O Homem Que Calculava

O Homem Que Calculava Malba Tahan
Malba Tahan


Compartilhe


Resenhas - O Homem Que Calculava


131 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Newton.Loebens 30/11/2018

Simplicity plus complexity
The Man Who Calculated was the first book which I have read that was not a
fantasy story. The time when I read it remembers me of a moment which divides my
feelings about Math, because before the book, Math seemed to me just as one more
discipline that I should study and make some tests. In the story, many events happen to
Beremiz, a man who uses diferent ways to think about math
and logic to solve his and his city problems. Therefore, during the reading I realized that
Math was not just one more discipline, it was the way through which I could enjoy my
time in school.
In the story, Beremiz was a famous Math man in Bagda, known by his
simple solutions to solve, until then, what were hard troubles. He did not use advanced
Math methods in the solutions, which allows anyone to read the book and enjoy the
explanations. At a certain point, the king became aware about Beremiz´s acomplishments
and invited him to go to his palace to make a challenge: if he was able to solve a milenar
and famous test which remainded without solution, the princess would marry Beremiz.
There was no need to think deeply, so, our hero left home in a journey to reach the palace.
The journey was very long, and so was the Mathematician’s fame. Therefore in
every stop he made, there was an unsolved problem that let the people confused. At this
moment, I began to see the importance that Math has in our lives. Furthermore, it is not
just a science made of hard and unknown simbols: it is a tool to make things easier. As the
problems got harder, Beremiz needed time to solve them; however sometimes the solutions
became more difficult, showing to the reader that some troubles cannot be solved quickly,
instead they have to be thought about deeply.
Extensive calculations do not appear in the book. Even then, Math is described and
applied in many kinds and situations, allowing the reader to think logicaly without the fear
that the discipline usually causes in school. Math is everywhere. When the answer for a
problem is known, it seems easy, however the road to get to the solution may be tough,
depending on how the tools are used.
Ismael.Bernardo 30/11/2018minha estante
It seems an interesting reading either for someone of the Math field or someone who is just interesting in it, without the difficulties of theories and calculations.




Yago 06/10/2018

O cálculo do amor.
Gostei deste livro, os capítulos são bons repletos de conselhos bons e problemas matemáticos incríveis.
Leitura boa tranquila sobre um homem que não só calculava mas iluminava os caminhos por onde passou. Indico para pessoas que nunca se importaram muito com a matemática, pois este livro faz você olhar por outro ponto de vista o quão maravilhoso é este caminho; o caminho do respeito da sabedoria do amor.
comentários(0)comente



Daniel.Sayao 16/09/2018

Ótimo livro
Um dos melhores livros que já li. Dado o tempo em que foi escrito, é brilhante.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Samuel.Serra 16/07/2018

Incrível
Achei espetacular a forma como o autor aborda a matemática, de forma simples e contextualizada demonstra a importância e o valor do uso de cálculos e lógica na solução de problemas complexos que encontramos no dia a dia. O livro é envolvente a tal ponto que atiça a nossa curiosidade para entender como cada problema mostrado foi resolvido pelo protagonista. Assim, recomendo esta obra tanto para os amantes de cálculo que se encantarão ainda mais com a matemática, como também para os que não a suportam, pois, com certeza, passarão a olhá-la de outra forma.
comentários(0)comente



Daniel.Lima 06/07/2018

Uma viagem pelo mundo da matemática
Talvez o melhor livro já escrito para despertar o interesse na matemática. Ele apresenta problemas interessantes, que vão atrair tanto a atenção de crianças quanto a de matemáticos experientes, envolvidos em uma história gostosa de se ler. Cada capítulo é um problema novo para o protagonista resolver, o que deixa a leitura ainda mais interessante. Foi um dos livros que li mais rápido, e logo o lerei de novo.
comentários(0)comente



Guta 19/02/2018

Cativante.
O Homem que Calculava conta histórias simples, rasas e de fácil entendimento. Até mesmo nos problemas de matemática o livro oferece um espaço especial para explicar detalhadamente os cálculos e o raciocínio do nosso algebrista. E mesmo se você não quiser/conseguir entendê-los, não é necessário para o aproveitamento do livro e a continuidade.
Este é o tipo de livro gostoso de se aproveitar nas férias para dar uma relaxada na mente (sim, mesmo com muitos problemas de matemática! Você não precisa resolvê-los, só observar Beremiz desvendá-los e isso por si é relaxante também). Ou até mesmo como uma "pausa" entre livros com enredos pesados que exigem mais da mente e dos sentimentos do leitor.
Se uma coisa é certa neste livro - e você percebe de cara - é que Beremiz conseguirá resolver qualquer enigma que se coloca em seu caminho. Porém, claro, o suspense nunca foi o objetivo da obra de M.T.. O importante aqui é observar como ele consegue resolvê-los e aprender também.
Outros dois pontos que me fizeram apreciar mais ainda a obra foi a sua natureza didática e informática. Não só em matemática como também em história e estilo de vida dos árabes, sua cultura e sua religião. Agora, algo que me deixou particularmente encantada foi tamanha doçura do coração do nosso Algebrista. Sempre muito gentil e educado conseguia conquistar as pessoas em sua jornada, um verdadeiro exemplo a ser seguido de humildade e bondade também.
A maior lição que aprendi com Beremiz é de que nada vale tamanho conhecimento e habilidade sem um coração manso e aberto.
Ju 08/05/2018minha estante
Gente, me deu vontade de ler esse livro de novo! Eu comecei a ler por pressão do meu pai, e por isso impliquei - e porque era muito nova e odiava matemática (ainda que admitia que o livro não ficava chato por isso), por ser uma história que não é necessariamente uma trama de romance, e pelo proselitismo cristão. Aí larguei bem no comecinho. Mas vou reler só por sua causa!




J R Corrêa 08/02/2018

O Homem Que Calculava
O livro conta a história de Beremiz, jovem árabe que descobre uma enorme habilidade matemática ao pastorear ovelhas e calcular folhas de árvores. Ao encontrar o bagdali (natural de Bagdá) Hank Tade-Maiá, eles iniciam uma viagem a Bagdá. Ao longo da jornada, Beremiz vai conhecendo pessoas e lugares e solucionado diversas situações por meio de suas habilidades matemáticas: a partilha de 35 camelos por 3 herdeiros, a divisão de 21 vasos com conteúdos diferentes por 3 sócios, dentre outras questões.
O protagonista encontra muitas pessoas importantes e a todos impressiona com sua inteligência e a forma prática e simples de resolver questões relacionadas à matemática. Chegando a Bagdá, Beremiz cai nas boas graças do Califa e também se torna professor de matemática da jovem Telassim, cujo rosto ele não pode ver. Mesmo assim se apaixonam.
Após vencer brilhantemente um desafio proposto por sete sábios, Beremiz diz ao califa que deseja casar-se com Telassim. Para isso, é submetido a um último desafio: decifrar a cor dos olhos de um grupo de escravas, apenas ouvindo as suas declarações, que poderiam ser verdadeiras ou não.
Vencido o desafio, Beremiz se casa com Telassim, que já era cristã, e converte-se também ao cristianismo. Faz questão, no entanto, de ser batizado por um bispo que conhecesse a teoria de Euclides. Beremiz e Telassim vão morar em Constantinopla e têm três filhos.
comentários(0)comente



Cris 29/12/2017

Nota: 4,5.
comentários(0)comente



Letícia 20/11/2017

O livro O Homem que Calculava foi escrito por Malba Tahan, um professor, educador, pedagogo, matemático e escritor do modernismo brasileiro, publicado pela primeira vez em 1938, sendo este seu livro mais famoso.

A obra conta a história de Beremiz Samir, um calculista persa em um ambiente islâmico medieval, Bagdá no século XIII. Beremiz tem um encontro inesperado com um viajante de Samarra, Hank Tade-Maia, e acabam tornando-se parceiros de viagem. Hank descobre o talento de Beremiz com cálculos e fica intrigado e encantado. É ele o narrador das aventuras do calculista. Após algumas provas de suas habilidades, Beremiz fica rapidamente famoso em Bagdá, sendo requisitado tanto por pessoas comuns quanto por nobres.

O objetivo da história é mostrar como a matemática está presente em tudo na nossa vida e, sabendo utilizá-la, podemos tornar nossos problemas simples. O mais interessante nisso é que o autor consegue explicar de maneira fácil e bastante agradável para os leitores como o calculista chegou naquela resposta, acabando ensinando matemática de uma maneira bem diferente no decorrer da obra.

Outro ponto interessante também é a quantidade de informação sobre a cultura islâmica que vemos na história, tendo uma imersão na cultura muito gostosa de se ler. E a combinação disso com a parte da matemática só deixou a história mais interessante.

A única coisa que não gostei muito no livro foram os títulos dos capítulos. Alguns tinham tanta informação sobre o que iria acontecer que dava vontade até de pular o capítulo. Mas, tirando isso, a história é bastante envolvente.

Indico este livro para todos que gostem de novas descobertas (apesar de ser um livro bem antigo), já que é um tipo de história não muito comum. E para todos aqueles que gostem muito ou muito pouco de matemática, já que costumamos sempre pensar quando estamos estudando isso: “para que eu vou usar isso na minha vida?”, então, esse livro tem as respostas...

site: http://madminds.weebly.com/
comentários(0)comente



Suellen.Montenegro 25/10/2017

Fascinante!
O livro é envolvente e empolgante. Leitura indispensável mesmo para os que não gostam de números. Uma aula de lógica.
comentários(0)comente



Poliany 15/09/2017

Se você gosta de Matemática, leia o livro. Se não gosta... LEIA IMEDIATAMENTE!
Posso confessar aqui que não sou fã dos números? Acho que posso, né?! Antes que venham predadas, devo dizer que o ensino público teve uma grande parcela nesse desamor, tá!?
Por que tive interesse em ler este livro?! Justamente por não gostar de matemática! Vou explicar: A sinopse prometia uma visão diferente dos números, e isso atiçou a minha curiosidade. Li um capítulo, adorei, li outro, viciei. Que delícia poder entender, desfrutar e apreciar a geometria e as suas amplas áreas. Depois da leitura, meu apreço aumentou e desmistificou muitos preconceitos. O calculista é tão sábio, humilde e extremamente inteligente que a leitura se torna muito agradável e instrutiva. Você aprende não só a desvendar os enigmas, mas aprende sobre a vida e os seus desafios. Um livro que tem um "quê" de amor e intrigas. Ainda bem que não me deixei levar pela falsa sensação de que seria um livro massante e arrastado.
Por favor, leia!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lili 19/07/2017

Adorei!
Matemática e literatura andando em total harmonia. A história flui facilmente e os desafios matemáticos são surpreendentes, além do profundo conhecimento sobre a cultura mulçumana. Excelente!
comentários(0)comente



Paula.Gardini 01/06/2017

Minha opinião: Esse livro é maravilhoso, todo vovô deveria contar a seus netos essas maravilhosas historias. Aprendi muito apesar de não ser tão á vontade com a matemática quanto eu gostaria, mas as histórias de lógica e amor, a cultura muçulmana, àrabe e Indiana são lindas. Quando fui apresentada á princesa Tessalim, já concluí o final dela na história, amei as histórias sobre a filha do Báskara (lembra dele?), Arquimedes e Erastotenes (que eu não conhecia) . Só não concordo, mas respeito, a escolha do final da história. Se pensar bem, concordo sim :D , ninguém é obrigado a ser ou não cristão, independente da crença, que prevaleça o respeito e o amor ás pessoas que não pensam como nós. livro mil estrelas AHHHH, e as gravuras.... magnifississimas.
comentários(0)comente



131 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |