Aos 7 e aos 40

Aos 7 e aos 40 João Anzanello Carrascoza


Compartilhe


Aos 7 e aos 40





Fazendo uso de uma estrutura bastante inovadora, Carrascoza conta duas histórias simultaneamente, que correspondem a dois momentos distintos na vida do personagem principal, que nunca é nomeado: seus sete e seus quarenta anos. Com capítulos intercalados, os ímpares narrando a infância e os pares a vida adulta, o autor se usa dessa estratégia para construir a oposição já presente no texto.

Assim como a própria infância, os capítulos dedicados ao sétimo ano de vida do personagem são compostos de breves, mas intensos, episódios independentes, sobre suas experiências: a transgressão de roubar com um amigo o pássaro do vizinho; o esforço para seguir em frente após a perda do primeiro amor; as partidas de futebol disputadas com o irmão ao fim de tarde no quintal de casa. Ao melhor estilo Cortázar, os capítulos ímpares podem ser lidos em qualquer sequências.

Os capítulos dedicados à vida adulta, ao contrário, trazem uma sequência de acontecimentos cronológicos relacionados à crise vivenciada pelo personagem aos quarenta anos: a separação da mulher, a falta dolorosa que sente do filho...

Interessante é notar, ao longo da leitura, como a personalidade e o caráter do menino que começavam a se formar na infância se fazem notar na maturidade. Num jogo de ação e reação, os títulos dos capítulos sintetizam os dois momentos por meio da oposição: “fim” e “recomeço”, “silêncio” e “som”, “nunca mais” e “para sempre”.

Da mesma maneira, o projeto gráfico dialoga com esta dualidade: impresso em uma cor, sobre papel verde, o livro traz as narrativas da infância na parte superior da página enquanto as da vida adulta se encontram na inferior, acentuando os dois momentos distintos do personagem.

Aos 7 e aos 40 é fruto da maturidade narrativa de Carrascoza. Em seu rico universo literário, o leitor poderá reencontrar personagens já conhecidas de outras obras do autor, como a prima Tereza e o treinador Urso, que aparecem em Aquela água toda. A ausência de pontuação formal – os diálogos são marcados apenas por itálico e separados por vírgulas – cria um fluxo de leitura ininterrupto, assim como a vida do personagem.

Edições (2)

ver mais
Aos 7 e aos 40
Aos 7 e aos 40

Similares

(34) ver mais
Confissões de um jovem romancista
Caderno de um Ausente
Vermelho Amargo
Espinhos e alfinetes

Resenhas para Aos 7 e aos 40 (34)

ver mais
on 8/12/14


Ao ler esse livro, você perceberá a sua beleza, muitas vezes nos detalhes. E é bem capaz de sair de sua leitura com um novo olhar sobre o uso das palavras, sobre o quanto elas podem voar mais alto. João Anzanello Carrascoza escreve em estado de glória. Leiam e releiam. ... leia mais

Vídeos Aos 7 e aos 40 (7)

ver mais
Julgando livros pela capa - E aí Marcelo? qual é a história?

Julgando livros pela capa - E aí Marcelo? qua

Ep. #108: Aos 7 e aos 40, de João Anzanello Carrascoza

Ep. #108: Aos 7 e aos 40, de João Anzanello C

VEDA #21 - Resenha #24 - Aos 7, Aos 40 - João Anzanello Carrascoza - Eu Leio Livros

VEDA #21 - Resenha #24 - Aos 7, Aos 40 - João

a vida era o que era

a vida era o que era


Estatísticas

Desejam151
Trocam5
Avaliações 4.3 / 662
5
ranking 50
50%
4
ranking 36
36%
3
ranking 11
11%
2
ranking 3
3%
1
ranking 1
1%

33%

67%

Marcos
cadastrou em:
18/07/2013 14:35:42