Agridoce

Agridoce Simone O. Marques




Resenhas - Agridoce


37 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


mara sop 17/12/2016

Sabor de Chocolate com gostinho de quero mais
Anya é uma garota comum, que sonha em terminar a faculdade e leva uma vida reclusa devido à uma séria alergia ao sol, e que por isso é super protegida pelo pai. Numa noite, enquanto estava na praia comtemplando o mar, ela sente um cheiro embriagante, um cheiro que ela não consegue tirar da cabeça, um misterioso cheiro agridoce. Sem saber exatamente o que está acontecendo, ela descobre que o cheiro vem de um rapaz, e quando ela o encontra, totalmente no automático, ela o morde e desmaia logo em seguida. Anya não tinha ideia do que estava acontecendo, não entende, que estava despertando para uma nova condição como portadora de uma doença mítica, ela se descobre vampira, e junto com ela, mais duas pessoas despertam também. Seu escravo, um jovem que irá alimentá-la e protegê-la para o resto da vida, e um caçador, aquele que está destinado a matá-la custe o que custar. Essas 3 almas estarão ligadas para o resto de suas vidas, orbitando entre si entrelaçadas de maneira que não consigam sobreviver uma sem a outra sem enlouquecer ou morrer num novo mundo repleto de perigos durante uma guerra entre facções vampirescas e gangues caçadoras.

Agridoce é um livro sobre vampiros, mas não é um livro sobre vampiros comum, muito pelo contrário, é uma história completamente original, aonde o vampirismo é uma doença, uma condição clínica que faz com que seus portadores precisem de sangue humano para sobreviver, mesmo que não queiram ou aceitem isso. A autora não trata o vampirismo de maneira maniqueísta como estamos acostumados a ver. Aqui não há bons ou maus, mas personagens realmente complexos e fascinantes que farão escolhas boas e ruins como qualquer ser humano comum. O livro é uma ótima pedida para aqueles que gostam de fugir do óbvio e ler histórias sob outras perspectivas que saiam da zona de conforto do estilo literário vampiresco.

Agridoce é o primeiro livro da série Sabores do Sangue, seguido por Cítrico, Etílico e pelo ainda inédito Elixir.



site: https://goo.gl/mJPIba
comentários(0)comente



Taty 22/03/2015

Agridoce - Sabores do Sangue / Blog Coleções Literárias
Do dia para a noite você acorda com a necessidade de beber sangue para sobreviver... O que fazer?

Anya é uma garota de 20 anos, que perdera a mãe aos seis anos de idade. Foi criada pelo pai (professor da mesma universidade que Anya estuda) é super protetor, pois Anya tem uma alergia que a impossibilita que sair a luz do sol (Solar dermatitis Severa - herdada pela mãe). Anya faz faculdade de gastronomia e está no ultimo ano da faculdade, é uma garota tímida e super obediente ao pai.

Em uma noite Anya decide caminhar pela praia e sente um cheiro que a deixa louca, um cheiro agridoce. Ela procura de onde veio aquele cheiro, mas não consegue encontrar respostas, no outro dia ele faz o mesmo caminho pela praia e finalmente percebe que aquele cheiro maravilhoso que a hipnotizava vinha de um banhista de um corpo maravilhoso, sem se dar conta do que ela estava prestes a fazer, Anya o morde e tudo se apaga em seguida.

Ela acorda em um hospital, é examinada por Dante um médico muito lindo, com olhos verdes maravilhosos. Coisas estranhas acontecem e antes que ela fosse descoberta Edgar (pai dela) liga para Ivan ("tio dela") e a tira do hospital apagando todo o rastro de Anya dali... O que Ivan não esperava era que tinha se esquecido de apagar Anya da mente do Dr. Dante. O médico fica atormentado, e determinado a encontra-la.

Anya descobri ser um portador (vampira), entre muitos outros segredos guardado pelo pai e Ivan. Entre eles como foi a verdadeira história da morte da mãe.

Agridoce narra uma história vampiresca, mas muito diferente das que conhecemos. No livro um vampiro é conhecido como portador que possui uma doença que faz com que a pessoa necessite de sangue para sobreviver (uma doença genética) a pessoa desperta vampiro quando morde um mensageiro que também é um portador com a missão de atrair pessoas com essa genética, fazendo com que este o morda e desperte.

Há também os escravos, que são despertados logo depois que seu portador desperta. Escravos são pessoas que doam o sangue para seu portador e os protegem, principalmente do caçadores (ou antagonista), o escravo tem uma intimidade muito grande com seu protetor, sendo também capaz de morrer por ele. Os Antagonistas (caçadores) também despertam junto com o portador e tem a missão de mata-lo.

Cada portador tem seu escravo e seu caçador.

Além de Anya, Edgar, Dante e Ivan (Ivan é um ex-escravo), também passamos a conhecer Daniel um garoto marombado, lindo de morrer e garoto de programa (acreditem ou não), Rafael é o tutor de Anya, quem vai ensina-la a aprender mais sobre sua nova vida, Rafael é um homem lindo, elegante, rico e também é um portador. Léo é o irmão mais novo de Dante, um garoto inteligente, que ajudará muito Dante a passar por esse momento perturbador, Viviane é uma mulher linda, musculosa e carinhosa, escrava de Rafael. Renato é um amigo de Anya que possui um amor platônico por ela (ele me deixou de boca aberta no decorrer da história).

Acho que deu para perceber que Anya é uma garota de sorte né? Cercada de homens lindos. E não subestimem nem mesmo um simples morador de rua, os personagens estão de uma forma ou outra todos envolvidos. kkkkk É espetacular.

Um dos momentos mais curiosos é a descoberta do caçador e escravo da Anya, eu poderia até falar quem é quem, mas vou deixar vocês mesmos descobrir, obviamente vão ficar em dúvida entre Daniel e Dante, eu como sempre no inicio estava escolhendo o cara errado kkkkk, fiquei impressionada quando descobri, mas não me decepcionei, gosto dos dois, embora prefira o escravo, logico.

No decorrer da história aparecerá muitos personagens assim como Alex (o portador mensageiro que atraiu Anya para que o mordesse e despertasse) entre muitos outros. Além dos mistérios e segredos que vão sendo revelados até a ultima página.

Eu estou apaixonada pela escrita da Simone, adorei como Anya descreve o cheiro de cada pessoa, quando ela fala que sente tal cheiro já associamos a pessoa e não precisa de mais nada para saber quem é (ex: o escravo de Anya tem o cheiro e gosto de chocolate), e adorei também os termos e linguagem médica usados quando Dante é o ponto principal no momento da história. Enfim a escrita é maravilhosa, detalhada e flui de uma maneira natural e intensa. Me envolvi muitooo com a história, sonhei com vampiros duas noites kkkkkk.

A diagramação é simplesmente INCRÍVEL, (vocês podem conferir um pouco nas fotos), adoreiii tudo, o tamanho da fonte que favorece uma leitura rápida, folhas amarelas que eu amo, capítulos curtos e com títulos que tem tudo haver o capitulo, e essa capa? Eu me apaixoneiiii, imagino a Anya exatamente assim, e quem reparar bem logo atras dela tem um rapaz de jaqueta preta, aquele para mim é o escravo dela (Lindoooo)

Um ponto que gostei muitooo e ri algumas vezes, foi como Ivan trata o escravo de Anya, ele não gosta dele, alias os homens que cercam Anya não se bicam kkkk É um ameaçando o outro, bem divertido kkkk.

Anya é uma daquelas mocinhas que choram e é paparicada por todos a sua volta, mas as vezes tem algumas atitudes diferente e algo me diz que ela vai mudar muito durante essa saga. Mas em compensação os garotos são de tirar o folego.

Bom! eu queria dizer muito muito mais, mas vou soltar spoilers e isso é horrível né? Só posso dizer que o livro é repleto de mistérios, a capa capitulo tem algo novo, um segredo revelado, um mistério novo e muitas surpresas.

Agridoce é um dos melhores livros que li em 2015 até agora, e tornou um dos meus favoritos. E garanto a vocês que estão cansados de livros de vampiros clichês, Agridoce não é nada clichê, pelo menos no meu ponto de vista, eu nunca li nada parecido e nem mesmo em séries ou filmes. Super recomendo para quem curte, vampiros e livros de fantasia.

Enfim, Estou louca pela continuação, ainda mais por que ficou alguns mistérios para serem revelados e alguns personagens novos apareceram no fim de Agridoce e eles aparecem no primeiro capitulo de Cítrico (Sim, no fim de agridoce há um capitulo extra de Cítrico) Isso é para deixar os leitores loucos kkkkkkkkkk

Quotes

[...] o sangue agia como um imã, atraindo o Escravo para o portador independente de sua vontade. Um Escravo sempre sabia o que oferecer... - pág 73

[...] É claro que uma estaca pode nos matar... mataria qualquer um... (Rafael) - pág 148

-Ele fica bancando o garotão, mas é mais velho que nós, meu irmão!
- Mas ainda vou levar flores no seu túmulo, Escravo.
-Girassóis por favor. Se ainda tiver mãos para carrega-los, depois que eu arrancá-las sem anestesia. (Rafael e Ivan) - pág 151

[...] Falhe e terá seu pescoço destroçado e seu sangue sugado até a ultima gota, isso se eu não arrancar sua cabeça antes. (Ivan ameaçando o Escravo de Anya) - pág 177

Aquele clima ilustrava perfeitamente sua vida: tempestades violentas e raros momentos de sol... - pág 192

- [...] a nossa relação com o portador vai se ajeitando com o passar dos anos. Nos acostumamos tanto um com o outro que, às vezes, as palavras não são mais necessárias... acabamos conhecendo tão bem o outro que um simples olhar ou até o jeito diferente de respirar explica tudo! (Ivan) - pág 279

-[...] você não é só uma barra de chocolate...
-Sou um rio de chocolate. (Anya e seu Escravo) - pág 286

http://colecoes-literarias.blogspot.com/2015/03/resenha-agridoce-simone-o-marques.html

site: www.colecoes-literarias.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Amanda 28/10/2014

Poucas palavras...
Não sou muito boa em fazer resenhas, mas já que entrei no Skoob quero participar.
Agridoce foi um dos meus primeiros nacionais atuais, e posso dizer que mudou totalmente minha visão de tudo a respeito de nossos novos autores.
Tinha certo preconceito quando via alguém divulgando seu livro, mas depois de conhecer a obra da Simone percebi que nosso país tem muito a mostrar em termos de literatura.
E que venham mais Sabores do Sangue.

comentários(0)comente



C. Aguiar 06/04/2014

Já li esse livro a algum tempo, porém só agora pude resenhá-lo.
Nossa história começa quando conhecemos Anya, uma garota que nunca havia visto a luz do dia porque segundo seu pai ela sofre de uma alergia terrível igual a falecida mãe. A garota faz faculdade de gastronomia e como uma boa gastrônoma se sente atraída por cheiros e sabores, então em uma noite qualquer enquanto passei pela praia sente um perfume que mexe com seus sentidos a deixando quase transtornada! Porém não consegue localizar de onde vem aquele perfume, até que no dia seguinte ela encontra novamente o que a havia deixado curiosa na noite anterior.
Nessa hora que começamos a ver a verdadeira face da jovem, quando a mesma vai em direção aquilo que a está atraindo e percebe ser um rapaz, o qual ela sente o incrível desejo de experimentar para ver qual o sabor que o jovem tem e em um momento impulsivo acaba o mordendo diretamente em uma veia localizada no pescoço.
Desde aquele momento ela iria acabar percebendo que ela não iria ser a mesma.
Anya é uma Portadora, ou seja, ela carrega um vírus que faz dela o que podemos chamar de vampira.
Um portador só é despertado para o seu lado "negro da força" por assim dizer quando esbarra em um mensageiro (o rapaz que ela mordeu) e esse tem o intuito de fazer com que o portador sinta necessidade de provar de sangue para começar a viver sua verdadeira natureza.
Mas, nem tudo são flores na vida de Anya, pois quando um portador é despertado ela acaba trazendo consigo um enorme fardo, pois juntamente com ele mais outros dois são despertados: o Antagonista e o Escravo.
No caso do escravo o mesmo sente uma necessidade enorme de encontrar seu portador e essa única pessoa tem o poder necessário para deixar seu portador "bem", pois seu sangue tem as coisas necessárias para tal fato.
O Antagonista é uma pessoa que também sente a necessidade de encontrar o portador, só que nesse caso ele deseja dar fim a existência do mesmo!
Gostei da história que tem um estilo bem diferente e para quem já costuma ler minhas resenhas sabe que sou apaixonada por vampiros. Porém fiquei um pouco chateada com um ponto nessa história: a Anya não é o tipo de personagem que eu gosto. Ela é insegura demais e fraca demais no meu ponto de vista e o lance de todos ao redor dela que conhecem a sua história tentarem protege-la meio que me irrita, pois acho que a mesma deveria ter mais atitude em certos momentos..ela é um vampira cara e não uma criança mimada.
Gostei do final do livro, foi um tanto quanto curioso e deixou um gancho para uma continuação que deixa o leitor bem curioso com o próximo livro. Espero ler em breve, e achei a leitura bem envolvente. Li ele no meu kindle e nem senti a tempo passar enquanto lia.
Bom, tentei escrever o máximo possível sem dar muitas pistas para não dar nenhum spoiler para ninguém.
comentários(0)comente



Nina 02/02/2014

Agridoce
Anya tem 20 anos e cursa gastronomia. Seu olfato é muito apurado, o que dificulta ainda mais ela resistir ao cheiro agridoce que invadiu seus sentidos. E é depois disso que ela desperta para uma nova vida, onde precisa aprende a lidar com seu tutor,seu escravo e principalmente com ela mesma, além de com seu antagonista é claro.

Estou fascinada com o livro! Simone nos apresenta um universo vampiresco completamente novo e apaixonante. E que personagens maravilhosos! Não tem como não se encantar com eles e não suspirar por alguns rsrs. Anya é demais! Ela enfrenta tudo com tanta força e determinação ( apesar de ela achar que não ). Imagina uma menina super tímida e que de repente tem que conviver com vários homens extremamente diferentes...Complicado né. Ainda mais se seus hormônios parecem ter despertado junto com tudo que mudou. Daniel é um fofo.Metido pacas, mas um fofo com Anya. Tem Edgar super preocupado com tudo que Anya precisa enfrentar e Ivan que também quer protege-la, Rafael e as complicações que vem junto com ele e a maravilhosa da Vivi. "Pessoas" completamente diferentes, mas que querem o bem de Anya. E é com a ajuda dessas pessoas que ela tenta encarar essas mudanças.
A leitura flui mega fácil. É daqueles livros que mal começamos a ler e já estamos completamente presos ao livro e incapazes de larga-lo antes do fim.
A Simone esta mais que de parabéns pela historia.
Anseio por Cítrico quase tão desesperada quanto Anya por seu "rio de chocolate" ( só lendo o livro para entender rsrs ).


site: http://fleurdylis.blogspot.com
comentários(0)comente



Rei 19/10/2013

Aguçando os sentidos
Particularmente, me abstenho de ler qualquer tipo de resenha e sinopse antes de começar a leitura de qualquer livro, para que eu não seja influenciado em minhas conclusões e poder mergulhar totalmente e de forma cristalina no universo de ideias do autor.

É, no mínimo curioso, a forma como alguns livros chegam às nossas mãos e o quanto nossas listas de leituras tornam os livros conectados uns aos outros e conosco.

Tomei conhecimento da obra da Autora Simone Marques através da minha fanpage TRISKLE que, por coincidência, é o título de um dos seus livros, da saga PAGANUS.

Nas linhas abaixo, vou tecer “apenas” a minha opinião sobre o livro Agridoce ( Saga Sabores de Sangue ).

A edição é de um ótimo acabamento interno e externo. Acredito até, que a capa faz jus à personagem central da estória.

A linguagem adotada pela autora é de fácil entendimento e convidativa, com muito suspense, sedução e tensão.

A trama se passa na região da ilha de Santa Catarina: Florianópolis e região e, inclusive, penso que a autora se inspirou no cenário do Parque da Luz e Avenida Beira Mar em Floripa, para alguns trechos da estória.

A forma como o tema “vampirismo” é tratada no livro, me chamou muito a atenção. É encarado como um fator genético que, como qualquer tipo de doença, pode ou não ser manifestada ao longo da vida. Tais manifestações são desencadeadas por um portador, denominado “Mensageiro”.

A autora classifica a espécie da seguinte forma: Mensageiro, Portador, Escravo e Caçador, ambos envoltos num elo antagônico de convivência, dependência, aceitação e destruição.

Toda a estória é centrada no despertar para o Vampirismo da bela estudante de Gastronomia, recatada e tímida, chamada “Anya”

Daí em diante, seguem-se várias analogias entre o tema e a vida real: toda a preocupação que os pais são tomados quando uma jovem que está no momento de transição entre a juventude e a idade adulta; toda a preocupação, por vezes exacerbada dos entes familiares, quanto à qualquer tipo de doença e toda a privação que ela traz...

Todos os personagens são cativantes, caricaturas fortes e marcantes da nossa vida real.

A autora nos presenteou com personagens bem instigantes. Paixão, Ódio e Admiração são despertados constantemente a cada página.

Todo o drama consiste na condição e aceitação de Anya, para com a sua doença de sangue (vampirismo), trazendo consigo uma mudança radical na sua vida, de todos que a cercam e porque não dizer, de boa parte de Florianópolis, num efeito dominó que a cada momento toma proporções gigantescas, com situações totalmente inesperadas.

Todos os sentidos são enaltecidos na trama, mas o olfato é o predominante.

A velocidade a qual li o livro foi sem igual e o final desse primeiro volume é surpreendente.

Indico a todos. Uma ótima leitura.

site: http://simoneomarques.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Kari 24/08/2013

Em Agridoce da autora Simone O. Marques conhecemos Anya uma estudante de gastronomia que leva uma vida quase normal se não fosse pela sua suposta alergia ao sol. Uma jovem recatada, que não tem interesse em outra coisa a não ser seus estudos, até que algo inusitado chama a sua atenção.. Um cheiro agridoce que a deixa louca e ao provar desse cheiro vê seu mundo de pernas para o ar.

Anya descobre várias questões até então sequer imaginadas por ela, após morder o jovem que a atrai pelo cheiro agridoce desperta como vampira e junto com seu despertar, despertam o antagonista e o escravo. Isso mesmo pessoas! Esse livro tem todo um lance diferente do que estamos habituados a ler nos livros sobre vampiros.
A questão principal que é a dependência do sague para viver permanece, porém.. Alguns dos "renascidos" podem andar ao sol, e quando uma pessoa desperta como vampira, outros despertam com ela no intuito de balancear uma espécie de "rede".

O escravo é encarregado por alimentar o vampiro, tendo seu sangue irresistível e com um sabor especial que supre as necessidades do vampiro.

O antagonista é aquele que desperta com o intuito de dizimar o vampiro, como um caçador que tem por obrigação acabar com esse ser que pode colocar vidas em risco.

Tem também o mensageiro, que foi o rapaz que "despertou" Anya para sua condição de vampira! E o tutor que é o responsável por introduzir Anya em sua nova vida e lhe ensinar o que precisa saber!

O vampirismo é visto como uma espécie de doença genética que pode nunca aparecer ou surgir em qualquer idade ou momento.

A partir de seu despertar, Anya conhece a verdade por detrás da morte de sua mãe e passa a ser intruduzida nesse novo mundo que a cerca. Seu pai é "invisível" para Anya, seu sangue não desperta desejo algum nela. Porém as demais pessoas a sua volta despertam sua sede por sangue.

Cada pessoa que desperta como vampiro, possui um "dom", a mãe de Anya, podia perceber as emoções por detrás do sangue de cada indivíduo enquanto Anya pode perceber os diversos aromas, como o que a pessoa comeu. Ela é atraída através desses aromas percebidos nas diferentes pessoas ao seu redor.

Outros personagens interessantes e misteriosos são encontrados nesse livro, como Ivan, que foi o escravo de sua mãe e Rafael que era o tutor de Bete (mãe de Anya), ou seja, quem deveria ensiná-la sobre sua nova condição e ajudar a protege-la. Porém o passado deles e do pai de Anya é marcado pelo insucesso em proteger Bete culminando em sua morte pelas mãos de seu antagonista. Afim de não permitir que o mesmo se repita com Anya esse trio imrpovável se une para afastar o perigo da vida de Anya e tornar sua nova condição mais "confortável".


O livro tem um projeto gráfico lindo com bordas emolduradas! A Modo tem arrasado na publicação dos nacionais me deixando impressionada a cada livro que tenho a oportunidade de ter em mãos!

Simone O. Marques conseguiu me conquistar; quando penso que já li de tudo sobre vampiros vem ela e me surpreende criando um universo novo e dando um colorido todo especial ao tema! Sua narrativa é fácil e flui com perfeição.

Agridoce, foi como uma introdução a esse mundo diferente dos vampiros criados por Simone O. Marques, nele somos apresentados de maneira bem detalhada aos personagens e suas características!

Anya é uma jovem que possui toda uma ingenuidade, aguém que ainda escuta o pai e dá importância ao que ele sente ou pensa. Algumas vezes isso é irritante, pois não parece que ela é uma jovem de vinte anos, porém seu comportamento é aceitável devido a maneira como fora criada. Os homens que a cercam, sejam eles meros humanos, escravos, vampiros, caçadores.. São todos de certa forma "sugados" por Anya, pois ela é detentora de beleza, delicadeza e doçura. É como se todos a sua volta caissem aos seus pés! Ela tem isso, de cativar todos ao seu redor. Achei isso meio louco, porém talvez seja o magnetismo possuído por aqueles que possuem o vampirismo!


Todos os personagens foram fundamentais para a construção da história e cada um com suas peculiaridades! Alguns que a meu ver se destacaram:

O carinho e amizade que Ivan tem por Edgard, sua filha e tinha com a Bete (mãe de Anya) é admirável e palpável! Até eu me sentiria segura com alguém como ele por perto! E mesmo com toda a intensidade da relação de Ivan com Bete, Edgard prefere não pensar por este lado e simplesmente aceitar a amizade que Ivan demonstra sentir por ele e Anya.

Rafael (tutor) é um Deus Grego, ou seria vampiro Grego? rs Ele é todo misterioso, tenso, atraente! Mas não foi o meu personagem favorito. Ele sabe mais do que demonstra e achei que ele possui um pequeno desvio de caráter! Pode ter sido impressão, mas o fato de ele esconder determinadas coisas, mesmo eu sabendo que ele quer preservar sua espécie me deu raiva!

Daniel (escravo de Anya), é hilário com todo seu jeitão convencido e pasmem.. Ele é garoto de programa, marombado e se acha! Mas gostei dele. Achei ele bastante protetor com Anya. E percebemos sua mudança no decorrer das páginas. A ligação que um escravo tem com o portador é muito íntima e interessante! Meu personagem favorito!

Tem também o Dante, médico que atende Anya, após ela morder o mensageiro e quase se afogar, ele fica totalmente obcecado por Anya, pois ninguém parece lembrar que ela esteve no hospital a não ser ele. E durante todo o livro vemos um Dante completamente louco atrás de pistas que indiquem que Anya exista realmente. Ele inclusive tem uns sonhos loucos. Ele não foi meu personagem preferido, mas foi importante no suspense da trama! E o papel que ele desempenha liga ele irremediavelmente a Anya.

Léo, irmão de Dante, é divertido e me cativou. Ele de alguma forma não tem seu sangue detectado por Anya e parece que tem o poder de tranquilizá-la, assim como se fazer ouvir por Dante, quando o mesmo parece estar fora de si! Não sei bem que tipo de papel ele irá desenvolver na trama que seguirá na continuação dessa história, mas espero que tenha mais destaque, pois curti muito ele!

A história tem todo um clima de suspense e mistérios e o final me deixou mega curiosa!Tem uma adrenalina que dá por querer saber o que acontecerá! Adorei! Outros personagens são introduzidos a trama logo ao fim do livro, já nos preparando para o que virá na continuação dessa história intrigante e cheia de mistérios!
O livro terá continuação e deverá estar sendo lançado no primeiro semestre de 2013, segundo a própia autora!

Que venha Cítrico, segundo volume dessa história diferente escrita por Simone O. Marques!
Estou ansiosa para saber mais sobre esse mundo novo criado por Simone O. Marques!

site: http://www.mixliterario.com/2012/09/resenha-agridoce-simone-o-marques.html
comentários(0)comente



Pat Kovacs 08/07/2013

Meu Achismo
Meu Achismo:

Apesar de eu não ser fã de vampiros, a história contada por Simone Odete Marques me cativou. A Autora trabalha a narrativa de forma lenta, o que dá tempo ao leitor de assimilar os acontecimentos e conhecer intimamente os personagens. Esmiuçar a personalidade de cada personagem central da trama deixa a história mais rica e tira o protagonista do centro das atenções, dando uma visão mais ampla e menos egóica, porém essa importância demasiada dada aos demais personagens precisa de um limite. Nesse ponto, eu acho que a Simone Marques peca ao inserir muitos personagens e contar demais da vida deles; a Autora até dá nomes aos figurantes. Acho que isso complica um pouco o lado do leitor, que acaba se perdendo em uma multidão de personagens que recebem um destaque maior do que merecem.

Fora isso, Agridoce é um drama repleto de sensualidade, em que a personagem principal, Anya, desperta para uma vida completamente diferente de sua antiga vidinha casta vivida sob a proteção do manto da noite, de casa para a faculdade onde cursava Gastronomia, com a vida social mais nula que a minha! A reviravolta em sua vida se dá no corpo e no espírito, e nós leitores acompanhamos a sua dramática adaptação a um novo mundo totalmente diferente... amargo, mas revestido de alguma doçura.



site: http://patkovacs.blogspot.com.br/2013/07/resenha-agridoce-de-simone-marques.html
comentários(0)comente



Flavia 24/06/2013

"Agridoce" nos apresenta Anya, uma garota aparentemente comum, exceto pelo fato de sofrer de uma alergia ao sol que a impede de sair durante o dia, e por apreciar como ninguém sabores e aromas, faz faculdade de gastronomia. Ela mora com seu pai superprotetor, Edgar, que inclusive dá aulas na faculdade onde ela estuda. Como Anya tem uma vida mais noturna e é tachada de nerd, seus laços de amizade são bem fracos e não se estendem além da sala de aula, o que a torna bem solitária.
Numa noite, enquanto Anya andava pela praia, ela sente um aroma que a enlouqueceu, e no ímpeto de seguir aquele cheiro envolvente, ela se viu mordendo o pescoço de um banhista a fim de poder provar daquele sabor agridoce que a deixou maravilhada, e é a partir desse ponto que a história começa a se desenvolver, pois Anya despertou para aquilo que ela, até então, desconhecia... Anya carrega um vírus que faz dela uma Portadora, uma Vampira, e a necessidade de beber sangue agora é vital pra ela, mesmo que isso a deixe assustada ou inconformada.

Vários pontos me chamaram a atenção em "Agridoce", pois a história apesar de tratar de vampiros, é bem diferente da maioria, pois as pessoas tem funções nesse meio e cada uma está ligada à outra, mesmo sem saberem disso. Elas vivem suas vidas normalmente e de repente começam a procurar incessantemente por alguém até se encontrarem e descobrirem o propósito daquela busca. Portador, Mensageiro, Escravo, Antagonista... São termos que definem as funções de cada um deles. Um Vampiro é um Portador, até que um Mensageiro cruza seu caminho por acaso e desperta sua sede, como aconteceu com o banhista, e revela sua condição até então "adormecida". E quando um Portador é despertado, junto com ele outros dois também são: o Escravo e o Antagonista. O Escravo passa, então, a buscar pelo Portador, a quem ele deve servir enquanto for possível, pois seu sangue tem o sabor e a consistência exatas que esse Portador tanto precisa. Já o Antagonista, é um Caçador, que parte em busca do Portador com intuito de exterminá-lo. E ninguém sabe de nada a respeito dessa nova função, como ou porquê, só sentem aquela necessidade absurda e incontrolável de busca, e só precisam estar de frente um pra o outro para que o instinto fale por eles, dentre algumas outras coisas mais...

Os personagens são muito bem construídos e cada um tem sua função especial na história, com personalidades e características distintas. Só senti que Anya não teve o destaque como personagem principal que merecia, pois muitas vezes o foco se desviava para outras situações e personagens a ponto de eu me esquecer da existência dela. Ela não me marcou como Ivan, amigo de Edgar, que tem presença e a considera como sua sobrinha, e se tiver que quebrar a cara de alguém para protegê-la, não pensa duas vezes. Não vou me aprofundar nos personagens, pois conhecê-los através da leitura é muito mais bacana e emocionante, pois cada um tem sua própria história de vida, algumas mais sensíveis do que outras.
A narrativa também é super leve e envolvente, que prende e se desenvolve sem que o leitor perceba o tempo passar.
Com relação a parte física do livro, só tenho elogios, pois é todo caprichado: a capa é muito bonita, cada página é enfeitada com ornamentos e as páginas são amareladas.

A busca frenética pelo seu ideal, os dilemas enfrentados pelos personagens, os aromas e sabores que são descritos de forma tão detalhada que chega a despertar sentidos e a fome do leitor (principalmente o chocolate nhaaamm), e o toque de sensualidade clássica de histórias de vampiros, fazem de Agridoce uma ótima pedida!
Carla 06/05/2015minha estante
é um romance flor?




Mari Scotti 20/06/2013

Agridoce
Está resenha será postada também nos blogs: Coração de Papel, Vitrine TBF e Da Realidade aos Sonhos.

Agridoce
Autor: Simone O Marques
Editora: Modo ME


=== Resenha ===

Hoje voltamos aos vampiros!
Aqueles que leem minhas resenhas sabem que ando numa maré de azar com livros de vampiros e numa ressaca brava, pois abandonei uns quatro, nos últimos meses. Nenhum me agradava, nenhum prendia minha atenção, nenhum possuía a qualidade descritiva que eu gosto. Não são ruins, apenas não era meu momento para aquelas leituras e pretendo retomá-las em breve.
Porém há algumas semanas, decidi começar Agridoce. Não leio sinopse e nem resenhas quando quero muito um livro, porque gosto da surpresa, apenas tinha o conhecimento que era fantasia e que a Anya era diferente. Isto foi o que me atraiu para adquirir esta obra, mas qual foi a minha grata surpresa? VAMPIROS!
Demorei um pouco a terminar, pois realmente não estou em um momento bom com vampiros, talvez porque a série do meu segundo livro Híbrida, esteja me sugando a alma, pois quero finalizá-la antes do meio do ano, mas tenho a alegria de dizer que Agridoce me surpreendeu! Apesar de ter demorado mais do que o meu normal a terminar a leitura, eu me apaixonei terrivelmente pela obra! Além da redação da Simone ser impecável, ainda traz algo novo ao mundo dos vampiros, algo que jamais imaginei e que me fez degustar cada página para que ele não acabasse logo, pois estou num momento complicado e não vou adquirir Cítrico (segundo livro da série) tão cedo!
A Simone nos apresenta Anya, uma garota nerd, que tem alergia do sol e estuda Gastronomia. Ela mora em Florianópolis junto com seu pai Edgar que é professor na faculdade em que estuda.
Anya é muito ligada aos aromas dos alimentos e em uma noite, enquanto passeia pela praia, um aroma diferente a deixa desnorteada. Um cheiro agridoce que a faz salivar e tentar descobrir de onde vem. Ela chega em casa e tenta replicar o cheiro que sentiu, mas não consegue, porém na noite seguinte aquele aroma irresistível está lá de novo. Acaba localizando sua fonte ao ver um homem lindo saindo da água da praia. Esta foi uma das cenas que mais me surpreendeu, pois sem resistir aquele cheiro, ela caminha até o homem e o lambe, em seguida o morde, bebendo seu sangue.
Fiquei perplexa, pois não esperava, afinal até ali ela parecia comum, apesar da alergia ao sol me deixar com uma pulga atrás da orelha.
A cena muda, Anya acorda no hospital, pois se afogou e tudo leva a entender que ela matou aquele surfista. Assim descobrimos que ela não é normal, mas Portadora de um vírus raro, o vírus do vampirismo, que despertou nela por causa de um Mensageiro, um Portador que tem um único objetivo: Despertar outros Portadores.
Anya descobre que com ela despertaram mais duas pessoas, desconhecidas e que farão de tudo para encontra-la! Um é seu Escravo, seu sangue é o mais puro, do aroma mais atrativo e do sabor mais delicioso, é o que mantém o vampiro vivo e até onde o tutor de Anya sabe, se ele morre, o vampiro definha com ele. O outro é o Antagonista, ou seja, seu Caçador. Ele desperta com o único intuito de matar o Portador. Nenhum deles sabe o que está acontecendo, só sente uma necessidade absurda de encontrar o Portador. Somente quando estão frente a frente que, por instinto, sabem o que devem fazer.
O Rafael Montequio – sim, o sobrenome é Montequio e eu amei isso! – é o tutor de Anya, um Portador mais antigo e que tem o dever de instruí-la acerca de sua nova condição. Ele é lindo, rico, sua Escrava é linda e eu estou louca para ter mais cenas da Vivi com ele, mas ele tem um passado com o pai de Anya e não é muito bem recebido.
Ivan é um Escravo, amigo do pai de Anya e que também tem um passado com esta família e assim que ela desperta, é convocado pelo Sr Edgar – pai da Anya – para ajuda-lo.
Dante é o médico que atende a Anya no hospital quando é internada por afogamento, tem um papel importante na trama e eu tenho aqui as minhas teorias sobre ele e o Leo, seu irmão, mas não revelarei. Só para quem já leu: Tenho a sensação que o Leo é chave importante para modificar certos destinos! U_U’ Confesso que amei o Dante... até conhecer o Daniel.
Daniel é um garoto de programa que adora a vida que leva, porém um dia acorda com um nome na cabeça “Anya” e não sabe se é alguma cliente que ele marcou algo. Ele passa mal e também é atendido pelo Dante. A vida deles se entrelaça de tal forma que me peguei torcendo para que nenhum deles fosse o Antagonista da Anya.
Estou apaixonada pelo jeitinho sedutor do Daniel e espero surpresas e mais cenas dele em Cítrico!
Outra vertente são os Caçadores, homens que conseguiram aniquilar seu Portador, mas que gostaram da coisa e decidiram caçar outros vampiros. São destemidos e com sede de vingança e justiça! Existem também os vampiros que aproveitam dos mitos para saciar sua sede até matar suas vítimas, algo que não é comum entre os Portadores.
A trama é muito bem amarrada!
Você ficou interessado em entender tudo o que contei aqui? Adquira o livro com a autora, garanto que não se arrependerá!

Nota: 10!

Beijos,

Mari Scotti

comentários(0)comente



Josy 16/06/2013

Bom, eu devo dizer que a primeira coisa a me conquistar em Agridoce foi a capa, que é absurdamente linda! A segunda coisa a dizer é que sou uma admiradora de vampiros há BONS anos, desde a primeira vez que eu assisti 'Entrevista com o vampiro' em uma de suas primeiras exibições na tv aberta e MUITO antes de o gênero se tornar uma “febre”, então sou terrivelmente suspeita. Ainda assim, de certo tempo pra cá, admito ter ficado com um pouco de receio do gênero, pois muito material novo sobre o assunto surgiu e nem todos me agradaram.

Mesmo com aquela desconfiança me martelando, resolvi dar um voto de confiança ao livro. Um fator que teve peso nessa decisão também foi o fato de ter conhecido a autora pessoalmente, e ter sido cativada com sua simpatia.

E, sério, não me arrependi de tentar.

Situada no Brasil atual, mais especificamente em Florianópolis, nos deparamos com a premissa de "vampiros" que vivem normalmente entre nós, pois, na realidade, eles não são monstros ou mortos como comumente vemos. Nesta história, vampiros são humanos comuns que possuem uma rara condição que os torna dependentes de sangue humano para sobreviver.

Assim, somos apresentados aos Portadores. Cada um deles possui uma habilidade especial e, por muitas vezes, única. Um tipo raro de Portador e também de extrema importância é o Mensageiro, aquele que é responsável por despertar esses novos "vampiros" com seus aromas especialmente atraentes, pois, ainda que haja a predisposição genética, um Portador só é desperto depois de cruzar seu caminho com um Mensageiro.

Com esse despertar, somos apresentados a novos personagens dessa envolvente teia. A cada Portador desperto, duas outras pessoas despertam juntas para uma nova condição: o Escravo, um humano comum que terá sabor e sangue especiais (únicos, na verdade) para seu Portador, e também o Antagonista, o humano que desperta com o solene e irrefreável desejo de assassinar aquele Portador.

Logo no início somos apresentados a Anya, que poderia ser apenas mais uma personagem comum se não fosse sua estranha condição: uma alergia hereditária herdada da mãe, que a impedia de sair ao sol. Assim, tudo na vida da garota só pode acontecer à noite. Frequentando as aulas no período noturno (na universidade onde, por sinal, seu pai superprotetor dá aulas) e sem poder usufruir o dia, suas amizades são reduzidas drasticamente aos colegas de sala, com quem não tem maiores laços ou vínculos.

Depois do despertar da protagonista somos apresentados a novos personagens que ganham destaque ao longo da trama: Dante, um médico que se vê obcecado pela jovem depois de seu primeiro encontro com ela (e devo dizer, um dos meus favoritos); Ivan, o "armário" amigo de Edgar, que considera Anya sua sobrinha e não pensaria duas vezes antes de matar alguém para defendê-la; Daniel, o garoto de programa que se viu desperto com a obsessão de encontrar Anya, e Rafael, um Portador experiente que assume as vezes de tutor da jovem.

Uma coisa que me agradou bastante no livro é que apesar de todos os personagens terem um drama ou dilema em suas vidas, isto não é de maneira alguma maçante ou mesmo forçado. As situações não são exploradas de modo que você se sinta “penalizado”, elas são apenas citadas, lembradas. E mesmo aqueles personagens em que a dor é mais palpável, ele te comove antes de qualquer outra coisa. Edgar, o pai de Anya, é o melhor exemplo para esta situação e também um personagem por quem você passa a ter um carinho especial até o final do livro devido a toda a sua história de vida.

Agridoce tem uma história leve e envolvente e personagens cativantes, que te obrigam a virar as páginas sem sequer perceber, apenas para conhecer com Anya mais sobre este mundo tão cheio de mistérios e deixando-se envolver junto com ela com os aromas e sabores desses personagens, com as intrigas e segredos que os envolvem. Com uma leve promessa de romance, nos vemos torcendo para este ou aquele personagem ter uma chance com a garota.

Terminando em um ponto particularmente crítico da história, Cítrico, a continuação da Saga dos Sabores do Sangue, se torna uma leitura obrigatória.

Resenha originalmente postada em: http://memoriesoftheangel.blogspot.com.br/2013/05/agridoce.html
comentários(0)comente



marypaixao 14/01/2013

Resenha do Muito Pouco Crítica - @blog_MPC
Anya estuda mora em Florianópolis, estuda gastronomia à noite e leva uma vida pacata, sem sair muito. Numa noite, andando pela praia, Anya sente um cheiro incrível. Fascinada por sabores e temperos e por esse em especial, ela mal percebe pra onde ela o leva. De repente, tudo o que ela consegue sentir é aquele gosto agridoce na boca, vindo do pescoço de um desconhecido.

Sempre li coisas muito legais sobre esse livro (principalmente no Psychobooks) e finalmente pude comprá-lo na Bienal do ano passado — com direito a autógrafo da Simone e tudo! Foi uma leitura que realmente não me decepcionou!

A narrativa da Simone é bem fluida, ela consegue explicar bem o contexto da Anya — pois, apesar de ser um livro sobre vampiros, aquele assunto que todo mundo já conhece tanto, Agridoce tem peculiaridades muito interessantes! –, fazendo com que conheçamos cada personagem e seu papel na história.

Além do contexto diferenciado, os personagens são muito interessantes! A Anya é ótima, forte, inteligente. A história do passado do pai e da mãe dela, com o Ivan e até o Rafael dá um toque dramático pra história que às vezes eu achei meio exagerado, mas que mesmo assim gostei bastante.

O que eu mais gostei foi a utilização dos pontos de vista de vários personagens que, em certo momento, os levam para a Anya. O que me incomodou um pouco (mas que é totalmente entendível) é que tempo presente é bem explicado nesse livro, mas o passado é bem misterioso e provavelmente será melhor contado nos próximos livros.

A ligação da Anya com sabores e cheiros é tão grande que eu passei boa parte do livro com água na boca, hahahah. Recomendo muito a leitura, não sei porque demorei tanto pra lê-lo!
comentários(0)comente



Amoras Com Pimenta 15/12/2012

Quando vi a capa do livro Agridoce, eu achei que fosse um livro que tivesse aquelas batalhas épicas, sabem? Aquela coisa de guerreiros medievais. Eu não sei porque eu achei isso, mas achei. Quando li a sinopse, vi que estava redondamente enganada. Pensei: 'talvez tenhamos batalhas sim, mas nada de guerras medievais'.
Conversando com a queridíssima Simone Marques, falei que tinha um blog com o mesmo nome de seu livro, e que eu também tinha Simone em meu nome. Vendo as coincidências, deliciosas, ela gentilmente me doou o livro. Quando ela falou que me daria o livro, a pessoa aqui parecia uma criança quando aguardando o papai Noel. Gente vocês não imaginam a minha emoção, quando o livro chegou aqui em casa. Comecei a ler assim que chegou. A única coisa que me aborreceu durante a leitura, é que tive que parar para dormir. O livro me envolveu de uma maneira, que se não fosse eu olhar no relógio e ver os números 3:00 hs, acho que teria virado a noite e nem haveria percebido.

Mas vamos a minha resenha, prometo não contar o livro, rsrsrsrsrsr. Mas menos que passional eu não garanto que a resenha não seja.
Essa resenha pode conter espoillers.
Eu já falei que adoro livros de vampiros? Pois é, está aí um gênero literário que sempre me surpreende. Sempre achamos que vampiros são somente seres das trevas, ruins por natureza, e mais não sei o que. Aí veio os Cullen e todo mundo começou a ver os vampiros com outros olhos, um olhar bondoso, porque eles são "vegetarianos". Mas e a essência dos livros de vampiros, eu me pergunto: cadê, cadê, cadê??????
Para mim, Agridoce trouxe de volta essa essência que, para mim, estava faltando nos livros 'vampirescos'. Tem vampiro do mal, daquele tipo que sente prazer em matar um humano? Tem, mas é para isso que os vampiros existem. Tem vampiro do bem? Tem, mas se enganam se acharem que eles são "vegetarianos".
Anya é uma vampira recém despertada. Estudante de gastronomia, uma garota de vinte anos, totalmente na flor da idade, ela se vê vampira e não sabe o que vai fazer, porque ela não quer ser um monstro.

" ... Eu... vou ter que chupar o sangue das pessoas? É isso que está me dizendo, Montéquio?... Não posso fazer isso! É monstruoso" ..." (pág. 66)

Rafael Montéquio, (adoro esse nome, super combina com o personagem) é o clássico vampiro. Rico, elegante, atraente, e com todo aquele ar que só os vampiros poderosos podem ter. Ele me despertou sentimentos controversos, ao mesmo tempo em que me encantava com ele, odiava-o. Ele faz aquele tipão: sou Portador mesmo, e daí? Não gosta de sair sugando o sangue das pessoas até elas sucumbirem, mas se o tiver que fazer, o faz sem peso na consciência. Essa agora foi boa, vampiro com consciência pesada por sugar sangue, rsrsrsr.

"...Rafael estava ansioso, nervoso e sentia sua mão tremer... Precisava de sangue... e sua sede era acompanhada pela urgência que tinha de voltar para Anya. ..." (pág. 100)

Iva, ou tio Ivan como Anya o chama, é o cara. Ele é encantador, apesar de ser um 'ármario' em forma de gente. Ele tem uma ligação muito forte com Anya e seu pai, Edgar. Assim como Rafael, ele não desgruda de Anya, cada um com seus motivos, mas ambos em busca da segurança de Anya.
Sabem aquele filme A Espera de um Milagre? Pois é, tio Ivan pode facilmente ter sua imagem ligada ao personagem principal do filme, que espera no corredor da morte. Só a imagem, pois os personagens são diferentes. Eu adoroooooooooo o tio Ivan.

" - Ivan? - Edgar sentiu que sua voz tremeu.
- Ed? - a voz falou surpresa do outro lado.
- Vou precisar de você... mais uma vez...
- Anya? Ivan parecia ter despertado e sua voz ganhou tom de urgência. - Onde você está?
- No Hospital Ana Néri...
- Tô indo. - Ivan falou e desligou o telefone." (pág. 17)

Daniel é um sonho. A gente lê e baba. Sobre ele, não vou por spoillers. Ele é o personagem que você tem que conhecer, e depois que o conhece... pronto tá perdida. Você caiu em sua rede, e agora é peixe. Eu adorooooooooooooooooooo ele, e a ligação que ele tem no livro.
Apesar de Anya ser o centro de toda trama, o livro não seria o mesmo se não tivesse Daniel. Mas ele tem que ser com todos os requisitos que a autora, generosamente, os atribui.
Como em todo livro de vampiros, teremos sim os caçadores de vampiros. Mas eles também tem seu "Q" de mistério.
Eu estou aqui me segurando para não contar o livro e acho que já escrevi demais.
Aventure-se nos sabores de Agridoce, e descubra você também o que ele te reserva.
Agora que li esse livro, mal posso esperar por Cítrico, o segundo livro da série. Será lançado ano que vem pela Editora Literata. E podem esperar, tão logo seja o livro lançado, termos resenhas dele no blog.
comentários(0)comente



Sol Brasil 26/11/2012

Resenha Premiada: Agridoce
Conhecemos Anya uma estudante de Gastronomia, que se dedica por inteiro nos estudos. Um pequeno detalhe a diferencia dos outros a sua alergia ao Sol. Por esse motivo Anya só sai a noite. Outro ponto interessante é que seu olfato é ótimo, ela sabe diferencia e distinguir um cheiro, uma comida.
Em uma de sua saídas a noite, ela começa a sentir um cheiro delicioso e fica intrigada, como fosse um desafio de saber que cheiro era aquele. Depois de um tempo procurando por esse cheiro descobre que é Agridoce, ao prova-lo sua vida completamente muda.

Anya ao morde o banhista, se desperta para vampira e junto com ela desperta também antagonista e o escravo. O escravo sera encarregado de alimenta-la, sempre que precisar ele estará ao lado dela. Isso é uma questão diferente de todas as historias de vampiros que conheço. Achei bem interessante esse ponto que a autora acrescentou. O antagonista é uma especia de caçador, seu foco é tentar matar o vampiro que despertou. Temos também o mensageiro e o tutor.

Ao decorrer da historia Anya descobrirá vários fatos que ocorreram em sua vida, que só o seu pai e os mais íntimos sabiam, por exemplo como foi a morte de sua mãe. Vampiros que despertam tem um dom e o de Anya é saber os diversos aromas.
Conhecemos outros personagens interessantes e importantes, como Rafael que sera o tutor de Anya. Adoro ler livros que todos os personagens citados são importantes no desenrolar da historia.

O livro é muito bom e muito emocionante. Nunca tinha lido uma historia de vampiro escrita desta forma. Você se prende muito fácil a leitura. A Simone foi muito cuidadosa e ficou ótimo a sua escrita.
Adorei todos os personagens, um deles foi o medico. Enfim recomendo Agridoce.

Participe da promoção do Love Books junto com a Modo Editora
kit de marcadores até 20/12
http://loveebookss.blogspot.com.br/2012/11/resenha-premiada-agridoce.html
comentários(0)comente



Nanda Guion 23/10/2012

Agridoce - Simone O. Marques
Esse livro realmente me surpreendeu, não só pela sua história, mas pela essência em si, Simone cria em Agridoce um universo de vampiros totalmente diferentes do que estamos acostumados, é algo novo, e encantador, o livro me prendeu da primeira a última página e a cada palavra, frase ou trecho me fez querer descobrir mais e mais sobre esse universo que Anya vive e sua vida.

Nessa história íncrivel, há um mundo em que nós humanos nunca sonharíamos existir. Após Anya "despertar" para sua verdadeira vida, ela descobre ser uma vampira, e é ai que entra a parte em que fiquei intrigada com o livro e me rendi completamente aos seus mistérios, pois quando uma pessoa é despertada com a sede de sangue, junto dela também são despertadas mais duas pessoas, o Escravo, que é encarregado de doar seu sangue para a alimentação do vampiro e o Caçador que como o próprio nome já diz tem a missão de encontrar o vampiro e matá-lo.

Agridoce não tem personagens "secundários", okay, tem os mais importantes, mas no livro cada um tem uma história por trás de si em que intriga o leitor e o faz querer saber todos os segredos que cercam Agridoce, os personagens são fortes, presentes e todos com características marcantes. Anya após se tornar vampira é protegida por seu pai, seu tutor e quem vai treiná-la para a sua nova vida, Rafael (também vampiro e com uma "pinta" de Conde Drácula sexy haha), Ivan seu tio e o que não sabia ex-Escravo de sua mãe e Daniel (suspira) seu Escravo.

Além desses personagens há também ... bom, vocês vão ter que ler pra saber quem é o Caçador dela haha, mas há bem mais personagens que são fundamentais no desenrolar de Agridoce, e ah, os detalhes de como são os vampiros, não, não tem covas, estacas, crucifixos água benta ... mas Anya na história sempre foi privada de sol, então vocês já devem imaginar ... o que torna tudo ainda mais dificíl na tarefa de proteger Anya é que ela é diferente dos outros vampiros, tem algumas especialidades a mais, e isso faz com que não só seu Caçador, mas também muitos outros grupos e pessoas fiquem interessados nela, e ah se forem ler o livro fiquem de olho na história da mãe dela que apesar de triste é super interessante.

Haha, o que posso dizer mais ? Está totalmente recomendado, Agridoce é um livro excelente, e cheio de personagens incríveis. E há muito mais coisas que vocês vão adorar descobrir nessa leitura !

resenha para o blog: segredosdocoracao.com.br
comentários(0)comente



37 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3