Orgulho e Preconceito e Zumbis

Orgulho e Preconceito e Zumbis Jane Austen
Seth Grahame-Smith




Resenhas - Orgulho e Preconceito e Zumbis


139 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


ThaísLR 21/10/2010

Era pra ser engraçado?
Juro que tentei gostar deste livro! Tentei, em vão, captar o senso de humor do autor. Olha que eu sou o tipo de pessoa que ri fácil, mas, se há qualquer tipo de humor no livro, é do mais bobo possível; como se o autor fosse um menino de dez anos. Um desperdício de uma idéia que poderia ser boa se bem executada.
SasoriGui 16/03/2011minha estante
A graça é tu pegar um livro classico desses e esculhambar ele com zumbis e ninjas , coisas que jovens de hoje em dia gostam.

Eu gosto de ninjas e zumbis , mas o livro é beem chatinho e o original é um pouco melhor.


Bruno Pereira 06/05/2011minha estante
Graças a seus excelentes comentários fui salvo de comprar esse livro. Agradeço a todos.


Douglas 24/06/2013minha estante
Este livro mais parece um desrespeito com a obra de Jane Austen.




Amanda 18/12/2010

Nenhum orgulho dessa histórinha picareta, só preconceito.
Qual o mérito de se pegar uma história já pronta, acrescentar uns zumbis aqui e ali e publicar de novo?
É a mesma coisa que comprar um bolo pronto na padaria, colocar alguns morangos em cima e sair vendendo.
O único mérito do livro é que a história de Jane Austen foi reescrita de uma maneira mais fluída, e que talvez o fato de ter acrescentado uns "morangos" ao texto (no caso, os zumbis) fez com que as pessoas se interessassem pela obra sem preconceitos: "esse livro é velho, deve ser difícil/chato/cansativo de ler".
Porém, acreditem, se você leu e gostou desse livro, você gostou mesmo é da Jane Austen. Vá atrás dos originais e acredite: não foram os zumbis que fizeram essa história ser legal.

MsBaahHerdy 01/08/2011minha estante
Concordo com a sua review, mesmo eu tendo elogiado o livro o maior fato de eu ter gostado dele é por pertencer a Jane Austen, a quem idolatro. Se fosse uma história naquele periodo, com personagens diferentes e zumbis, eu provavelmente teria odiado.
Achei valido o livro por trazer a tona classicos que acabam esquecidos nas prateleiras e que só acabam sendo lembrados quando algum filme sai com a historia em foco, o que é depreciante.


Bruno Pereira 30/05/2012minha estante
Rsrss... Não resta dúvida que o livro não foi bem aceito. Ainda bem que existem sites como este para abrir a mente do leitor antes que possamos gastar com um livro decepcionante.


Carous 30/10/2016minha estante
Cara, esse livro me deu uma revolta! Isso é praticamente um plágio de Austen e o cara LUCROU COM ISSO. Como a editora aprovou esse livro e nenhum dos leitores enganados se rebelaram contra o escritor ou a editora eu não sei. Nunca mais leio nada desse homem que pega livros prontos dos outros, acrescenta umas vírgulas e chama de seu.




Drica Bitarello 23/11/2010

Um livro não-mencionável...
"Orgulho e Preconceito e Zumbis" é um dos mais famosos representantes de um novo filão literário, chamado mash up novels. Hein? Isso é de comer ou de passar no cabelo?
Bom, eu explico. Apesar do nome que soa como marca de chiclete, "mash up novel" é um novo gênero(?) cuja proposta é pegar um clássico da literatura (que seja, de preferência, de domínio público) e revisitá-lo, adicionando outra perspectiva ao enredo, outros personagens, enfim, modificando avacalhando a história que o pobre - e presumidamente já falecido autor - teve um puta trabalho para escrever.
Eu até diria que isso é um derivativo das fans-fics, mas a diferença é que nas fics o pessoal CRIA um novo enredo usando seus personagens e histórias favoritos.
Eu comprei o livro de Seth-Grahame Smith por curiosidade, e também por gostar de Jane Austen. A editora Intrínseca fez uma grande divulgação nas mídias sociais e despertou minha atenção. Ai de mim...
Logo no início a célebre frase de abertura de Jane Austen “É uma verdade universalmente aceita que um homem solteiro, dotado de uma certa fortuna, precisa de uma esposa.” é contaminada pela praga dos não-mencionáveis: "É uma verdade universalmente aceita que um zumbi, uma vez de posse de um cérebro, necessita de mais cérebros."
O começo do livro até que é interessante, com a mescla do texto de Jane Austen com as inserções dos mortos-vivos e as consequências da presença deles na ilha de Sua Majestade. No entanto, lá pela terceira ou quarta página a coisa começa a ficar cansativa. O autor não fez uma releitura do livro, nem sequer uma adaptação; ele simplesmente inseriu os zumbis no contexto, cortou umas sequências aqui e ali, emendou outras, encheu a história de tiradas escatológicas e conseguiu uma boa assessoria de marketing.
A Elizabeth Bennett que surgiu dessa mistura deixou de ser a mulher sensível, inteligente e de aguçado espírito crítico para se tornar um híbrido de ninja assassino com uma mala-sem-alça. Ela é enjoada, vive se irritando por qualquer coisa e repetitivamente tem ímpetos de atravessar alguém com sua katana. Ou seja, parece que está eternamente na TPM. O Sr Darcy, tão interessante no original, fica perdido, xoxo, sem personalidade alguma. Tanto ele quanto o Sr Bennett - cuja ironia sutil sempre fez um delicado contraponto com a de Elizabeth - viraram coadjuvantes menores do que os tais zumbis.
Pouco se salva da miscelânea que Seth-Grahame criou. Uma delas é o "Guia de Discussão para o Leitor" que foi inserido no fim do livro, a única coisa que me fez rir de verdade. Jane, a mais velha e mais doce das Bennett, vira uma Barbie sem sal e, embora o autor tente nos convencer do contrário, é difícil vê-la como uma matadora de zumbis tão furiosa quanto Elizabeth. O participação do Sr Wickham é outro desastre. Seu destino grotesco e despropositado ao lado de Lydia parece um fragmento de outra história, que foi incorporado de qualquer jeito ao texto, deixando a sensação de que você está lendo algo (mais ainda) sem pé nem cabeça.
Ou seja, o livro é de dar medo. No mau sentido.
Pior de tudo é saber que o gênero vai virar (mais uma) modinha e que já começaram a pipocar mash ups por aí, na mesma velocidade exponencial com a qual vampiros se expandiram pelo mundo. [bate na madeira]
E para horror dos horrores - provando que além da praga dos não-mencionáveis, a praga da cara-de-pau também assola o mundo - "Orgulho e Preconceito e Zumbis" está para virar filme.
Depois dessa, de uma coisa eu tenho certeza: Jane Austen deve estar prestes a se erguer do túmulo. Pois se revirando dentro dele, ah, isso ela já está!

http://catalivrosromances2.blogspot.com/2010/11/orgulho-e-preconceito-e-zumbis.html
Lia Costa 12/12/2010minha estante
Drica
Maravilhosa resenha..estou sofrendo horrores para ler esse livro. Nunca mais vou me aventurar a ler esse tal de mash up novel. O pior de tudo mesmo, eh que ja comecaram a fazer isso com obras brasileiras, como os livros de Machado de Assis...uma pena!


Flá 24/01/2011minha estante
ótima resenha! estava curiosa pra lê-lo, uma vez que já tem até a versão original dele na livraria Cultura aos montes pra vender..e, se vai virar filme, com certeza vai ser 'mais um besteirol americano'.




Jéssica 14/11/2010

Por que não pegar um dos clássicos mais adorados da literatura mundial e inserir alguma criatura das trevas para colocar a estória sobre uma nova perspectiva?

Foi exatamente isso que Seth Grahame-Smith fez.
Algo, sem dúvida, arriscado, mas que na minha opinião, ele fez direito!

Eu simplesmente me deliciei lendo um dos meus livros favoritos dessa nova perspectiva! A idéia das Irmãs Bennets serem exímias na arte de matar zumbis é tão absurda quanto divertida!
Ler que uma das minhas personagens favoritas deixa o recato de lado, ergue a barra da saia de seu vestido e aplica uma voadora certeira no cabeça pendente de um morto-vivo foi simplesmente hilariante.

Como uma paródia, esse livro não deixa de ser uma homenagem a ótima literatura de Jane Austen, apenas apimentada pelo humor sombrio que os zumbis e as cenas mortais acrescentaram.
Edu_H_ 14/06/2012minha estante
o problema é que ele não criou uma nova versão da mesma trama, mas, sim, fez uma colagem dissonante do material original ,que continua fragmentado no livro, com Zumbis e ninjas.


Fabricio 25/09/2012minha estante
haha. Eu adorei também. nem Douglas Adams ou Chuck Pallanuk me fizeram rir tão descontroladamente.

O inusitado da mistura de gêneros e estilos é chocante.




Fábio Valeta 14/09/2010

A idéia é até interessante. Pegar um clássico da literatura e acrescentar zumbis devoradores de cérebros. Contudo faltou ousadia do autor.

O livro fica sempre no "quase empolga" mas não sai disso.
Fabiola 03/02/2011minha estante
Engraçado que achei a mesma coisa. Os zumbis não acrescentam nada à história, esperava que eles fizessem tipo uma "revolução na história", mas foi quase como se eu estivesse lendo orgulho e preconceito, porque as poucas cenas com zumbis não contribuiam em nada com a história.




Marina.Campezano 12/07/2020

Meio meh
Não é de todo ruim, mas não achei nada especial. O ponto alto da história é a Charlotte e eu esperava que ela tivesse um desfecho melhor.
Acho que a maior qualidade do livro é a capa.
comentários(0)comente



Aline 07/11/2020

Orgulho e Preconceito e Zumbis é uma recontagem do mais famoso livro da Jane Austen. Neste livro, o autor Seth Grahame-Smith reescreveu Orgulho e Preconceito ao pé da letra, modificando apenas o necessário para inserir os zumbis. Para mim, foi divertido ler este livro, pois foi como se eu estivesse relendo Orgulho e Preconceito, já que, na minha opinião, a obra é praticamente a mesma da original, com exceção dos temidos não mencionáveis. Aliás, os zumbis são chamados de diferentes nomes nesse livro: não mencionáveis, crias de Satã, servidores de Satã, exército de Satã.

Os zumbis são inseridos na narrativa basicamente quando os personagens de Orgulho e Preconceito estão em ar livre, o que não é muito frequente ao longo do romance, por isso repito que foi mais como uma releitura. Um ponto diferente do que a gente está acostumado a ver nas séries e filmes de zumbis é o tempo de transformação: aqui no livro, ao ser mordido, demora meses para a pessoa se transformar, o que é bem diferente dos que os filmes e séries de zumbis nos apresentam.

Nessa história, a estranha praga assolou a Inglaterra já há muitos anos. No livro, chega a falar que a estranha praga teve seu primeiro surto ainda na juventude da sra. Bennet, mãe de Elizabeth, Jane, Mary, Lydia e Kitty. As filhas do sr. e sra. Bennet foram aprendizes de Pei Liu de Shaolin, na província de Henan, que fica na China. Elas haviam sido meticulosamente treinadas para serem guerreiras hábeis contra os zumbis.
comentários(0)comente



Maryanna 21/04/2020

3 estrelas
Sinceramente!!
Não gostei.
Não achei graça na história..
Adoraria recomendar mas infelizmente, não recomendo, leitura bem desinteressante.
comentários(0)comente



Claudia 10/12/2010

Alguém, por favor, pode me dizer que troço é esse livro? Muito ruim... Dei uma estrela de benevolência... Não aguentei terminar. Totalmente sem noção... Lizzie estudou Shao Ling? No Japão? Impressionante como coisas como essa tem público!! Acho que vou pegar um clássico, colocar uns zumbis, uns vampiros e ganhar muiiiiitooo dinheiro!!!! Totalmente trash, lixo completo...
comentários(0)comente



juh 28/04/2020

Jane Austen e zumbis...definitivamente combinam!
Quando vi este livro, em uma bienal do livro há muitos anos atrás, e apenas por 10 reais, pirei! Sabia de cara que ia amar. Os personagens de Orgulho e Preconceito são mantidos com bastante fidelidade, e a história segue mais ou menos o curso da original, mas é colocado, em meio a tudo isso, um relato e descrição de conflitos sangrentos com zumbis. As 5 irmãs Bennet são treinadas nas artes mortais. Elizabeth, ao invés de querer ser livre e viajar o mundo de forma independente, fez juramento como serva e matadora dos filhos de satã (os zumbis não mencionáveis). Ou seja, uma mistura de romantismo, diversão e sangue...muito sangue e fluidos cerebrais.
comentários(0)comente



03/12/2010

As aparências realmente enganam.
A princípio aparenta ser uma versão engraçada e descontraída de uma obra tão aclamada, entretanto se revela uma leitura pobre e tediosa que interfere na essência clássica da obra original. O que poderia ser genial foi transformado em algo rídiculo por uma má narração e uma péssima adaptação. Livros como esse me deprimem.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Gustavo 16/05/2012minha estante
Oi Maiara! Obrigado pelo comentário. Gostei bastante de sua resenha :-) Já faz um tempinho que o estúdio Lionsgate anunciou a produção do filme baseado no livro (o autor me parece que também é o roteirista), mas as notícias são meio confusas. Três diretores já abandonaram o projeto; Natalie Portman e Emma Stone recusaram o papel principal. Será que vem coisa boa por aí?


Clara 22/01/2017minha estante
Também odiei o que ele fez com a Lizzy




Andy 06/04/2021

Romance e zumbis
Em um mundo onde uma praga se arrastou pelo mundo, transformando as pessoas que se contaminam em zumbis. Os costumes mudaram de tal modo em que as moças de família têm que não só serem prendadas como também, excelentes nas artes ao combate à zumbis para serem dignas de casamento.
A família Bennett é muito conhecida pelas suas filhas, devido a sua destreza com uma espada e agilidade nos movimentos de combate. Mesmo não tendo tempo para flertes e somente focadas nos treinamentos, a mãe dessas jovens tenta levá-las a várias atividades sociais, principalmente depois que jovens promissores chegam ao vilarejo, levando a loucura todas as jovens moças com pretensão a casamento. Será que as jovens Bennett cederão sua espada pelo amor? E como será a batalha contra os zumbis?
Bem esse livro é uma adaptação de um dos clássico mais famosos, achei a leitura um pouco cansativa apesar de ter me chamado a atenção, misturar um romance que gosto com zumbis porém, maior parte da leitura notei que parecia muito igual ao clássico só com acréscimo de cenas com zumbis.
comentários(0)comente



Kello 27/01/2012

Dos Psicopatas aos Zumbis e suas Couves-Flores
Sou fã de Orgulho e Preconceito e adoro zumbis, então um livro que mescla ambas as coisas seria uma rara iguaria pra mim, não seria?
Ledo engano: a leitura foi penosa e indigesta. Entendo que Grahame-Smith tinha por objetivo criar uma paródia de um clássico literário, mas foram pouquíssimas as inserções suas no texto que conseguiram despertar alguma reação ou sentimento em mim além do tédio, sendo seu momento mais inspirado a ficha de leitura ao final do romance. A adição dos zumbis não acrescentou nada à história, pois o autor não conseguiu fazer com que estes interagissem com a trama, ficando algumas escaramuças com os mortos-vivos atiradas como que ao acaso pelo texto. E nem falarei das lutas pois nenhuma, sendo ela contra morto ou vivo, chegou a empolga-me.
Outro fator que me trouxe grande desapontamento foi o desenvolvimento das personagens. Algumas, como a Sra. Bennet, Jane, Mr. Bingley e Lygia, seguem bastante fiéis ao original. Elizabeth e Mr. Darcy, no entanto, tornaram-se psicopatas. Esse é a única explicação que encontro pra algumas de suas ações e afirmações no decorrer da trama. E muito me incomodou o final moralista para algumas personagens de atitudes questionáveis ou monótonas, o que não ocorre no original, escrito no final do século XVIII.
Enfim, após estes 41 dias de provação, o que restou da leitura dessa obra foi uma vontade louca de reler o original, rever a série da BBC de 1995 e rever o filme de 2005, um medo sutil de que esta tragédia acabe por me tornar uma purista, e a certeza que um zumbi nunca confundiria uma couve-flor com um cérebro a menos que a primeira estivesse coberta de miolos! E ponto final.
Danny 28/01/2012minha estante
Olha eu tentei e muito ler esse livro, desisti umas 5x e comecei de novo mas não deu, não consegui, a historia é ate interessante mas a parte dos Zumbis acabou com o livro, vou tentar ler o original sem os zumbis.




139 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |