Lojas de canela e outras narrativas

Lojas de canela e outras narrativas Bruno Schulz


Compartilhe


Lojas de canela e outras narrativas





O escritor e desenhista polonês Bruno Schulz (1892-1942) criou a sua breve e deslumbrante obra literária em um período de pouco mais de uma década, quando teve a sua vida tragicamente interrompida pela barbárie nazista. Em sua pequena cidade nos confins da Europa Central, Drohobycz, escreveu, ao todo, dois ciclos de contos e mais um punhado de narrativas, que alcançariam a admiração de nomes como Witold Gombrowicz, Czesław Miłosz, Isaac Bashevis Singer, John Updike e Philip Roth, entre muitos outros.

Além de Lojas de canela, livro de estreia do autor, publicado originalmente em 1934, este volume inclui os cinco contos que não figuram em sua segunda obra, Sanatório sob o signo da clepsidra - entre eles, um texto inédito em português, A primavera -, e se encerra com um brilhante posfácio em que o eslavista italiano Angelo Maria Ripellino lê a obra de Schulz à luz dos seus pares poloneses e das vanguardas europeias, restaurando a proximidade da sua prosa e da exuberância irrefreável de suas imagens com as tendências estéticas da art nouveau e do modernismo.

Para esta nova edição da ficção de Bruno Schulz, a ser completada com a publicação de Sanatório, a consagrada tradução de Henryk Siewerski - extremamente fiel aos adornos e arabescos tão característicos da escrita de Schulz - foi novamente revista e cotejada com as edições mais recentes da obra do autor.

Contos / Ficção / Literatura Estrangeira

Edições (5)

ver mais
Lojas de canela e outras narrativas
Lojas de Canela
As Lojas de Canela
Lojas de Canela

Similares

(5) ver mais
Ficção Completa
Ficção Completa
Sanatório
Contos de Odessa

Resenhas para Lojas de canela e outras narrativas (5)

ver mais
Avaliação da leitura: 4,0/5,0 – BOM (prosa de alta voltagem poética, que pode provoca
on 20/8/20


Primeira vez que li sobre o polonês Bruno Schulz (1892-1942) foi em Mecanismos Internos – Ensaios Sobre Literatura (Companhia das Letras, 2011), de J. M. Coetzee. Nele, o autor de Desonra (idem, 2000) trazia seu enfoque particular sobre a vida e a obra de importantes autores do século XX. Aos poucos fui me informando mais sobre Schulz e os demais escritores tratados por Coetzee, mas foi somente neste mês que me aventurei a ler Lojas de Canela, publicado em 1934. São quinze histórias ... leia mais

Estatísticas

Desejam41
Trocam1
Avaliações 4.3 / 36
5
ranking 53
53%
4
ranking 33
33%
3
ranking 8
8%
2
ranking 6
6%
1
ranking 0
0%

45%

55%

Jenifer
cadastrou em:
01/11/2019 11:03:37
Nadine
editou em:
09/08/2021 16:33:45

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR