O Exorcista

O Exorcista William Peter Blatty




Resenhas - O Exorcista


424 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Kah 16/11/2009

tão bom que não aguentei tê-lo em casa. amarrei-o numa sacola, pus dentro de uma mochila e joguei fora. Não conseguia dormir sabendo que ele estava ali, tão perto de mim. assustador. traumatizante. mas excelente.
Priscila Cardoso - Per 20/04/2010minha estante
Eu fiz o mesmo hahahaha


NJ (: 18/09/2010minha estante
mais medo ainda de ler esse livro! UHASUDHASU


Matheus Caixeta 26/11/2010minha estante
Meu Deus, tô com medo desse livro O.O


P e d r o 22/04/2011minha estante
:O


Edu 12/10/2011minha estante
Vou confiar nas suas palavras e vou pôr esse livro na minha lista de "Não vou ler"!
O filme me assustou, na época de lançamento.
Imagina o livro!


Kah 17/11/2011minha estante
sério, gente. Esses dias eu pensei: 'puxa, como eu fui exagerada, certamente não era tão ruim...' aí fui dar uma olhadinha na versão original em inglês... depois de algumas páginas já larguei, porque era até mais assustador que em português. LOL


Breno 16/12/2012minha estante
que medo desse livro e.e


Lucas 01/07/2013minha estante
A cada comentário me da mais vontade de ler ele. Alguém tem para trocar? :D


Marcus 16/07/2013minha estante
E eu querendo ter esse livro em versão física D: Eu sou tão fissurado com essa história que acabei lendo uma versão que encontrei na internet mesmo. E o legal é que o cara colocou as imagens do filme pra ilustrar. Muita gente vai dizer que o livro é muito superior ao filme e tal, mas eu, sinceramente, fico na dúvida. Enquanto lia, fui relembrando da imagem da Regan toda acabada do filme, o que pra mim deixou o livro MUITO MAIS LEGAL e MUITO MAIS ASSUSTADOR. Sei lá, talvez seja algo pessoal com a história, mas acho que o filme é digno do livro e o livro é digno de filme :)


Aline Stechitti 16/10/2013minha estante
Como assim vc jogou um livro fora???? Cê tem problema filho??


Kah 16/10/2013minha estante
Pois é, Aline, isso se chama: "coisa ruim a mais e desnecessária que não preciso na minha vida/casa".


Aline Bitencourt 19/10/2015minha estante
Ai gente, já faz uns dois meses que eu comprei e agora que comecei a ler... ainda estou bem no começo, não aconteceu nada muito arrepiante. Mas acho que quando terminar (se terminar, rs) também vou dar um jeito de dar um fim nele...kkk.


Miguel Ângelo 19/11/2015minha estante
Eu achava que só eu tinha ficado sem dormir por causa desse livro, mas agora vi que não fui o único. Eu me lembro de ter lido em algum lugar que na época em que o filme foi lançado houve uma certa histeria coletiva e muita gente começou a procurar a igreja pensando que estava possuída. Depois de ler o livro eu entendi porque isso aconteceu, pois é realmente assutador!
Vi comentários abaixo dizendo que o livro é mais do que uma história de terror e eu concordo. A obra traz questionamentos interessantes como o embate entre fé e ceticismo, religião e ciência, a existência do bem e do mal e por que eles existem, entre outras questões bem analisadas no comentário do usuário João Vitor Gallo. Em uma entrevista no aniversário de 40 anos do filme o diretor, William Friedkin, disse que nunca dirigiu o filme pensando nele como uma história de terror. O autor do livro concordou e disse que não escreveu o livro como um conto de terror. Não sei se vi isso em uma entrevista ou em outro lugar, mas até onde sei William P. Blatty inicialmente tinha a intenção de escrever a obra como um relato do caso real que inspirou "O exorcista". Contudo, por não ter conseguido acesso a todos os fatos ocorridos ele resolveu escrever uma ficção.

De qualquer forma, o resultado é tremendamente assustador, independentemente de ter sido escrito como um terror ou não. No primeiro dia de leitura eu mal consegui dormir e nos outros dias eu pensava no livro quase o tempo todo, foi meio traumatizante mesmo hehehe.
Eu recomendo o livro para quem procura algo assustador, mas que vai além do horror gratuito, que te faz pensar e refletir.
Ainda não vi o filme por falta de coragem, mas acabei lendo livro porque achei que seria "mais leve". Digo que me enganei redondamente, pois a leitura parece ser tão traumatizante quanto o filme. Não me arrependo de ter lido "O exorcista", mas não o indico para quem é facilmente impressionável como eu.
Link para a entrevista: https://www.youtube.com/watch?v=VWFwgCuWfhY


Ludwig.Lima 28/02/2016minha estante
aff, dava ele pra mim


Bruna 20/11/2018minha estante
Fiquei sem dormir pelo filme e pelo livro. Ainda fiz a merda de assistir o filme primeiro... impossível não lembrar daquela cara clássica durante a leitura!


sputnikvik 07/04/2019minha estante
O começo do seu comentário fez me lembrar da cena de Friends em que o Joey decide ler Cujo de Stephen King, mas de tanto medo decide colocá-lo na geladeira. HAHAHAHAHAHA


Dani 22/03/2020minha estante
O terror raiz que a gente respeita ?


Márlya 07/05/2020minha estante
Terminei o meu hoje, achei incrível! Um clássico imperdível, de tirar o fôlego e ler tudo de uma vez!


Nay! 24/05/2020minha estante
Não consegui terminar de ler excelente livro mas muito pesado pra mim e olha que adoro filmes de terror . Sempre que lia o livro acontecia coisas ruins juro, eu abandonei a leitura por medo


Neila 13/06/2020minha estante
Faz muitos anos que li, mas acho o cemitério, de Stephen King, muito mais arrepiante!


Bryan.Caratti 15/09/2020minha estante
fiz o mesmo, só que com o DVD. Mds! Coisa assustadora


Leo 03/10/2020minha estante
Tô lendo. Ele fica do meu lado quando vou dormir... o.O


Bryan.Caratti 03/10/2020minha estante
Credo, Leo! Não faz isso, cara. Sério. Deixa ele longe de ti quando vai dormir. Minha prima dormia com ele do lado e começou a acontecer um monte ruim com ela. Perdeu o emprego, foi assaltada e apanhou do cara, foi parar no hospital por causa disso e sofreu um acidente de moto. Quase morreu. Daí ela queimou esse livro e as desgraças pararam de acontecer. Não dorme do lado dele


Nigthmare999 09/10/2020minha estante
Sério gente kah pq vc nao doou para algem ?


Aninha 17/10/2020minha estante
Como faço para ler


Insta: @pequenorobozin 09/11/2020minha estante
Eu tive um exemplar, quando era mais nova, que a minha mãe jogou em um rio, por medo dele. E isso que ela nem leu. Hahaha


Ellen 26/11/2020minha estante
Eu achei o filme fraco kkk. Mas vou ler




Natalie 06/06/2017

William Peter Blatty não foi feliz em O Exorcista. Ambientado nos EUA, como o próprio título indica, o livro fala sobre um padre que por insistência de uma mãe desesperada ajuda a retirar um demônio de sua filha. Apesar do passado desse clérigo, Karras, o qual também é psiquiatra, ser alvo de constantes referências, não fica claro o motivo de tantos arrependimentos na vida. Aliás, nada fica bem esclarecido: o fato da mãe ser ateia, implorar pela realização de um exorcismo e, depois disso, continuar incrédula; o padre se recusar a fazer o procedimento por falta de provas incontestáveis para a possessão e, repentinamente, conseguir a autorização da Igreja, sem nenhum problema hierárquico e burocrático; a existência de uma tal "missa negra", que não dá para saber se, na estória, é especulação ou não; e o nicho mais inútil do enredo, que é uma tentativa de inserir a polícia por meio do detetive Kinderman, que não serve para absolutamente nada.

Ao ler, a impressão é que o autor não estudou sobre possessões demoníacas o suficiente para construir uma estória razoável. Não é necessário que eu acredite em dragões para gostar de um livro sobre eles, mas é preciso que os argumentos e premissas sejam coerentes para sustentar o desenrolar dos fatos. Ainda que o leitor não creia na possibilidade real do exorcismo, o escritor deveria depositar elementos que dessem consistência, mesclando fatos históricos, pesquisas médicas, enfim, um arcabouço capaz de criar verossimilhança e não é isso o que acontece aqui.
Tai 06/06/2017minha estante
Excelente resenha, Natalie! Como sempre! :)
Mas, o filme é tão bom... o.O


Natalie 06/06/2017minha estante
Nunca vi o filme. :)


Tai 06/06/2017minha estante
Experimente assistir qualquer dia desses. Acredito que irá gostar. ;)


Cristian 06/06/2017minha estante
Ótima resenha! Nunca imaginei que o livro fosse assim. Graças ao filme, Blatty, tem sido muito cultuado.


Daniel 06/06/2017minha estante
Para mim, o problema maior foi essa tentativa de criar um núcleo policial com o Kinderman. Quanto à mãe buscar a intervenção religiosa, entendo por ter sido orientada pelos próprios médicos. Ela termina incrédula entre aspas, pois mesmo não acreditando em Deus, ela acredita no Diabo, por ter presenciado sua manifestação. Ainda prefiro o filme, onde não há tantas excessos.


Natalie 06/06/2017minha estante
Daniel, ela insinua que acreditar no diabo é mais fácil, pois ele aparenta querer se mostrar, enquanto Deus não. Assim está na tradução em que li. Mas, se ela realmente acreditar no demônio e não em Deus depois do exorcismo é uma inconsistência do livro ainda maior, é negar toda a estória e a ineficácia do procedimento, pois o padre é mero instrumento exorcizante, a força quem opera é Deus.


Geórgea 06/06/2017minha estante
Poxa, o filme é ótimo!


Daniel 06/06/2017minha estante
Natalie, consultei minha edição rs. Realmente ela diz que "talvez acredite" pelo fato do "Diabo se promover". Mas aí, nem lembrava, o padre faz uma réplica mais ou menos do tipo: se todo o mal que existe justifica a existência do Diabo, Deus não seria a justificativa de todas as cosias boas? E a Chris responde que não tinha pensado nisso, demonstrando que na realidade ela ainda está muito confusa com tudo o que aconteceu, não podendo fazer um bom discernimento de sua própria fé. É como se estivesse revoltada com esse Deus que permitiu que tudo aquilo lhe acontecesse. Sempre achei errado muitas pessoas taxarem essa obra de "satanista" ou "diabólica". A meu ver, ela trata muito mais de Deus que do Diabo.


Natalie 06/06/2017minha estante
Pra mim ela não conseguiu tratar sobre nada. Achei extremamente superficial em tudo o que aparenta querer abordar: a falta de fé do padre Karras, rituais satânicos, possessões demoníacas, investigação policial em casos sobrenaturais... Aquela jogada de querer forçar Karl como suspeito foi horrível. Era melhor eu ter ido assistir ao filme do Pelé.


Daniel 06/06/2017minha estante
kkkk o filme do Pelé =)
Realmente, esse mistureba prejudicou bastante o livro, mas ainda acho que ele tem o seu charme :)


Binho 21/07/2017minha estante
Olha, na minha opinião é um dos melhores livros, discordo plenamente de você, acredito que deveria ver o filme antes de opinar, e ser mais imparcial ao julgar...




Kety 26/09/2020

Toma mais 5 estrelas para as avaliações.
A escrita é simples e de fácil compreensão com uma narração fluida em terceira pessoa sobre Chris (e Regan), enquanto acompanhamos paralelamente Damien Karras, até que suas histórias se entrelaçam.

Até a metade da leitura, eu pensei que a história não era aterrorizante simplesmente por eu não ter sentido medo. Porém, enquanto lia o último capítulo deste livro, percebi que me equivoquei, pois é, sim, uma história de puro terror.

Não foi difícil me apegar aos personagens e, quando isso aconteceu, reconheci todo o horror que O Exorcista nos reserva. O horror que Chris, Damien, Regan e todos outros enfrentam (tanto individual quanto coletivamente).

O conflito sobre o problema de Regan ser uma doença mental ou possessão demoníaca é muito interessante e profunda. Queria falar sobre certas questões que chamaram minha atenção, mas não vou dar spoilers!

Mas minha parte preferida tem nome e se chama Damien Karras. Sim, o padre! O dilema dele sobre a fé, o relacionamento com a mãe, seus arrependimentos, sua tristeza. A história dele é tão humanizada... de todos os personagens, pra ser sincera.

Quando eu comecei a leitura, esperava ficar com medo... aquele medo meio infantil de dormir e acordar com um puxão no pé, sabe? Hahaha O Exorcista foi muito mais que isso - ou, melhor dizendo, não foi nada disso (pra mim). E acho que é por isso que foi tão bom!
D.Angelo 11/10/2020minha estante
Minina... comprei, mas to com um medo do carai de ler esse livro!


D.Angelo 11/10/2020minha estante
Esperar meus fantasmas se afastarem um pouco e começo! Valeu, miga!


Bibi 09/12/2020minha estante
Eu não tenho esse livro mais estou bem curiosa com ele, só preciso terminar de ler It a coisa


Kety 09/12/2020minha estante
Que legal, tô lendo It também! Hehehe e leia O Exorcista, sim, é ótimo!!


Bibi 12/12/2020minha estante
Tô lendo It desde o ano passado, é que eu parei de ler um tempo, não queria ver nenhum livro na minha frente não sei o que me deu, mais agora em dezembro voltou aquela vontade de ler sabe, então resolvi começar com A Culpa é das Estrelas, terminei em três dias e resolvi voltar para It


D.Angelo 12/12/2020minha estante
?It? eu li. É bem legal mesmo. Vale a pena ver o filme depois e comparar.
Mas também podia ser menor o livro. Enroscado em algumas partes!
P.s: nem abri o Exorcista ainda! ?


Kety 12/12/2020minha estante
Ah, isso já aconteceu comigo, Bianca! Tô até lendo It com mais calma pra não empacar, senão nem consigo pegar outros livros pra ler! Hahahahha


D.Angelo 12/12/2020minha estante
Kety! Miga! Eu vou esperar um pouco para ler. Meu estado de espírito não me permitiu nem tirar o livro do lacre.


D.Angelo 13/12/2020minha estante
Agora to lendo coisas tranquilas, mas não piores. ?O mestre e a Margarida? tem seu tempero obscuro e ?museu da inocência? onde o terror está em como o autor consegue enrolar tanto pra escrever alguma coisa. Ja leu algum desses?


D.Angelo 13/12/2020minha estante
Nossa... to lendo sem parar para encerrar essa miséria que eu sinto ao ler esse livro. Ele tem 50 paginas que se salvar de uma crítica ruim.




Daniel 17/10/2016

O Exorcista
Resenha no link abaixo!

site: http://blogliteraturaeeu.blogspot.com/2016/10/o-exorcista-exorcist-de-william-peter.html

Léo 21/10/2016minha estante
ótima resenha! eu tbm estava esperando que vc comentasse sobre o teor literário do livro, e já até esperava que faltasse isso nele. cá entre nós a lit. americana não me desperta tanto interesse como a britânica ou a irlandesa.


Daniel 22/10/2016minha estante
Realmente, minhas experiências com a literatura inglesa têm sido cada vez mais surpreendentes. Contudo, como não li tanto assim da literatura americana, não poderia opinar.


Daniel 22/10/2016minha estante
E sobre "O Exorcista", é um dos poucos casos em que achei o filme melhor que o livro.


Léo 22/10/2016minha estante
surpreendentes de modo positiva ou nao?


Daniel 23/10/2016minha estante
De modo positivo! Claro :)




João Vitor Gallo 20/02/2015

Dúvidas, escolhas e humanidade.
Não senti “medo”, como muitas pessoas acabam descrevendo sua experiência com esse livro. Acho que se alguém pedir para os leitores definirem o livro em apenas uma palavra, boa parte deles o definira exatamente usando essa ou uma outra muito similar. Outros, talvez, procurassem definir o livro escolhendo “dúvida”, algo que permeia toda essa história e faz mais sentido para mim e talvez me decidisse por ela, mas eu também, possivelmente, optasse pela palavra “escolha”, no decorrer do texto fica claro do motivo da minha inclinação por essas palavras para definir esse excelente livro de William Peter Blatty, cuja adaptação cinematográfica se tornou icônica.

O livro não me causou medo como disse, mas me deu aquela sensação de estranheza, de desconforto, em parte por conta de algumas descrições e passagens que causam certo asco, mas também muito por conta da angustia dos personagens, como a mãe que não sabe o que fazer com a filha ou mesmo o que está acontecendo com ela, do padre que tem crises de fé ou mesmo do empregado que guarda um segredo, todos eles tomados pela culpa. Além desses vale destacar o padre Merrin que “sente” o seu destino chegar – fica claro desde as primeiras páginas – e se prepara para sua últimabatalha de fé. E todos esses personagens de uma forma ou de outra, e em diferentes níveis, sentem a mesma coisa: solidão.

O livro para muitos é quase uma batalha entre fé e ceticismo, entre religião e ciência, o que até pode ser visto desse modo e não seria uma visão equivocada, mas o livro vai além disso. Para mim é a batalha, não do bem contra o mal, mas do homem contra ele mesmo, a batalha pela sua fé, por forças para seguir adiante, para tentar entender o desconhecido, a luta por tentar ajudar uma pessoa mesmo sem saber como, luta pela verdade, luta contra seus medos, contra suas dúvidas, luta pela força da certeza. A questão da ciência – que tudo pode ter uma explicação, algumas delas que deixariam o Padre Quevedo orgulhoso – é mais intensificada com uma afirmação dita no livro de que o demônio sempre vai fazer de tudo para provar que não está possuindo a pessoa, vai confundir, testar a fé e o psicológico de todos, misturar mentiras com verdades, e deixa o leitor a todo momento pensando se é de fato uma possessão ou uma sugestão. Interessante como a dúvida dos personagens se transporta também ao leitor.

Outra questão em que fiquei pensando após terminar o livro e acho que todos pelo menos um dia em suas vidas já pensaram nisso, era sobre a existência do mal. Qual é a sua finalidade? É um teste de fé? É uma prova de valor? O padre Merrin, a certa altura discute essa questão com o padre Karras: “Acredito que o objetivo é fazer com que nos desesperemos, que rejeitemos nossa humanidade, Damien: que vejamos a nós mesmos como bestas, maus e podres; deploráveis; horrorosos, indignos. E talvez aí esteja o cerne da questão: na indignidade. Porque eu acho que a crença em Deus não é uma questão de razão; acredito que é, no fundo, uma questão de amor: de aceitarmos a possibilidade de que Deus possa nos amar.”

Já vi muita gente que se pergunta da causa de Deus permitir a existência do diabo. A história bíblica em torno dele é rodeada pelo tema escolha, e é só através da escolha é que podemos mostrar algum valor. Seria então esse o nascimento da virtude? Seria o diabo em si a própria prova da fé de Deus na humanidade? Lembra-me do conceito doyin e yang, onde há um pouco de bem no mal e um pouco de mal no bem, eles se mesclam às vezes e não são um conceito tão fixo e imutável como muitos pensam. O mal seria então a condição necessária para a existência do bem, um dependendo do outro para existir, e tendo como finalidade o livre-arbítrio para discernir e escolher entre o certo e errado. Deus estaria acima disso, o bem e mal residem na escolha, e o poder da escolha reside no próprio homem.

Enfim, além de ser um grande livro de suspense também é um livro que nos faz refletir bastante, tem uma grande carga filosófica que gera muitos questionamentos, é um desses livros que não terminam após você fechá-lo ao concluir a leitura, ele ainda continua reverberando, ecoando, vibrando, ainda vivo, gerando e alimentando pensamentos e indagações. Estejam avisados, no entanto, não se enganem ao pensar que é um livro puramente de terror, assim como é o filme, ou que o livro é sobre possessão, antes de tudo o livro é sobre humanidade.


site: https://focoderesistencia.wordpress.com/2015/05/13/duvidas-escolhas-e-humanidade-critica-do-livro-o-exorcista/
Mi 21/02/2015minha estante
Deu até vontade de ler, rs.


Mari 30/04/2015minha estante
Meu deus, é a resenha mais perfeita ever! Eu ainda não terminei o livro, mas é exatamente esse meu sentimento: Não tenho medo, só sinto pesar pelos personagens, cujos sofrimentos nao parecem ter solução. É realmente uma história sobre humanidade.


Hugo 29/09/2015minha estante
Finalmente um comentário sóbrio, tive a mesma sensação ao ler.


João Vitor Gallo 23/10/2015minha estante
Acho que a sensação de medo que muita gente sente ao ler o livro esteja atrelada a experiência de assistir o filme previamente, filme que criou toda uma aura sobrenatural em torno de si, tanto da questão de ser levemente inspirado em um caso real, o que já coloca um cagaço na maioria, quanto da repetição de ser um dos, se não o maior, filme de terror de todos os tempos, e com razão, pq é excelente, o que deixa as pessoas já apreensivas com o livro, ou seja, o medo é anterior à leitura. Mas o livro em si é bem mais complexo e com uma abordagem bem diferente do filme, que é voltada mais pro sobrenatural, porém ambos vão muito bem no que se propuseram a explorar da história.


Albatroz 03/01/2019minha estante
Ah! Que alegria ler um comentário digno do livro, amei.




Bart 04/09/2018

Um dos melhores livros de terror da minha vida, eu deixei de ler à noite! Cumpre com todos os objetivos que um livro desses pode ter!!
Neide.Braga 27/03/2020minha estante
Vou ler, graças a sua indicação ?


Bart 27/03/2020minha estante
Eitaaaaa espero que vc procure um psicólogo depois depois de lê-lo de tão assustada com a leitura kkkkkl


Neide.Braga 27/03/2020minha estante
??????? vou me consultar com você.


Bart 27/03/2020minha estante
Kkkklkkk eita, dô um desconto kkkkkkkkk


Neide.Braga 27/03/2020minha estante
Prontoooo!!!




Valéria 05/10/2018

Comecem a rezar!
Confesso que demorei um pouco para começar essa leitura, até criar coragem suficiente, pois na época em que assisti o filme, fiquei praticamente uma semana um pouco abalada. Tudo que é relacionado a demônios e coisa do tipo já me deixa um pouco receosa, e saber que essa história é baseada em fatos reais me deixou um pouco medrosa, haha.

Acabei começando a leitura na madrugada (e sim, o psicológico mexe com a nossa cabeça, porque naquela noite não sai do quarto por nada (fiquei com medo de ir na cozinha pra beber água), hahahaha, mas depois consegui manter o ritmo da leitura e fui me apaixonando por esse livro.

Dá medo? CLAROOOO!! Você acha que vai atrair o capeta e ele te possuir? Com certeza, hahahahahaa, mas brincadeiras a parte o livro choca, e muito!!!! O jeito como o demônio fala a respeito de Regan, chamando a menina de "porca" e outros adjetivos deploráveis, torna a leitura um pouco pesada, principalmente se for contrastar com a pureza e inocência da garota.

O final? Bom... acho que acabaria com chave de ouro se o final de Regan fosse a morte. Mas foi válido o final, pois fica no ar que de uma forma ou de outra, quem venceu nessa história foi o demônio.
Joao.Vitor 18/10/2018minha estante
Valéria você pode me informar se o livro é escrito em primeira ou em terceira pessoa?


Má Contato 12/11/2018minha estante
Eu nao consigo ler/assistir coisas com possessão porque penso que o capeta vai me possuir por estar interessada HAUAHAUHUHAUH ufa, ainda bem que não é doideira só minha hahahahah


Valéria 15/11/2018minha estante
Huahuahuahuahua eu penso exatamente a mesma coisa. Acho que a capeta pensa assim: "vc gosta de ler essas coisas né? Vem aqui então hahahahahahah"...




Li 22/10/2010

ESSE é um livro de terror! Passei semanas sem dormir por causa dele e nunca mais quis chegar perto, só li uma vez, e tenho trechos inteiros gravados na memória como se tivesse lido 1000 vezes! rs
Quem já viu o filme e achou um terrozão, nem se habilite a ler... é muito, mais muito, muito, muito pior! Na verdade, eu vi o filme e achei bobinho...
Recomendo aos amantes de livros bem escritos e que aguentem uma dose cavalar de choque e medo! \o/
Alessandra 10/08/2011minha estante
Me deixou com vontade de ler! Vou providenciar o mais rápido possível *-*


Edu 12/10/2011minha estante
Já fiquei com medo!


Vivianne 22/04/2014minha estante
Li esse livro quando tinha 14 anos e foi apavorante, mas quando assisti ao filme não senti medo...O livro é muito melhor. Tenho vontade de reler para saber se o pavor depois de tantos anos se repetirá.




spoiler visualizar
Tarci 13/10/2019minha estante
achei que eu tivesse sido a única que não tinha curtido essa leitura


Gean, com g 14/10/2019minha estante
Mas tu queria que a possuída fizesse o quê? Mostrasse suas partes pudendas? O que seria um capeta não-puritano?


Beatriz 14/10/2019minha estante
Eu já ouvi e conheci pessoas mais ?encapetadas? que esse capeta aí, ele não era inteligente, não era nem convencível parecia realmente uma criança fingindo ser o capeta, que só xinga. Leia os livros que eu indiquei que você vai entender




Mey 19/09/2016

Mais que uma estória de possessão
"O Exorcista" é daqueles livros que sempre está na lista de leituras, mas que sempre é deixado de lado ou por medo ou por acreditar conhecer todas a estória. Eu era uma das que tinha as duas razões para evitar a leitura do livro de William Peter Blatty, porém estava extremamente enganada.

O enredo do livro é conhecido por todos, uma garotinha de 12 anos é possuída por um demônio e se transformar em um ser assustador, quando dois padres vão até sua casa expulsar a entidade do corpo da criança. Entretanto, mesmo levando o título de "O Exorcista" o livro não vai se tratar apenas da possessão e do ritual de expulsão. Diferente do filme de 73 o romance não se trata apenas do terror, mas de questões mais profundas como a culpa e fé. Todos envolvidos na trama em algum momento vão demonstrar ou falar sobre sua culpa.

A escrita de William Peter Blatty é maravilhosa, transformou uma estória clichê dos filmes de terror, em uma verdadeira obra prima da literatura. O livro é bem construído, tem belos diálogos e a trama se desenrola muito bem, sem termos um ritmo arrastado, a estória flui muito bem. Durante a leitura, mesmo dando vários indícios da possessão de Regan, o autor em diversos momentos desacredita a menina, deixando o leitor em dúvida se a garota está possuída ou está apenas simulando tudo aquilo por busca de atenção ou por ter sido influenciada por algumas informações que conseguiu. E isso traz um quê a mais para a estória. Outro ponto forte da escrita de Willian são as metáforas que ele utiliza, uma em especial me encantou, quando ele descreve a falta de fé do Padre Karras, dizendo então o sangue virou vinho.

As personagens do livro são bem construídas, mas os principais da estória, são a criatura Regan e o Padre Karras. O segundo sendo meu preferido, por ter uma estória de vida triste e ter uma personalidade em várias camadas, ele é um padre e psicólogo, então a fé e a ciência andam de mãos dadas dentro dele. Pra mim a trama na verdade é sobre ele, não o exorcismo em si.

Mesmo sendo considerado um romance do gênero de terror, o livro não é tão assustador, como eu disse, o autor em diversos momentos desacredita os fenômenos paranormais. Mas seria mentira de minha parte se não contasse que em vários momentos tive aquela sensação de medo.

Um livrão que precisa ser lido e que é muito mais que garotinhas revirando olhos, vomitando gosma verde e girando a cabeça, mas um romance bem construído que quando você acabar de ler vai ficar na sua cabeça, não pelo medo, mas pelos pequenos questionamentos. Um livro incrível.

Cassinho 29/09/2016minha estante
Parabéns pela resenha, Mey. Realmente é um livro fantástico e fica na cabeça depois, tanto que estou lendo pela 3 vez. Rs.


Jessica.Couto 07/01/2017minha estante
undefined




Bruna 10/06/2016

Vi tantos comentários dizendo que esse livro é aterrorizante, e sinceramente, eu não achei nada demais. É um livro muito bom, claro, mas de aterrorizante não tem nada. Talvez o medo seja relativo, não sei ao certo, mas particularmente, achei bem tranquilo. Mas por exemplo, eu quase desisti de ler esse livro por causa de certas coisas que ouvi falar... ainda bem que resolvi prosseguir com a compra e leitura. Enfim, ótimo livro e super recomendo.
Joel Domingos 24/07/2016minha estante
Estou tendo a mesma impressão, estou em 40% da leitura e a única marca que destaco (e concordo) com a maioria dos comentários é a maestria do autor.


Bruna 09/09/2016minha estante
Exato! ^^




Mari 02/05/2015

No que você acredita?
Tá, não sou super fã de terror no cinema. Cagaço mesmo, sabe?! E NUNCA, JAMAIS, EM HIPÓTESE NENHUMA PRETENDO ASSISTIR O FILME!!!! Não vejo nem o trailer! Mas o livro, é outra coisa. Entrar nas profundezas dos personagens...nas suas angustias...acho que esse é o verdadeiro terror da história. Não poder voltar no tempo, não poder mudar as coisas, não poder se arrepender, porque simplesmente, não adianta nada.
Não se trata de uma história sobre religião propriamente, embora tenha muito a ver com o cristianismo (pode ser preciso pesquisar sobre jesuítas!). Tem muito a ver com auto-aceitação e com fé de um modo geral. E fé em si mesmo.
O livro é extremamente bem escrito, e por vezes complexo. E a vontade de saber o que está por vir me fez correr na leitura, confesso. Não costumo ler um livro mais de uma vez, porque parece que modifica minha visão da historia, mas talvez eu o faça exatamente por isso.
O sentimento que a história me despertou foi uma surpresa, de verdade. Assim, recomendo à todos: os fãs do terror, aos fãs da psicologia, aos cristãos e aos não cristãos, aos curiosos e aos medrosos.

;)
Clube do Crime 04/05/2015minha estante
Oi! Você marcou "Corpo de Delito", de Patricia Cornwell, como livro desejado. Vamos sortear 01 exemplar desse livro no Facebook terça, 05/05. Fica o convite! =)
https://www.facebook.com/clubedocrime


Carolina Hahn 19/06/2015minha estante
Um dos meus favoritos pelos mesmos motivos!




San... 30/07/2010

Muito bom
Amei o livro. Amei o filme, mas, naturalmente, o livro bate o filme. Nossa imaginação tem um poder absoluto, magistral, o que acaba dando matizes bem mais vívidas à historia, embora o filme tenha sido bastante fiel ao livro. Para quem gosta de terror psicológico, este é um clássico imperdível, que a meu ver, só se compara com "O cemitério" do Stephen King.
Juninho 15/05/2011minha estante
ótimo livro mesmo, de arrepiar do começo ao fim.


sonia 25/04/2013minha estante
quem não leu o livro em minha geração? lemos depois de ver o filme, que chegou antes, com a clássica cena do 'creme de abacate' como diziam meus amigos, e que provocava gargalhadas no cinema - no Brasil, acho que os americanos gritavam de horror. Interessante, para conhecermos os ritos exorcitas da igreja católica, e manter uma porta aberta para uma 'duvida razoavel'.




Eduardo 11/12/2016

O primeiro livro que me deu medo
Eu achava que um livro não poderia assustar alguém da mesma forma que um filme faz. Eu pensava "São livros. Nenhum monstro vai saltar das páginas para te surpreender, então nunca ficarei com medo de ler um livro. Medo é coisa para filmes, com seus efeitos sonoros e jogo de câmeras". Bom, nenhum monstro saltou das páginas, mas tive medo de lê-lo à noite. Aliás, deixava o livro ao lado da cama e, vez ou outra, me deparava com aquele olho da capa me encarando. Eu virava o livro para baixo. Não queria aquele rosto ao meu lado, planejando o que fazer comigo.
Cassinho 09/01/2017minha estante
O foda é que, nessa edição, na back cover tem olho também. Kkkkkkkk.


Eduardo 09/01/2017minha estante
Cassinho, comprei o Box que vem junto o livro A Nona Configuração. Colocava dentro do box com a parte de A Nona Configuração virada pra cima, porque a parte de O Exorcista do box também tem um olho... com sangue...kkkkk




424 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |