Escuridão Total Sem Estrelas

Escuridão Total Sem Estrelas Stephen King




Resenhas - Full Dark, No Stars


216 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Marselle Urman 25/04/2012

Vengeance, bittersweet as a cheesecake pie...
Gostei muito deste livro. É sombrio num nível profundo, que excede o bom humor negro normal de King. Não há "conto ruim", os 4 são excelentes. Como o próprio autor diz no epílogo, ele nos leva a um lugar muito lúgubre, e:
"As estórias neste livro são duras. Você pode ter achado difícil ler certas partes delas. Se isso aconteceu, pode ter certeza que eu achei igualmente difícil escrever partes delas".
O motto central realmente é a vingança, em diferentes contextos mas sempre envolvendo violência. Gostei muito de "1922", mas todas são ótimas.
E me intriga o terceiro conto, "Fair Extension", justamente porque ele inverte o conceito...e fala muito da natureza humana também, e de inveja.

Absolutamente delicioso.
@BecoDosLivros 29/05/2015minha estante
TrailerBook do livro: https://www.youtube.com/watch?v=m2Zge8tDK6s&list=PLjfCBSfmCna5QKc7vxrIhdWZRASvzuqS1


Ádila 30/04/2018minha estante
Pq deu 4 estrelas?


J.V 10/10/2018minha estante
Me veio a mesma pergunta do porquê das 4 estrelas, sendo que o agradou tanto você?
:/




Alexey 15/06/2015

O mal que habita o coração do homem
Quem, assim como eu, é fã de Stephen King, se deparou com algo diferente em livros tais quais "Sob a Redoma" e "22/11/63". Quando eu era garoto, lembro bem de um dos livros que mais me causou impacto. Refiro-me a "Sombras da Noite", uma coletânea de ótimos contos de terror onde o sobrenatural é terrível e se infiltra no mundo comum, virando tudo do avesso. Lembro de ler e reler "Sombras", com seus vampiros e demônios, sem nunca enjoar.
De uns anos pra cá, King tem escrito a partir de outra proposta. Nela, o problema não é exatamente o sobrenatural. O mal não está nos demônios, vampiros, lobisomens ou fantasmas. Não há carros possuídos pelo diabo, ou maldições ciganas. O terror é inteiramente humano. Vejam o caso de "Sob a Redoma": o fenômeno que cria um campo de força impenetrável em torno de uma cidade do interior não é nem de longe maligno, ele apenas é o que é. Há até uma certa doçura quando você descobre, enfim, o que causou a redoma. Horrível mesmo é o fato de, naquela cidade, existirem determinadas pessoas. Ou mesmo considerem "22/11/63": a porta que permite voltar no tempo não é, por si mesma, nem boa e nem má. Tanto em uma quanto em outra obra, o sobrenatural está mais próximo da ficção científica e nada tem a ver com as antigas curiosidades de King. Não há vampiros, fantasmas ou demônios. Não é o sobrenatural que causa o mal. É o mal natural de nós mesmos.
Outro ponto comum de "22/11/63" e "Sob a Redoma" é a presença do romance. King parece ter se tornado um homem doce ou, talvez, já o fosse [posso apostar nisso] e agora quer falar mais de amor.
"Escuridão Total Sem Estrelas" é um livro terrível. Digo: não no estilo, que continua excelente. Mas é um livro assustador. Não há, nele, amor. Tampouco há redenção. E, vejam que coisa: também quase não há sobrenatural. O terror é humano, e é o que torna o livro mais terrível do que "Sombras da Noite", aquela caixa de vampiros, demônios e fantasmas. Em "Escuridão Total", o terror é possível justamente por ser fruto do mal banal, que pode dormir na cama do apartamento vizinho ao seu.
São quatro contos: "1922", "Gigante do Volante", "Extensão Justa" e "Um Bom Casamento". Dentre eles, dois não têm nada de sobrenatural. É a maldade humana em seu estado bruto. Em outro conto, fica a dúvida: o sobrenatural existe, ou é tudo loucura do sujeito? E, em outro, o sobrenatural mostra seu rosto. Só que, vejam que coisa: em NENHUM dos contos, o terror é causado pelo sobrenatural. Em todos os casos, o problema é o ser humano. A existência do diabo em um dos contos não significa nada, considerando o mal que habita o coração humano e nossa capacidade para fazer escolhas péssimas. O diabo dispõe, mas quem faz as escolhas é você.
Outro lance interessante é como King se dedicou, em "Escuridão Total", a tratar do tema da violência contra a mulher. Ele pega o que existe, e não fantasmas ou vampiros, e esfrega na nossa cara sem nenhum pudor. Dos quatro contos, três envolvem violência contra mulheres. E não, não é nem de longe algo apologético, pelo contrário. Faz você se sentir vingada! Sim, porque em NENHUM conto se pode contar com a justiça humana. Themis é deixada de lado, e quem assume é Nemesis, em sua forma mais furiosa.
"Escuridão Total Sem Estrelas" venceu os prêmios Bram Stoker e British Fantasy.
Stephen King diz ter passado mal em vários momentos, ao escrevê-lo. Eu já havia desconfiado, e tive certeza após ler o posfácio: King é um cara doce, sensível ao sofrimento humano, sobretudo ao sofrimento dos mais vulneráveis. Ele escreve em parte para exorcizar os próprios terrores. De quebra, ganha merecidos rios de dinheiro. Porque não dá pra parar de ler, da primeira à última palavra.
comentários(0)comente



Telma 10/05/2015

Egoísmo, Vingança, Cobiça e Ilusão
WOW!!!!!

Quero ouvir de todo mundo: WOW!!!!

Ok....ok.... isso não é uma pregação ou programa de auditório, mas depois de terminar King eu me sinto louca, alegre e ritualística. (não tentem analisar...)

Caraaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!

Obrigada Suma das Letras!!!!

O tempo passa e esse homem consegue tornar-se melhor e, me encantar ainda mais. Ele consegue passar para o papel toda excentricidade do mundo e é isso, exatamente isso, que mais me encanta!

Nesse livro de 4 contos, não foi diferente. Nessa compilação, há contos para todos os gostos e capacidade de leitura. (inclusive um que odiei pelo tamanho clichê, mas que entendo que é uma espécie de "clássico" para escritores e leitores de terror.

Estou parecendo bipolar, né? Me inclinando entre o maravilhoso e o detestável? Não, não... Essa sou eu divagando... Vamos ao que interessa de fato!

Nesse livro, que num primeiro momento o título me pareceu piegas, vou tentar resenhar sem spoilers os 4 contos (difícil não dar spoilers, mas intolerável dar!)

Eu disse que me pareceu piegas a princípio, mas casa bem com os 4 contos. Lembre-se do pior dia de sua vida, multiplique isso por 8,5.... Esse é o resultado das sensações e situações que as personagens principais de cada conto passaram. (algumas sofreram bem mais do que o resultado dessa equação).

O primeiro conto é 1922, o segundo Gigante do Volante, o terceiro Extensão Justa e, por fim, Um Bom Casamento.

1922
Resumo em uma palavra: Egoísmo

Este conto, na minha opinião, valeu o livro todo.
Se tivéssemos parado por aqui, este livro teria ganho 10, das 5 estrelas que posso dar.
King descreve aqui, os sentimentos e pensamentos de Wilfred (personagem principal) de maneira tão "literal", tão crua e tão visceral que é fascinante e arrepiante ao mesmo tempo.
Colocamo-nos no lugar do personagem e chegamos a pensar, por um minutinho se poderíamos ser nós, naquela situação.
Refletimos no conceito em "preto e branco" que damos de "bem e mal" e entendemos que, cada um de nós, já teve pensamentos escuros. Isso é revelador e para alguns, assustador (eu fiz as pazes com meus pensamentos escuros - há uma diferença enorme entre ter um pensamento dark e em colocá-lo em prática).
A construção psicológica de todos os personagens desse conto, é riquíssima!
Me fez lembrar que, Chico Buarque de Holanda nunca foi pobre, mas escreve sobre a pobreza como se a vivesse. Grande capacidade de empatia.
Acho que Stephen King é o Chico Buarque dos contos.
Esse é o conto que preferi e o que deixarei mais quotes.

Às vezes me pergunto se o inferno pode ser pior que a cidade de Omaha. Talvez ele seja a cidade de Omaha, mas sem nenhum campo decente em volta, somente uma vastidão vazia e esfumaçada, fedendo a enxofre e cheia de almas perdidas como a minha.

- Mas eu amo minha mãe!- Eu também - falei.O que, por mais difícil de acreditar, era verdade. O ódio que eu sentia por ela naquele ano de 1922 era maior do que o que um homem pode sentir por uma mulher, a menos que haja amor envolvido.

O ratos a encontraram... e daí? Eles não encontram todos nós no fim? Ratos e vermes? Mais cedo ou mais tarde até mesmo o mais sólido dos caixões acaba se rompendo e deixando a vida entrar para se alimentar da morte.

Assim que ficou com as quatro patas no chão, a ratazana conseguiu ficar de pé no piso de madeira sujo de feno. Era como um filhote bizarro com gotas de leite misturadas com sangue nos bigodes.

Os melhores quotes dariam spoilers... espero que se contentem com esses. Eu estou tal qual a criança que viu o filme, amou e quer contar logo o final para o primeiro ouvinte atento. :/

Gigante do Volante
Resumo em uma palavra: Vingança

Odiei o título mas o conto é muito bom! (também não posso deixar de dizer que o título é intrigante, né?).

Aqui também os personagens foram bem construídos, psicologicamente e vemos uma série de transtornos mentais bem descritos.

Há um filme desse conto. O filme, sem que se tenha lido o conto e visto exatamente a condição mental da personagem central, fica um tanto quanto trash.

Tess, a personagem principal deste conto, conversa, a princípio com seu GPS (que fala seu nome) e é essencial entender sua condição mental para entender algumas tomadas do filme.

Quando voltou à consciência pela terceira vez, o mundo estava preto e prateado, e ela flutuava.Estar morta é assim.

(...) durante um tempo, sua consciência ficou estranhamente fragmentada. Mais tarde, quando parasse para lembrar, ela pensaria na hora seguinte como um palco escuro, iluminado por alguns holofotes. De vez em quando uma mulher espancada, com o nariz quebrados e sangue escorrendo pelas coxas, aparecia sob um desses refletores. Depois voltava a desaparecer na escuridão.

Extensão Justa
Resumo em uma palavra: Cobiça

Esse foi o que menos gostei. Achei trash demais... previsível demais... clichê demais. A velha história do pacto com o diabo, mas não em troca da alma... em troca de algo muito pior.

(...) sem dentes, sem marido e sem conseguir sentir o cheiro de nada, entrou em depressão. Streeter achou que isso era atestado de sanidade. Se ela tivesse por aí, assobiando "Don't Worry, Be Happy", ele teria aconselhado Tom a esconder todos os objetos cortantes da casa.

Um Bom Casamento
Resumo em uma palavra: Ilusão

E o livro volta a ser bom, depois do conto acima! :)
Coloquei-me no lugar da personagem e, cara.... dá medo! Mas é um medo psicológico, sabe? Talvez esse seja o pior tipo de medo.

Um casamento é uma casa em constante construção: a cada ano havia mais e mais cômodos. Um casamento de um ano era como uma cabana; um que já durava 27 anos, era uma mansão imensa e complexa.

É isso, surtados....

Foi uma resenha mais comprida do que as que costumo fazer mas, pelo motivo óbvio ser como resumir 4 pequenos livros.

O livro super vale a pena!

Eu recomendo demais! Não apenas por ser uma dos meus escritores favoritos mas, porque o cara saber escrever, de verdade.

Nesse livro ele vai direito ao ponto, sem prolixidade... e o ponto, toca-nos, como toda boa obra deveria fazer!


beijoconas!


site: http://surtosliterarios.blogspot.com.br
@BecoDosLivros 29/05/2015minha estante
TrailerBook do livro: https://www.youtube.com/watch?v=m2Zge8tDK6s&list=PLjfCBSfmCna5QKc7vxrIhdWZRASvzuqS1


O Véio 03/06/2015minha estante
Show de bola a sua resenha. Parabéns


Evandro Fogaça 31/07/2019minha estante
Parabéns, otima resenha.




Craotchky 18/07/2016

O lado escuro da Lua
🌗
"Quero provocar uma reação emocional, até mesmo visceral, em meus leitores. Fazê-los pensar enquanto leem não é o meu negócio."

Seria possível, e mesmo justo comparar contos, novelas e romances? Stephen King já escreveu livros dos três tipos e acertou a mão em todos eles. Certamente que a forma de construção da narrativa e a velocidade de desenvolvimento da mesma difere muito em cada tipo de texto. Escuridão total sem estrelas é composto de três novelas e um conto, porém há quem possa ter uma opinião divergente dessa minha. Não vou fazer a comparação citada, basta dizer que gostei deveras deste livro.

Independentemente de definições, as quatro histórias que Steve nos traz nesse livro me agradaram muito, apesar de faltar profundidade em alguns personagens, coisa compreensível em se tratando de histórias curtas. Todas as quatro têm em comum pessoas normais em situações nada boas. Pessoas que se deparam com situações difíceis e precisam tomar atitudes extremas. Gostei do final de todas elas. Finais um tanto cruéis, mas sinceros.

"As histórias neste livro são chocantes. Você pode ter achado difícil lê-las em alguns momentos. Se foi o caso, posso lhe assegurar que também achei difícil escrever as histórias em alguns momentos."

Percebi muitas referências espalhas pelas páginas. Só para citar a mais relevante: Na terceira história que se passa nos arredores de Derry teremos um personagem com o sugestivo nome de George Odabi (diabo?). Em certo momento ele parece “o pior palhaço do mundo” (página 290) e mostra “dentes afiados” (página 280). Além disso é mencionada uma sra. Denbrough...

Confesso que adoro os prefácios de Steve e, sobretudo, os posfácios. Esse livro é desprovido de prefácio, mas o posfácio está lá. Essa é a parte nos livros em que King abre o jogo; é a parte que ele, após fechar as cortinas, nos dá acesso aos bastidores. Pena que os posfácios são sempre tão curtos. Nesse volume ele descreve de onde surgiu a inspiração para cada uma das quatro histórias contadas, além de nos presentear com algumas pérolas. É aqui que ele fala diretamente com você. Acima de tudo, é aqui que ele é o mais sincero quanto pode ser.

Todas as citações desta resenha são provenientes do posfácio de Escuridão total sem estrelas. E para encerrar, lhe deixo com mais uma; as últimas frases do livro:

"Pegue minha mão, leitor fiel, e ficarei feliz em levá-lo de volta à luz do sol. Estou feliz em ir para lá, porque acredito que a maioria das pessoas é essencialmente boa. Sei que eu sou. É quanto a você que não tenho tanta certeza."
Danielle 18/07/2016minha estante
Ainda não li nada do King, confesso que tenho medo do gênero, pretendo iniciar com algo mais leve dele, mas você me deixou muito curiosa com essa resenha! Adorei saber sobre os prefácios e posfácios dele! Obrigada.


Craotchky 18/07/2016minha estante
Eu gosto muito, e quase todos os livros dele têm. Medo? Por favor, os livros dele, na maioria, não são assustadores, quase nenhum na verdade. Recomendo Joyland para começar pois é pequeno e bem leve. Pode ser também Quatro estações, Christine ou Carrie (que foi o meu primeiro). Opções não faltam.


Joyland 03/09/2018minha estante
Adorei a resenha!
Obs.: Como que faz esse itálico nas citações?


Craotchky 07/09/2018minha estante
Oi Joyland, obrigado. Vou responder sua pergunta por mensagem pois pode ser meio complicado...




João 04/08/2015

Escuridão Total sem Estrelas é um livro de contos.
São contos longos e são quatro.
Um melhor do que o outro.

1922
Wilfred decide matar sua esposa com a ajuda de seu filho por que ela queria vender as terras da família e ir morar na cidade.Mas ao conseguir seu intento as coisas saem do controle e Wilfred começa a achar que não foi uma boa decisão.

O melhor conto do livro.Me prendi à leitura do começo ao fim.Não é só uma leitura,o autor simplesmente nos pega pela mão e diz:vem viver em 1922 com Wilfred e seu filho.Simples assim.E com um toque de sobrenatural que eu gosto muito.

Gigante do Volante

Ao ser violentada num posto abandonado,Tess decide fazer o que poucas mulheres fariam.Se vingar.Mesmo que pra isso tenha que pagar um preço muito alto.

Outro conto fantástico.

Extensão Justa

Dave Streeter tem câncer terminal.Certo de que vai morrer em pouco tempo ele conhece alguém que pode salva-lo.Mas há um preço a pagar.Será que ele vai aceitar?

Esse é o conto mais curto do livro mas é de um irreverência que só Stephen King é capaz.
O conto vai longe da moral no fim da história e nos diz algo que está bem perto da verdade:até o diabo já está desanimando com a humanidade.E é o conto mais divertido também,apesar de tudo.

Um Bom Casamento

Será que conhecemos realmente quem está do nosso lado?Darcy Anderson está casada há vinte e sete anos e faz uma descoberta surpreendente sobre seu marido.

Outro conto excelente.Não tem como não gostar.E o final simplesmente demais.

Não gosto muito de contos.Acho que deixam muito à explicar.Já li vários livros de contos do Stephen King(o cara é demais então mesmo não gostando muito sempre acabo lendo os dele) e alguns me agradaram,outros nem tanto.
Mas Escuridão Total sem Estrelas eu gostei!!E Muito.
Foi uma grande surpresa pra mim esse livro.Confesso que não esperava muita coisa dele.
Fiquei até um pouco revoltado quando a Suma de Letras anunciou que ia publicá-lo.
Pensei que com tantos livros interessantes vão publicar logo um de contos?!?
Ainda bem que eu não mando nada por lá.
O livro é excelente,cinco estrelas é pouco.Na minha modesta opinião um dos melhores livros do King.É impressionante como o autor nos leva dentro da narrativa.Não queria parar de ler.
E o que me chamou a atenção:nos três contos longos(mais de 100 páginas cada um) é o diálogo que o personagem mantém consigo mesmo.Isso é tão humano,tão nosso falar em pensamento.Muito bom!!

Livro excelente!Leitura de primeira!!
Bruno 04/08/2015minha estante
João!!! Tá inspirado nas resenhas!!!
Mais uma que me deixou com vontade de ler! Um abraço.


João 04/08/2015minha estante
Valeu Bruno!!O livro é muito bom!Leia ...não vai se arrepender!


Mayara @amantesdelivrosefilmes 05/08/2015minha estante
Stephen King é ótimo! Nossa, sempre gostei do filme À espera de um milagre, mas o livro é uma leitura incrível! Quero ler esse também! :)


Anderson 06/08/2015minha estante
Quero ler!




Robson Rodrigo 17/06/2016

Stephen King sendo Stephen King
Este é um livro de contos altamente viciante.

São quatro contos com pessoas comuns em situações que viram suas emoções de cabeça para baixo com Stephen King fazendo o que ele faz de melhor: Ser Stephen King.

#PrimeiroConto: 1922 - Decidir assassinar a esposa, manipulando o filho para ser seu cúmplice, pelo simples fato de que a mesma iria vender a fazenda para ir morar na cidade e, pai e filho não queriam essa situação, pode resolver a contrariedade do momento. Mas quais serão as consequências dessa decisão na vida de todos?

Eu li o primeiro conto e pensei: "caramba, é muito bom!"

#SegundoConto: Gigante do Volante - O que uma mulher pode descobrir sobre sí mesma depois de ser estuprada e quase morta? Que ela simplesmente morreu no dia do estupro e que a mulher que nasceu após aquele momento só quer uma coisa: vingança

No segundo eu pensei: "não é possível que o terceiro seja tão bom quanto os dois primeiros".

#TerceiroConto: Extensão Justa - E se você estivesse com câncer e pudesse se curar através de um pacto onde você teria de transferir sua doença para a pessoa que você mais odeia. Você transferiria? Será que para se salvar vale a pena destruir a vida de outra pessoa?

Nesse terceiro, eu já estava naquela onda de " Stephen King é o cara!", já tinha certeza de que se o quarto conto seguisse essa mesma linha, esse seria um dos meus livros favoritos.

#QuartoConto: Um Bom Casamento - Depois de estar casada 27 anos com Bob, Darcy encontra uma caixa num esconderijo em sua garagem que muda tudo o que sabe sobre seu marido

Resumindo: O quarto conto acabou, esse foi o meu primeiro livro de Stephen King lido, o livro foi favoritado. Quero ler tudo do autor agora.
Rafa 20/08/2016minha estante
undefined




Euflauzino 28/08/2015

Almas escuras como a noite

Leio Stephen King desde meus 13 anos e posso garantir que já abandonei esta fase infante há um bom tempo. No momento, estou mais para um senhor maduro. Acompanhei todas as fases do mestre, de seus livros de terror (hoje, me agradam menos) aos psicológicos (me simpatizo mais). E por que digo isso? Para deixar claro que nunca espero de King menos que um livro excelente.

Escuridão total sem estrelas (Suma de Letras, 390 páginas) é um livro “bom” ou “muito bom”, dependendo do ponto de vista. Talvez, por isso tenha me decepcionado um pouco. Isso quer dizer que é um livro ruim? Não! Longe disso. Mas ficou aquém de minhas, sempre abundantes, expectativas. Isso não é pouco para um fã que sempre quer ter todos os livros do autor logo ali, se possível, ao alcance das mãos. Quem leu King e não se tornou fã que atire a primeira pedra, vamos lá, eu aguento (num universo de milhões de leitores, talvez exista 2 ou 3 dezenas de insatisfeitos, eu disse “talvez”).

O mestre já escreveu sobre quase tudo: vampiros, lobisomens, fantasmas, viagem no tempo, casa mal assombrada, invasão alienígena. Porém, agora está inovando. Passou a revisitar a própria obra.

Perceba como o mestre nos pega logo no início do primeiro conto 1922 (enorme como uma novela), em seu primeiro parágrafo:

“Meu nome é Wilfred Leland James e esta é minha confissão. Em junho de 1922 eu matei minha esposa. Arlette Christina Winters James, e escondi o corpo em um velho poço. Meu filho, Henry Freeman James, me ajudou, embora ele não possa ser responsabilizado pelo crime porque na época tinha 14 anos. Eu o persuadi, jogando com seus medos e contendo suas objeções mais do que naturais durante dois meses. Me arrependo disso mais amargamente do que do crime, por motivos que este documento vai revelar.”

Pronto, já estamos à mercê do mestre. Nem preciso dizer muito mais deste conto. Então, como diria Wilfred para seu filho Henry logo após matar sua esposa e mãe do garoto:

“Aguenta firme, caubói – agora que já começamos temos que ir até o fim!”

Vou saboreando frases aqui e ali, e algumas com este tipo de comparação conotativa valem o livro:

“Ele gritou tão alto que os corvos saíram voando da cerca e rodopiaram para longe no céu azul, como pedaços de papel queimado.”

Para quem acha que o mestre está abandonando o terror (ou horror, como queiram) é melhor rever e reavaliar seus conceitos, porque ele anda mais tenebroso que nunca. Nada escapa ao olhar aguçado de King, nada é banal.

site: Leia mais em: http://www.literaturadecabeca.com.br/resenhas/resenha-escuridao-total-sem-estrelas/#.VeBkvflVhHw
Andrea 08/09/2015minha estante
Não sei o que está acontecendo, mas ando desgostando do King. Ou talvez os livros mais recentes não me agradem tanto como os antigos. Se bem que tem uns antigos que eu também não curti muito... De todo jeito, eu não estava nem tchum pra esse livro (ainda mais por ser de contos e eu estar meio decepcionada com os últimos que li do autor), mas depois da sua resenha e dessa introdução do primeiro conto, fiquei curiosa. Vou esperar promoção (ontem peguei o Doutor Sono bem barato!)

Aaaah, e eu não podia deixar de comentar: "No momento, estou mais para um senhor maduro."
Toca aqui na mão da quase senhora madura, hahahaha! o/


Euflauzino 09/09/2015minha estante
houve um período... livros como "celular" que travei com o king. não queria mais ler, até que apareceu "love - a história de lisey", daí foi só alegira, rs. há trabalhos antigos do king que também não curto, mas seus melhores são os antigos mesmo, "it - a coisa", "quatro estações", "dança da morte", entre tantos outros. entre os mais recentes gostei muito de "novembro de 63".
este livro de contos é bom, mas não sou muito fã dos contos do mestre, apesar de que estão mais pra novelas que contos.
gostei mais de "doutor sono" que de "o iluminado", pode jogar a pedra, todos já me defenestraram mesmo, rs.
e bem vinda ao time dos maduros!!!! bjos.


Andrea 09/09/2015minha estante
Mas gente, como assim travou com Celular?! Gostei muito quando li. Já o Lisey, não me conquistou tanto. Dos 3 antigos que você citou, só concordo com o Quatro Estações, já que me decepcionei com A Dança da Morte e achei A Coisa bem mediano. Novembro de 63 é bacana então? Estilo o quê? Tenho ele aqui também.

Olha, levando em conta que eu prefiro 1000x Casa Negra do que O Talismã, pode saber que do meu lado não partirá pedras, hahaha. E eu também não acho O Iluminado isso tudo, apesar de ter gostado bastante. Acredito que vou gostar mais do Doutor Sono do que dele.


Euflauzino 10/09/2015minha estante
como é complexo o gosto do leitor rsrsrsrs. não gostei de "casa negra" e "o talismã" é meu livro preferido de king. vai entender? rsrsrs
espero que goste de "novembro de 63" que é um livro sobre viagem no tempo, com a pegada do mestre.


Andrea 13/09/2015minha estante
E ainda bem que é assim, né? Vou ver se dou uma chance pra 11/63 então.

Me lembrei de você esses dias. Fui na Leitura procurar um livro e vi lá o Battle Royale. É um livro grosso né? Achei que fosse curtinho.


Euflauzino 15/09/2015minha estante
não é curtinho não... é um clássico, a grande maioria das distopias são filhotes deste livro. imperdível! não deixe de comprá-lo.


Andrea 15/09/2015minha estante
Apesar de não gostar dessas distopias adolescentes, sua resenha me fez ficar curiosa com o livro. Só não o comprei porque estava caro e meu dinheiro estava reservado pra outro livro.




Ileana Dafne 26/08/2015

O mestre mostrando porquê é o mestre
Stephen King é, desde meus 13 anos, meu autor favorito e a cada livro que leio dele isso só se reforça. Nesse livro em questão o mestre nos mostra porque é O cara no que diz respeito a escrever sobre o que há de pior nos seres humanos.
A Suma de Letras se esmerou nessa edição, onde todas as laterais são negras e na lombada as letras são brancas, mas na capa as letras são num tom fosco que em determinados ângulos não é possível ler o que está contido nela. Ficou lindo!!!
Os contos desse livro são: 1922, Gigante no Volante, Extensão Justa e Um Bom Casamento. Todas as histórias possuem um elemento em comum, em todas existe alguém onde não se encontra a luz, onde as trevas tomaram conta, seja pela ganância, seja pela sede de justiça, seja pela inveja ou pela crueldade.
1922 é uma história contada por Wilfred James. Trata-se, na verdade, de uma confissão. Aqui ele narra sobre o impasse entre ele e sua esposa sobre os 100 acres de terra que ela herdou. Ela quer vender e ele quer agregar na sua fazenda. Por conta desse problema entre eles, Wilfred consegue fazer com que o filho do casal fique contra sua mãe e aceite participar dos planos de seu pai. Henry “Hank” Wilfred é apaixonado pela filha dos vizinhos e isso faz com que os acontecimentos a seguir transtornem a vida de ambas as famílias de forma irreversível.
Depois de dar cabo a vida da esposa, Wilfred se vê cada vez mais atormentado e torturado pelo que havia feito e seu filho, Hank, cada vez mais introspectivo e ligado a sua namoradinha, a filha dos vizinhos, que é levada para longe dele. Nisso o jovem Hank parte numa aventura em busca de sua amada e numa fuga das autoridades. O King conseguiu aqui mostrar que é capaz de mesclar terror, aventura e romance de forma a nos levar a um final surpreendente. É meu conto preferido do livro.
O próximo conto, Gigante no Volante, conta a história de Tess, uma escritora que faz sucesso com uma série de 12 livros policiais da Sociedade de Tricô de Willow Grove e que também apresenta várias palestras e ela se limita a ir dar essas palestras somente em locais próximos de casa. Na volta de uma dessas palestras lhe é recomendado um atalho que facilitaria sua volta a casa, mas no meio do percurso o pneu de seu carro é furado e ela tem que parar para pedir ajuda. Nisso aparece alguém que em vez da ajuda lhe estupra e, por um milagre, não a consegue matar. Depois de conseguir escapar, Tess passa a buscar sua vingança, contando com os conselhos de seu gato, do GPS de seu carro e sempre imaginando o que suas heroínas fariam.
Nesse conto o King consegue nos tirar da nossa zona de conforto e nos deixa bastante desconfortáveis, até porque nos passa a sensação de que aquilo realmente pode ter acontecido e que nossa protagonista pode até mesmo ter inventado tudo...
Depois temos Extensão Justa que trata sobre Dave Streeter e mostra até onde o homem pode ir com sua inveja. Dave mora em Derry (sim essa Derry) e um dia encontra um vendedor ambulante que lhe oferece uma extensão justa e, no seu caso, a extensão seria de anos de vida. Contudo ele teria que passar suas mazelas para outra pessoa. Dessa forma ele teria que escolher bem quem ele pode odiar ao ponto de fazer essa troca. Não posso mais falar muita coisa porque é o menor conto do livro, mas sua história nada tem de inferior às demais.
E por último temos Um Bom Casamento que eu gostei bastante (só perde para 1922), fala sobre uma descoberta de Darcy Anderson após 27 anos de um casamento exemplar e que causa uma reviravolta em seu relacionamento e em como ela via sua vida. Nesse conto podemos ver sobre a eterna incerteza que paira sobre todos nós se realmente conhecemos as pessoas com quem convivemos diariamente.
Todos os quatro contos inseridos nesse livro nos mostra como o King consegue escrever sobre os piores aspectos que o ser humano pode ser capaz de desenvolver. Ao mesmo tempo em que escreve de uma forma que nos envolve e nos deixam sem fôlego, angustiados, animados, tristes, etc.
Maravilhoso e super recomendo!!!

site: http://www.livroseflores.com/2015/08/resenha-escuridao-total-sem-estrelas.html
comentários(0)comente



VittGarcia 06/03/2018

impactada
Quando comecei a ler não imaginei que o livro ia me prender tanto e me deixar tão pensativa como deixou. Acho que teve esse efeito em mim por ser um livro que mexe não somente com morte, mistério,medos... E sim por tocar no pior do ser humano, acho que depois desse livro nunca vou conseguir olhar para uma pessoa e não pensar quem é ela sem ao menos a luz das estrelas?
comentários(0)comente



San... 18/04/2015

Foram 4 contos inéditos. Não vou comparar com os livros mais conhecidos do autor porque, como contos, são historietas e assim não tiveram um desdobramento maior, o que poderia acontecer (e eu acharia fantástico). O que considerei mais tenso foi "Um bom casamento", mas não são menos fortes "Gigante do volante", "1922" e "Extensão justa", os outros três contos que formam o livro. Em nenhum dos contos há algo sobrenatural. O ingrediente principal foi a emoção humana, a reação humana frente a uma realidade não aceita pelos personagens. De sobrenatural apenas o terror psicológico dos personagens após as escolhas que fizeram. Gostei.
comentários(0)comente



Adriana 04/06/2015

Publicado pela Editora Suma de Letras, o livro Escuridão Total sem estrelas, traz quatro contos excelentes. “Na ausência da luz, o mundo assume formas sombrias, distorcidas, tenebrosas”. Todos os contos, retratam situações extremas, onde crimes são cometidos de forma brutal e muitas vezes, inconsequentes. Mas, o mais importante, é que os personagens não demonstraram nenhum tipo de remorso por suas atitudes. Por isso, acho que não teria nenhum título melhor para o livro do que este.

Em 1922, Wilfred James mora com sua esposa Arlette James e seu filho Henry em um sítio em Hemingford Home. Arlette, no entanto, quer vender os 100 acres de terra que herdou da sua familia para um açougue da região e com o dinheiro quer se mudar para a cidade. Seu marido, Wilfred não aceita que a terra seja vendida e em conjunto com o seu filho começa a tramar e arquitetar o assassinato da Arlette. Mas, vale a pena assassinar a mãe do seu filho por causa de terra? Na opinião do dois, vale a pena sim. E com isso cometem um crime violento e sangrento. A partir daí, tudo começa a dar errado. Wilfred narra a decadência da sua família após o crime, mas, não demonstra nenhum tipo de remorso ou arrependimento.

Em Gigante do Volante, Tess, escritora de suspense, é convidada para ministrar uma palestra em uma cidade próxima a sua residência e ao voltar para casa, resolve pegar um atalho. O pneu do carro fura em um lugar deserto e Tess acaba recebendo ajuda de um gigante que a vê na estrada. No entanto, o que parecia ser um ato de bondade acaba se tornando um crime violento. Tess é estuprada e espancada diversas vezes. Ao ser abandonada dentro de um rio, Tess acorda e consegue voltar pra casa. Aí, começa o seu dilema: procurar a polícia e relatar o crime que sofreu (mas e sua carreira de autora!?! e as notícias negativas no jornal!?!) ou voltar ao local do crime e procurar o gigante que a violentou (vingança vale a pena!?! como conviver com ela !?!). Esse é um dos melhores contos do livro. Simplesmente, me arrepiei com as cenas descritas e com a força de viver da Tess. Excelente!

Em Extensão justa, Dave possui câncer em estado terminal. Ao sair para um passeio, encontra um vendedor diferente. Alguém que lhe dá a oportunidade de se curar do câncer, mas, para isso, Dave deverá indicar alguém para herdar a doença. Ele, então, escolhe o seu melhor amigo. Um empresário de sucesso que possui uma família amável e vê toda a sua vida desmoronar, sem nem imaginar que se trata de um “presente” do seu amigo. Fiquei surpresa com o grau de inveja que leva uma pessoa a desejar o mal a pessoas inocentes.

E para completar, Um bom casamento, narra a história de Darcy, uma senhora que descobre que passou os últimos 27 anos da sua vida casada com um completo estranho. Tudo começa, quando ela encontra uma caixa na garagem, com uma revista de sadomasoquismo e também, com os documentos de uma pessoa desaparecida. Ao confrontar o seu marido, Darcy descobre que ele é um serial killer com dupla personalidade que ataca sexualmente todas as suas vitimas, inclusive atacou uma criança de 10 anos de idade. Darcy fica completamente perdida e sem saber o que fazer: Procurar a polícia e denunciar o seu marido!?! Mas e os seus filhos!?! Como vão sobreviver aos jornais!?! Ou esquecer o que descobriu e conviver com o marido!?!. Acho que esse foi o conto com o final mais surpreendente. Fiquei realmente chocada.

Só tenho uma palavra para descrever esse livro: SENSACIONAL! A editora Suma de Letras fez um trabalho maravilhoso, uma capa linda, as folhas amarelas com bordas pretas deram um charme ao livro. A edição perfeita. E o que falar de Stephen King!?! Um escritor fantástico. Para quem nunca leu nenhum dos seus livros, não perca tempo! Comece a ler um dos seus livros imediatamente!! Com certeza, não irá se arrepender!

site: http://karlaoliveira.com.br/escuridao-total-sem-estrelas-por-stephen-king/
comentários(0)comente



Raffafust 19/06/2015

Sei que sempre falo isso, mas como pode escrever tão bem esse homem? Me impressiona que a cada livro lido - mesmo que sendo lançados no Brasil na ordem incorreta - ele me surpreenda ainda mais com histórias que podem parecer simples mas com o "fator King" de escrita se tornam em verdadeiras obras - prima transformadas em livros.
Divididos em 4 contos, optei por falar separado de cada um deles, porque afinal, merecem serem analisados com detalhes!

1922
Passado nesse ano, o conto nos apresenta o agricultor Wilfred, um homem turrão, dono de um bom lote de terras mas que por causa das entre safras tem tido mais prejuízos do que lucro. Pensando que no dia que sua esposa Arlette recebesse as terras de seu falecido sogro eles fossem finalmente começar a terem ganhos, ele se sente traído quando a mulher o avisa que vai vender as terras do pai e abrir uma loja. Os dois tem um filho , Hank, de apenas 14 anos, começa aí um trabalho de persuadir o filho - feito pelo pai - para que ele colabore em matar sua mãe. Como? Wilfred ameaça o garoto dizendo que ele vai estudar em uma escola distante, todos vão debochar dele, etc.
Parece surreal, e é. King sabe exatamente o como a mente do ser humano é doentia quando se envolvem valores em dinheiro a ética e os valores são esquecidos. Que mal há em se matar a mãe se é para o bem dele e do filho?
Assusta saber que o filho não sente culpa, impressiona ver que um homem é capaz de tudo para ter o que considera prioridade em sua vida. Para ele , matar faz parte e tem motivos muito bem explicados.
A diferença nesse conto é a reviravolta dada pelo mestre, com toques de "aqui se faz, aqui se paga", a vida de pai e filho nunca mais seriam as mesmas, e acreditem, o leitor vibra cada vez que isso acontece. Perfeição define.



Gigante do Volante
Para mim, o conto mais tenso desse livro. Fala de um tema que tenho batido na tecla um bocado nesse mês : estupro. E aí King me vem com uma história que lembra o filme Doce Vingança mas os requintes imaginados pelo mestre e seus diálogos fazem com o leitor se sinta tão dentro da cena que o incômodo é normal.
Tess é um escritora famosa que teve seus livros da série A Sociedade do tricô muito bem nas vendas, é por causa deles que consegue se manter há anos e agora na casa dos 40 ela curte seu gato e somente aceita participações em eventos que a paguem o que deseja e a hospedem em locais com o mínimo de conforto. Certo dia ela recebe um convite de uma bibliotecária de outra cidade, Ramona, ela a convida para falar por 1 hora e aceita suas exigências. Tess aceita e opta por ir dirigindo até o local.
Tudo corre bem, a bibliotecária lhe dá dicas de como voltar mais rápido para casa e ela volta tranquila para sua casa. Bom, digamos que um imprevisto acontece e é aí que mora o perigo. Seu pneu fura por causa de algum objeto na estrada, ao tentar trocá-lo ela não tem sucesso homem imenso aparece ao lado dela se oferecendo para ajudá-la.
O tal homem imenso é um estuprador , e ele não somente abusa dela como quase a mata. Sobrevivente desse trauma ela descobre algo muito pior do que poderia imaginar, e com a verdade na sua frente ela opta por fazer justiça com as próprias mãos.
O final é excelente e o que gostei de King foi ele ter visto o como as mulheres são vistas, exemplo disso é que quando ela pensa em expor sua dor nos jornais ela pensa que vão colocar fotos dela de 20 anos atrás quando usava roupas curtas e vão acabar a culpando por ter pedido o estupro já que usava mini saias . Preconceito e machismo são citados e mais uma vez a história é daquelas que pede para ser feito um filmes, um especial, mas precisamos vê-la nas telonas!

Extensão Justa
No terceiro conto do livro , King opta por falar de egoísmo. Pensei no início da história que ele iria para o lado de A maldição do Cigano , ótimo livro dele. Mas me enganei e o resultado foi acima do esperado.
Dave Streeter começou há pouco tempo sua quimioterapia. Casado e pai, ele se vê desesperado ao ser diagnosticado com câncer terminal e sabe que não viverá muito tempo . Um belo dia em seu trabalho um homem aparece vendendo algo, ele diz que não está interessado mas então informa ao homem que está vivendo os poucos meses de sua vida, vai morrer em pouco tempo.
O que ele vendia? Extensões! E oferece 15 anos de vida a Dave que aceita na hora meio sem acreditar, a diferença é que para que ele não tenha mais a doença alguém que ele conhece deverá sofrer bastante ( ou ter a doença, não sabemos exatamente o que acontece no momento do fechamento do negócio!). Dave opta por desgraçar a vida de seu melhor amigo ( sim!) , porque sempre o invejou.
O que acontece a seguir impressiona e no melhor estilo King nos mostra que o ser humano é capaz de tudo para conseguir benefícios próprios.

Um Bom Casamento
O conto pode parecer o mais fraco dos quatro mas quando lemos a explicação de King no posfácio mudamos de ideia. Darcy é casada com Bob há 27 anos, o casal tem 2 filhos. A vida deles é a comum, sem grandes surpresas até o dia em que ela vai mexer em algumas coisas e descobre uma caixa que pertence ao marido. Dali para frente tudo muda, seu amado pai de família é na verdade um assassino de moças indefesas, e ao relatar que a história é baseada em fatos reais me impressionou ainda mais. Alguém pode mesmo não ter a menor ideia de que a pessoa com a qual é casada e vive por anos é um torturador?
Com requintes de crueldade e uma pitada de bullying, mais uma vezo mestre surpreende.

site: http://www.meninaquecompravalivros.com.br/2015/06/resenha-escuridao-total-sem-estrelas.html
comentários(0)comente



Pedro Henrique 08/07/2015

Devemos voltar a superfície
O livro Escuridão Total Sem Estrelas foi um livro que me prendeu do começo ao final, porém alguns contos são melhores que outros, obviamente. Devo assim falar de cada um deles separadamente.

1922

O melhor conto na minha opinião, ele é a mistura perfeita de uma boa trama com um bom terror.
O conto diz sobre uma família que vive na área rural americana no ano de 1922, e é nada mais do que o relato dos acontecimentos na visão do pai. Basicamente ele influenciou o filho a assassinar sua mãe, e depois precisa conviver com isso.
O conto é recheado de simbologia (por isso me encantou tanto). Como por exemplo no trecho que diz que a vaca caiu no poço, e o nome da vaca era a deusa da esperança, com isso, a esperança deles agora estava morta.

Gigante do Volante

Esse foi o conto que menos me atraiu por ter uma história simples e um final mais ou menos previsível. Mesmo com algumas reviravoltas, o leitor descobre o final logo nas páginas iniciais do conto. Mesmo assim é um ótimo conto que conta a história de uma mulher que, por vingança, acaba descobrindo um lado dela que ela desconhecia. Eu realmente esperava que essa temática fosse amplamente explorada pelo conto, afinal o que é mais aterrorizante que o ser humano em conflito com si mesmo? Porém não vi essa preocupação com a descrição do conflito interno em qualquer momento do conto.
O conto é bom, mas eu tinha expectativas demais que acabaram por não ser atendidas.

Extensão Justa

Mesmo sendo o conto mais curto (cerca de 40 páginas), eu me apaixonei por ele, pois esse sim representa o comportamento humano na íntegra. O conto relata de um homem que acaba conseguindo uma "extensão de vida", mas em troca disso, precisa arruinar a vida de seu pior inimigo (que acaba por ser seu melhor amigo de infância). Esse conto explora desde o início a falsidade, a rancorosidade e a cobiça humana. Mesmo com a vida de seu amigo sendo arruinada, ele continua por viver normalmente e consegue lidar com isso, afinal ele está bem, e sempre o "eu" que importa.

Um Bom Casamento

Esse conto também é incrível, me surpreendendo do começo ao final. Esse conto também explora o íntimo humano, e que há sim certas coisas que seriam melhores se permanecessem ocultas. Darcy, a esposa, descobre algo sobre seu marido, Bob, que ela nunca teria imaginado vir de alguém como ele, muito menos depois de vários anos casados. O que me pergunto é que, se Darcy não tivesse descoberto a verdade sobre Bob, o final deles seria diferente? Eles continuariam vivendo perfeitamente em conjunto?
Bem, isso me fez pensar sobre a necessidade de se manter segredos, segredos são necessários, principalmente em um relacionamento, e o melhor seria que eles nucna fossem descobertos.
João 04/08/2015minha estante
Muito boa sua resenha Pedro!!


geo 08/11/2015minha estante
Até agora li 2 contos. Extensão justa E Gigante do Volante.
Extensão Justa é muito bom. Trata de um dos piores pecados humanos que é a inveja.Ele tem câncer terminal. Uma vida medíocre como bancário, apesar de ser competente. No início temos pena dele, mas depois... Até onde vai a inveja humana? E nos traz uma reflexão pra todos nós: até onde o ser humano pode ir para não morrer?
Gigante do Volante também muito bom. King é show ao narrar os sentimentos da Tess. E a descrição dos seus medos, incertezas é perfeita. Lembra A Rosie de Rose Madder, quando a Rosie foge do Norman.




Lua 02/08/2017

Perfeito
Li em três dias. Uma leitura que te prende, envolve e inquieta. Até então desconhecia a escrita de King enquanto contista. Se me surpreendi? Não. O cara não dá um tiro errado. Cada conto narrado leva o leitor a uma viagem através dos limites da maldade humana, até onde alguém pode ir? Simplesmente um livro extraordinário.
comentários(0)comente



Crítica, eu? 18/09/2018

Escuridão Total Sem Estrelas
Escuridão Total Sem Estrelas, publicado em 2015, é um livro de contos do famoso escritor de terror Stephen King. Composta por quatro histórias independentes, a obra ostenta um título que caracteriza muito bem cada um dos contos narrados.

Em 1922, primeira das histórias contadas, Wilfred Leland James, um agricultor, decide matar sua esposa, Arlette Christina Winters James, a fim de manter as terras da família. Como herdeira da propriedade deixada pelo seu pai, a mulher decide que deseja vender não só o terreno ao redor, mas também a fazenda em que a família vive, que é uma herança familiar de Wilfred. A história é narrada em primeira pessoa e já começa com a confissão do marido de que decidiu matar a esposa com a ajuda do filho, Hank. Nas páginas que seguem, a trama não conta com muita ação, mas se baseia fundamentalmente nas consequências do crime para o assassino perturbado.

O segundo conto do livro é O Gigante do Volante. Tess, uma autora de livro de mistérios, é convidada para fazer uma palestra e, na volta da viagem, é estuprada na estrada quando seu carro quebra. A mulher reúne suas forças para elaborar uma minuciosa vingança contra o homem que a violentou, mas acaba descobrindo outros envolvidos na história, uns inocentes, outros nem tanto. Com mais ação do que o primeiro conto, O Gigante do Volante se concentra não só na jornada de Tess pela revanche, mas no quanto o trauma transformou sua maneira de ser, pensar e agir.

Extensão Justa é a terceira história do livro e apresenta a vida de Dave Street, um homem que sofre de câncer em estágio terminal. Passando por uma estrada, Dave se encontra com um misterioso vendedor que promete vende-lo a cura, mas, em troca, o homem deve apresentar alguém a quem toda a destruição de sua vida será transmitida. O enredo em si não conta com muitos acontecimentos, mas proporciona uma viagem completa pela mentalidade humana e escancara sentimentos que as pessoas fazem de tudo para esconder, como inveja, ambição e falta de escrúpulos.

Os segredos da vida conjugal são expostos ao leitor em Um Bom Casamento, quarto conto do livro. Darcy Anderson encontra uma caixa no porão e descobre partes ocultas da vida do marido. Em pouco tempo, o enredo sofre reviravoltas impressionantes. Este último conto é o que tem mais intensidade narrativa e mais ação, mas não carece das reflexões trazidas pelas outras histórias.

Escuridão Total Sem Estrelas é uma obra prima. É muito claro que a intenção de Stephen King com o livro foi mostrar que pessoas comuns podem se tornar quem nunca imaginaram ser quando submetidas a situações extremas. Ou quando se veem diante de problemas simplórios, mas não enxergam saída. Escuridão Total Sem Estrelas traz ao leitor personagens com quem é possível se identificar e o faz se questionar: “será que eu agiria assim se estivesse nessa situação?”

Longe de ser um livro comum, em que normalmente o ponto forte é uma história cheia de minúcias e reviravoltas, Escuridão Total Sem Estrelas tem sua máxima no passeio pela psique humana e pelo comportamento das pessoas. É uma obra difícil de ser encaixada em um gênero, mas que poderia facilmente ser utilizada em aulas de psicologia. Como é comum, Stephen King apresenta, mais uma vez, histórias sem defeitos e demonstra um profundo conhecimento da mente humana.

No posfácio do livro, King escreve: “Mas acho que estas histórias também dizem que a nobreza não reside principalmente no sucesso, mas na tentativa de fazer a coisa certa… e que é quando falhamos, ou nos afastamos deliberadamente do desafio, que o inferno se faz.” É exatamente essa a sensação que Escuridão Total Sem Estrelas proporciona, um passeio guiado pelo inferno que existe dentro de cada um. Stephen King é um guia de excelência.

site: https://criticaeublog.wordpress.com/
comentários(0)comente



216 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |