As Brumas de Avalon

As Brumas de Avalon Marion Zimmer Bradley




Resenhas - As Brumas de Avalon


20 encontrados | exibindo 16 a 20
1 | 2


Acervo do Leitor 06/02/2018

As Brumas de Avalon – Marion Zimmer Bradley | Resenha | Acervo do Leitor
Há poder nas palavras. Através delas histórias são contadas por gerações não deixando que o passado seja esquecido. Por gerações lendas e mitos são criados por aqueles que não se calaram e ousaram contar o que viram e viveram. De pai para filho. De general para soldado. De vencedores para derrotados. Poucas vidas são tão lendárias e seus feitos tão fascinantes como do rei Artur. A sombra de sua vida se estende ao longo dos séculos. Todos conhecem sua história… ou pensam conhecer. É tempo de descobrir a história real deste regente encoberta, até então, por tão densas brumas.

“As lágrimas que as mulheres derramam não deixam marcas no mundo.”

A Grã-Bretanha está destruída. Guerras e invasões assolam sua terra desde que os romanos se foram. Deixaram costumes e a imposição da fé Cristã em detrimento dos antigos cultos locais perpetuados pelos celtas e druidas que amavam a grande Deusa. Mas o Senhor dos cristãos é exclusivista, não há espaço para outros deuses e costumes, e as poucas tribos que ainda se apegam aos velhos hábitos e credos estão alarmados. Preocupados com a opressão dos cristãos e com as invasões nórdicas enquanto não há união e consenso entre os reis locais. Tudo está desmoronando. Mas existe uma profecia vindo da misteriosa Avalon, um refúgio e resquício das sacerdotisas da grande Deusa que prometeu não abandonar seu povo. A profecia do nascimento de um lendário rei que uniria todas as tribos e credos debaixo de seu estandarte trazendo a paz e a expulsão das nações estrangeiras. A profecia do nascimento de Artur.

“A sombra escura do corpo dele sobre ela obscureceu o céu e as estrelas.”

Profecias dependem de homens para ocorrerem. Personagens muitas vezes esquecidos pelo tempo ou relegados a segundo plano que a história tende a apagar. Mas não aqui. Pela primeira vez ouviremos a voz dos esquecidos. Igraine, mãe de Artur, e como ela foi “obrigada” por Viviane (a Senhora do Lago) e Merlin a cumprir sua profecia: que ela, ainda casada com outro homem, daria um filho (Artur) a Uther Pendragon um bravo guerreiro respeitado por todos os reis e generais. Conheceremos a fundo sua filha, Morgana das Fadas, e como sua vida foi forçada a trilhar um místico caminho não antes desejado. Porém entre deuses não há espaço para os desejos e devaneios dos humanos. Todos acabam cumprindo seu papel na intrincada teia chamada destino. A profecia vai se cumprir, e um rei possuidor de uma lendária e mágica espada, Excalibur, salvará e condenará muitos. Guerras, traições, sangue, heresias e uma responsabilidade esmagadora recairá sobre os largos ombros deste guerreiro, assim como sobre as vestes de sua poderosa irmã, amiga e amante, a bruxa Morgana.

“Desde que encontrei o caminho da feitiçaria, todos os homens estão aos meus pés. Mas agora parece que não me importo com nenhum…”

SENTENÇA

Essa edição é um volume único especial reunindo quatro obras em uma só com suas quase mil páginas, o que torna extremamente difícil resenha-lo sem dar spoiler e se alongar demais, o que foge da proposta e padrões do “Acervo do Leitor”. Essa saga é um grande drama envolvendo as mulheres que fizeram parte, e acontecer a lenda do rei Artur. Todos os personagens lendários também estão presentes como Merlin, Gwenhyfar, Lancelot e companhia, mas o foco não são suas vidas e feitos. Escrito de uma forma sensível você observa o nascimento, vida e morte de uma lenda e como sua vida foi proporcionada, e afetada, por tantos outros até então coadjuvantes. Vemos de perto todo o silêncio opressor de uma época sendo rompido pelos atos e palavras de uma mulher a frente do seu tempo, a “bruxa” Morgana. Não há batalhas ou cenas de ação, apenas o intrincado “jogo de peças” formado pelos reis e generais, assim como o embate constante entre a fé, e filosofia, dos celtas e dos cristãos, bem distorcida por sinal. Há uma maestria na escrita de Marion Zimmer Bradley, mas por vezes achei cansativa, desinteressante e um pouco repetitiva no que tange certos dramas pessoais. Ao término entendi porque há tanta reverência por esta saga devido a sua inquestionável qualidade. Sem dúvida “o clássico que encantou gerações” ganhou o meu respeito, mas não o meu amor.

site: http://acervodoleitor.com.br/as-brumas-de-avalon-resenha/
comentários(0)comente



@uaitolendo 29/01/2018

Finalmente pude ler As Brumas De Avalon. Li e me apaixonei. Classico e classico neh!! Ja me vi presa na historia logo no inicio da leitura. Viviane a maior manipuladora que ja vi. Ai,e essa Gwenhwyfar que mulher chata e minada,cegada por sua crensa. Nao torci por um final feliz pra ela nao. Ai como Morgana tive vontade por varias vezes entrar no livro e encher a cara dela de tapa. Apaixonei tanto mais tanto,que relutei a terminar de ler,chegou nas ultimas 130 paginas eu enrolei demais pra terminar. Me sinto orfa. To de ressaca!! To em depressao literaria. Nao e atoa que As Brumas De Avalon e um dos maiores classicos literarios mundial! Essa edicao unica e encantadora!
comentários(0)comente



Ana 28/01/2018

Olha, não é à toa que essa série é cultuada como um clássico da literatura de fantasia. É muito difícil não se sentir tocado ao se aventurar pelas páginas que resgatam conhecidos personagens das lendas britânicas, talvez não com a maior acurácia histórica, mas com uma profunda dimensão humana. Nos sentimos próximos dos personagens com suas motivações distintas, crenças e personalidades fortes, nenhum herói imaculado ou vilão puramente perverso, todos presos na mesma roda da fortuna.

Há um questionamento constante sobre os limites e a extensão da crença na sociedade, o embate entre uma cultura anterior e os novos caminhos criados pela nova cultura - de uma maneira bem condensada, considerando que o intervalo no livro deve ser de uns 100 anos.

E por fim, destaco o impacto que deve ter tido essa releitura de um folclore como as lendas arturianas, já tão exploradas e recontadas, pela perspectiva das mulheres da história. Não sou nenhuma versada em literatura, mas acredito que esse detalhe tenha sido a chave para uma narrativa nunca explorada das lendas, abrindo o caminho para toda uma nova geração de leitores e de histórias.
comentários(0)comente



Faby 19/01/2018

Um super classico
"Cuidado com aquilo que deseja, pois certamente, lhe será concedido."

A coleção As Brumas de Avalon de Marion Zimmer Bradley reúne em um único volume a coleção com os quatro livros, que relatam a história da lenda do Rei Arthur, pela visão das mulheres que passaram na sua vida e que de alguma forma também fazem parte da história da Inglaterra. Em uma época em que a mulher é vista como objeto esses livros nos mostram uma outra face dessa história tão aclamada e divulgada, mas agora em detalhes ainda mais fascinantes.

O livro 1- A Senhora da Magia conta a vida de Igraine, mãe de Arthur e Morgana. Depois do nascimento de Morgana, Igraine é obrigada pela senhora de Avalon, a se envolver com Uther, o Grande Rei da Bretanha. Dessa união acaba nascendo o amor verdadeiro e Arthur que segundo Merlin salvará a Bretanha. Morgana e Arthur são criados separados, depois de um ritual eles acabam se encontrando de uma forma que afetará as suas vidas de uma forma surpreendente.

No livro 2 - A Grande Rainha, vemos a coroação e Arthur como Rei e consequentemente o seu casamento com Guinevere, mesmo com a forte torcida pela Morgana. Apesar de ter jurado ao seu povo manter as suas tradições, Arthur acaba se deixando influenciar pela opinião da sua rainha- uma mulher extremamente cristã e assume o trono como um Rei Cristão. O que Arthur não sabe é que sua esposa está apaixonada pelo seu principal cavaleiro Lancelote. Sem conseguir gerar um filho Arthur e Guinevere não fazem ideia de que em outro lugar Morgana dá a luz a um saudável menino filho de Arthur.

No livro 3 – O Gamo Rei, um dos livros mais emocionantes da série (o mais emocionante na minha opinião), o casamento do filho Arthur e Guinevere continua por um fio pela incapacidade deles de gerar uma herdeiro. Enquanto a rainha continua sendo odiada por todos. Arthur finalmente conhece seu filho com Morgana e ela dá um passo em direção ao seu futuro e crescimento. Se você não se encantou muito com os livros anteriores esse certamente vai te fisgar.

O último livro da série – O prisioneiro da árvore, é um dos mais surpreendentes e tristes da coleção. Nele conhecemos o final de cada um dos personagens que acompanhamos desde o inicio e a quem aprendemos a amar e odiar. Se você espera por finais felizes ou que o seu personagem favorito finalmente encontre um motivo para seguir em frente você pode se decepcionar. Esse livro não é um conto de fadas, mas sim, uma fantasia repleta de histórias reais e personagens quase tão humanos quanto nós (apesar de toda a magia). Não desanime, vale muito a pena conhecer o final de uma série tão encantadora e fascinante como As Brumas de Avalon. Se você tem alguma dúvida: deve ou não ler essa série? eu digo “Tá esperando o que?” Vem se encantar com Arthur, Lancelot, Merlin. A Távora redonda, Scalibur- e é claro, todas as poderosas mulheres que ajudaram a construir uma das mais belas e famosas lendas de todos os tempos.

Essa é uma coleção repleta de fantasia, mistério, crenças, religião, política e vários outros temas polêmicos e misteriosos que nos envolvem e nos deixam extasiados. Se você curte a história do Rei Arthur ou tem interessa em conhecê-la não pode deixar de adquirir essa obra genial.

Outro ponto positivo é a edição da Editora Planeta, é a união dos livros em uma única edição. E o melhor em capa dura (maravilhosa), revisão e diagramação lindas; essa é certamente uma edição de luxo que vale muito a pena para oferecer como presente.

"Eles acreditam - contou Viviane com sua voz aveludada e baixa - que não há Deusa, pois o princípio da mulher, dizem eles, é o princípio do mal".
comentários(0)comente



douglaseralldo 23/12/2017

10 CONSIDERAÇÕES SOBRE AS BRUMAS DE AVALON, DE MARION ZIMMER BRADLEY OU SOBRE INTOLERÂNCIA E FÉ
1 – Não é à toa que As Brumas de Avalon cada vez mais vai tornando-se um clássico da literatura de fantasia, e por que não, da própria literatura. Com uma narrativa densa e qualificada a obra traz uma visão bastante peculiar das lendas arturianas e ressignifica pela perspectiva das mulheres os mitos e as crenças, trazendo para o romance uma visão assim, mais ampla, a partir do olhar de Marion Zimmer para a cultura daqueles tempos remotos mas que ainda ecoam entre nós;

2 – Dito isto, comecemos então por talvez o elemento mais relevante da obra, visto que entre tantas obras a tratar das lendas arturianas, Bradley conseguirá atrair a atenção por justamente trazer a baila o olhar das mulheres a uma lenda de feitos heroicos masculinos. Publicada originalmente em 1982, o livro nasce num período em que as lutas das mulheres e do feminismo vem se consolidando na sociedade, deste modo nada mais justo e necessário que as histórias também passem a trazer a perspectiva da mulher, especialmente porque não podemos desconsiderar, inclusive na fantasia, a predominância da presença masculina, entre heróis e vilões, enquanto as mulheres não passam como acessórios às grandes jornadas. Nesse sentido, ao criar suas Brumas a partir do olhar da mulher, reafirmando o papel das mulheres para a história e dando-lhes o devido protagonismo, numa obra tão relevante quanto O Senhor dos Anéis ou As Crônicas de Nárnia, para a fantasia, além é claro de toda sua relevância para o universo arturiano a autora não deixa de apresentar um manifesto pela inclusão das mulheres nos registros das grandes historias;

3 – Assim, acompanhamos o reinado do Rei Artur pela perspectiva das sacerdotisas de Avalon, especialmente Morgana, Morgana das Fadas, que entre brumas e o mundo real testemunha as mudanças da Bretanha, mas não só testemunha, também tomando parte no devir histórico de forma ativa, errando ou acertando ao longo das décadas, sempre imbuída por suas crenças e escolhas, e ainda dividindo a sua voz em primeira pessoa com a narrativa em terceira que desfila todos os acontecimentos da ascensão e queda do lendário Artur;

Resenha completa do blog

site: http://www.listasliterarias.com/2017/12/10-consideracoes-sobre-as-brumas-de.html
comentários(0)comente



20 encontrados | exibindo 16 a 20
1 | 2