Para Sempre Alice

Para Sempre Alice Lisa Genova




Resenhas - Para Sempre Alice


260 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Ester 29/05/2020

Sinceramente, eu chorei horrores lendo esse livro. Essa leitura flui de uma maneira... E quando você se depara, lá está você, mergulhando livro a fora.
Me encanta a forma que Lisa trouxe a história de Alice. Como ela mostra o quão importante são os laços familiares, e que a vida deveria ser vivida intensamente. Eu simplesmente ADOREI. Ainda estou tentando discernir essa leitura. E já espero por mais livros desta autora.
comentários(0)comente



Bru.knutz 25/05/2020

Ótimo!!
Amei e indiquei pra todas as minhas amigas!! Além de um ótimo livro também traz bastante conhecimento sobre Alzheimer, impacto psicológico/social para quem tem e também para a família. Recomendo!
comentários(0)comente



Manuela.Cavalcanti 24/05/2020

Precisamos falar sobre o Alzheimer!
[SPOILERS LEVES]

Para Sempre Alice é um livro extremamente delicado ao olhar o Alzheimer e a trajetória com que a doença afeta a vida do paciente e da família e de amigos próximos. Realmente, a doença mental reformula a vida de todos aqueles que vivem ao redor, seja do marido que precisa cuidar da esposa, quanto dos filhos que se deparam com a dúvida "será que o gene do Alzheimer também está em mim?".

O mais admirável do livro, no entanto, é a maneira com que a autora Lisa Genova trata de encarar a doença nas páginas do seu livro. Alice, personagem principal, é diagnosticada e em todo o período vemos como ela luta contra os esquecimentos e os lapsos de memória. É agoniante, revoltante de ver, mas, ao mesmo tempo, é igualmente importante entender que não se pode desistir. Pessoas diagnosticadas ainda no primeiro estágio do Alzheimer são instantaneamente tratadas como "incapazes", mas serão elas mesmo? Alice consegue perceber quando cochicham sobre ela, consegue ver a repulsa do marido em algumas situações (o distanciamento amoroso) e entre outros detalhes que mudam na sua vida. Para fechar com chave de ouro o discurso da personagem no final é simplesmente perfeito.

É tocante e confesso que me senti um pouco abalada ao ler o livro, precisei pausar a leitura algumas vezes e me recuperar psicologicamente. Acredito também que, quem se interessar pelo tema, deve assistir a um documentário chamado "Vivos Por Dentro". É perfeito!
comentários(0)comente



Manuela.Cavalcanti 24/05/2020

Precisamos falar sobre o Alzheimer!
[SPOILERS LEVES]

Para Sempre Alice é um livro extremamente delicado ao olhar o Alzheimer e a trajetória com que a doença afeta a vida do paciente e da família e de amigos próximos. Realmente, a doença mental reformula a vida de todos aqueles que vivem ao redor, seja do marido que precisa cuidar da esposa, quanto dos filhos que se deparam com a dúvida "será que o gene do Alzheimer também está em mim?".

O mais admirável do livro, no entanto, é a maneira com que a autora Lisa Genova trata de encarar a doença nas páginas do seu livro. Alice, personagem principal, é diagnosticada e em todo o período vemos como ela luta contra os esquecimentos e os lapsos de memória. É agoniante, revoltante de ver, mas, ao mesmo tempo, é igualmente importante entender que não se pode desistir. Pessoas diagnosticadas ainda no primeiro estágio do Alzheimer são instantaneamente tratadas como "incapazes", mas serão elas mesmo? Alice consegue perceber quando cochicham sobre ela, consegue ver a repulsa do marido em algumas situações (o distanciamento amoroso) e entre outros detalhes que mudam na sua vida. Para fechar com chave de ouro o discurso da personagem no final é simplesmente perfeito.

É tocante e confesso que me senti um pouco abalada ao ler o livro, precisei pausar a leitura algumas vezes e me recuperar psicologicamente. Acredito também que, quem se interessar pelo tema, deve assistir a um documentário chamado "Vivos Por Dentro". É perfeito!
comentários(0)comente



Duda 22/05/2020

É uma história muito interessante que te prende do começo ao fim
comentários(0)comente



Will 20/05/2020

Emocionante!
Pra quem gosta de drama, super indico!
Ver o avanço da doença e como aos poucos ela vai esquecendo das coisas, e lutando contra a própria cabeça, é uma lição de vida para o leitor.

Tudo é contado e expressado de forma muito realista, às vezes eu queria falar pra ela e ajudá-la a encontrar as palavras esquecidas ou até mesmo soprar ações que ela esquecia, como esquecer aonde fica o banheiro de casa.

"Como posso me perder na minha própria casa?" (pag.145)
comentários(0)comente



Bethânia 17/05/2020

Sensível e edificante
Livro muito semelhante ao filme. Sensível na medida certa, sem ser ?piegas? ou apelativo. Além disso, traz grandes emoções especialmente a quem, como eu, vivenciou um caso de Alzheimer na família. Recomendo a leitura!
comentários(0)comente



VitAria.SAlva 14/05/2020

Um livro incrível que retrata um ponto de vista de uma pessoa que sofre de Alzheimer, realmente impressionante e comovente ?.
E que um dia em nome de Jesus achem um cura para o mal de Alzheimer ?
comentários(0)comente



kali | @arquivo.literario 10/05/2020

Lisa Genova sem defeitos!
"E, quando o fardo da doença ultrapassasse o prazer daquele sorvete, ela queria morrer. Mas será que teria, literalmente, presença de espírito para reconhecer o momento em que isso acontecesse?".
Alice, professora de psicologia em Harvard e mãe de três filhos, é diagnosticada com Alzheimer precoce aos 50 anos e vê a sua vida virar de cabeça para baixo diante da doença. A família, por sua vez, se mostra egoísta e distante no momento em que Alice mais precisa.
Espero que, através dessa leitura, seja possível identificar a importância de falarmos sobre doenças que podem nos afetar ou afetar aqueles que amamos. A autora nos permite viajar nos pensamentos de Alice, sentir sua confusão, seus anseios, a angústia e sua felicidade também.

site: https://www.instagram.com/arquivo.literario/
comentários(0)comente



Lipe 04/05/2020

O livro mais sentimental e melancólico que li
Eu comprei esse livro com intenção de saber mais sobre a doença de Alzheimer e a convivência com ela, já que um amigo muito próximo convivia com uma pessoa que havia a doença, mas ao terminar, recebi um aprendizado para a vida.
O livro, além de ser uma leitura agradável e calma, tem uma estrutura fantástica. Você se põe no lugar da Alice, a protagonista, e se põe no lugar da família dela. O livro é gradual, dando alguns saltos temporais, conseguindo mesmo assim desenvolver a história. Existem momentos de felicidade, tristeza e reflexão. Hora ou outra, escorrem lágrimas em determinados eventos da história, e elas são naturais. São sentimentais.
Depois de terminar o livro, fui assistir o filme para vislumbrar o livro fantástico em um vídeo cinematográfico, mas abandonei o filme pois, de longe, não transmite 70% do que o livro passa. É um livro que eu recomendo a todos.

Obs.: uma música ótima para ouvir enquanto lê é Spiegel im Spiegel, versão piano e violino.
comentários(0)comente



Cy @apenasleitores 22/04/2020

"Meus ontens estão desaparecendo e meus amanhãs são incertos. Então, pra que eu vivo? Vivo para cada dia. Vivo o presente" 📖
Alice Howland professora e pesquisadora de Harvard , mto bem sucedida em sua carreira. Casada com John e com três filhos adultos. Tem uma vida, completamente normal.
.
Perto de fazer 50 anos, Alice começa a perceber que anda se esquecendo de palavras no meio de palestras, onde colocou as coisas. No início coisas sem importância. Até que um dia sai pra correr e se perde e não sabe como voltar pra casa.
.
Ela pensa que pode ser cansaço devido a rotina de trabalho e várias viagens ou até msm a menopausa, e resolve procurar um médico para ajudá-la.
.
Qndo chega ao consultório e conta suas experiências ao médico, ele percebe que não é tão simples como ela imagina. Alice é diagnosticada com um caso precoce de mal de Alzheimer. 🦋 O livro prende do começo ao fim. E vemos a rápida evolução da doença, é um livro que emociona, principalmente qndo vemos a personagem abrindo mão de tantas coisas na carreira que ela conquistou.
.
Uma das coisas que mais me incomodou foi a família de Alice, principalmente John, o marido. Que mtas vezes não viam como o caso era sério e não "ajudavam" como deveria.
.
É uma leitura rápida e ao msm tempo impactante. Vemos Alice ainda "lúcida" com medo do futuro e medo de esquecer seus filhos e seu marido, sua vida. Lisa Genova conseguiu criar uma história onde vc vai pra dentro da história e é impossível não se emocionar com o que se passa. Se eu soubesse que seria uma leitura tão maravilhosa, teria lido antes

site: @apenasleitores
comentários(0)comente



Fabi.Filippo 20/04/2020

Triste demais
Segunda vez que eu leio o livro, e meus sentimentos foram os mesmo de quando eu li pela primeira vez.
Parecia que eu estava dentro da mente de Alice , tão fortes os sentimentos descritos pela autora.
Livro triste demais porém muito bom.
comentários(0)comente



Roberta Kwietniewski 17/04/2020

EMOCIONANTE
Que livro! Linguagem que flui demais, história emocionante e que corta o nosso coraçãozinho. Não vou superar tão cedo
comentários(0)comente



MellNavarro 15/04/2020

"-Sinto saudades de mim.
-Também sinto saudade de você, Ali. Muita.
-Nunca planejei ficar assim.
-Eu sei."
Eu queria ler esse livro desde que assisti o filme aleatoriamente. É um livro muito lindo e delicado. A instalação do Alzheimer é mostrada em todas as suas facetas duras e inocentes até, tudo sendo acentuado pelo fato de ser precoce. É uma leitura emocionante, que ao mesmo tempo que gera apertos no coração, também o aquece. Super, super recomendo!
comentários(0)comente



Mih 08/04/2020

Intelectualmente Vazia
Livro: Para Sempre Alice
Autor:Lisa Genova


Apesar da angústia e tristeza do tema a narrativa e escrita é encantadora, sutil, envolvente, extremamente agradável. Apesar de conter alguns termos técnicos, graças a Lisa Genova que conduz com maestria fantástica fazendo com que a leitura flua de maneira clara, sem dificuldade, assim ela consegue trazer muita informação sem deixar a leitura enfadonha.

"Como posso me perder na minha própria casa" (Pág. 145)

Os capítulos são dispostos por meio de fases datadas, entre um capitulo e outro decorre um certo tempo. A intensão aqui é mostrar o avanço do mal de Alzheimer de instalação precoce. Alice com apenas 50 anos de idade começa a dar sinais de pequenos esquecimentos que avança para quadros maiores como lapsos de espaço geográfico, se perde em percursos que era parte de sua rotina.

As lacunas de esquecimento começa a chamar sua atenção, ela levanta algumas hipóteses de prováveis diagnósticos, foram muitos exames até chegar ao diagnóstico preciso e mais algum tempo para a aceita-lo.

Alice e seu esposo John, pais de três filhos adultos. Um casal respeitado no meio
acadêmico e científico. Uma mulher forte, inteligente, professora de prestígio, que
ocupa a cadeira de psicologia e linguística em Harvard, tida como um cérebro afiadíssimo agora tem que reaprender um novo modelo de vida.

"Conversavam sobre Alice como se ela não estivesse sentada na poltrona, a poucos metros de distância. Falavam dela, em sua presença, como se ela fosse surda. Falavam dela, na sua frente, sem inclui-la, como se ela sofresse de mal de Alzheimer" (Pag. 211)

A trama não tem como objetivo apenas retratar as fases em que a doença vai avançando, mas a dificuldade de aceitação e resistência de familiares e amigos. A rotina da família é alterada, pois Alice agora precisa de cuidados especiais.

Mostrando também a necessidade que o individuo tem de se relacionar, interagir e sentir parte de algo. Assim como o beneficio de grupos de apoio, não só para familiares, mas também para os acometidos pela doença, grupos onde há interação com pessoas que sofrem da mesma doença.

"Teve vontade de dizer que se orgulhava dela. Mas, nesse dia, seus pensamentos
moviam-se devagar do cérebro até a boca, como se tivessem que nadar quilômetros no
lodo negro de um rio antes de chegar à tona para se fazerem ouvir, e a maioria se
afogavam em algum ponto do trajeto." (Pag. 212)

A dificuldade de admitir e enfrentar a realidade de que está tendo uma baixa
rápida considerável e iminente do seu intelecto, fica evidente no tempo que ela leva para se afastar de suas atividades, a corrida que ela trava para conseguir aproveitar o máximo da lucidez que está se esvaindo.

"Emocionalmente cansado e intelectualmente vazia" (Pag. 229)

Me apaixonei pelo livro, e certamente indicaria pela riqueza de reflexões. Ele nos faz pensar sobre o quanto do nosso tempo desperdiçamos em busca do nosso desenvolvimento profissional e da corrida em busca do “ter”. E nos faz refletir sobre como nos voltamos para o que realmente é fundamental quando percebemos que nos aproximamos da linha de chegada.

Todos sabemos que somos instantes, que nosso tempo é breve, mas temos a falsa impressão que podemos controlar algo, que teremos no futuro um tempo onde poderemos curtir a nossa família, amigos, mas o livro com a personagem de Alice nos faz perceber que não temos controle nem garantias, a vida é vivida no dia a dia.

Para mim trata-se de amor, fraternidade, compreensão...

"Sinto falta de fazer tudo com facilidade. Sinto falta de fazer parte do que
acontece. Sinto falta de sentir desejada. Tenho saudade da minha vida e da minha
família" (Pag. 271

site: https://comquallivroeuvou.wixsite.com/website


260 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |