A intimação

A intimação John Grisham




Resenhas - A Intimação


30 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


danielsiqueira 06/09/2010

Esse livro não acaba
Enquanto lia este livro, apreciava muito a história e o mistério. Mas o seu ponto fraco, que põe tudo abaixo é o final. Ou falta dele.
comentários(0)comente



Matheus 28/11/2012

Esse livro me mostrou que John Grisham é um excelente escritor e que seu estilo me chama muita atenção. Esse livro me chamou atenção pelo fato de ser um livro lento, mas a história é deveras envolvente. Nesse ponto, Grisham me ganhou... A forma como é contado faz com que "A Intimação" seja uma excelente leitura, com um enredo muito interessante e bem construído, personagens muito bem caracterizado e com personalidades fiéis e, acima de tudo, um final surpreendente e uma história bem construída. Vale muito a pena lê-lo.
comentários(0)comente



Helder 22/02/2010

Um John Grisham diferente, leve e que te faz pensar
Ao ser chamado por seu pai para um encontro, rapaz encontra-o morto e na casa, em caixas, encontra 3 milhoes de dolares. De onde teria vindo aquele dinheiro. O Juiz sempre pregou uma imagem de total honestidade, e além de não ganhar muito, ainda doava grande parte do que ganhava. Seria o juiz corrupto? Teria ganho o dinheiro no jogo? O dinheiro é sujo? O que fazer com este dinheiro todo? Revelar ao governo sua existencia e ter que pagar impostos e ainda dividir com seu irmão viciado? Como guardar tanto dinheiro assim?
O livro nos faz entrar na pele do personagem principal e nos perguntarmos o que fariamos se fossemos ele.
E enquanto ele se corroi com estas duvidas, fica claro que mais pessoas sabem da existencia do dinheiro, e que farão de tudo para pega-lo.
No final, quando descobrimos o que realmente está acontecendo, fic a a duvida: Quem é o mocinho e quem é o bandido? Somos preconceituosos e egoistas, ou agimos com razão?
Leia e questione-se. No meu caso, terei feito muito parecido com o que ele fez. Só não ficaria carregando o dinheiro para lá e para cá, pois afinal estamos no Brasil.
Mauro 24/06/2012minha estante
Sua opinião valeu muito a pena. Concordo quando você diz: "No final, quando descobrimos o que realmente está acontecendo, fic a a duvida: Quem é o mocinho e quem é o bandido? Somos preconceituosos e egoistas, ou agimos com razão?"




Marlon Teske 27/10/2010

Três milhões de motivos pra ler.
A Intimação é um livro diferente do primeiro tomo que li do autor, tanto pelo fato de ser uma história de ficção e não verídica, quanto pelo próprio esquema narrativo. Esse é um romance. Ainda com advogados e causas jurídicas, mas ainda assim um romance. E eita que história bem contada.

Ray Atle é professor de direito em uma conceituada universidade, divorciado ( a mulher o trocou por outro mais rico ) que tem como hobby pilotar aviões nos fins de semana, alugando um velho aparelho para umas voltas. Ele e o irmão mais novo - viciado em drogas desde a adolescência - tiveram atritos com o pai, o Juiz Atle de uma cidadezinha fim de mundo, e cada qual foi viver sua vida.

Em dado momento, Ray recebe uma carta do velho pai pedindo que ele e o irmão comparessam até Maple Run ( Maple Ruin, de acordo com o protagonista ), a casa onde viveram por parte de suas vidas. Esta, datilografada pois o velho juiz não gostava de modernismos, especificava diretamente do que se tratava. Ambos deveriam comparecer para acertar os detalhes legais do testamento do velho juiz.

Ray pede alguns dias de folga do trabalho, entra em seu carro esporte e dirige oitocentos quilômetros até o ponto de encontro. Lá chegando, dá de cara com uma cena inusitada. Seu velho pai, vestido, de banho tomado e barbeado está sentado no centro do escritório, morto. As mãos cruzadas diante do peito.

E, embaixo da estante, perfeitamente acomodados e intocados dentro de caixas de papel de carta, três milhões de dólares em notas de cem e um testamento dizendo que tudo o que ele possuia deveria ser repartido meio a meio entre os dois filhos. O detalhe: o único que sabe da fortuna é o próprio Ray.

Dali pra frente a história avança. E, como já disse, que história bem contada. A tentação de ficar com todo o dinheiro, o dilema de entregar ou não um milhão e meio de dólares para um irmão viciado e descontrolado e por fim: de onde diabos saiu a grana se o juiz valentão nunca havia aceito suborno, nunca havia declarado uma fortuna como aquela e que jamais em toda sua vida chegou perto de ganhar um terço daquela quantia.

Vão correndo ler!

Lido em Fevereiro/2008
comentários(0)comente



Rita Nunes 26/10/2012

Esse é um livro bem adulto, digo isso porque costumo ler de tudo, inclusive livros infantojuvenis, e esse é o tipo de livro que os mais inexperientes achariam "parado demais". O livro trata de um homem diante de um dilema moral, e sua decisão acaba colocando em risco sua vida. É escrito com maestria, tanto que é quase inevitável pensar: e se eu estivesse no lugar dele? Quando o personagem, Ray, relaxa, mais alguma coisa acontece que o leva novamente ao estado de apreensão.
Só posso dizer que é um excelente livro. Leitura forte e envolvente.
comentários(0)comente



Juh_Oliveira 29/02/2012

Sinceramente, esperava mais ação, e detesto o tipo de final que realmente não termina, e vc fica naquela "O que será que acontece dpois". Mas mesmo assim, gostei do livro.
Rina 13/08/2012minha estante
faço das suas palavras as minhas


Luciana 22/12/2012minha estante
Eu achei muito parado e monótono, com um final bobo. Não recomendo.




Silva Júnior 27/06/2010

John Grisham é sempre um leitura agradável...
Com um final surpreendente, este livro serve como uma lição de moral e de como julgamos os outros pelas aparências.

Também segue a linha do autor ao mostrar os meandros da justiça com a corrupção de juízes e advogados.

Se comparado com os outros livros de John Grisham que já tivemos a oportunidade de ler, colocamos este em terceiro lugar. Mesmo assim vale a pena ler e por isso, EU RECOMENDO.
comentários(0)comente



Kellen 12/02/2010

É um livro fácil de ler... te deixa um pouco curioso, mas, apesar de amar John Grisham, acho que faltou um pouco mais de envolvimento do personagem principal com os demais personagens... por isso dei 3 estrelas... na minha opnião faltou um "entrosamento" maior entre os personagens.
comentários(0)comente



Cília 26/06/2012

Não gostei e olha que adoro John Grishan.
Para mim este é o pior livro do autor. Monótono e repetitivo.
Um juiz intima seus dois filhos Forrest e Ray a comparecer em determinado dia e hora em sua casa para conhecer os termos de seu testamento, já que está morrendo. Quando Ray chega encontra-o morto e várias caixas contendo 3 milhões de dólares. O que fazer com o dinheiro? Seu irmão é um viciado em drogas, seu pai sempre foi um homem honesto, de onde surgiu essa dinheirama? O livro tinha tudo para ser bom mas o leitor passa metade do livro viajando de avião, jogando em cassino e correndo para se exercitar.
Luciana 22/12/2012minha estante
Concordo exatamente com tudo que disse, não gostei da leitura.


Fabi 24/12/2012minha estante
Estou lutando pra chegar ao final do livro, e olha que sou fã do John.... mas esta história não me prendeu... uma pena!




M. Scheibler 28/05/2014

Terceiro livro que leio desse autor e posso considerá-lo o mais fraco. A trama até segue de uma forma coesa, mas o final é vazio. A sinopse nos faz achar que uma grande coisa fez com que o pai do personagem principal tivesse milhões de dólares guardados em casa, mas fica um pouco obscura a resolução do mistério.

A maneira como John Grisham mostra os bastidores do mundo jurídico continua sendo o ponto forte de seus livros, mas nessa obra o trabalho ficou abaixo da expectativa.

Os personagens não empolgam e isso tira o embalo do livro. Quando se imagina que o final pode salvar, eis que surge uma indefinição ou falta de clareza.
Roberta 14/03/2018minha estante
Exatamente a minha opinião!




Patricia Peres 08/04/2013

Muito blá blá blá pra pouca história
Ainda bem que o livro é fino e consegui ler rápido, pois é muita enrolação. Se fosse retirar tudo que não agrega à história, sobraria menos de um terço do livro! É o primeiro livro que leio do autor. Achei que ele escreve bem, foi uma leitura fácil, porém na minha opinião a história foi fraquíssima.
comentários(0)comente



Fernanda 26/09/2013

A intimação - John Grisham
Inicialmente o enredo é fascinante, é envolvente e desperta curiosidade. Oque você faria se encontrasse 3 milhões de dólares do aparador da velha casa de seu pai, que acabara de falecer? Bom a história se desenrola a partir deste ponto. O motivo pelo qual classifiquei o livro com 3 estrelas, foi pelo fato que como uma brilhante história o livro desperta muitas incertezas e fatos pequenos podem despertar certo poder investigativo em nossas mentes. Mas não se mostrou tão surpreendente no decorrer da história, se tornando um pouco monótono. O final me surpreendeu, achei bem interessante a inversão que ocorre. John Grisham escreve com certo manuseio e isso faz com que nos viciamos.
comentários(0)comente



Andreas 29/03/2014

podia ser melhor!
um livro com incrível potencial, mas não tão bem desenvolvido, pois mescla um bom suspense com uma monotonia admiravelmente não percebida por seu autor, se mostrando mais um passatempo do que uma boa leitura.
Os personagens são bem descritos, o cenário também, mas a ação do livro tarda a aparecer e tem sua espinha dorsal num assusto que fica repetitivo com o decorrer da história e faz do livro regular.
comentários(0)comente



Teo 07/06/2014

'A Intimação' demora a envolver, mas quando o faz mantém o leitor curioso para com sua resolução. Não se tratando de uma "obra de tribunal" (como a maioria das obras de John Grisham adaptadas para o cinema), percebe-se uma conotação mais pessoal neste 'A Intimação' e isto é um diferencial positivo. O desfecho pode até soar simplista, mas a jornada de leitura faz os possíveis equívocos da obra valerem a pena. Por fim, este foi um bom primeiro contato com a literatura de Grisham.
comentários(0)comente



Margarida 11/08/2013

Ambição em família
A história envolve o espólio de uma juiz aposentado. Uma família reduzida a dois herdeiros: um filho mais velho - Ray Atlee - advogado, professor de uma universidade conceituada, divorciado, sem filhos, com bom salário e, o filho caçula - Forrest Atlee - sem profissão, viciado, levou a vida entre clinicas de recuperação e recaídas, casado com obesa de 150 Kg.

Ray encontra seu pai morte de uma forma deprimente, considerando a casa suja, sem qualquer tipo de manutenção, morto em seu escritório, ligado a morfina, certamente para reduzir suas dores de um câncer descoberto menos de seis meses.

Ali Ray encontra seu testamento nomeando-o como inventariante e, para sua maior surpresa, escondido em seu escritório em caixas de papelões ele vê em notas de USD 100, importância vultuosa, que o assusta, considerando a vida que seu pai se levou de honestidade, ética e doando tudo que recebia para os menos afortunados.

Antes que qualquer outra pessoa possa chegar, sabendo que seu irmão Forrest logo chegaria, afinal estava ali por um chamado do pai para uma reunião familiar, esconde as 27 caixas na área de serviço.

Ray não conta a ninguém, nem mesmo a seu irmão, sobre o achado e, resolve investigar para descobrir a origem de todo aquele dinheiro, começa a duvidar da honestidade do pai, questionar-se se incluiria ou não no espólio, sabedor da incidência dos impostos.

Outra dúvida assolava Rey, ora se dividisse com seu irmão, tinha a certeza, que este se mataria em meios as drogas que sempre o fizeram a inúmeras recaídas.

O sossego de Ray acabara exatamente na noite da morte do pai, pois começara a ser perseguido não se sabe por quem, mas com certeza era em função dos milhões encontrados.

Ao longo da investigação as respostas são dadas e, Ray passa a ter a certeza da ética, honestidade e vida digna que seu pai vivera e, por outro lado a descobrir as mazelas que sempre envolve o Poder Judiciário, no entanto, a maior descoberta será quem está por trás da perseguição implacável que sofre durante todo tempo.

Uma história envolvente que nos leva analisar as questões profissionais, familiares, de amizade, e, principalmente como proceder durante nossa existência para com os nossos entes queridos.
Margarida 11/08/2013minha estante
Gostei, considerando as questões envolvidas, como velhice, morte, espólio, questões de divisão de bens e, conflitos pessoais. Além, é claro, de falar das questões de bastidores de julgamentos de causas indenizatórias.


Denis Silva 19/12/2013minha estante
Margarida, sobre bastidores de julgamentos de causas indenizatórias, recomendo outro livro de John Grisham chamado "Os Litigantes". Livro Sensacional. Fui!!




30 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2