A Garota da Capa Vermelha

A Garota da Capa Vermelha Sarah Blakley-Cartwright




Resenhas - A Garota Da Capa Vermelha


194 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Bianca 08/06/2011

http://redomadecristal.com.br/2011/03/09/a-garota-da-capa-vermelha-o-livro/
Um dia, passeando pelo youtube, descobri um trailer de um filme chamado A Garota da Capa Vermelha. Minha paixão foi imediata. Sabia que esperaria ansiosa pelo filme.

Passou um mês aproximadamente e descobri que a iD Editora lançaria um livro com o mesmo nome. Para a minha felicidade, não era coincidência. Logo marquei como desejado no skoob e comecei a aguardar ansiosamente a ambos os lançamentos.

O livro chegou aqui em casa na sexta-feira e foi uma surpresa extremamente agradável porque estava me preparando para um descanso merecido e nada como uma boa leitura para completar o pacote.

Terminei o meu trabalho, avisei a todos que entraria em recesso e fui atender ao chamado do Lobo Mau. O que eu achei? Descubra a seguir!

Quando soube que o livro tinha sido baseado no roteiro do filme fiquei empolgadíssima. A tendência é que o filme não nos decepcione. O roteiro foi escrito por David Leslie Johnson baseado numa ideia de Leonardo Di Caprio e quem o transformou em livro foi Sarah Blakley-Cartwright.

Ao começar a ler, tive a segunda surpresa maravilhosa: a narração é em terceira pessoa por um narrador onisciente que nos mostra com perfeição a mente e sentimentos dos personagens, não se focando em apenas um. Temos uma visão geral e conhecemos a fundo a cada um deles. Isso já me empolgou tanto que tive medo de me decepcionar com a história de tantas expectativas que criei, mas isso não aconteceu.

Os personagens principais são adolescentes, o que poderia ser um ponto negativo já que meu estado de espírito atual está cansado do mesmo modelo de mocinhas, mas nesse livro eles têm comportamentos maduros, acredito que devido à época em que a história se passa. Os adolescentes de hoje eram mais maduros naquele tempo, precisavam ser.

Logo no início, conhecemos a aldeia de Daggorhorn, um lugar sombrio, marcado por tristezas e perdas. A princípio, me lembrei do filme A Vila, mas A Garota da Capa Vermelha logo foi se formando e mostrando suas particularidades. Todos os meses é feito um sacrifício animal para o Lobo. Ninguém questiona, ninguém tenta se defender. Todos estão resignados de que devem fazer a vontade dele para não perderem mais ninguém de suas famílias.

Valerie é uma linda jovem. Diferente dos outros, ela é curiosa e isso a levou a se encontrar com o Lobo quando era criança. Ele poupou sua vida e ela nunca entendeu o por quê. Ela pensa muito no passado por causa de seu amigo de infância, Peter, que precisou ir embora repentinamente da aldeia e ela nunca mais o viu. O jovem Henry, filho do ferreiro, está apaixonado por ela, que não entende como não sente nada por ele. Secretamente, ela só pensa em Peter.

No dia da Colheita, sua irmã, Lucie, e ela, acampam pela primeira vez com outras moças da mesma idade e a mãe de uma delas. Nesse dia pela manhã, ela se surpreende com a chegada de um jovem lenhador à aldeia, era Peter. Ele tenta a todo custo evitá-la, mas é visível que também sente algo forte pela jovem e eles marcam de se encontrar à noite. Infelizmente, esta é a noite que mudaria tudo.

Não contarei mais nada sobre a história em si, falarei sobre o enredo ainda, mas sem soltar spoilers. O melhor são as surpresas, o modo como vamos conhecendo a cada um.

Há muitos personagens, além de Valerie, Peter e Henry. É o modo como esses personagens se envolvem na trama que determina o destino do trio principal.

"Era uma vez uma garota que ia se casar com um ferreiro.

Era uma vez um jovem lenhador que queria fugir com ela.

Era uma vez um Lobo."

Antes de tudo, essa reinterpretação do conto da Chapeuzinho Vermelho é uma história de amor. Um amor que salta aos olhos e toca o leitor. Mas não é melosa, não dá tempo de ser melosa. A narrativa muda e nos traz uma nova informação a cada página. É uma leitura intensa e de tirar o fôlego.

Estou apaixonada por esse livro. Ele deixou todos os outros para trás e assumiu a liderança do preferido no meu coração.

Engoli as últimas cinquenta páginas e confesso que ainda estou sofrendo o impacto do final. COMO ASSIM? Segundo o site do livro precisarei esperar mais 44 dias para descobrir aquilo que preciso. SIM, PRECISO. Penso que o final foi uma grande jogada de marketing para levar às pessoas ao cinema. Ainda mais sabendo que o livro foi escrito a partir do roteiro do filme.

Uma leitora me disse que ficou decepcionada. Eu não. O livro manteve um ritmo perfeito do início ao fim. Não conseguiria julgá-lo apenas pelas duas últimas páginas ou pela ausência de algumas dela no final. Acredito que isso foi proposital.

Agora é só aguardar mais 44 dias insones para descobrir o que os envolvidos com esse livro e filme reservaram para nós. Não me decepcionei em nenhum momento. Tenho certeza de que o livro veio para criar um burburinho para o filme. Parabéns, conseguiram. Pensarei todos os dias no lançamento e provavelmente o assistirei na estreia.

Preciso dizer que recomendo a todos? *-*

Para maiores informações acesse:
http://redomadecristal.com.br/2011/03/09/a-garota-da-capa-vermelha-o-livro/


Regiane 16/04/2011

Misterioso e assustador!

Era uma vez uma garota que ia se casar com um ferreiro...
Um lenhador que queria fugir com ela...
E um lobo...

Quando eu soube que o filme A Garota da Capa Vermelha seria adaptado para livro, eu fiquei muito feliz, mas eu imaginava que só seria lançado aqui depois que tivesse estreado no cinema. Felizmente eu me enganei, pois a editora iD foi rápida e acabou nos privilegiando com o lançamento antes do filme chegar por aqui.

A Garota da Capa Vermelha conta a história de Valerie, uma menina que mora num vilarejo chamado Daggorhorn. Um lugar que tanto ela quanto sua irmã Lucie cresceram ouvindo sobre o lobo que assola por lá nas noites de lua cheia. Por conta disso, os aldeões de Daggorhorn vivem dia após dia com medo, se sentindo vulneráveis e inseguros até mesmo em suas casas. Só que Valerie é uma exceção, pois seu medo é outro, uma escuridão interna que parece fazer parte apenas dela, algo que só faz com que se sinta mais aflita por seu melhor amigo - Peter - ter ido embora.

Aquelas humildes pessoas de Daggorhorn sacrificavam seus melhores animais em noites de lua cheia para que a paz com o lobo fosse mantida. Infelizmente chegou o dia em que a cabra de estimação de Valerie e Lucie seria oferecida à fera, mas inconformada com o triste destino daquele ser inocente e amado, Valerie decidiu que iria salvá-lo. Foi então que...

"Ele apareceu.
Os olhos eram selvagens e belos.
Olhos que a viram."

Dez anos se passaram desde a noite que Valerie viu o lobo, e mesmo assim, vivia sendo assombrada pela lembrança daquele dia. Era uma das coisas que a fazia se sentir sozinha e até mesmo deslocada de seu vilarejo, ao ponto de achar que não fazia parte daquele lugar. Mas esses sentimentos e aflições que tomavam conta de seu coração evaporaram quando ela encontrou aquele com quem ela mais se identificava. Então...

"Ao levantar os olhos, viu um jovem de cabelos escuros, estonteante de parar o coração.
Ele parecia selvagem e fantasmágorico, todo vestido de preto, como um cavalo que não podia ser domesticado.
Valerie sentiu a respiração se esvaiar dentro dela.
Aquele era Peter."

Parece que as coisas acontecem muito depressa na vida de Valerie, pois num momento de felicidade, onde ela imaginava passar o resto de sua vida ao lado de seu Peter, ela é informada que seus pais - Cesaire e Suzette - prometeram sua mão a Henry, o rapaz mais cobiçado de Daggorhorn. Desperada com essa ideia, ela e Peter decidem fugir, e eles colocam o plano em prática.

"Por um momento Valerie se sentiu incrivelmente livre.
O mundo era dela, e a beleza estava por toda parte.
Ela corria em direção a liberdade, finalmente ao lado de seu Peter, quando...
Os sinos soaram.
Valerie e Peter entreolharam-se confusos; em seguida, caíram em si horrorizados.
Com aqueles sinos, ela sabia; A vida nunca mais seria a mesma."

E realmente não tinha como ser, pois quando Valerie voltou desesperada ao vilarejo, e encontrou suas amigas Roxanne, Prudence e Rose unidas em um abraço, antes mesmo de uma delas sussurrar o nome, ela já sabia que tratava-se de Lucie, sua querida irmã.

"O lobo havia quebrado a paz.
O inverno chegou cedo de mais."

Father Solomon chega ao povoado. Ele é um exterminador de criaturas sobrenaturais. Com sua chegada, vem uma revelação: A fera é um dos habitantes da aldeia. Ninguém escapa dos olhares do Solomon. Todos se tornam suspeitos. O medo e o terror tomam conta daquelas pessoas. Estaria Peter, a paixão de infância de Valerie, envolvido nesses ataques? Ou seria Henry, seu noivo, o lobisomem? Ou talvez, alguém mais próximo? Descobrirá Valerie o culpado por trás do lobo antes que toda a aldeia seja exterminada?

Nessa nova versão do conto clássico, o final feliz poderá ser difícil de ser encontrado.

Eu li esse livro num final de semana, pois a cada capítulo que eu lia, eu tinha vontade de ler outro e mais outro. Me prendeu totalmente, pois o mistério parece não ter fim. E realmente não tem, pois o último capítulo que teria o desfecho dessa história não está incluso. No começo eu achei estranho, mas parando para pensar, a ideia é interessante, pois essa revelação foi deixada para o filme, e como foi o filme que inspirou o livro - e não ao contrário, como de costume - eu reconheço que foi uma boa jogada, pois fiquei muito mais curiosa e com vontade de ir ao cinema.

Bom, mas voltando ao livro eu tenho que dizer que adorei e achei genial criarem uma história em cima de um dos mais famosos contos clássicos de todos os tempos. Não segue a risca, pois a influência é apenas como pano de fundo, seguido de um clima gótico e assustador.

O começo é um pouco parado, mas é essencial para entendermos melhor a história, mas de qualquer forma, é impossível se sentir entediado, pois acontece uma coisa atrás da outra. E são detalhes que deixa o leitor com a pulga atrás da orelha, o que torna muito envolvente do começo ao fim. E esses detalhes só são esclarecidos no final, bom... no final do filme e que também será revelado no site da editora iD, daqui há 6 dias. Então se você não irá ver o filme na estreia, mas leu o livro e está morrendo de curiosidade, no dia 22 corra no site da editora e confira o desfecho dessa empolgante história.

Bom apesar de ter gostado muito do livro, as frases curtas das narrações me incomodaram um pouco e também achei que deveria ter uma aprofundidade maior em cima dos personagens, mas sabendo que o livro veio depois do filme, eu já tinha a consciência de que isso poderia acontecer.

Finalizando eu tenho que dizer que eu amei a capa, e todos os detalhes do livro. Percebe-se de longe o capricho e dedicação da editora iD.

Recomendo a todos que adoram e apreciam uma boa história de suspense. Mas... Acredite na Lenda. Cuidado com o Lobo!


James Andrade 07/04/2011

A Garota da Capa Vermelha, ou azul, ou branca, ou verde, ou roxa, ou amarela, ou bege, ou...
Golpe de Marketing. Tudo no livro é fake. Não trata da lenda da Chapeuzinho Vermelho (que olhos grandes; que dentes grandes; não é o suficiente, falta o essencial); não é uma história de lobisomem (até pode ser, mas muito, muito ruim); sequer é um livro de verdade, a narrativa não se completa, é interrompida sem o menor critério, transferindo o clímax (se é que terá um) para o cinema (se pelo menos estivesse no site teria sido uma boa idéia, mas não, é só propaganda do filme). Um golpe tão baixo que, por mim, o livro deveria ser distribuído gratuitamente, seria o mais correto (mesmo tendo lido um exemplar emprestado, me senti lesado). Pior ainda, vincular uma história tão mal-contada (a cadência do texto é tão estranha quanto um sonho do Carlos Castaneda) a uma fábula tão popular denigre a boa reputação da mesma. Não quero aqui parecer um “purista”, muito pelo contrário, Fábulas só são eternas devido às novas abordagens e releituras (Neil Gaiman, com seu genial Sandman, e Bill Willingham, do insano Fábulas, dentre outros, exemplificam bem este processo), revisitar uma lenda não só é louvável como necessário. Mas, ao fazer isso, tem-se que ter em mente que uma fábula só existe devido àquilo que pretende ensinar; toda narrativa fabulosa cumpre uma função pedagógica; ignorar isso é desprezar sua quintessência, e contar outra história; que pode até ser ótima, mas é outra história, e não pode usufruir do nome (nem da fama) da fábula original. Não me parece certo. Quanto ao filme? Quando passar na Sessão da Tarde eu assisto (talvez).

James Andrade.
comentários(0)comente



Jullie 10/03/2011

Quem tem medo do Lobo mau?
A Garota da Capa Vermelha nos transporta para uma vila chamada Daggorhorn, que há tempos é assombrada por um lobo. Os moradores da vila, durante a Lua Cheia, se revezam para oferecer a ele um sacrifício, para que suas famílias sejam deixadas em paz.
É nesse contexto que conhecemos Valerie, uma garotinha de sete anos que tem poucos amigos – apenas Peter, um garotinho com quem brinca de correr e subir em árvores - se vê presa nesse mundo. Sua vida segue com tranqüilidade, até que seu pai anuncia que será a vez deles de entregarem um sacrifício ao Lobo: Sua cabritinha Flora.
Inconformada, depois que Flora é deixada na floresta para ser devorada, Valeria se põe a procurá-la, sozinha, pela noite. Ela a encontra. Mas encontra outra coisa também. Ali, no meio da floresta, cara a cara com ela, está o Lobo.
Ele não a ataca.
Ele apenas a vê.

“A respiração de Valerie explodiu ofegante, entrecortada de medo. As orelhas do Lobo congelaram, depois estremeceram, e ele voltou os olhos para encontrar os dela.
Os olhos que eram selvagens e belos
Os olhos que a viram.”

Dez anos então se passam e é o dia da colheita em Daggorhorn. Valerie, sua irmã Lucie – que é muito mais bonita, feminina e delicada que ela – e suas amigas Rosa, Prudence e Roxanne decidem acampar depois da colheita para se encontrarem com os garotos, que normalmente dormem em um acampamento diferente do outro lado do rio.
É nesse dia que Valerie descobre que Peter está de volta.
Há muitos anos ele havia deixado a aldeia com seu pai, acusados do assassinato da mãe de Henry Lazar, de quem Valerie descobre estar noiva.
É nesse dia que o Lobo ataca outra vez.
É nesse dia que Lucie morre.

A aldeia mergulha em desespero. Por que o Lobo quebraria a paz agora? Por que mataria Lucie, uma jovem tão boa?
A partir daí as especulações começam. A Lua de Sangue se ergue no céu, tingindo a noite de vermelho, avisando que o Lobo está a solta, e ninguém está seguro.
Mas quem será o Lobo?
Father Solomon, padre renomado por caçar bestas como a que assombra Daggorhorn, sugere que o Lobo é um deles. Ele está na aldeia, sempre esteve.
As desconfianças começam. As barbaridades também.
Valerie tem de se decidir se casa com Henry, ou se foge com Peter. E se um dos deles for o Lobo?
E se o Lobo estiver ainda mais perto? Muito mais perto?
Como o próprio livro diz, talvez nesse conto... o final feliz seja difícil de ser encontrado.


MUITO BEM.
Preciso confessar que devorei o livro em um dia, e só não foi menos porque li um pouco no carro e ler no carro me dá tontura haha
Essa é a típica história que você termina e fica lá, sentado, olhando pro nada e pensando no que acabou de acontecer. Demora uns segundos pra absorver, porque te deixa completamente perdido.


O jeito como a história é narrada é tão bem feito que você nem percebe que já leu duzentas páginas sem parar. Você simplesmente precisa de mais. Apensar da linguagem ser um pouco mais formal do que os livros que eu estou acostumada a ler, simplesmente se encaixa perfeitamente com o contexto. Além disso, a autora explora diversos pontos de vista, de modo que você sabe exatamente o que está acontecendo em várias partes da aldeia, ao mesmo tempo, com personagens distintos. Exatamente como se as cenas de um filme estivessem sendo cortadas e passadas na sua frente.
E na verdade essa é uma coisa que me chamou bastante atenção. O livro foi feito baseado no roteiro do filme, e não ao contrário. Achei isso incrível. Ao invés de condensar a história, ela foi expandida.
Talvez seja por isso que o final nos pega de surpresa. Quando você vira a página, esperando pela revelação final, o que você vê?

“Será esse o verdadeiro final da história de Valerie?”

E daí você tem vontade de gritar.
Mas, independente do final, o livro vale muito a pena. É um dos melhores que eu li esse ano, com certeza absoluta.
Ele te prende, te dá pistas falsas – ou nem tão falsas assim, já que são as impressões de Valerie sobre as pessoas que a cercam – e te deixa tão confusa na história que você começa a desconfiar que o Lobo pode ser até a própria Valerie – pelo menos eu desconfiei, desconfio até da minha sombra haha
E, claro, há as passagens clássicas: “Pra que esses olhos tão grandes, vovó?” “É pra te ver melhor...”
Me fez lembrar de quando minha vó me contava essa história e de como ela foi tão magistralmente recontada. De um jeito totalmente novo que eu jamais imaginaria ser possível.
Se você, assim como eu, adora contos de fadas e suas releituras, abre bem seus olhos e embarque nessa jornada em busca do Lobo. Ele pode estar muito mais perto do que você imagina.

http://www.julianagiacobelli.com/resenha-a-garota-da-capa-vermelha


Wes 12/07/2011

Sem Final
Só fico puto por ter comprado um livro e no final das contas ter que ler o final em uma droga de um site da internet. ¬¬'
comentários(0)comente



Camila 11/03/2011

A Garota da Capa Vermelha
Uma adaptação muito interessante da clássica história da Chapeuzinho Vermelho. Diferente do que ocorre na grande partes das vezes, esse livro foi escrito com base no roteiro do filme. A história é muito interessante e assume uma característica um tanto gótica e de muito suspense. Como não poderia faltar, a história traz a garota com o capuz vermelho, a vovozinha, o lobo e o lenhador, mas traz também um ferreiro apaixonado, um pai alcoólatra, uma irmã encantadora, um caçador de lobisomens implacável e mais todos os moradores de uma vila assombrada por uma maldição.

www.leitoracompulsiva.com.br


Leninha 19/08/2015

A Garota da Capa Vermelha.
“Era um vez...
...Uma menina
E um lobo...”

E quando o livro é tão bom quanto o filme ou quando o filme é tão bom quanto o livro... que você já nem sabe mais o que está falando só sei que estou apaixonada por esse novo conto da Chapeuzinho Vermelho.
Geralmente sempre leio o livro antes de ver o filme, mas dessa vez foi o contrario já havia assistido o filme quando ele tinha sido lançado, mas só agora depois de muito tempo descobri a existência do livro e fiquei quase em desespero para ler e nossaaa... o livro superou o filme e o filme superou o livro.. aff eu sou apaixonada por ambos, já tenho uma amor de infância por essa historia e essa nova versão adulta me cativou ainda mais!!
comentários(0)comente



Pandora 31/03/2011

Deixou a desejar
Mais resenhas em www.trocaletras.wordpress.com

Quando vi o trailer do filme A garota da capa vermelha, fiquei empolgada. Adoro releituras de contos de fadas, e curti a chapeuzinho vermelho versão dark.
Originalmente esse é um roteiro para o filme que logo vai estrear nos cinemas e foi adaptado para criar um livro e, segundo a diretora, permitir dar mais profundidade aos personagens, o que é impossível no pouco tempo do filme.

Mas, achei o livro mal escrito. Há passagens confusas e ele é escrito em sentenças curtas, o que não me agrada. E não achei os personagens lá muito profundos.
E o final...acho o objetivo foi preservar o suspense para o filme e tudo foi deixado muito em aberto. Odiei.

A favor do livro, posso dizer que ele prende com o suspense (Quem é o Lobo?) e curti o fato do livro não girar em torno do triângulo amoroso Peter-Valerie-Henry.
Também adorei a capa (é uma cena do filme) e o clima gótico do livro, com seus aldeões taciturnos, a desconfiança entre os habitantes da aldeia. Nada de "final feliz" aqui.

Só acho que poderia ter ficado mais bem desenvolvido, com um final satisfatório e personagens realmente cativantes.
Acredito que o filme será melhor que o livro.
comentários(0)comente



Selma 17/06/2011

Sou mais Chapeuzinho Vermelho
Comecei a ler este livro por mera curiosidade, depois de ouvir um comentário sobre o filme de mesmo nome. Veio, então, a primeira decepção: o último capítulo não estava escrito. Quem quisesse conhecer o final da história teria duas opções - ir ao cinema ou acessar o site do livro. Senti-me roubada. Como assim? Cadê meu último capítulo?

Tudo bem. Logo percebi a jogada de marketing. O livro foi baseado no roteiro e não o contrário. Outro engano. A escritora não conseguiu desenvolver uma história interessante como a que foi contada no filme com duração menor que duas horas. A leitura se arrastou, as descrições de pessoas e cenários não prendiam a atenção e a sensação era de uma história sem 'liga' entre um capítulo e outro. Enfim, penso que a escritora não se saiu muito bem em seu primeiro trabalho.


Sabrina 17/10/2012

Adorei como a autora conseguiu explorar bem a história. No começo achei que a narrativa demora um pouco com o desenrolar os fatos, mas o livro começa a ficar emocionante a partir da morte da irmã dela. Chorei e me surpreendi com o livro que conseguiu, sem dúvida alguma, fazer justiça ao título e ao conto original.
comentários(0)comente



Lerissa K. 04/01/2014

Acreditem na lenda, cuidado com o lobo!
Li esse livro em umas férias de verão, durante a viagem para a praia. Foi um passatempo ótimo e a narrativa é tão envolvente que eu não conseguia desgrudar os olhos do livro antes de terminar a leitura, ou melhor... antes de descobrir quem era o lobo que tanto atormentava a todos. Esse livro é uma ótima escolha para quem curte romance, suspense e claro, muuuito mistério!

A Garota da Capa Vermelha?! Ao ouvir esse nome, certamente vocês irão recordar daquele velho clássico infantil da Chapéuzinho Vermelho, não é mesmo? Bem, é verdade que há algumas semelhanças entre as histórias, mas não julgue o livro antes de conhecê-lo. Imagine que a autora resolveu um dia escrever um livro, e então pegou os ingredientes do clássico infantil, colocou-os para ferver em um caldeirão até ficarem bem fortes, sombrios e medonhos, adicionou uma dose de romance e outra talvez um pouco maior de mistério, acrescentou alguns detalhes góticos e muito, mas muito suspense. Agora sim dá para se ter um mínimo de noção de como é o livro. Ok, mas do que se trata a história?

Bem, o livro narra a história de Valerie, uma jovem que morava com sua família no vilarejo de Daggorhorn e vivia à sombra de sua irmã Lucie, uma moça muito bela. Valerie era apaixonada por Peter, sua paixão de infância e seu melhor amigo, que agora havia voltado à aldeia e ambos planejavam fugir juntos, mas...

Os habitantes de Daggorhorn viviam em uma trégua com o temido lobo - o lobo mau? sim, exatamente! - há anos. Mas certa noite a trégua é quebrada e a paz acaba para os habitantes, pois o lobo ataca outra vez e na manhã seguinte, o corpo de uma moça é encontrado num campo de trigo. Valerie fica desolada quando se dá conta de que o corpo encontrado é o de sua irmã Lucie, que fora assassinada pelo terrível lobo.

Naquela época era comum existirem casamentos arranjados e para piorar tudo ainda mais, os pais de Valerie acabam querendo que ela se case com Henry, o filho de um ferreiro local. Os dois se tornam noivos, mas o coração de Valerie continua batendo mais forte por Peter.

O terror e o medo se espalham pela aldeia e isso se acentua ainda mais com a chegada de Father Solomon - um famoso caçador de lobisomens - que acaba revelando que o lobo não se trata de um animal, mas de um ser humano. Esse ser humano poderia ser qualquer pessoa, o que acaba gerando uma atmosfera de muita suspeita e desconfiança entre os habitantes da aldeia.

Valerie se vê rodeada de intrincadas situações, ainda mais quando descobre que somente ela possui uma ligação particular com o lobo. Quem seria o terrível lobo? E se o lobo fosse alguém que ela ama? Se fosse Peter? Ou Henry? Ou sua estranha avó? O mistério acerca de quem seria o lobo é muito bem trabalhado e não há como descobri-lo através de uma ou outra evidência. A identidade do lobo é surpreendente e o final vai te surpreender mais ainda, se é que é possível.

site: http://lerissakunzler.blogspot.com.br/2013/09/resenha-do-livro-garota-da-capa.html
comentários(0)comente



Tonks71 17/03/2011

http://www.romancesinpink.com.br/
Muitos livros já ganharam sua versão no cinema, mas aqui acontece o contrário. O filme vira um livro. Aliás, para ser mais exata, ele é mais um complemento.

Um roteiro chamado A Garota da Capa Vermelha, escrito por David Leslie Johnson e baseado numa ideia de Leonardo Di Caprio, chegou às mãos da cineasta Catherine Hardwicke, a mesma que dirigiu Crepúsculo. Como o filme é uma versão de chapeuzinho vermelho no melhor estilo sobrenatural Young Adult, essa escolha faz todo o sentido.

Durante o período de produção da película, Catherine percebeu que dramas secundários, pensamentos e questionamentos de personagens acabariam se perdendo, pois não se ajustariam ao formato cinematográfico. Então, surge a ideia do livro. Porém, em relação ao projeto, o carro-chefe ainda é o filme e isso é importante para que se entenda o motivo pelo qual o livro não tem fim. É isso mesmo. As folhas acabam e o final fica aberto para não estragar a surpresa que veremos no cinema. No entanto, a reviravolta também será liberada em um último capítulo bônus no site do livro quando o filme estiver em exibição no Brasil.

Vocês devem estar pensando que talvez o leitor fique frustrado com esse término. Bem... Isso não aconteceu comigo, em vez disso fiquei com muita vontade de ver o filme. Algumas questões são fechadas no texto, Valerie parece decidida quanto a quem escolher no triângulo amoroso característico desse gênero, mas paira uma dúvida sobre a identidade do lobisomem (o lobo mau). Eu tenho minhas suspeitas de que não seja um só... Como podem perceber, estou ansiosa para ver o filme que parece ter uma fotografia belíssima.
comentários(0)comente



spoiler visualizar


AndreLSarausa 19/11/2011

Resenha - A garota da Capa Vermelha
Resenha completa aqui: http://www.viajandonoslivros.com/2011/11/resenha-garota-da-capa-vermelha.html
O livro conta a história de Valerie, uma garota, que gosta de um cara, mas está prometida para casar com outro.
Sua irmã é morta pelo lobo que vive na Vila, e há tempos, todos ficam quietos e sacrificam animais, mas depois da morte da irmã de Valerie, eles decidem lutar contra o lobo.
Até que no final...O lobo é o ...... da Valerie!!!! Não vou contar o final, pois alguns nem leram. nem viram o filme.

No livro, conta a história mais detalhada, conta que em uma hora, a Valerie e a avó, suspeitaram uma da outra, tem mais detalhes sobre as emoções que Valerie está sentindo.
Mas o filme tambem é muito legal!!
Na verdade, quando eu assisti o trailer pela primeira vez, fiquei loucoooo, mas depois que assisti o filme, não achei tuuudo aquilo que esperava.
comentários(0)comente



Dan 13/11/2011

Resenha: A garota da capa vermelha
Ah pessoal... O livro é maravilhoso, o devorei, haha.
Adrenalina, amor, coragem...
Porém me decepcionei um pouco com o final, terminei de ler e pensei “sim, e aí?”, conclui que o livro e o filme meio que se completam, mas a estória é ótima.
Assisti ao filme e depois que li o livro, sugiro que façam o contrário, mas tudo bem se você já tiver assistido, vale muito à pena.

A estória toda acontece na aldeia de Daggohorn.

Valerie sempre foi uma garota diferente, queria até ser parecida com as outras meninas, mas não tinha jeito.

Ela tem uma irmã mais velha, a Lucie, que é considerada a perfeita por ela, mas que achei isso um tanto exagerado, me irritou um pouco como Valerie idólatra a irmã, coisas como; a mais bela, a mais delicada, a que todos amam... Aff é um pouco demais, hehe.

As irmãs têm três ‘amigas’, que achei até um pouco engraçado, considerando os fatos que ocorrem. Elas são Rose, Roxanne e Prudence. E estão ansiosas para ir à colheita.
A maioria dos camponeses iria trabalhar na plantação, aonde também viriam rapazes de outras aldeias.
Daggohorn é um lugar humilde e as meninas também teriam que ajudar, sendo que com segundas intenções, pois querem mesmo é arrumar pretendentes.

Valerie vê alguns rapazes, mas ninguém lhe atrai. Não conhecia o amor, mas isso estava prestes a mudar.
“Anos mais tarde, ao se lembrar desta manhã, ela não tinha certeza do que a fizera erguer o olhar novamente, alterando o rumo de sua vida para sempre – ela sempre dissera que havia sentido algo no canto dos olhos, obrigando-a a olhar quase como se alguém tivesse dado um tapinha no seu ombro para fazê-la se virar. Ao levantar os olhos, viu um jovem de cabelos escuros, estonteante de parar o coração.” Pág. 39
Valeria fica perdida, completamente abalada. Aquele rapaz só podia ser Peter, seu melhor amigo que havia partido anos atrás misteriosamente.

E é aí que as coisas esquentam!
A aldeia toda teme o lobo, havia anos que faziam sacrifícios de animais para apaziguá-lo, mas naquela primeira noite de colheita, pairava no céu a lua de sangue, e o lobo ataca!
Há uma morte (que eu não vou dizer qual é), todos ficam com medo, tudo está prestes a mudar.
Em meio a tudo isso, Valerie e Peter ficam perdidamente apaixonados (fofo).

Para completar, Solomon chega à aldeia, o caçador de lobisomens não está para brincadeiras, mas ele nem imagina com o que está lidando. Solomon põe todos contra todos e o clima fica ainda pior, qualquer um pode ser o lobo!

Valerie percebe que tudo começou depois que Peter chegou, mas isso só pode ser uma coincidência...

Galera, o pessoal fica com medo da própria sombra e isso gera um suspense danado!
A única pergunta é... Quem será o lobo?
comentários(0)comente



194 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |