Alice no País das Maravilhas

Alice no País das Maravilhas Lewis Carroll




Resenhas - Alice no País das Maravilhas


300 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Anna 17/02/2020

A leitura é rapida e agradável. Na história percebemos metáforas para situações reais, desta forma vários assuntos são tratados de forma leve porém inteligente.
comentários(0)comente



Anna 17/02/2020

A leitura é rapida e agradável. Na história percebemos metáforas para situações reais, desta forma vários assuntos são tratados de forma leve porém inteligente.
comentários(0)comente



Jéssy 16/02/2020

Meu preferido
É o melhor livro que já li em toda minha vida, bem diferente dos filmes? Sim, porém fascinante. Sempre amei esse livro, é um dos meus preferidos, não é por acaso que minha filha se chama Alice. Viagem para o país das maravilhas.


Jheni 16/02/2020

Aventuras
As vezes fiquei perdida nas loucuras de Alice, mas é, sem dúvidas, uma história muito divertida.
comentários(0)comente



Guilherme 12/02/2020

3 / 5
É uma bela viagem de ácido. Os acontecimentos, os diálogos, tudo é muito louco e interessante ao mesmo tempo. Tirando os três últimos capítulos, que exigiram um certo sacrifício, e as chatices da Alice, é divertido e vale a experiência.
comentários(0)comente



Ana.leal 12/02/2020

Que viagem
Esse livro só não foi o mais louco que eu já vi porque eu li O Alienista do Machado de Assis, mas nossa, muito maluco, tiveram várias cenas que eu não entendi o porque delas direito, mas acontece, gostei de maneira geral
comentários(0)comente



Eveline.Reis 09/02/2020

Um gostinho de infância
Com um contexto bem humorado, "Alice no país das maravilhas" faz com que nos percamos da realidade e deixemos nos levar na mais pura inocência de uma criança, mostrando o quanto o pensamento pode nos propocionar coisas fantásticas e inesquecíveis.
comentários(0)comente



Thabata 20/01/2020

Louco como um sonho
A estória é bem louca, bem nonsense mesmo, mas muito divertida. Adorei os diálogos e os jogos de palavras, gostaria que tivesse mais.

"- Poderia me dizer que caminho devo tomar para sair daqui?
- Isso depende bastante de onde você quer chegar, retrucou o gato.
- Não faz muita diferença..., disse Alice.
- Então não importa que caminho tome, afirmou o gato.
- ... contanto que eu chegue a algum lugar, acrescentou Alice, à guisa de explicação.
- Oh, isso certamente acontecerá, falou o gato, desde que ande bastante.
...
- Que espécie de gente vive por aqui?
- Naquela direção, respondeu o gato, apontando com a pata direita, vive um Chapeleiro; e naquela, disse com a outra pata, uma Lebre de Março. Pode ir ver quem quiser, ambos são loucos.
- Mas não quero me meter com gente louca, observou Alice.
- Isso não dá pra evitar, disse o gato, somos todos loucos por aqui. Eu sou louco. Você é louca.
- Como sabe que eu sou louca?
- Deve ser disse o gato, ou não estaria aqui."

"- Gostaria de tomar mais um chá?, indagou a Lebre de Março muito séria.
- Ainda não tomei nada, retrucou Alice num tom ofendido, então não posso tomar mais.
- Você quer dizer que não pode tomar menos, disse o Chapeleiro, é bem fácil tomar mais do que nada."

comentários(0)comente



Joao.Ider 15/01/2020

Alice ?
É uma das obras mais célebres deste género literário. Indicado tanto para crianças como adultos.

Nos conta a história de uma menina que ao correr atrás de um coelho branco acaba entrando em um mundo de fantasias. Lá se depara com todo tipo de coisa como gato que sorri, chapeleiro, lebre de março, um reinado de cartas de baralho e muitas outras.

Um livro muito divertido, que faz a gente ir pro mundo da imaginação e viajar em sua incrível, ou melhor, maravilhosa aventura.

Mais de 150 anos depois de sua publicação continua sendo um fenômeno, e sua leitura altamente indicada
comentários(0)comente



Bia 06/01/2020

Alice no país das maravilhas
Fazer releituras de livros que já foram lidos na infância é sempre interessante para analisar como os anos mudam a maneira como pensamos.O que antes me deixava encantada hoje me deixa frustrada e um pouco confusa ,me vi sendo a Duquesa no campo de croquet da Rainha que procurava sentido onde não necessariamente tinha um.

Lewis Carroll faz um incrível uso da subversão de linguagem , característica do nonsense ,para criticar a sociedade e as normas que regem nossa vida.Um livro que utiliza poesia ,uso da lógica,física e filosofia. É interessante como o autor brinca com o surreal e como ele desenvolve essa fuga do convencional.

Não creio que seja um livro indicado para um determinado público como muitos dizem , Carroll dá ao leitor uma abertura para diferentes interpretações visto que há diferentes lados do livro para serem explorados,cabendo ao leitor escolher qual mais lhe agrada.
comentários(0)comente



Camille.Pezzino 28/12/2019

UM NOVO PAÍS DE CADA VEZ
ástica e, ao mesmo tempo, cheia de nuances nonsense. Logo, há muito o que se falar, discutir e aplaudir quando o assunto é Alice no País das Maravilhas.

A minha primeira leitura de Alice foi quando eu era uma simples menina, eu não entendia muito das referências e nem sequer me passavam na cabeça as regras matemáticas e lógicas que o livro possuía. Além disso, também não me importava a construção narrativa adotada por Carroll. Eu era apenas uma menina que havia visto a animação da Disney, produzida em 1951, e que estava curiosa para saber como todo esse mundo funcionava no livro.

Eu me apaixonei por Alice, ainda pequena – muito embora eu tivesse muito medo do gato de Cheshire da animação. Desde então, eu perdi a conta de quantas vezes eu já reli a história de Carroll e não sei quantas vezes irei reler durante toda a minha vida, porque, a cada leitura, eu descubro um novo País das Maravilhas.

Sempre digo em minhas resenhas o quão importante é a nossa recepção diante de um livro e também friso diversas vezes que a arte da leitura também é a arte da releitura, como o grande Nelson Rodrigues fomenta. Alice me mostra que eu sempre preciso reler, porque sempre descubro algo novo – embora eu repita algumas ações em toda a minha leitura.

Um exemplo é a minha contínua reação com o enigma elaborado pelo Chapeleiro, aquele mesmo que não tem resposta (dentro do livro). Todas as vezes, eu paro a minha leitura, busco um caderno e desenho uma escrivaninha e um corvo. Eu fico horas olhando para os meus desenhos mal feitos me questionando: o que raios esses dois têm em comum? Todas as vezes, eu tenho uma resposta diferente para dar.

O livro Alice consegue trazer esse misto de curiosidade científica e infantil que se mesclam durante a trama. A história foi feita para crianças, mas é também feita para adultos voltarem a ser crianças. Esse é um aspecto importante que percebi no livro com essa minha última releitura, muito embora eu tenha a feito para adquirir um conhecimento específico sobre Carroll, Alice e outros elementos do nonsense carroliano, contudo, quando dei por mim, eu simplesmente voltei a ser criança.

Mas eu não sou mais a criança que era, eu sou outra. Dentro dessa mescla infantil que surgiu nos meus pensamentos e, no fim, em mim mesma, também estava lá o meu eu crítico, que continua apaixonado pelo trabalho de Carroll, mas entendendo – cada vez mais – todas as nuances da obra que outrora se chamava Alice’s Adventures Under Ground (em português: As aventuras de Alice Debaixo da Terra).

Enquanto, na minha infância, eu nem sequer compreendia ou queria entender simbolismos, enigmas e metáforas; hoje, dentro da história de Carroll, eu consigo vê-los – ao menos, um pouco mais – nitidamente.

PARA RESENHA COMPLETA, acesse em: https://gctinteiro.com.br/resenha-98-um-novo-pais-de-cada-vez/

site: https://gctinteiro.com.br/resenha-98-um-novo-pais-de-cada-vez/
comentários(0)comente



Michela @a.book.idea 25/11/2019

"A única forma de chegar ao impossível é acreditar que é possível."
Quando eu era criança, na véspera do Natal, passava na TV um filme em desenho animado. Em um ano era Branca de Neve e os Sete Anões, em outro, Alice no País das Maravilhas. Eu e minha irmã ficávamos acordadas e assistindo à TV na expectativa de ganharmos nossos presentes. Nossa mãe guardava as Barbies até o último minuto. Era tudo muito especial, e mesmo que fôssemos muito crianças para entender, aquelas bonecas vinham cheias do amor que nossa mãe colocava nas peças de crochê que ela produzia horas a fio, madrugada a dentro. Essa memória é extremamente afetiva para mim. Ler essas páginas me transportou para aquela época, em que nossa maior preocupação era apenas brincar!
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Lewis Carroll, autor de Alice no País das Maravilhas, sofria de enxaqueca com aura e experimentou diversas vezes fenômenos visuais seguidos de muita dor, mas foi capaz de transformá-los: em Alice, esses fenômenos permeiam a estória do começo ao fim, desde a mudança ou distorção do tamanho da personagem até o aparecer/desaparecer do Gato de Cheshire. Quando me perguntam o que é essa tal enxaqueca com aura, sempre cito o exemplo de Carroll. Apesar das minhas experiências visuais não serem tão alucinatórias, é uma forma mais fácil de ilustrar esse problema que afeta milhares de pessoas no mundo. Acredito que eu tenha tido cerca de 6 ou 7 episódios de aura, todos bem peculiares, e quem sabe um dia também posso transformá-los em algum tipo de arte?
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Muito além de uma história para fazer criança dormir, Alice é cheio de simbolismos. Particularmente gosto muito do Coelho correndo atrás do relógio e acho que ainda é muito atual: corremos freneticamente com nossos celulares nas mãos, atrasados para tudo, sem tempo para nada...
comentários(0)comente



MICHELLY OLIVEIRA 10/11/2019

Que doideira!
Muito confuso. Me perdi em muitas partes hahaha Acho que perdi minha imaginação infantil pois fiquei buscando sentido no livro todo e não encontrei nenhum.


fadadeluz 06/11/2019

gosto mais do filme
eu estava numa sequencia ótima de ler um livro por mês, até que chegamos em abril e eu comecei a ler alice e por algum motivo nao consegui manter a leitura.
em abril na verdade muita coisa começou a desandar na minha vida kkkk.
enfim, não estou aqui pra dizer que não é um livro bom, mas impressionantemente foi o que menos me agradou de todos o que li esse ano, sendo que era o que eu mais queria e estava ansiosa pra ler.
como é uma história de absurdos, ficou complicado pra mim acompanhar e imaginar as cenas.
sobre o livro, nao era meu e eu destrui ele c agua que caiu da minha garrafinha na bolsa, fiquei de dar outro pra Pamela, mas o livro ela roubou de uma amiga dela e ela nem ta merecendo nada nao
isso inclusive deve ter influenciado na minha opinião pq por boa parte da leitura eu nao podia grifar o livro por nao ser meu, na real, acho que nem marquei nada... enfim, dei nota 3 pra ser simpatica e em consideração ao filme que é tudo de bom. nada pessoal,só acho que seja uma historia extremamente visual
comentários(0)comente



Mariella.Sammarco 04/11/2019

Alice no país das maravilhas
Já tinha lido o livro na infância. Comprei uma versão em inglês na Amazon para reler esse ano. Me deixava um pouco inquieta a Alice fazer tantas perguntas mas era compreensível as vezes hehe.
comentários(0)comente



300 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |