Enquanto eu respirar

Enquanto eu respirar Ana Michelle Soares




Resenhas - Enquanto eu respirar


29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Gerson 15/09/2020

Meu Deus!!! Que leitura maravilhosa!!! Amo livros que me inspiram... amo tudo que me inspira... comprei em um momento tão difícil da minha vida, muito mais por curiosidade do que por outro motivo e não me desapontei.

A autora, paciente oncológica paliativa, conta (divide) sua experiência e de sua amiga-irmã Renata no tratamento dessa doença devastadora e o faz com doses certas de humor, ironia, amor e, por incrível que pareça, esperança!!!

Não esperança em uma cura que pode vir ou não, mas apenas de que ela (todos nós) possa ao final da jornada comum a qualquer ser vivo estar satisfeita com aquilo que transformou sua vida.

Obrigado Anami!!! De coração!!!
comentários(0)comente



Vânia 04/02/2020

Envolvente e verdadeiro, sem deixar a peteca cair...
"Devia ser a décima vez que eu entrava em uma máquina de ressonância magnética."

É assim que a gente é apresentado a Ana Michelle, ou AnaMi, uma pessoa como você e eu, com sonhos, desejos, que um dia descobriu que tinha câncer, e fez todos os procedimentos para obter a cura.

Cura... o Santo Graal buscado por todas as pessoas que adoecem, seja de uma gripe a uma doença com nome e sobrenome, como o câncer.
Às vezes é possível (e graças por a Medicina estar avançada), às vezes, não.

Mas, ei! Psiu!
Antes que você pare de ler esta resenha achando que pode ser muito baixo astral, ou caso você esteja entre o grupo de pessoas que acha que só por mencionar "aquela maldita doença com C", já está infectado, saiba que este livro é um dos mais otimistas que já li do gênero (e acredite, tenho lido vários sobre o assunto.)

Já reparou na quantidade de pessoas famosas que têm essa doença ou morreram por conta dela?
Não sei se ela sempre teve esse número alarmante de infectados, e só começamos a saber em tempo real por causa da internet, ou se nosso modo de vida está nos matando.
A verdade é que a cada dia, mais pessoas descobrirão que estão com câncer.

A palavra já dá medo, não?
A gente pensa logo nos efeitos nada positivos: em ficar muito magro (ou muito gordo, o que na verdade é inchaço); perder os cabelos; ver as unhas fracas e quebradiças; perder a fome; ficar com o paladar com gosto de ferro; ter dores pelo corpo; passar a ter problemas de memória; ter medo de ser abandonada; querer dormir; ter medo de morrer; querer morrer...

A felicidade bestializa, só o sofrimento humaniza as pessoas. - Mario Quintana

São tantas as emoções que a pessoa mais parece uma daquelas montanhas-russas super power.

Ainda assim, a pessoa parte à luta.
Porém, em alguns casos (e aqui, não vou falar em estatísticas. O ser humano não é uma), a pessoa descobre que apesar da luta, apesar do otimismo, apesar da clínica mais moderna em tratamentos, o seu câncer evoluiu.

E agora?

Para quem gosta de viver, nunca será tempo suficiente

Por conta de uma falha no sistema, Ana teve acesso manual à descrição de seu caso/tratamento para o câncer. E foi quando descobriu que havia entrado na fase paliativa.
Os remédios não eram mais para combater o câncer, mas para mantê-la com qualidade de vida.

Ao longo desse caminho, ela foi descobrindo quem realmente estava do lado dela.
O casamento real acabou, mas novos enlaces foram se formando, especialmente com as amigas de luta, outras mulheres - que através de grupos de apoio - se entendem, se respeitam, não deixam a peteca cair (porque ela periga cair todo o santo dia.)

Nos últimos anos, havia me especializado na arte de ocultação de gritos. Eu sorria quando queria chorar. Eu sorria quando queria agradar. É incrível como um sorrisinho amarelo deixa tudo mais prático e confortável para a outra pessoa.

Então, mais do que ser apenas um livro autobiográfico ou de autoajuda, este livro é a história de amigas @paliativas. Pessoas que conhecem muito do caminho trilhado por pessoas com esse diagnóstico.
Não, elas não são super-heroínas. Não são daquelas pessoas irritantemente bem-humoradas que só veem o lado bom de tudo. Elas só têm um "cadin" mais de experiência, e, por alguma razão, o tratamento não teve o desfecho que todos sonham ao receber esse diagnóstico, porém, nem por isso, a vida perdeu a sua beleza.

E o que você pode fazer para morrer feliz, já que é assim tão inevitável?
5 estrelas
comentários(0)comente



Waleska.Rodrigues 21/04/2020

Pra quem tem coragem.
Esse livro é pra quem tem coragem, coragem de olhar pra finitude da vida e escolher viver os dias como se fossem os últimos, porque de fato são, podem ser os últimos 90 anos ou os últimos 9 minutos não sabemos mas, são os últimos.
Lindo livro vale a pena ler e chorar com ele, a autora tem uma escrita deliciosa.
comentários(0)comente



Van 15/03/2020

Leiam!!!!
Achei a AnaMi por acaso no Instagram de uma amiga. Me apaixonei pela sua história e quando descobri que ela tinha publicado um livro, comprei no mesmo momento. Leitura rápida e intensa... te faz pensar muito e eu simplesmente amei! Recomendo!
comentários(0)comente



Carol 24/08/2020

Incrível!
O livro é escrito por uma paciente oncológica, onde ela retrata a incrível história de superação e de amizade dela e de sua amiga Renata! Pode-se sentir o amor sendo emanado em cada capítulo!!!! Uma história que aquece o coração, nos incentivando a viver o agora e não se preocupar com que estar por vir. Ressalta-se sempre a importância dos cuidados paliativos e da realização dos desejos no fim de vida. Mais do que morte, esse livro fala de forma magnifica sobre a vida. Gratidão AnaMi e Rê, por compartilhar conosco essa história tão lindaa!
comentários(0)comente



Rebeca Tavares 15/08/2020

Você vive o agora?
Esse livro não é apenas um relato de sobrevivência à uma doença, mas um chamado, um alerta para a vida que você está vivendo. Ele nos alerta para avaliarmos nossa vida, estamos realmente vivendo ou apenas sobrevivendo. Um livro que com certeza você não vai se arrepender de ler.
comentários(0)comente



Bell 04/02/2020

null
Não tenho palavras pra descrever essa leitura.
Foi incrível, emocionante, tocante, cheia de lições.
Um livro sobre a vida e sobre o amor. Sobre amizade, sonhos, empoderamento e cura. .

Li todo o livro conferindo o insta @paliativas, fui vendo as fotos e vídeos dos momentos narrados e foi como participar de tudo. Me conectei profundamente com Ana Mi e Renata, pensei muito em minha mãe.
Sorri e chorei. ? .

Eu poderia dividir diversas passagens incríveis do livro, falar sobre ele por dias, e mesmo assim não conseguiria passar a emoção da leitura. Minha dica é: leiam esse livro!
Aprendam com ele como eu aprendi.
Termino com coração em pedaços, olhos vermelhos, mas extremamente GRATA! ?
comentários(0)comente



Bru 01/07/2020

Ver o valor da vida sobre o olhar de quem está com a morte em questão trás novos olhares sobre como viver aproveitando cada momento.
comentários(0)comente



luisanogueire 07/09/2020

Transformador
Termino o livro com o sentimento que
e ainda posso fazer mais, sentir mais, viver mais.
Leitura agradavel, emocionante, de escapar lagrimas, sorrisos e gargalhadas.
Ja ta na lista de favoritos!
comentários(0)comente



Letícia, Leleh 08/09/2020

não é sobre doença, é sobre saúde
este livro é com crtz um dos mais importantes para mim, neste ano de pandemia. eu não tenho câncer, mas tenho uma doença autoimune que me faz sentir muita dor. neste livro entendi que preciso urgentemente entender como encarar minha vulnerabilidade. a Ana Mi e Renata me fizeram despertar para a importância de viver e não só sobreviver. sou muito grata!
comentários(0)comente



Ana Paula 06/09/2020

Inspirador e tão verdadeiro.
Livro lindo, que nos faz repensar a forma que escolhemos viver nossa vida. Simplesmente um soco lindo no estomago.
comentários(0)comente



Amanda Celeste 10/01/2020

Viver à Luz da Finitude
Um dos privilégios de ser médica é lidar diariamente com a vida em carne viva - eu exerço minha profissão à pouco tempo, mas desde que comecei já presenciei amores, desesperos, arrependimentos, risadas, tristezas e alegrias mais viscerais e sinceros do que a maioria dos sentimentos que eu vivi em minha própria existência.

Essa galeria de VIDA em caixa alta está eternizada em minha memória com o rosto de pacientes que muitas vezes me tocaram mais do que eu fui capaz de tocá-los. E eu digo VIDA apesar de trabalhar com doentes graves porque eu acredito de verdade que a medicina é sobre ressignificar a vida que existe e não sobre vencer a morte (que é invencível).

À luz dessa visão de mundo, só tenho a agradecer a Ana Michelle por esse livro que sangra com a vida pulsante a cada palavra. A morte nos traz significado. Transforma nossas vidas em biografia. Espero conseguir apontar aos meus pacientes um caminho que os leve a uma vida como a sua, cheia de paz e de paixão pela verdade e pelo amor e pela autonomia. Só nós resta a cura pelo amor diante dessa doença crônica que é a mortalidade.
comentários(0)comente



Desireé (@UpLiterario) 30/01/2020

Quando o fim é apenas o começo…(@UpLiterario)
Ana Michelle Soares tinha 28 anos quando recebeu o diagnóstico de câncer de mama. Mas seu mundo mudou mesmo quando tomou conhecimento de que seu tratamento seria “paliativo”.
.
“Paliativo” tem uma sonoridade estranha; uma palavra rançosa, que pega no céu da boca e que miolo de pão nenhum é capaz de tirar dali. Ela gruda em você como um carrapato, roubando toda a esperança de cura e de sobrevivência. Soa como um término, como se seu próprio corpo tivesse desistido de você.
.
"O silêncio havia se tornado minha companhia mais agradável."
.
Sem chão e desesperada com a notícia, AnaMi sofreu, sentiu o peso do diagnóstico, mas conseguiu se reinventar, e com a ajuda de outras pacientes descobriu o verdadeiro significado dessa palavra tão temível, tornando-se uma Paliativista e divulgando amor e cuidado no instagram @paliativas.
.
"Meu coração voltava a bater com a liberdade de quem sente muito, mas não precisa se preocupar com isso."
.
Com uma narrativa ácida e sincera, AnaMi vai, capítulo por capítulo, contando sua trajetória e nos ensinando lições a serem ouvidas, sentidas, vividas. “Enquanto eu respirar” é justamente um livro que nos ensina a viver. Viver de verdade, intensamente e sem amarras, porque se cada dia pode ser seu último, então, como você gostaria de viver seu último dia de vida?
.
"[...] eu queria reaprender a não sentir culpa por amar."
.
Uma história emocionante e cheia de aprendizados que levarei comigo para sempre. Uma leitura transformadora e forte que nos tira do eixo e nos mostra outra forma de encarar a vida. Recomendo muito!

site: www.instagram.com/upliterario
comentários(0)comente



Nanda 24/08/2020

Palavras descrevem a vida?
Ao estar perto de alguém com câncer, as pessoas costumam falar sobre a morte.
Mas estar com câncer não precisa ser o fim... Livro emocionante, bem escrito e cheio de surpresas!
comentários(0)comente



João 12/05/2020

Sobre viver
História linda sobre viver. A morte é só um detalhe e que, por sinal, todos iremos passar. Recomendo demais a leitura.
comentários(0)comente



29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2