda a vastidão que o rodeia e acima de tudo: aprender a compreender tudo isso, e eu diria que só o DNA é o único ser capaz de em palavras me fazer entender e até mesmo amar toda a confusão e paranóia que envolva o universo e a estranha raça humana.

O Salmão da Dúvida trás diversos textos incríveis dele, e foi deveras engraçado saber sobre o trauma de seu nariz e o terrível período das calças curtas (e me senti especialmente feliz em saber que ele também usava muito a palavra "deveras" assim como eu, coisa que nenhum adolescente normal de 17 anos geralmente fala), ou sobre a história dos biscoitos na estação e enfim, muito, muito mais coisas!

Aprecio a forma que ele consegue escrever sendo sarcástico, paradoxal, maduro, consciente com questões ambientais e inteligente, tudo num modo só. Às vezes fico meio perdido, mas nada que não se relendo dez vezes faça todo o sentido possível.

Espero que todos os mochileiros com suas toalhas amem esse livro e gostem muito de saber mais sobre nosso eterno e amado DNA!

Só mais uma coisa: don't panic!
comentários(0)comente



Guilherme 02/06/2020

Livro para todas as ocasiões
Provavelmente você não esta o tempo todo no clima pra ler autores do tipo Umberto Eco ou Jorge Luis Borges, os livros que esses caras escrevem, embora fantásticos e tão perto da perfeição humanamente possível, requerem muita concentração e até releituras. Esse não é o caso com Douglas Adams, dos 6 livros dele que li até agora, incluindo este póstumo, todos são para todos os momentos; sejam momentos de felicidade (nunca faz mal aumentar a alegria), de tristeza, de ansiedade ou de quarentena. Quando se esta lendo Adams não tem como não levantar e ir fazer um chá do jeito inglês, ir procurar o preço dos livros que ele recomenda, levar o cachorro pra passear ou ansiar ver o Monte Kilimanjaro; ele faz o seu corpo e sua mente se mexer. É quase um crime ele ter morrido tão cedo.
comentários(0)comente



Gabi Mendonça 24/08/2017

Nunca tinha lido um livro que mexeu tanto comigo, e que deixasse um vazio no peito, por saber não existirá mais livros do Guia, nem mais aventuras hilárias do Dirk Gently. Pelo menos não escritas por nosso querido Douglas!
.
Exatamente como escrito no livro: "A obra de Douglas não é a grande arte de Bach ou o vigoroso universo pessoal de Blake, óbvio, mas acredito que meu ponto se sustente mesmo assim. É como se apaixonar. Quando você lê uma frase especialmente brilhante de Adams, sua vontade é cutucar o ombro do estranho mais próximo e mostrar para ele. O estranho pode até rir e parecer gostar do que está escrito, mas você se agarra à ideia de que ele não entendeu exatamente a força e a qualidade do texto, não tanto quanto você – da mesma forma que seus amigos também não se apaixonam (graças a Deus) pela pessoa sobre a qual você não para de falar um minuto."
comentários(0)comente



Derlei 07/07/2014

Almôndega
Douglas Adams é, sem sombra de dúvida, um dos maiores escritores que já passaram por esse planeta, aquele humor satírico não pejorativo que faz qualquer um se dar conta que está rindo sozinho apenas quando percebe que todo mundo está olhando esquisito em sua direção.
Chega a dar um nó na garganta perceber que você só conheceu a obra quando o autor já não se encontrava mais nesse mundinho azulado, quem dera se estivesse viajando pela galáxia pra nos contar em outra obra genial mais alguma coisa sem graça que ficaria magnificamente interessante com seu jeito de contá-la.

É como o próprio livro traz impresso: "O salmão da dúvida é, sem dúvida, o livro que mais expõe a genialidade e a sensibilidade de Douglas Adams". O que DNA faz, é aquele tipo de livro que você pode ler 10 vezes e ainda vai rir na 11ª, e vai correr por aí mostrando trechos do livro para outras pessoas, mesmo que elas não façam a menor ideia do que é aquilo, você vai se sentir bem pelo simples fato de ter dado um pouco de Douglas Adams à alguém que nunca experimentou a genialidade do cara.
comentários(0)comente



Larissa 27/02/2020

Um Tributo a Adams
O salmão da dúvida, muito além da história inacabada de Adams, é um tributo ao mesmo, reunindo uma coletânea de seus textos e nos permitindo conhecer mais da mente genial do autor. Comecei a ler este livro como uma fã da celebre coleção do Guia do Mochileiro das Galáxias e o terminei como uma fã de Adams, sentindo uma profunda conexão e afinidade e admiração por seu intelecto, seu humor perspicaz e suas paixões por literatura, espécies em extinção e tecnologia e por sua personalidade singular, simples e original.
comentários(0)comente



Alessandro @cafe_entropico 27/02/2020

Ruim
é tão ruim e chato que eu to meio triste depois de ler. Um diário do Adams que eu errei em não desistir de ler antes.
Pedro Luiz Viegas 27/02/2020minha estante
Eheh não tinha como parar de ler, não? Parece masoquismo isso de ler um livro ruim até o fim. kkk


Pedro Luiz Viegas 27/02/2020minha estante
Agora vi que você afirmou que errou em não desistir de ler antes ahah ok.


Pedro Luiz Viegas 27/02/2020minha estante
Mas pela sinopse do livro ele realmente deve ser MUITO RUIM. O próprio autor era um cara para lá de estranho, fazendo a cabeça das pessoas. Há coisa muito melhor para ler que autores rebeldes.


Alessandro @cafe_entropico 28/02/2020minha estante
Eu já tava lendo e é bem curto (em PDF), acabei lendo até o final. Passando da metade não acho justo abandonar.




Marquim 15/10/2020

Uma despedida muito boa
Gostei muito desse livro do Adams. Confesso que fiquei bastante receoso a princípio, mas os escritos ainda não publicados do autor são muito inteligentes e agradáveis de se ler: ótimos para passar o tempo na companhia de uma boa leitura.
comentários(0)comente



rodrigoferreira 04/09/2015

Emocionante
Ouvi recentemente alguém dizer que o Douglas Adams é o tipo de escritor que faz você pensar que NUNCA será capaz de escrever como ele". Concordo plenamente com isso. Não por ele ter uma linguagem rebuscada e cheia de palavras que você precisa procurar no dicionário. Pelo contrário. Ler Douglas Adams é como ouvir alguém lhe contando uma divertida história. Senti muita saudade da série dO Mochileiro ao ler esse livro e, no final, estava com o coração nas mãos ao ler o texto do Dawkins. Recomendo muito.
comentários(0)comente



Samantha @degraudeletras 18/06/2014

ADAMS, Douglas. O salmão da dúvida. 1°ed. São Paulo: Arqueiro, 2014.
Sabe aquela sensação de querer reler o livro antes mesmo de terminar a leitura? Pois é, nunca tinha acontecido comigo também.

“O salmão da dúvida” é um dos lançamentos da Editora Arqueiro, que recebi de parceria, e traz uma compilação póstuma de escritos em que Douglas Adams, autor da fantástica e aclamada série “O guia do mochileiro das galáxias” (Editora Sextante), estava trabalhando antes do ataque cardíaco que tirou de nós um escritor e entusiasta da ficção e comédia inteligente.

Esse livro é dividido em três partes (a vida, o universo e tudo mais – óbvio), que foram tiradas das três partes do livro “O salmão da dúvida”, trabalho inacabado de Adams, que são: “The old salmon”, “The salmon of doubt” e “LA/Rhino/solar ranting”.

Mesmo com o estilo de capa do Mochileiro, esse livro mais serviria como um pequeno almanaque sobre Douglas Adams, pois conta com entrevistas, artigos, contos, crônicas e os mais diversos pensamentos do autor. Conhecer um pouco mais sobre ele da maneira como foi organizado o Salmão tornou-se uma experiência de leitura realmente encantadora.

O mais divertido e apaixonante desse livro é a forma como ele estimula o pensamento do leitor, conduzir textos filosóficos de maneira inteligente e divertida não é algo comum de se ver por aí, mas Douglas Adams faz isso: te põe para pensar e se divertir, conversa sobre ciência e tecnologia como se estivesse fofocando com as amigas, te fascina. Além de escritos, o Salmão traz títulos de livros e músicas que serviram de inspiração para o autor durante sua vida (claro que marquei todas as referências para procurar depois).

Como a Editora Arqueiro comentou na época de divulgação do lançamento, esse é um grande (enorme e quase infinito) presente para os fãs do autor e também para aqueles que apenas curtiram a série do Mochileiro (pra eles se apaixonarem perdidamente por Adams também). Com toda certeza do mundo, o livro já foi favoritado no skoob e está na lista de futuras releituras.

site: http://www.wordinmybag.com.br/
comentários(0)comente



Rodrigo.Alves 01/09/2019

Agora sim, até logo, e obrigado pelos peixes
Este sim, de fato é a obra final do autor. Um compêndio que nada mais faz do que simplesmente nos dar uma boa sensação e um pouquinho do quero mais do que Douglas Adams deixa pra trás. Fora as histórias inacabadas, o Salmão da dúvida nos apresenta vários devaneios do autor, casos pitorescos e muitas correspondências dele para com jornais, revistas e outros veículos de mídia. Se você nunca leu nenhum livro de Douglas Adams talvez pare nas primeiras páginas e nada disso te faça sentido algum. Mas, se por um acaso, você já teve o prazer de se deleitar com as maravilhosas obras dele como o guia do mochileiro das galáxias, Dirk Gently entre outros, com certeza vai sugar até o tutano terminado com aquela pontinha de angustia no coração por saber que não vamos mais poder aproveitar nada novo desta mente maravilhosa.
RicardoFurlan 16/09/2019minha estante
Triste é saber que um gênio como o Douglas Adams nos deixou tão cedo. Mas seu legado é eterno.




Alberto 07/12/2015

Ótimo livro, e um mergulho na vida e na mente do autor.
Havia lido a série "O Guia do Mochileiro das Galáxias" e gostei muito do humor do autor, seu humor e sua forma de escrever. Quando li "O Salmão da Dúvida" achei que seria como uma continuação, mas me enganei. É um livro que fala mais sobre o autor, sua vida, suas influências, suas obras e seu modo de pensar. Acabou me despertando o desejo de conhecer as outras obras do autor, o que eu farei em breve.
Muito bom o livro, os textos nele inseridos e as histórias. Fica apenas o gostinho de "quero mais", mas que terei de me contentar lendo apenas os livros já publicados pelo mesmo, uma vez que ele veio a falecer com apenas 49 anos.
comentários(0)comente



Roberto 25/09/2019

O Salmão da Dúvida | As Confissões de Douglas Adams
Douglas Adams é uma das figuras mais instigantes da ficção científica, não só pelo seu texto, mas por ter um comportamento despreocupado e honesto com os fãs e, aparentemente, a própria carreira. Tendo O Guia do Mochileiro das Galáxias como a maior referência em sci-fi cômica, é curioso saber mais sobre os bastidores da criação de Adams.

O Salmão da Dúvida é o livro póstumo do autor, que morreu aos 49 anos em 2001, e reúne várias anotações, entrevistas e manuscritos. A edição brasileira, lançada em 2014 pela editora Arqueiro, segue o modelo do original, com uma introdução feita pelo escritor Stephen Fry. A obra consiste de três partes, intituladas obviamente como A Vida, sobre algumas histórias de vida do autor; O Universo, com algumas observações divertidas do tipo que só Adams conseguia; e a conclusão com E Tudo Mais, onde fica a parte mais interessante para os fãs, com uma versão diferente do conto Young Zaphod Plays it Safe, intitulado Perfeitamente Seguro na versão traduzida, e alguns capítulos até então inéditos sobre uma possível nova aventura envolvendo o detetive holístico Dirk Gently, chamada de O Salmão da Dúvida. Adams, como sempre, ficou na duvida sobre a história e passou um tempo em conflito sobre continuar uma narrativa para Gently ou talvez transformar a nova obra em mais uma entrada no Guia. No fim, a obra ficou inacabada — o que faz do título um tipo de piada feita pelo próprio Adams.

E outra coisa surpreendente, mas praticamente inofensiva, é como toda essa informação foi encontrada no computador do autor. Adams passou anos zombando a tecnologia e a dependência das pessoas nas máquinas, mas com o passar dos anos, assumiu uma relação saudável com o monitor e o teclado, utilizando seu Macintosh para quase tudo envolvendo escrita. Foi em seu computador que manteve os capítulos inéditos, comentários sobre sua infância e o tamanho do nariz, assim como um ensaio filosófico sobre a existência de Deus.

O livro abre com anotações de Adams para o editor e um relato sobre os tempos de escola e o impacto que os Beatles tiveram na sua infância. Há pequenas menções à Graham Chapman, o integrante do grupo de comediantes Monty Python, onde Douglas participou brevemente colaborando nos roteiros e fazendo bagunça com a equipe. Aqui aviso logo que esta não é uma biografia; O Salmão da Dúvida engloba o universo do autor do seu próprio ponto de vista, o que é ótimo mas também sofre um pouco com a ausência de contexto. Se você já não segue o trabalho do escritor, vai ficar um pouco perdido. Indico a leitura de Não Entre em Pânico, da editora Novo Século, uma biografia de Douglas Adams escrita por ninguém menos que Neil Gaiman. Ela foca bastante na criação da série Mochileiro das Galáxias, e o texto de Gaiman é tão leve que tudo pode ser lido em um dia. Também existe a biografia Wish You Were Here, de Nick Webb, mas essa ainda não tive a chance de ler.

Voltando ao livro, Douglas faz questão de contar mais uma vez um incidente conhecido dos fãs, envolvendo um jornal e um pacote de biscoito. Felizmente, é uma piada que não perde a graça. Entre as opiniões do autor, descobrimos o que ele pensa sobre cachorros, visitas inesperadas e vídeo-games, sem contar uma lição humorada (mas SÉRIA) sobre a execução apropriada para uma excelente xícara de chá:

“Os americanos nunca conseguem entender por que os ingleses dão tanta importância ao chá porque a maioria deles NUNCA TOMOU UMA XÍCARA DE CHÁ DECENTE. Mas para dizer a verdade, a maioria dos ingleses também já não sabe preparar um bom chá e prefere beber café instantâneo barato”

É uma pena não termos a continuação da nova aventura de Dirk Gently, mas é uma alegria ler um pouco do que estava preparado, principalmente com a louca premissa envolvendo o desaparecimento de apenas metade de um gato. O conto envolvendo Zaphod não é tão divertido, mas quem sou eu para reclamar de qualquer coisa nova no universo do Guia ¯\_(ツ)_/¯

Douglas Adams pode não ter vivido o suficiente, mas é um dos maiores gênios da comédia. Suas séries literárias (Guia e Dirk Gently) são algumas das mais lembradas e adoradas da ficção científica, e sua contribuição para a cultura pop e o humor é incalculável, bem maior que 42.
comentários(0)comente



Daubian 30/03/2019

Melhor conversa que nunca tive
Douglas Adams deveria ser a pessoa mais legal de todos os tempos. Ao ler este livro, uma coletânea de textos reunidos postumamente mostra um outro lado do autor. Nele se mostra um lado empolgado por tecnologia, amante da natureza, criativo, afligido por prazos, tímido, ousado, sagaz... são tantas emoções que durante o livro eu chorei, gargalhei e até perdi o ponto do ônibus de tão interessante (2 vezes). E com a certeza que se fosse o Douglas teria transformado esse evento em um relato sensacional. Ele tem uma forma de ver o mundo que encanta, surpreende. É divertido, inteligente e com um toque aleatório que deixa a realidade melhor que ela é. Douglas disse que se arrepende de nunca ter visto os Beatles tocarem, mas ele viveu como se tivesse visto ao vivo. Eu ao ler este livro criei um laço impressionante, como se ele estivesse falando comigo e eu entendo suas sutilezas e estranhezas. É como se eu tivesse tido um papo interessantíssimo com uma pessoa talvez melhor que sua obra. O livro é como a melhor conversa do mundo com uma pessoa que nunca vi na vida. Só tenho a agradecer.
comentários(0)comente



Tamie 10/06/2020

Como fã do guia do mochileiro das galáxias sempre achei que o salmão da dúvida fosse mais um livro da série, e por muito tempo ansiei em colocar minhas mãos em uma cópia. Ao finalmente começar a ler o livro, para minha surpresa, não era nada daquilo que eu imaginava, mas acredito que seja a melhor de todas as obras, porque nos permite conhecer melhor o grande autor que foi Douglas Adams. Uma pena sua vida ter sido interrompida tão subitamente; a humanidade perdeu uma grande mente.
comentários(0)comente



38 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3