The Secret Garden

The Secret Garden Frances Hodgson Burnett




Resenhas - The Secret Garden


24 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Pri 30/12/2020

Clássico
Clássico que li faz algum tempo e agora consegui comprar o livro para ler.. amei novamente é uma história fofa, e mágica! Vale muito apena, mas recomendo quem puder leia em inglês!
comentários(0)comente



Yasmim Braga 12/10/2020

Maravilhoso
Mary era uma garotinha muito mimada tanto com bens materiais quanto com empregados a sua disposição 24 horas por dia. Seus pais eram da alta sociedade e tinham dinheiro de sobra, porém nunca deram atenção, afeto ou amor para sua filha. Quando um vírus acomete boa parte da Índia, seus pais falecem e Mary se vê sozinha no mundo. Seu tio distante decide acolhê-la em sua mansão, contudo ele é frio e vive viajando, deixando Mary sozinha para explorar a casa. Mary era uma garotinha muito mimada tanto com bens materiais quanto com empregados a sua disposição 24 horas por dia. Seus pais eram da alta sociedade e tinham dinheiro de sobra, porém nunca deram atenção, afeto ou amor para sua filha. Quando um vírus acomete boa parte da Índia, seus pais falecem e Mary se vê sozinha no mundo. Seu tio distante decide acolhê-la em sua mansão, contudo ele é frio e vive viajando, deixando Mary sozinha para explorar a casa. É um livro sensível e mágico, que me transportou para o jardim e me fez sentir tão viva e alegre quanto as crianças. Fiquei com muita vontade de saber sobre jardinagem e de colocar a mão na terra, mexer com plantas, flores... A escrita é fluída e a narrativa nos faz mergulhar com facilidade dentro da história.

site: https://www.youtube.com/blogliterarte/
comentários(0)comente



Yara Benevides 05/07/2020

Uma história doce
Não esperava que fosse gostar tanto dessa história e da Mary Mary Quite Contrary. Além de falar sobre o poder do amor, a autora passa sutilmente mensagens de fé sem tocar em nenhuma religião específica. É com certeza uma leitura proveitosa pra pessoas de qualquer idade.
comentários(0)comente



Pam 25/05/2020

Que viagem ótima
Ótimo livro, simplesmente maravilhoso. Gostaria que eu o tivesse lido quando tinha entre 10 e 15 anos. Sei que a Paloma daquela época teria amado ainda mais do que eu amei agora. Ótimo mistério ?
comentários(0)comente



Bretas.Arthur 15/04/2020

A beautiful story
A exciting adventure full of mysteries, colors and scents. A fascinating story of overcoming. I loved this book.
comentários(0)comente



Caroline 17/03/2020

O livro especial
The Secret Garden é um livro especial. Ele mostra que a amizade e o amor podem melhorar a vida das pessoas. Um livro que leva o leitor para a infância e emociona.
comentários(0)comente



Hani 02/03/2020

Uma delícia de livro.
Já havia assistido o filme há anos, mas o livro é muito melhor. Tem um toque de "Alice no país das maravilhas", que é leitura obrigatória. Com certeza agrega, uma ótima opção para iniciar os pequenos na leitura.
comentários(0)comente



Nati | @encalhadosnaestante 06/02/2020

null
Descobri o Jardim Secreto primeiramente através do filme (1993) quando ainda era criança, só muitos anos depois soube que ele tinha sido baseado em um livro que corri para comprar. Li a obra em sua tradução para o português e me apaixonei ainda mais por ela. Os personagens infantis são maravilhosos cada um ao seu jeito, mas Dickon é sem dúvida o mais apaixonante. Encontrei essa versão na língua original um dia passeando por uma livraria e não resisti, já que tanto o filme quanto o livro são uns dos meus favoritos da vida.
A encadernação em couro, a diagramação e as figuras são simplesmente lindas demais. É sem dúvida uma peça de colecionador.
É um livro infantil que nos ensina demais mesmo depois de adultos. Vale cada minutinho que nos perdemos nele.
A única dificuldade que encontrei em ler no seu original foram as partes em dialeto de Yorkshire, entretanto nada muito impossível.
comentários(0)comente



livrodebolso 14/10/2019

O primeiro livro que li em inglês sem saber nada do enredo me surpreendeu de maneira ímpar: apesar de, aparentemente, ser literatura infantil, a família da protagonista, Mary, morre toda de cólera logo na primeira página, deixando a menina, de apenas dez anos completamente sozinha, sem nem mesmo suas aias para cuidar dela.
Apesar de tratar-se de uma tragédia, a relação de Mary com seus pais não era das melhores, sendo ela fruto de uma gravidez indesejada e criada por suas empregadas em uma colônia inglesa na Índia, rendendo-lhe pouca, ou quase nenhuma tristeza de fato.
A criança, cheia de frescuras, é enviada para a mansão de seu tio na Inglaterra, uma estrutura gigantesca nos arredores de um pântano. A indiferença do tio para com a pequena é de dar pena; ou seria, se Mary não despertasse tanto a antipatia de todos.
Logo que chega, é levada para um quartinho no interior do labirinto em que morará e conhece Martha, sua criada. Porém, diferentemente das anteriores, esta não a trata como um rainha, e insiste para que a menina deixe de ser tão mimada.
Além disso, Martha convence Mary a brincar no pântano, onde a menina encontra um jardim trancado. Rapidamente ela se torna obcecada por descobrir os segredos do Jardim Secreto.
Mais tarde, sua atenção fica dividida entre outra preocupação, além de cultivar suas plantas: ela encontra o filho de seu tio, Colin, criança deficiente desenganada pela medicina que se recupera lindamente por conta da mágica existente no Jardim. .
.
Toda a delicadeza com que o livro é narrado faz com que o leitor acabe por evoluir internamente como aconte com Mary e Colin: duas crianças chatas e egoístas que entendem o significado da gentileza e empatia, e se esforçam para fazer brotar um Jardim de vida onde só existia mágoa e tristeza.
Um livro nos moldes de Pollianna, que nos deixa uma importante mensagem: "se você olhar bem, verá que o mundo todo é um jardim", e todo jardim merece ser cultivado.
comentários(0)comente



Edilene 06/01/2019

ADOREI!
Eu tinha visto o filme quando eu era mais nova, aos 8 anos de idade, mas não se compara a ler este livro. Você sabe quando um livro realmente faz você respirar melhor e faz você apreciar as pequenas coisas da vida? este livro é isso. É incrível como a natureza é descrita neste livro, é como se você estivesse no jardim com Mary e Dickon. Eu amo a ênfase em como o ar fresco e a natureza podem ser bons para nós, não apenas como crianças, mas como adultos. Embora a história não tenha a ver apenas com a natureza, ela reflete sobre a importância de perceber pequenas coisas, como a beleza de plantas, árvores, animais selvagens, como pássaros, cordeiros, agulhas, etc. Também me fez refletir sobre quanto nós dexamos de ser gratos pela boa saúde, como estamos sempre presos em nossas rotinas diárias, que não podemos notar um belo dia durante a primavera. Eu não poderia ter começado o ano lendo um livro melhor. Já passou algum tempo desde que eu não li literatura inglesa e senti falta dela. Este livro não seria um clássico se não fosse tão bem escrito. Portanto, se você quiser uma pausa de qualquer stress, este é um livro para fazer você relaxar e aproveitar as coisas simples da vida.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Vanessa 26/10/2017

Reading Challenge 2017: a book that's been mentioned in another book
comentários(0)comente



Clarissa (@proximaprimavera) 20/09/2017

Um livro mágico e favorito pra vida
O livro conta a história de Mary Lennox, uma indiana de 10 anos que mora com seus pais porém eles não lhe dão a mínima atenção. Seu pai só quer saber de trabalhar e sua mãe de beleza. Mary é considerada uma menina feia e seria impossível ser filha de sua mãe. Inclusive, quem cuidava dela era sua Ayah, um tipo de serva/ cuidadora que fazia tudo por ela. A vestida e dava a comida. Tudo. O livro realmente começa quando os pais de Mary morrem e ela é mandada para a casa do seu tio que seria seu guardião legal. O único vivo da família que poderia tomar conta da menina. Então ela viaja da Índia até Londres de navio e é levada para a grande mansão do seu tio pela criada dele Mrs. Medlock. Seu tio é apenas o Lorde Archibald Craven e não poderia ser interrompido por nada nesse mundo e ah, não quer ver a sobrinha nem pintada de ouro.

Mary Lennox então tem de se virar sozinha naquela mansão enorme com a ajuda da servante de Mrs. Medlock, Martha. Martha é apenas uma fofa! Ela é de uma família pobre que trabalha para o Lorde e não consegue falar o inglês muito bem, apenas o Yorkshire, que eu acredito que o inglês seja derivado dessa língua. Muitas partes no livro são escritas nela e eu tive que literalmente decifrar. Mary é uma menina desobediente com a língua bem afiada mostrando que realmente foi criada por gostos e sem limites. Ela desobedece as ordens de Mrs. Medlock e foge para o lado de fora da mansão acabando por encontrar um lugar cercado que ela descobriu que seria o possível jardim de sua tia falecida, esposa do Lorde Craven. Mary então faz de tudo para entrar no jardim secreto e assim ter algum motivo para ficar feliz naquele lugar horrendo sem sequer sua Ayah.

Logo Mary se encontra com Dickon, o irmão mais novo de Martha, e ele passa pra ela todos os conhecimentos que ele possui sobre jardins, colheitas e tipos de flores. Logo Mary encontra sua razão de viver e nunca se sentiu tão feliz e viva como naqueles momentos. Mary, Dickon e um novo amigo dividem o segredo do jardim secreto e fazem de tudo para aproveitar cada vez mais aqueles momentos da infância em que correr pela grama alta sem cair é a única preocupação.

RESENHA COMPLETA NO BLOG

site: http://www.proximaprimavera.com/2017/01/resenha-o-jardim-secreto-frances.html
comentários(0)comente



Aline 04/01/2017

Mágico!
Resenha originalmente publicada em http://www.booksimpressions.com.br.

-

Meu primeiro contato com "O Jardim Secreto" foi em alguma Sessão da Tarde da minha infância. Tenho lembranças de momentos deliciosos assistindo a esse filme (provavelmente mais de uma vez). Ele foi lançado em 1994 e talvez tenha sido o responsável por me apresentar a Maggie Smith (sem eu perceber é claro, porque eu acabei de descobrir isso) que interpreta a governanta da casa.

OBS: Estou escrevendo esta resenha ao som da trilha sonora do filme, que está disponível no Spotify. Se quiser voltar no tempo como eu, aperte o play!

A história de uma garota que descobre um jardim secreto, um lugar mágico e intocado por anos, num lugar solitário e sombrio me acompanhou por anos. Quando descobri que na verdade é um livro, e ainda um clássico da literatura infanto-juvenil inglesa, decidi que queria revisitar a história, agora nas páginas de um livro.

O jardim secreto foi um livro que li depois de dois com temas bastante densos e sérios e essa mudança para a história do jardim secreto em meio as charnecas foi refrescante diria, além de extremamente nostálgico.

'Of course, there must be lots of Magic in the world,' he said wisely one day, 'but people don't know what it is like or how to make it. Perhaps the beginning is just to say nice things are going to happen until you make them happen'. [p.270]

A responsável pela criação dessa história é Frances Hodgson Burnett, escritora inglesa, que publicou outras histórias, majoritariamente para adultos. O livro foi publicado pela primeira vez em 1911, e foi inspirado no seu próprio jardim e na história trágica com seu filho.

Mary Lennox perde seus pais em surto de cólera na Índia (no filme é por conta de um terremoto) e precisa ir morar com seu tio, o irmão de sua mãe, numa mansão sombria em meio as charnecas inglesas. A mansão é sombria porque é praticamente vazia, exceto por alguns funcionários e a governanta Sra. Medlock.

Seu tio é bastante ausente por conta das inúmeras viagens que faz a trabalho, e com em uma casa sem outras crianças Mary precisa se entreter sozinha. Passeando pelos arredores e jardins da mansão e em conversas com o jardineiro Ben e a criada Martha ela descobre que há um Jardim cuja localização e entrada ninguém sabe. A última vez que foi aberto foi há dez anos e a chave foi jogada fora pelo tio.

Curiosa, Mary vai a procura desse misterioso lugar e quando descobre uma antiga chave sua curiosidade só aumenta. Mary encontra a porta do jardim, com a ajuda dele mesmo, como que por mágica.

Mágica. Uma palavra recorrente na narrativa e que explica muito bem o Jardim Secreto. É com esse poder que parece emanar de dentro das paredes do jardim que Mary tem algo para ocupar seu tempo, é a partir dele que Mary faz amigos, e por causa dele que Mary descobre a verdade por detrás do mistério de porque ele esteve fechado por tantos anos, esquecido na memória de todos da casa.

O Jardim Secreto é um livro delicioso de ler. A leitura é fácil, e a história encantadora. Há momentos tristes, sombrios, mas que são contrapostos aos momentos felizes resultantes de acompanhar um jardim florecer na primavera, na risada de crianças brincando, da magia que desperta de um lugar como esse, de um final feliz e da representação do amadurecimento de Mary pelas estações do ano.

site: http://www.booksimpressions.com.br/2017/01/resenha-o-jardim-secreto-frances.html
comentários(0)comente



Aline 21/06/2016

Mágico!
Que história linda! Há anos que sei sobre o livro e há anos que tenho ele parado no meu Kindle. Comecei e parei de ler várias vezes...estava lendo no inglês original e algumas partes é bem difícil. Mas logo me animei e terminei em 3 dias.
O filme foi bem fiel ao livro pelo que consigo me lembrar. Preciso ver o filme novamente depois de ler o livro, para poder entender melhor a história como um todo.
Só achei o final do livro um pouco abrupto. Queria que tivesse mais alguma coisa...talvez mais tempo, mais emoção, mais um diálogo. Mas mesmo assim, foi lindo. Um livro que com certeza irei ler com meus filhos um dia!
comentários(0)comente



24 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2