Caderno de um ausente

Caderno de um ausente João Anzanello Carrascoza


Compartilhe


Caderno de um ausente (Trilogia do adeus #1)





Neste segundo romance, a estrutura formal continua a ser a principal pesquisa literária do autor. Como o título traz, o narrador desta história, um homem de cinquenta e tantos anos, escreve em um caderno anotações de vida para sua filha recém-nascida, Beatriz. Temeroso de que não acompanhará a maturidade da filha, uma vez que a diferença de idade é muito grande, o homem se põe a narrar a história da família entremeando por impressões filosóficas e poéticas sobre a trajetória de uma vida. A intenção do pai, porém, não é mostrar uma verdade, mas sim a delicadeza - "e eu só sei, Bia, que, em breve, não estaremos mais aqui, e, enquanto estivermos, eu quero, humildemente, te ensinar umas artes que aprendi, colher a miudeza de cada instante, como se colhe o arroz nos campos, cozinhá-la em fogo brando, e, depois, fazer com ela um banquete".Mas mesmo essas palavras, que compõem pequenos trechos escritos ao longo do primeiro ano de vida da criança, não são suficientes para satisfazer o pai - "eu ia te contar o segredo do universo como quem sussurra uma canção de ninar, mas eu não posso, filha, eu só posso te garantir, agora que chegastes, a certeza da despedida".

No texto deste "caderno", o leitor pode acompanhar também a inquietação do pai, ao longo de um ano, pela saúde da mãe de Bia, que vive doente e requer cuidados tanto quanto a criança. O leitor irá reparar que o texto diagramado apresenta espaços em branco ao estilo de Dos Passos - além de expressarem os vazios que a ausência já ocupa, são hesitações deste pai ao tentar escrever a educação sentimental para a filha.

Ficção / Literatura Brasileira / Biografia, Autobiografia, Memórias

Edições (3)

ver mais
Caderno de um ausente
Caderno de Um Ausente
Caderno de um Ausente

Similares

(33) ver mais
A Vida Privada das Árvores
Formas de Voltar para Casa
Meus Documentos
Espinhos e alfinetes

Resenhas para Caderno de um ausente (45)

ver mais
Amor de pai
on 22/5/14


"... eu ia te ensinar por que de não em não o tempo se sacia de nós, o tempo nos nega os desejos e nos avilta os sonhos, por que não existe a terra prometida senão em nós, e por que ela está cercada de continentes barrentos e istmos movediços, eu ia te levar para passear nos bosques que o meu imaginário esculpe, eu ia te ensinar a podar os ramos mais altos das árvores, porque se é preciso aprender a plantá-las é igualmente vital que se saiba apará-las, se eu pudesse, Bia, eu ia te ensi... leia mais

Vídeos Caderno de um ausente (3)

ver mais
CADERNO DE UM AUSENTE | Livros e mais #12

CADERNO DE UM AUSENTE | Livros e mais #12


Estatísticas

Desejam303
Trocam1
Avaliações 4.3 / 705
5
ranking 56
56%
4
ranking 29
29%
3
ranking 11
11%
2
ranking 3
3%
1
ranking 0
0%

25%

75%

João Lúcio
cadastrou em:
03/06/2017 03:52:05
magno argolo
editou em:
28/06/2017 11:44:29