Longe da árvore

Longe da árvore Andrew Solomon


Compartilhe


Longe da árvore


Pais, filhos e a busca da identidade




Diagnosticado com dislexia na infância, Andrew Solomon conta que a superação dessa deficiência só foi possível porque ele pôde contar com a paciente dedicação dos pais, em especial de sua mãe, num lar estruturado. Criado num ambiente privilegiado - a culta classe média judaica de Nova York -, Solomon sempre teve acesso a todo afeto e atenção terapêutica necessários ao tratamento.

Entretanto, quando sua homossexualidade latente transpareceu na adolescência, os mesmos pais que sempre o haviam cercado de carinho e compreensão reagiram com intolerância e vergonha. Ele teve de se afastar traumaticamente da família para conseguir vivenciar a plenitude de sua identidade sexual.

Muitos anos depois, para tentar entender as relações entre essas duas identidades divergentes das expectativas dos pais, e como elas puderam provocar sentimentos tão antagônicos, o autor realizou uma abrangente pesquisa sobre o universo da diversidade em famílias com filhos marcados pela excepcionalidade.

Surdos, anões, portadores de síndrome de Down, autistas, esquizofrênicos, portadores de deficiências múltiplas, crianças prodígios, filhos concebidos por estupro, transgêneros e menores infratores: dez “identidades horizontais” (isto é, divergentes dos padrões familiares, linguísticos e sociais predeterminados), sujeitas em graus distintos a influências genéticas e ambientais, compõem a constelação de temas deste magnífico tour de force sobre os sentidos de ser diferente e, principalmente, de aprender a amar e respeitar as diferenças.

Longe da árvore começa como um estudo sobre pais tentando educar crianças ‘complicadas’, e acaba como uma afirmação do que é ser humano. - The Guardian

Muitos livros nos ajudam a pensar em temas morais... Mas poucos me fizeram sentir questões morais tão intensamente quanto este. - New York Magazine

Fazendo uma matéria sobre o Google, descobri que uma das dez perguntas mais feitas no mecanismo de busca é O que é o amor?. No futuro, o Google fará bem se indicar o extraordinário livro de Andrew Solomon àqueles que digitarem essa recorrente questão. - Tim Adams, The Observer

Andrew Solomon nos faz lembrar que nada é tão poderoso no desenvolvimento de uma criança quanto o amor dos pais. - Bill Clinton

Este é um dos livros mais extraordinários que li nos últimos tempos - corajoso, sensível e assombrosamente humano. - Siddhartha Mukherjee, autor de O imperador de todos os males

Longe da árvore é um marco, um livro revolucionário. Andrew Solomon encara seu tema a fundo, humanamente, com um estilo que torna a leitura compulsiva, tão aliciante quanto esclarecedora. - Jennifer Egan, autora de A visita cruel do tempo

Bem estar e lazer / Biografia, Autobiografia, Memórias / Biologia / Didáticos / Técnico / Educação / LGBT / GLS / Medicina e Saúde / Não-ficção / Psicologia / Sexo e Sexologia

Edições (3)

ver mais
Longe da Árvore
Longe da Árvore
Longe da árvore

Similares

(6) ver mais
O Demônio do Meio-Dia
A Mãe Eterna
A amiga genial
Meus Tempos de Ansiedade

Resenhas para Longe da árvore (11)

ver mais
Este livro mudou minha forma de ver a paternidade.
on 23/12/17


Terminei de ler "Longe da Árvore" às vésperas do Natal e do nascimento da minha filha. Vi o tema e as várias indicações como uma missão a realizar, uma forma de aumentar minha visão sobre aquilo que ocorre em algum nível: os filhos são sempre diferentes da projeção imaginada pelos pais. Através de um grande número de casos e experiências, a obra retrata como é a paternidade em relações de identidade horizontal, ou seja, filhos que não possuem a mesma identidade dos pais: surdos, anõ... leia mais

Vídeos Longe da árvore (1)

ver mais
Longe da árvore: pais, filhos e a busca da identidade

Longe da árvore: pais, filhos e a busca da id


Estatísticas

Desejam487
Trocam4
Avaliações 4.7 / 223
5
ranking 81
81%
4
ranking 17
17%
3
ranking 2
2%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

27%

73%

Jenifer
cadastrou em:
02/05/2019 18:16:34
BIBLIOTECA EREM H JUSTINO DE MELO
editou em:
01/12/2020 08:42:16