Raízes da Cultura Ocidental

Raízes da Cultura Ocidental Herman Dooyeweerd




Resenhas - Raízes da cultura ocidental


3 encontrados | exibindo 1 a 3


João Vitor 11/02/2021

Um ótimo livro, que demanda muito da gente!
Dooyeweerd realmente é um gênio. Quando entendemos sua teoria e a análise da história do pensamento que ele faz com base nessa teoria, realmente somos presenteados com um arcabouço filosófico muito bom para analisarmos a realidade de uma perspectiva cristã.

O problema que vejo com sua obra é a enorme dificuldade que temos de torná-la relevante. Isso acontece tanto em relação ao público cristão leigo e não acadêmico, devido à linguagem desnecessariamente difícil e a complexidade dos termos e debates filosóficos dos quais ele trata, quanto em relação ao público especializado e acadêmico, por se tratar de um ramo da filosofia, a continental, que tem perdido muito espaço para sua rival, a analítica.

Perceba que não vejo o fato de Dooyeweerd ser um cristão e de propor uma filosofia cristã como uma dificuldade. Pelo contrário, esse é um dos seus maiores méritos, ainda mais por ele ter levado esse projeto a um nível de profundidade e sofisticação que pouquíssimos filósofos no seu contexto (modernidade secularizada) fizeram. Dooyeweerd precisa receber seu lugar de honra entre os maiores mestres e mártires do cristianismo.

Mas se quisermos seguir os seus passos hoje na arena pública na qual ele mesmo tentou trabalhar em sua época, precisaremos estar preparados para arregaçar as mangas como ele fez.
comentários(0)comente



Gabriel Dayan 09/01/2016

Herman Dooyeweerd (se pronuncia “dóivérd”). Guarde este nome.
Dooyeweerd é sem dúvida um dos maiores filósofos cristãos protestantes que pensaram a fé Cristã nas esferas possíveis de atuação do cristão no mundo criado por Deus, não se restringindo apenas à Igreja. Com linguajar acadêmico, complexo e detendo um conhecimento de filosofia como poucos tiveram, Dooyeweerd demonstra como todo o pensamento da cultura ocidental possui no seu âmago, uma raiz espiritual ou existencial. A visão do lugar onde a pessoa passará (ou não) a eternidade afeta inegavelmente a forma como se vive. Identificando então qual é esta raiz religiosa do pensamento, uma crítica construtiva a este pensamento perde a tentação de ser reducionista, mas possibilita ter a amplitude que abarca o maior numero de esferas da nossa realidade.

Dooyeweerd é um pensador holandês da linha neocalvinista ou neo-ortodoxa, que é um movimento filosófico, social e cultural que busca desenvolver o conceito de Cosmovisão Cristã aplicável desde às Artes, Ciência, Cultura até o Estado. Sua proposição no livro não é descartar as antigas ideias e refazê-las do zero, mas reorientá-las dentro desta cosmovisão Bíblica. Esse avivamento neocalvinistra tenta recuperar a ética Cristã (conhecida dentro da Igreja como santidade) em contraste com as liberalidades no pensamento moderno e pós-moderno e sua influência dentro da Igreja. Pretende defender a fé cristã como a real saída para a humanidade decaída que encontra apenas em Cristo o retorno à imagem perdida no Éden. Que fé e razão não são opostas, mas complementares, que as ideologias podem se tornar idolatrias no pensamento e que quando isto ocorre, o ceticismo é a única conclusão lógica.

Raízes da Cultura Ocidental é o documento que inspirou Francis Schaeffer, Keith Green, Hans Rookmaaker e está sendo difundida no Brasil principalmente pelo L'Abri Brasil, AKET (Associação Kuyper para Estudos Transdisciplinares) e pelo Guilherme de Carvalho. Boa Filosofia, boa e técnica crítica cristã ao pensamento secular e uma forma de conseguir fazer um bom trabalho crítico no meio acadêmico. Apesar do Livro não ser de rápida leitura, de requerer um bom conhecimento prévio de filosofia e teologia, é um livro divisor de águas no pensamento de qualquer leitor.
comentários(0)comente



Israel 03/01/2016

As forças religiosas motrizes por trás do desenvolvimento ocidental.
A obra Raízes da Cultura Ocidental é simplesmente monumental. Não se deixe levar pelo fato de possuir poucas páginas, o rigor e profundidade filosófica é muito grande.

Originalmente escrito separadamente em artigos para jornais, a presente obra, do imenso filósofo calvinista Herman Dooyeweerd, apresenta um cuidadoso estudo sobre as forças religiosas que permearam a história do ocidente. Dooyeweerd parte do pressuposto de que todo homem é essencialmente um ser religioso(pressuposto esse que é muito melhor demonstrado e trabalhado em outras obras), partindo da concepção bíblia de coração como esse centro religioso. Como o ser humano é religioso, as direções que ele toma são de natureza religiosa, se refletindo na cultura, política e etc . Assim, Dooyeweerd nos apresenta os motivos básicos que ainda lutam para se tornarem absolutos no homem, que são eles: matéria - forma(grego) , natureza - graça(escolástico), natureza - liberdade(humanismo) e criação, queda e redenção (bíblico). Destes 4, apenas o último é genuinamente bíblico, pois retorna ao verdadeiro sentido do coração do homem, que é seu relacionamento com Deus. Toda tentativa de tentar sintetizar os outros 3 motivos básicos, são e foram falhos, pois elas são antíteses religiosas, cada polo clama para si o absoluto do coração humano. Vemos essa falha no caso escolástico, que adota concepções gregas e tenta fazer uma síntese com o cristianismo.

O livro trata de vários outros aspectos do desenvolvimento ocidental e análises das consequências que trouxeram os motivos básicos. Excelente livro sobre o desenvolvimento espiritual do ocidente por uma perspetiva reformada.
comentários(0)comente



3 encontrados | exibindo 1 a 3