O Exorcista

O Exorcista William Peter Blatty




Resenhas - O Exorcista


556 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Gustavo Rodrigues 03/10/2021

Pega teu crucifixo, tua água benta e vai na fé.
Clássico do terror, acho que é uma leitura obrigatória pra quem curte o gênero. E mesmo pra quem não curte, vale a pena se aventurar.

Talvez esse tenha sido um dos livros que mais me gerou desconforto ao ler. Não sei dizer se foi bem medo, na essência da palavra, mas com certeza me deixou desconfortável. Obviamente foi pra isso que eu li, então cumpriu muito bem essa parte.

A história é bem cadenciada, aos poucos o autor vai introduzindo pequenos elementos sobrenaturais sem mostrar logo tudo de cara, o que acaba ajudando muito na ambientação e tal.

O ponto forte do livro, na minha concepção, são os diálogos entre a Regan (quando está possuída) e o padre. E é justamente aqui que fica minha crítica: eu queria mais disso. As conversas eram sempre muito interessantes, mas acho que poderia ter mais, bem mais.

E outro ponto que não curti tanto foi o ato final. Tudo acabou rápido demais, justamente no ponto que eu achei que os diálogos entre demônio e padre seriam mais marcantes.

Tirando as ressalvas, que são estritamente opiniões pessoais, é um livro excelente!
Dani 03/10/2021minha estante
Uau!!!! Vou ler!!!!


@90semy 03/10/2021minha estante
wow


Sousa 03/10/2021minha estante
só a capa já me deu cagaço ?


Nay 04/10/2021minha estante
Tooooop


Reh 18/10/2021minha estante
Eu comecei a ler ele
Mas tbm esta me deixando meio desconfortável
E isso pq adoro um terror


Daniel 21/11/2021minha estante
Já o li e confesso que foi uma das leituras mais apavorantes da minha vida.


Luiz Antonio 17/02/2022minha estante
No gênero é o melhor que eu já li. Super recomendo.


MArcia.Maria 17/04/2022minha estante
Muito assustador me deu um cagaso ????




Kah 16/11/2009

tão bom que não aguentei tê-lo em casa. amarrei-o numa sacola, pus dentro de uma mochila e joguei fora. Não conseguia dormir sabendo que ele estava ali, tão perto de mim. assustador. traumatizante. mas excelente.
Priscila Cardoso 20/04/2010minha estante
Eu fiz o mesmo hahahaha


NJ (: 18/09/2010minha estante
mais medo ainda de ler esse livro! UHASUDHASU


P e d r o 22/04/2011minha estante
:O


Edu 12/10/2011minha estante
Vou confiar nas suas palavras e vou pôr esse livro na minha lista de "Não vou ler"!
O filme me assustou, na época de lançamento.
Imagina o livro!


Kah 17/11/2011minha estante
sério, gente. Esses dias eu pensei: 'puxa, como eu fui exagerada, certamente não era tão ruim...' aí fui dar uma olhadinha na versão original em inglês... depois de algumas páginas já larguei, porque era até mais assustador que em português. LOL


Breno 16/12/2012minha estante
que medo desse livro e.e


Lucas 01/07/2013minha estante
A cada comentário me da mais vontade de ler ele. Alguém tem para trocar? :D


Marcus 16/07/2013minha estante
E eu querendo ter esse livro em versão física D: Eu sou tão fissurado com essa história que acabei lendo uma versão que encontrei na internet mesmo. E o legal é que o cara colocou as imagens do filme pra ilustrar. Muita gente vai dizer que o livro é muito superior ao filme e tal, mas eu, sinceramente, fico na dúvida. Enquanto lia, fui relembrando da imagem da Regan toda acabada do filme, o que pra mim deixou o livro MUITO MAIS LEGAL e MUITO MAIS ASSUSTADOR. Sei lá, talvez seja algo pessoal com a história, mas acho que o filme é digno do livro e o livro é digno de filme :)


Aline Stechitti 16/10/2013minha estante
Como assim vc jogou um livro fora???? Cê tem problema filho??


Kah 16/10/2013minha estante
Pois é, Aline, isso se chama: "coisa ruim a mais e desnecessária que não preciso na minha vida/casa".


Aline Bitencourt 19/10/2015minha estante
Ai gente, já faz uns dois meses que eu comprei e agora que comecei a ler... ainda estou bem no começo, não aconteceu nada muito arrepiante. Mas acho que quando terminar (se terminar, rs) também vou dar um jeito de dar um fim nele...kkk.


Miguel Ângelo 19/11/2015minha estante
Eu achava que só eu tinha ficado sem dormir por causa desse livro, mas agora vi que não fui o único. Eu me lembro de ter lido em algum lugar que na época em que o filme foi lançado houve uma certa histeria coletiva e muita gente começou a procurar a igreja pensando que estava possuída. Depois de ler o livro eu entendi porque isso aconteceu, pois é realmente assutador!
Vi comentários abaixo dizendo que o livro é mais do que uma história de terror e eu concordo. A obra traz questionamentos interessantes como o embate entre fé e ceticismo, religião e ciência, a existência do bem e do mal e por que eles existem, entre outras questões bem analisadas no comentário do usuário João Vitor Gallo. Em uma entrevista no aniversário de 40 anos do filme o diretor, William Friedkin, disse que nunca dirigiu o filme pensando nele como uma história de terror. O autor do livro concordou e disse que não escreveu o livro como um conto de terror. Não sei se vi isso em uma entrevista ou em outro lugar, mas até onde sei William P. Blatty inicialmente tinha a intenção de escrever a obra como um relato do caso real que inspirou "O exorcista". Contudo, por não ter conseguido acesso a todos os fatos ocorridos ele resolveu escrever uma ficção.

De qualquer forma, o resultado é tremendamente assustador, independentemente de ter sido escrito como um terror ou não. No primeiro dia de leitura eu mal consegui dormir e nos outros dias eu pensava no livro quase o tempo todo, foi meio traumatizante mesmo hehehe.
Eu recomendo o livro para quem procura algo assustador, mas que vai além do horror gratuito, que te faz pensar e refletir.
Ainda não vi o filme por falta de coragem, mas acabei lendo livro porque achei que seria "mais leve". Digo que me enganei redondamente, pois a leitura parece ser tão traumatizante quanto o filme. Não me arrependo de ter lido "O exorcista", mas não o indico para quem é facilmente impressionável como eu.
Link para a entrevista: https://www.youtube.com/watch?v=VWFwgCuWfhY


Ludwig.Lima 28/02/2016minha estante
aff, dava ele pra mim


Bruna 20/11/2018minha estante
Fiquei sem dormir pelo filme e pelo livro. Ainda fiz a merda de assistir o filme primeiro... impossível não lembrar daquela cara clássica durante a leitura!


sputnikvik 07/04/2019minha estante
O começo do seu comentário fez me lembrar da cena de Friends em que o Joey decide ler Cujo de Stephen King, mas de tanto medo decide colocá-lo na geladeira. HAHAHAHAHAHA


Dani 22/03/2020minha estante
O terror raiz que a gente respeita ?


Márlya 07/05/2020minha estante
Terminei o meu hoje, achei incrível! Um clássico imperdível, de tirar o fôlego e ler tudo de uma vez!


Nay! 24/05/2020minha estante
Não consegui terminar de ler excelente livro mas muito pesado pra mim e olha que adoro filmes de terror . Sempre que lia o livro acontecia coisas ruins juro, eu abandonei a leitura por medo


Neila 13/06/2020minha estante
Faz muitos anos que li, mas acho o cemitério, de Stephen King, muito mais arrepiante!


Bryan.Caratti 15/09/2020minha estante
fiz o mesmo, só que com o DVD. Mds! Coisa assustadora


Leo 03/10/2020minha estante
Tô lendo. Ele fica do meu lado quando vou dormir... o.O


Bryan.Caratti 03/10/2020minha estante
Credo, Leo! Não faz isso, cara. Sério. Deixa ele longe de ti quando vai dormir. Minha prima dormia com ele do lado e começou a acontecer um monte ruim com ela. Perdeu o emprego, foi assaltada e apanhou do cara, foi parar no hospital por causa disso e sofreu um acidente de moto. Quase morreu. Daí ela queimou esse livro e as desgraças pararam de acontecer. Não dorme do lado dele


Nigthmare999 09/10/2020minha estante
Sério gente kah pq vc nao doou para algem ?


Aninha 17/10/2020minha estante
Como faço para ler


Jess 09/11/2020minha estante
Eu tive um exemplar, quando era mais nova, que a minha mãe jogou em um rio, por medo dele. E isso que ela nem leu. Hahaha


Neto 31/01/2021minha estante
Pensei esse livro pra ler por conta de seu comentário. Amei o livro, mas não tive um pingo de medo


Daniel 09/02/2021minha estante
Eu li e ainda bem que o livro era alugado e eu o devolvi assim que terminei. Muito bom, porém diabolicamente assustador. Meu quarto ficou com uma energia pesada.


Rafa, Mago Rafa 30/04/2021minha estante
Eita geração de jovens sensíveis... Kkkk


Tharcio 17/05/2021minha estante
Não tem nada a ver com sensibilidade, Rafa Muniz. Eu tenho o livro e sei que não devo lê-lo por questões de saúde espiritual. O Daniel (leitor que comentou antes de você) não brincou quando disse que o quarto dele ficou com uma energia pesada. Eu lia coisas assim e resolvi parar por sentir a mesma coisa. Confia.


Damasious 21/05/2021minha estante
Kkk é isso


Piro 19/06/2021minha estante
Está foi boa kkkkkk


Rodrigo 29/12/2021minha estante
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk que viagem




Everdeen 11/07/2021

Esse com certeza é um dos melhores livros que eu já li na minha vida. Li ele em poucos dias e amei a trama do início ao fim.
A escrita é bem envolvente e sem enrolações, os detalhes sobre os ocultos e as entidades são todas perfeitas e os atos, apavorantes.
Quando acabei, fiquei com alucinações durante uma semana. Ouvia e via coisas por todo o lado.
Willian Petter Blaty fez um excelente trabalho escrevendo esse livro.
Milena.Morais 11/07/2021minha estante
Tava me interessando até chegar na parte das alucinações kkkkkkkk




Paola 21/06/2021

Já tinha visto o filme, visto a casa e a descido as escadarias em Washington DC, mas estava devendo o livro...
E achei maravilhoso.
É uma boa leitura, as discussões levantadas pelo padre Karras, suas dúvidas e posições são interessantes, assim como o resto da história.
Não senti medo, mas passei o livro inteiro curiosa e ansiosa por continuar a leitura, mas ao mesmo tempo não queria terminá-la.
Livros e Ivaílton 21/06/2021minha estante
Aaaa é perfeito ??


Gilstéfany 21/06/2021minha estante
esse livro é incrível!!




Eric Luiz 27/06/2022

Digno de estar no rol dos clássicos!
Trata-se de uma obra que, já nas primeiras páginas, conseguiu me prender na leitura.

Por ser um clássico, você já inicia a leitura com a expectativa alta. Mas, posso afirmar com convicção, que este livro superará qualquer expectativa. A forma como o autor liga os pontos da trama, sem se perder na história, e a qualidade da escrita impressionam. Há tempos um livro não me prendia assim.

Ao contrário do que muitos pensam, não se trata apenas de um livro de terror. Ele também tem seu aspecto investigativo, que faz com que o leitor não queira abandonar a trama antes do seu desfecho.

Vale 5 estrelas com certeza! Leiam sem medo!
Pan 27/06/2022minha estante
Tá na minha estante a uns bons anos, mas ainda não bateu a coragem de ler


Cris 27/06/2022minha estante
Eu li há muito tempo e me lembro de não ter sentido medo. Lendo sua resenha, deu vontade de reler essa obra.




Joel.Martins 27/08/2020

Sofri!
O livro é muito bom!! Achei que seria uma leitura totalmente sombria, contudo me envolvi demais com o sofrimento da Chris e da Regan.
Fora isso, muita aula boa de neurologia e possessão.
comentários(0)comente



Kety 26/09/2020

Toma mais 5 estrelas para as avaliações.
A escrita é simples e de fácil compreensão com uma narração fluida em terceira pessoa sobre Chris (e Regan), enquanto acompanhamos paralelamente Damien Karras, até que suas histórias se entrelaçam.

Até a metade da leitura, eu pensei que a história não era aterrorizante simplesmente por eu não ter sentido medo. Porém, enquanto lia o último capítulo deste livro, percebi que me equivoquei, pois é, sim, uma história de puro terror.

Não foi difícil me apegar aos personagens e, quando isso aconteceu, reconheci todo o horror que O Exorcista nos reserva. O horror que Chris, Damien, Regan e todos outros enfrentam (tanto individual quanto coletivamente).

O conflito sobre o problema de Regan ser uma doença mental ou possessão demoníaca é muito interessante e profunda. Queria falar sobre certas questões que chamaram minha atenção, mas não vou dar spoilers!

Mas minha parte preferida tem nome e se chama Damien Karras. Sim, o padre! O dilema dele sobre a fé, o relacionamento com a mãe, seus arrependimentos, sua tristeza. A história dele é tão humanizada... de todos os personagens, pra ser sincera.

Quando eu comecei a leitura, esperava ficar com medo... aquele medo meio infantil de dormir e acordar com um puxão no pé, sabe? Hahaha O Exorcista foi muito mais que isso - ou, melhor dizendo, não foi nada disso (pra mim). E acho que é por isso que foi tão bom!
D.Angelo 11/10/2020minha estante
Minina... comprei, mas to com um medo do carai de ler esse livro!


D.Angelo 11/10/2020minha estante
Esperar meus fantasmas se afastarem um pouco e começo! Valeu, miga!


Bibi 09/12/2020minha estante
Eu não tenho esse livro mais estou bem curiosa com ele, só preciso terminar de ler It a coisa


Kety 09/12/2020minha estante
Que legal, tô lendo It também! Hehehe e leia O Exorcista, sim, é ótimo!!


Bibi 12/12/2020minha estante
Tô lendo It desde o ano passado, é que eu parei de ler um tempo, não queria ver nenhum livro na minha frente não sei o que me deu, mais agora em dezembro voltou aquela vontade de ler sabe, então resolvi começar com A Culpa é das Estrelas, terminei em três dias e resolvi voltar para It


D.Angelo 12/12/2020minha estante
?It? eu li. É bem legal mesmo. Vale a pena ver o filme depois e comparar.
Mas também podia ser menor o livro. Enroscado em algumas partes!
P.s: nem abri o Exorcista ainda! ?


Kety 12/12/2020minha estante
Ah, isso já aconteceu comigo, Bianca! Tô até lendo It com mais calma pra não empacar, senão nem consigo pegar outros livros pra ler! Hahahahha


D.Angelo 12/12/2020minha estante
Kety! Miga! Eu vou esperar um pouco para ler. Meu estado de espírito não me permitiu nem tirar o livro do lacre.


D.Angelo 13/12/2020minha estante
Agora to lendo coisas tranquilas, mas não piores. ?O mestre e a Margarida? tem seu tempero obscuro e ?museu da inocência? onde o terror está em como o autor consegue enrolar tanto pra escrever alguma coisa. Ja leu algum desses?


D.Angelo 13/12/2020minha estante
Nossa... to lendo sem parar para encerrar essa miséria que eu sinto ao ler esse livro. Ele tem 50 paginas que se salvar de uma crítica ruim.




Marcos 20/07/2020

" Que dia excelente para um exorcismo! "
Eu, assim como a grande maioria, conheceu O Exorcista pela clássica adaptação de 1973, filme que inovou completamente o gênero terror no cinema. Ocorre que muita gente ainda desconhece o material fonte que deu origem ao premiado filme. Agora, posso afirmar com segurança que a adaptação cinematográfica é extremamente fiel ao livro, e é uma verdadeira aula de como adaptar um livro para as telas.
Em “O Exorcista”, somos apresentados a Chris MacNeil, uma atriz de cinema que acabou de se mudar para Washington, com a filha Regan de 11 anos, cidade onde ela está gravando seu novo filme, em pré produção. A atriz passou por um divórcio recentemente, e tenta conciliar o trabalho e exercer a figura materna que a filha precisa.
Enquanto a mãe passa o dia gravando suas cenas, Regan é educada em casa por uma secretária, e passa a maior parte do dia no porão da casa, esculpindo. Nessas idas ao porão, Regan encontra um tabuleiro ouija, passando a brincar com ele, e conhecendo o Capitão Howdy, com quem ela se comunica no tabuleiro, e a mãe acredita ser apenas um amigo imaginário.
A situação começa a piorar ápos o aniversário de 12 anos de Regan, que o pai esquece completamente, mostrando indiferença para com a filha. A partir daí, eventos sobrenaturais começam a aparecer na casa. Chris ver a personalidade da filha, que antes era dócil e gentil, se transformar em algo totalmente diferente, agressiva, doentia, e que vive disparando obscenidades.
A mãe procura diversos médicos para saber o que está acontecendo com a filha, e entender a mudança de personalidade que a menina tem de uma hora para outra. Os médicos acreditam que a garota pode sofrer o fenômeno da dupla personalidade, ou histeria. Ou pior, que a menina esteja apenas inventando para chamar a atenção da mãe, porque se sente responsável pelo divórcio dos pais.
Depois de passar por diversos médicos, psicólogos e psiquiatras e nenhum deles entender o que está acontecendo, é sugerido a Chris que procure a igreja. A princípio, ela não entende o porquê da igreja, em razão de ser ateia.
Com isso, Chris porcura o jesuíta Damien Karras, um jovem padre e psicólogo e professor da universidade de medicina de Washington. Ele perdeu a mãe recentemente, e tem posto sua própria fé em questionamento. Agora, fica a cargo do Pr. Karras analisar o caso da menina, se trata de uma possessão demoníaca, ou se a psicologia e a medicina poderia atender melhor a necessidade. Seria o ritual de Exorcismo o caminho mais viável?
É um livro excelente, que não deixa a desejar em nenhum aspecto. Tem uma línguagem acessível, e a história prende o leitor de um jeito ímpar. O autor, apesar de mencionar o “demônio” no texto, em nenhum momento vai entregar ao leitor se a garota está realmete possuída, ou se está fingindo, ou é uma doença que possa ser explicada pela medicina. A todo momento o autor joga indícios de possessão, mas ele quebra a teoria com algo “x” que aconteceu, o que vai mexendo com o leitor.
O livro é intercalado com os acontecimentos na residência das MacNeil, na vida do Padre Karras e no detetive Kinderman, que tem investigado os casos de missa negra que envolvem rituais de magia, em profanação contra a igreja católica, e que funciona como um alívio cômico em meio as coisas horríveis que estão acontecendo no livro.
É pesado, dá calafrios. Um livrão que não fica átras de nenhuma obra clássica da literatura. Ambos, livro e filme valem a pena.
comentários(0)comente



Xabriel 15/05/2020

Um exorcismo muito louco
Uma leitura detalhista, concentrada em uma história ficcional mas com um enredo de arrepiar.
O exorcista tem um terror sobrenatural com correntes no seu psicológico, mostrando coisas muito interessantes ao mesmo tempo em que te deixar tenso, querendo fazer alguma coisa para mudar o curso da história, mesmo sabendo que está além das suas capacidades.
Se você tem sensibilidade a coisas macabras e profanas ( possessão demoníaca, missa negra), recomendo você a repensar sua leitura, não direi para você não ler porque livros foram feitos para serem lidos, siga suas vontades e lembre-se que tudo que se esconde no escuro é perigoso, preste atenção na sua cama antes de dormir.
comentários(0)comente



Gilberto Alves 12/01/2021

O exorcismo como última opção
Comecei a ler o livro esperando aquele terror de sair correndo, de ter pesadelos, de dormir de luz acesa, sabem? Mas o que encontrei foi muito mais que isso. Encontrei um livro muito bem escrito e estruturado.
Qualquer um que assistiu o filme (que não seja recentemente), deve ter apenas lembranças do exorcismo em si. As capas em geral são para por medo, e o nome “O Exorcista” então, com certeza afugentam muitos leitores haha...
Mas aí, vc começa a ler o livro e encontra um livro em que vc chega aos 90%, e eles ainda estão buscando alternativas mais “plausíveis” que um exorcismo. E acho que essa foi a chave do sucesso: deu um ar de ser mais “real”.
Gostei muito mesmo. A forma que tudo foi conduzido como uma doença, mudando gradualmente para o exorcismo em si, deu muito mais credibilidade ao livro, não sendo apenas um livro sem muito sentido.
O que não me agradou muito foram os diálogos excessivos entre muitas vezes, 3, 4 personagens, criando uma certa confusão da mente do leitor. Por vezes tinha que reler frases para entender quem estava falando.
Achei também que alguns elementos beiraram quase o desnecessário. Ex: aquele detetive chato pra cacete, que no fim, quase não fez sentido em estar lá. Ou então **SPOILER** as profanações na igreja, missa negra, etc., que não fizeram sentido algum na história. ** fim SPOILER**.
Claro que ainda assim, ler sozinho na madrugada, dá aquela chacoalhada nos ossos haha.
Merece todo o reconhecimento que tem e o título de “clássico”. Pelo menos, entre os livros de terror raiz, esse com certeza é um dos melhores!
comentários(0)comente



João Vitor Gallo 20/02/2015

Dúvidas, escolhas e humanidade.
Não senti “medo”, como muitas pessoas acabam descrevendo sua experiência com esse livro. Acho que se alguém pedir para os leitores definirem o livro em apenas uma palavra, boa parte deles o definira exatamente usando essa ou uma outra muito similar. Outros, talvez, procurassem definir o livro escolhendo “dúvida”, algo que permeia toda essa história e faz mais sentido para mim e talvez me decidisse por ela, mas eu também, possivelmente, optasse pela palavra “escolha”, no decorrer do texto fica claro do motivo da minha inclinação por essas palavras para definir esse excelente livro de William Peter Blatty, cuja adaptação cinematográfica se tornou icônica.

O livro não me causou medo como disse, mas me deu aquela sensação de estranheza, de desconforto, em parte por conta de algumas descrições e passagens que causam certo asco, mas também muito por conta da angustia dos personagens, como a mãe que não sabe o que fazer com a filha ou mesmo o que está acontecendo com ela, do padre que tem crises de fé ou mesmo do empregado que guarda um segredo, todos eles tomados pela culpa. Além desses vale destacar o padre Merrin que “sente” o seu destino chegar – fica claro desde as primeiras páginas – e se prepara para sua últimabatalha de fé. E todos esses personagens de uma forma ou de outra, e em diferentes níveis, sentem a mesma coisa: solidão.

O livro para muitos é quase uma batalha entre fé e ceticismo, entre religião e ciência, o que até pode ser visto desse modo e não seria uma visão equivocada, mas o livro vai além disso. Para mim é a batalha, não do bem contra o mal, mas do homem contra ele mesmo, a batalha pela sua fé, por forças para seguir adiante, para tentar entender o desconhecido, a luta por tentar ajudar uma pessoa mesmo sem saber como, luta pela verdade, luta contra seus medos, contra suas dúvidas, luta pela força da certeza. A questão da ciência – que tudo pode ter uma explicação, algumas delas que deixariam o Padre Quevedo orgulhoso – é mais intensificada com uma afirmação dita no livro de que o demônio sempre vai fazer de tudo para provar que não está possuindo a pessoa, vai confundir, testar a fé e o psicológico de todos, misturar mentiras com verdades, e deixa o leitor a todo momento pensando se é de fato uma possessão ou uma sugestão. Interessante como a dúvida dos personagens se transporta também ao leitor.

Outra questão em que fiquei pensando após terminar o livro e acho que todos pelo menos um dia em suas vidas já pensaram nisso, era sobre a existência do mal. Qual é a sua finalidade? É um teste de fé? É uma prova de valor? O padre Merrin, a certa altura discute essa questão com o padre Karras: “Acredito que o objetivo é fazer com que nos desesperemos, que rejeitemos nossa humanidade, Damien: que vejamos a nós mesmos como bestas, maus e podres; deploráveis; horrorosos, indignos. E talvez aí esteja o cerne da questão: na indignidade. Porque eu acho que a crença em Deus não é uma questão de razão; acredito que é, no fundo, uma questão de amor: de aceitarmos a possibilidade de que Deus possa nos amar.”

Já vi muita gente que se pergunta da causa de Deus permitir a existência do diabo. A história bíblica em torno dele é rodeada pelo tema escolha, e é só através da escolha é que podemos mostrar algum valor. Seria então esse o nascimento da virtude? Seria o diabo em si a própria prova da fé de Deus na humanidade? Lembra-me do conceito doyin e yang, onde há um pouco de bem no mal e um pouco de mal no bem, eles se mesclam às vezes e não são um conceito tão fixo e imutável como muitos pensam. O mal seria então a condição necessária para a existência do bem, um dependendo do outro para existir, e tendo como finalidade o livre-arbítrio para discernir e escolher entre o certo e errado. Deus estaria acima disso, o bem e mal residem na escolha, e o poder da escolha reside no próprio homem.

Enfim, além de ser um grande livro de suspense também é um livro que nos faz refletir bastante, tem uma grande carga filosófica que gera muitos questionamentos, é um desses livros que não terminam após você fechá-lo ao concluir a leitura, ele ainda continua reverberando, ecoando, vibrando, ainda vivo, gerando e alimentando pensamentos e indagações. Estejam avisados, no entanto, não se enganem ao pensar que é um livro puramente de terror, assim como é o filme, ou que o livro é sobre possessão, antes de tudo o livro é sobre humanidade.


site: https://focoderesistencia.wordpress.com/2015/05/13/duvidas-escolhas-e-humanidade-critica-do-livro-o-exorcista/
Mi 21/02/2015minha estante
Deu até vontade de ler, rs.


Mari 30/04/2015minha estante
Meu deus, é a resenha mais perfeita ever! Eu ainda não terminei o livro, mas é exatamente esse meu sentimento: Não tenho medo, só sinto pesar pelos personagens, cujos sofrimentos nao parecem ter solução. É realmente uma história sobre humanidade.


Hugo 29/09/2015minha estante
Finalmente um comentário sóbrio, tive a mesma sensação ao ler.


João Vitor Gallo 23/10/2015minha estante
Acho que a sensação de medo que muita gente sente ao ler o livro esteja atrelada a experiência de assistir o filme previamente, filme que criou toda uma aura sobrenatural em torno de si, tanto da questão de ser levemente inspirado em um caso real, o que já coloca um cagaço na maioria, quanto da repetição de ser um dos, se não o maior, filme de terror de todos os tempos, e com razão, pq é excelente, o que deixa as pessoas já apreensivas com o livro, ou seja, o medo é anterior à leitura. Mas o livro em si é bem mais complexo e com uma abordagem bem diferente do filme, que é voltada mais pro sobrenatural, porém ambos vão muito bem no que se propuseram a explorar da história.


Albatroz 03/01/2019minha estante
Ah! Que alegria ler um comentário digno do livro, amei.




Laryssa 20/05/2020

Exorcismo ou Bipolaridade?
Independente de quem viu o filme, esse livro vale muito a pena, não é um livro que te deixa com medo, porém te deixa horrorizado em alguns diálogos e acontecimentos, o livro gira em torno o tempo todo dos médicos dando explicações científicas para cada acontecimento sobrenatural que acontece com a criança e suas mudanças de voz e físicas e você não sabe no que acredita.. Excelente livro pra quem gosta do gênero. Única coisa que tenho a reclamar, é que os capítulos são grandes e acaba sendo cansativo demais, tirando isso, é ótimo.
Lucas 21/06/2020minha estante
obrigado pelo seu comentário =)




Roger Oliver 06/04/2021

Um livro sensacional. O autor mistura ceticismo e ciência com crenças diabólicas. O livro foi bem embasado nas informações passadas tanto pelos médicos, quanto pelos religiosos.
comentários(0)comente



Rafa 23/12/2021

melhor livro de terror ever
Esse livro é muitooo bom, a degradação da Regan é muito bem desenvolvida e os diálogos com o demônio são uma obra prima (acabei me apegando a ele ???), dá pra sentir que ela tá completamente transtornada.


Obs: Que detetive chato meu deus kkkkkkkkk
Gustavo Rodrigues 23/12/2021minha estante
De fato, as melhores partes são os diálogos com o demônio. Eu até acho que deveria ter mais, principalmente na parte final.




556 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR