A Redoma de Vidro

A Redoma de Vidro Sylvia Plath




Resenhas - A Redoma de Vidro


446 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Ester 27/01/2021

Num sei
Esse livro foi, para mim, ótimo e péssimo. Ainda estou tentando absorver e entender o que ele me causou.
É meio que uma autobiografia, não da vida inteira, mas de parte e isso tira o formato que estamos acostumados dos 3 atos: introdução, desenvolvimento da problemática e conclusão. E eu, sinceramente, não sei dizer se foi genial ou um problema para mim...
Mas a história.... que história... é louco como parece que a protagonista não divide nada com vc mas ao mesmo tempo conta tudo o que rola. Eu me senti perdida ao tentar entender porque ela sentia o que sentia, mas bem... eu não tenho depressão então eu acho que eu nunca conseguiria entender completamente nem se ela descrevesse com infinitos detalhes.

Acho que foi um bom livro então kkkkk não sei... talvez eu mude a nota depois de pensar mais sobre o livro.
comentários(0)comente



Ka 27/01/2021

Que grande bagunça era o mundo!
Queria poder falar que recomendo esse livro pra todo mundo. Mas seria muita hipocrisia achar que é um leitura prazerosa pra todo mundo. Recomendo para quem consegue ler sobre distúrbios mentais sem que isso faça mal. Sem dúvida é um livro ótimo, de uma escrita impressiona que nos carrega com facilidade e com personagens cativantes, mas não posso deixar de alertar para gatilhos sobre assédio, depressão e correlatos.

Esther é uma moça simples e inteligente - a ironia em pessoa, eu diria. Sua história começa qiando ela ganha uma bolsa para a universidade e um estágio em uma revista feminina em Nova York. Ao longo de seu ano ela tem experiências únicas, compra (e ganha) roupas da moda e vive o sonho das garotas da época. Aos poucos, Esther vai percebendo que certas situações a fazem reagir de forma diferente, que não se encaixa no padrão estipulado e que algo a sufoca. Esse é o início de um período difícil, denso e até desafiador.

Não nego que é um livro expetacular. Sylvia Plath nos convida a ver o mundo de dentro dessa redoma de uma forma espontânea e que nos prende ali, com Esther. Ela nos traz uma escrita delicada e dá vida a cada palavra, uma visão feminina de situações cotidianas da época. E o contexto é apresentado ao longo da trama, com todas suas revoluções e problemas sociais.

O que impressiona são os mínimos detalhes da doença que consomem a personagem - quando menos esperamos, a redoma faz mais pressão ali. Talvez a melhor definição seja a que a própria autora traz: "Para a pessoa dentro da redoma de vidro, vazia e imóvel como um bebê morto, o mundo inteiro é um sonho ruim".

Queria ficar aqui falando sobre essa obra até esgotar tudo que pensei, mas vou me segurar. É um livro ótimo, que até tirou algumas risadas, lágrimas e muitas - inúmeras, reflexões. Recomendo o seguindo meu aviso do começo dessa resenha e aconselho uma pesquisa sobre a vida de Sylvia e sobre o contexto do livro para entender melhor tudo que acontece aqui.
comentários(0)comente



Lí­lian 26/01/2021

Q livro incrível, MTA gente me indicou esse livro, até q li e vou levar pra sempre TD q aprendi nele. O pensamento real de um suicida, só outro suicida entenderá. Posicionamento de uma mulher sedenta por mudanças.
comentários(0)comente



Lhuzileide Christinny 26/01/2021

é incrível como a autora consegue transmitir as emoções sentidas e narradas pela protagonista ao longo da história com veracidade e sutileza, fazendo com que o ponto de vista desta seja compreendido.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Thais 25/01/2021minha estante
esqueci de acrescentar: nota sujeita a alteração




spoiler visualizar
comentários(0)comente

Thais 25/01/2021minha estante
esqueci de acrescentar: nota sujeita a alteração




Mariana 25/01/2021

Perfeito
Um dos melhores livros que já li. Plath é genial e muitas vezes as palavras de Esther pareciam ser meus próprios pensamentos
comentários(0)comente



Miguel 22/01/2021

Sempre tive um pouco de receio em ler "A redoma de vidro", mas vencido esse obstáculo... descobri que não era nenhum bicho de sete cabeças. De fato é uma história um pouco pesada em alguns momentos, mas é uma leitura muito boa!
comentários(0)comente



Wander.Kceniuk 22/01/2021

Livro incrível, aborda os dilemas emocionais e psicológicos da protagonista Esther, ou da própria autora, de uma maneira sincera e intensa, aprofundando aos poucos no decorrer da leitura, até que o leitor se sente preso na "redoma de vidro", inclusive a narração em primeira pessoa colabora muito pra isso. Curiosidade: fiquei muito feliz porque consegui encaixar esse livro na minha redação do ENEM ?
comentários(0)comente



Fernanda.Avila 21/01/2021

Romance envolvente
O tipo de livro totalmente envolvente que algumas vezes pegava pra ler e decidia que leria só 03 páginas porque estava muito cansada (só pra não perder o hábito) e quando me dava conta já tinha lido mais de 30. Sabe quando a leitura é fácil mesmo que a história seja dura?! Esse livro é assim. Além disso tem todo o contexto, da história incrível de uma moça com problemas de saúde mental bastante graves (que é algo que me intriga muito e me chamA muito a atenção) e a crítica embutida sobre a posição social da mulher e as suas escolhas é essencial.
Ganhei de dia das mães do marido maravilhoso que eu tenho e, já que mencionei escolhas das mulheres, preciso dizer que fiz a melhor escolha da minha vida ao me casar com esse homem incrível que é o Axé, que escolhe livros sensacionais como esse para mim e sempre me apoia em absolutamente todas as minhas escolhas (até as meio malucas).
comentários(0)comente



thaw 21/01/2021

uma leitura extremamente fluida e angustiante ao mesmo tempo. se você, assim como eu, já se sentiu sufocada por expectativas e/ou sem perspectiva de futuro, vai se identificar ao menos um pouco com essa personagem. entretanto, é importante atentar-se aos diversos gatilhos antes de embarcar nessa leitura.
comentários(0)comente



Marquito â¤ï¸ 21/01/2021

Todos vivemos em uma redoma de vidro?
Sim, com toda certeza. Nossa vida é marcada por momentos e estradas veementemente marcantes, que, diretamente, podem abalar nossa trivial mente. Esther provou isso muito bem. Esther, não. Sylvia Plath ao longo de sua narrativa complexa e bela o fez. E, justamente por sentir tanta veracidade nessa obra, os digo: maravilhosaaaaaaaaa! Sim, uma narrativa muito bem idealizada e escrita, pois, a partir dos devaneios da protagonista, a autora nos colocou diretamente em sua mente triste. Parabéns, Sylvia! Esse é uma obra magistral. Ademais, ainda que o final não seja do agrado da maioria, agradeço a oportunidade de nós, meros leitores, defini-lo. Esther Greewood já marcou para sempre o as personagens femininas da literatura mundial. Um verdadeiro êxito!
comentários(0)comente



Júlia 20/01/2021

fantástico.
Acredito que para gostar do livro você precise ou 1) ter algum transtorno mental/emocional ou 2) se interessar profundamente pelo tema. Eu me enquadro nos dois pontos e achei o livro sensacional. É de uma crueza e sinceridade ao tratar das emoções que considero impossíveis de serem escritas a menos que você tenha vivido algo semelhante, que é o caso da escritora, Sylvia Plath, que tentou suicídio várias vezes ao longo da vida e por fim se matou. É um livro intenso, e que por tratar de um assunto tão sério de modo tão explícito, possui muitos prováveis gatilhos. Eu precisei fechar o livro pra respirar fundo diversas vezes, mas sem dúvidas é uma leitura extremamente sensível em que o real aproveitamento depende acima de tudo do leitor.
comentários(0)comente



Yo 18/01/2021

Esther não merecia a sociedade em que viveu
A escrita simples faz com que a leitura seja rápida e ainda mais envolvente. Mais especificamente da metade do livro em diante, senti uma grande empatia pela personagem da Esther, a vontade é de "salvar" ela daquele meio opressor e infeliz
comentários(0)comente



AdemarSilveira 17/01/2021

A Redoma de Vidro - Sylvia Plath - Nota 7,5/10
Confesso que eu fiquei um pouco decepcionado com a leitura, talvez seja porque por muitos anos eu ouvi falar tão bem desse livro que acabei criando muita expectativa. Porém eu entendo o porquê de muita gente amar o livro.

O livro conta praticamente uma auto-bibliográfica da autora, contando a historia de Esther Greenwood uma garota estudiosa de Boston que consegue uma bolsa de estudos para uma grande universidade em Nova York e um estágio em uma revista feminina. Ela de repente se vê em um mundo de juventude, liberdade e sofisticação com o qual não está acostumada, e não sabe o que fazer com isso.

Escrito em 1963, "A redoma de vidro" traz os temas da depressão e do suicídio numa época em que os tratamentos psicológicos e psiquiátricos ainda eram extremamente agressivos. Esther fala de suas apreensões, de seu sentimento de vazio de forma crua, sem filtros. A lenta queda da protagonista na depressão, suas diversas tentativas de suicídio e os tratamentos pelos quais passa são bastante chocantes e podem despertar alguns gatilhos emocionais. Mas acredito que oferecem uma visão para a qual poucas vezes damos atenção, isto é, a visão de quem está vivendo isso.

O estilo não me agradou, de modo geral, achei o livro sem graça, mas é muito fácil de ler, flui com muita tranquilidade, mas esse ambiente classe média americana é muito tedioso.
comentários(0)comente



446 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |