A Cidade do Sol

A Cidade do Sol Khaled Hosseini




Resenhas - A Cidade Do Sol


985 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Kel Pasianotto 04/12/2019

Um livro muito triete , é engraçado com as palavras nos tocam a alma, e podemos sofrer tanto com personagem , Marian um lindo nome, uma grade mulher, nunca chorei tanto com um livro.
comentários(0)comente



Carol Ribeiro @carolcombina 14/11/2019

Fantástico
Quanta sensibilidade e emoção nessa história. Impossível não se emocionar, principalmente quando sabemos que tudo que foi escrito ali aconteceu e ainda acontece em tantos países.

Uma leitura pesada e cheia de reflexões sobre cultura, liberdade, opressão e tantos outros temas...

Através da história de Mariam, uma das personagens principais, é possível sentir como e díficil ser mulher em países árabes. Quanta tristeza, quanto sofrimento!
comentários(0)comente



Inalda 11/11/2019

A cidade do sol.
Uma estoria que conta a situacao das mulheres no afeganistao. E mostra que passam - se regimes sejam monarquias ou ditaduras a situacao das pessoas e a mesma. A intolerancia , a falta de respeito com os direitos das pessoas e principalmente a falta de esperanca das mulheres que sao obrigadas a casar e aceitarem serem espancadas por seus maridos . A falta de leis que garantaa mulher o direito a educacao e que elas possam trabalhar e serem independentes. E simplesmente absurdo .
comentários(0)comente



Karina 11/11/2019

Meu Livro Preferido da Vida!!
Acompanhar a vida de Mariam e Laila e ver todas as regras e limitações que são impostas pelo regime Talibã sobre elas, assim como todas as mulheres afegãs, nos faz dar mais valor a nossa liberdade de ir e vir e de expressão. O contexto histórico e político, perfeitamente ilustrado em palavras por Khaled Hosseini, infelizmente ainda é atual e serve para abrir nossos olhos e enxergar o quanto somos privilegiados. Ver os sonhos de nossas protagonistas sendo quebrados é de doer o coração, mas no final, seus sacrifícios são recompensados e conseguimos sentir ao menos um pouco de esperança para que as histórias reais, que se assemelham a essa, também tenham um final feliz. Posso dizer que esse é o meu livro favorito e será difícil algum outro tomar seu lugar, já li umas quatro ou cinco vezes e a história ainda me emociona e me faz chorar. Considero Cidade do Sol uma leitura essencial a todos que queiram conhecer outras culturas e também se emocionar junto com os personagens.
comentários(0)comente



Andre 21/10/2019

A Cidade do Sol forte e emocionante
Como Khaled hosseini conseguiu acabar comigo? com a história de duas mulheres Marian e laila.

Mariam tem 33 anos. Sua mãe morreu quando ela tinha 15 anos e Jalil, o homem que deveria ser seu pai, a deu em casamento a Rashid, um sapateiro de 45 anos. Ela sempre soube que seu destino era servir seu marido e dar-lhe muitos filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Laila tem 14 anos. É filha de um professor que sempre lhe diz: "Você pode ser tudo o que quiser." Ela vai à escola todos os dias, é considerada uma das melhores alunas do colégio e sempre soube que seu destino era muito maior do que casar e ter filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Confrontadas pela história, o que parecia impossível acontece: Mariam e Laila se encontram, absolutamente sós. E a partir desse momento, embora a história continue a decidir os destinos, uma outra história começa a ser contada, aquela que ensina que todos nós fazemos parte do "todo humano", somos iguais na diferença, com nossos pensamentos, sentimentos e mistérios


e o segundo livro do autor que ele consegui feri você lá dentro gostei muito.
e um livro que nos faz refletir em várias passagens dele.é uma leitura que vale a pena.recomendo.
comentários(0)comente



FAB 17/10/2019

Mairam
"Daqui a pouco anos, essa garotinha vai ser uma mulher com poucas exigências da vida, que nunca será um peso para os outros, que nunca dirá que também tem suas tristezas, decepções, sonhos que foram ridicularizados. Uma mulher que será como uma rocha no leito de rio, resistindo sem reclamar, com uma graça não maculada pela turbulência que passa por ela, mas sim reforçada."
Um livro triste, triste mesmo. Duro, duro mesmo. Te faz pensar e refletir inúmeras circunstâncias na vida. O ser, humano.
comentários(0)comente



aninha 17/10/2019

excepcional
um ótimo livro, com uma história incrível ! super recomendo !
comentários(0)comente



Letícia 10/10/2019

Uma história difícil de esquecer... E superar.
Acabei de terminar a leitura e, sinceramente, pela primeita vez, não sei nem por onde começar a resenha de um livro. É sem dúvida, um dos melhores que já li e, com toda certeza, o mais emocionante dentre todos, para dizer o mínimo. Acho que nunca me apaguei tanto a personagens, nunca torci tanto para um final feliz que eu não sabia se seria possível diante de tantas desgraças na vida das protagonistas! Em vários trechos da história meu coração disparou, o estômago embrulhou, queria poder ler mais rápido do que meus olhos eram capazes para saber logo o que aconteceria. Em muitos outros trechos, não acreditava no que lia. Queria que fosse mentira. Pensava: não é possível! Em suma: o livro nos traz os acontecimentos da vida de Mariam e Laila. Duas mulheres afegãs com idades e estilos de vida bem distoantes, mas que, da forma mais inesperada, tem seus destinos cruzados. A relação que se cria entre as duas é, ao mesmo tempo, inesperada e comovente. Logo no início já me senti indignada. Na metade, queria "entrar" no livro. Quase no final, queria que ele não acabasse. Está aí uma história que, infelizmente, não é só ficção para muitas mulheres e crianças afegãs... Um livro sobre a convivência em meio a guerra, tragédias, mortes e todos os "Rashid's" que existem por aí. Recomendo. E muito! Mas comece a leitura ciente de sua intensidade, sobretudo para nós, mulheres, pois acredito que seja ainda mais doído. Prepare os lenços e boa leitura!
Emerson Pires 28/10/2019minha estante
Chorei horrores , e realmente não queria que o livro acabasse, e de uma forma os personagens ficam vivos dentro de nós .


Letícia 30/10/2019minha estante
Exatamente! Muito tocante...




Talits 30/09/2019

A cidade do sol
Não sei o que falar, apenas sentir.
comentários(0)comente



Priscila Costa 30/09/2019

Infelizmente a paz ainda não chegou
Personagens envolventes, leitura fluiu muibem, ajuda muito procurar tradução das palavras da língua local incorporadas ao texto, como jihad que é guerra santa e muhajedin, me ajudou a entender o contexto cultural dos personagens. Me emocionei, de encher os olhos de lágrimas com o destino da Mariam Jo. Ótima leitura, abriu minha mente pra começar a entender a realidade do povo afegão. Me surpreendeu a noticia de poucos dias atrás em que 40 pessoas civis inocentes foram mortas durante um nikka devido a um ataque de guerrilha no país. Infelizmente a paz ainda não chegou ao povo afegão, e por isso essa leitura me sensibilizou muito.
Letícia 30/09/2019minha estante
Comecei o livro há pouco, estou na página 90 ainda, mas já percebi que será uma das melhores leituras que fiz este ano... Hosseini tem uma sensibilidade e uma delicadeza ao relatar certas coisas que tornam a história ainda mais emocionante...


Priscila Costa 30/09/2019minha estante
Concordo, gostei tanto de a Cidade do Sol, que estou começando a ler O caçador de pipas do mesmo autor. Sem dúvidas essa foi a melhor leitura do ano até agora




Steffany.Leal 24/09/2019

Por inúmeras vezes senti o coração apertado e o estômago embrulhado...
De fato a história é muito triste, mas em todos os momentos senti-me envolvida com as duas personagens principais. É como se eu estivesse presenciando tudo que aconteceu na vida de ambas. O final me surpreendeu e me comoveu bastante. É inacreditável que ainda seja a realidade de tantas mulheres atualmente.
comentários(0)comente



Naty 16/09/2019

Desmistificante - Um mergulho no intimo do Afeganistão.
Mariam é filha de Jalil e Nana, fruto de uma relação extra conjugal, fato extremamente condenável para famílias tradicionais no Afeganistão, palco onde nossa história se desenrola.
A Cidade do Sol tem como pano de fundo um Oriente Médio da década de 60 e no limiar de seus capítulos destrincha os dias fatídicos de duas personagens centrais, Mariam 33 anos e Laila 14, ambas com diferentes histórias mas que terão seus caminhos cruzados por um contexto em que a desigualdade entre homens e mulheres é gritante, causada por um fundamentalismo religioso de viés ideológico. Tais fatos culminantes para o desencadeamento de diversas outras guerras civis, também, presentes no decorrer do livro.
Qualifico-o como necessário partindo do pressuposto que além da literatura ficcional propagada pelo autor - Khaled, ter tido o cuidado de enfatizar datas e períodos históricos que realmente ocorreram e marcaram transições de poderes governamentais no Afegnistão e no mundo.
comentários(0)comente



Carvalho 05/09/2019

Espetacular
Com uma exímia habilidade Khaled nós prende nessa leitura de forma inigualável . O livro nos prende do começo ao fim com suas histórias pois muito nos conta sobre a vida das mulheres em Cabul e a guerra que assola todo o país. Com elementos históricos que deixam o livro ainda mais interessante , a Cidade do Sol é uma leitura imperdível a qualquer leitor de romance
comentários(0)comente



João Luiz 30/08/2019

Duas mulheres tem suas vidas unidas por causa da guerra. Passam a ter uma relação de cumplicidade, respeito e amor. Vivendo com um homem que as humilham de todas as formas, mas elas não terão nenhum apoio, pois vivem em uma sociedade marcada pelo machismo ligado a preceitos religiosos. Khaled Hosseini através das palavras, nos leva para conhecer uma cultura muito diferente da nossa.
Naty 20/09/2019minha estante
En relação ao machismo, será que esta cultura é muito diferente da nossa? no Brasil temos um caso de feminicídio a cada minuto.




985 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |