Libertinagem & Estrela da Manhã

Libertinagem & Estrela da Manhã Manuel Bandeira




Resenhas - Libertinagem & Estrela da Manhã


24 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Patrícia 24/02/2021

Vou-me embora pra Pasárgada
Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada

Um clássico!
Livro de leitura rápida e prazeirosa
comentários(0)comente



laura_sp 11/08/2020

Não faz meu estilo
Esses poemas não me fazem querer continuar lendo, talvez, eu não saiba apreciar tal escrita e texto. Alguns me fazem dar um risinho, outros me passam uma história ou me deixam intrigada. Mas foi bom ler algo ?diferente?, fora da minha zona de conforto.
comentários(0)comente



Sara Muniz 19/04/2020

RESENHA - LIBERTINAGEM
Libertinagem é um livro de poesias de Manuel Bandeira, publicado em 1930 e que revela a procura e o alcance do autor de se "libertar" através da lírica modernista.

Manuel Bandeira se descobriu tuberculoso aos 16 anos, desde então, ele esperava pela morte todos os dias, e essa espera lhe acompanhou por toda a sua trajetória até os 82 anos.

O começo de sua produção poética ainda era pré-modernista, pois se prendia a movimentos anteriores, como o simbolismo e a segunda fase do romantismo brasileiro, mas logo ele migrou de vez para o modernismo, desejando romper todos os padrões e fazer parte da vanguarda, como ele deixa claro no poema "Poética":

...

Em Libertinagem, todos os poemas são modernistas e buscam se "libertar", como o próprio título da obra sugere. Chega de rimas, de métricas e de formas. Manuel Bandeira faz poemas sobre Recife (sua cidade natal), sobre Belém, personagens nordestinos, relacionamentos e sobre a vida de um jeito inovador, libertando-se de quaisquer parâmetros.

Claro que não posso deixar de citar o maravilhoso poema "Vou-me embora pra Pasárgada", que também está na obra:

...

O autor não estava na Semana de Arte Moderna em 1922, pois ele previa que falariam mal dos parnasianos, e ele cresceu lendo Olavo Bilac. Logo, ele achou que seria mais respeitoso não comparecer, por mais que sua poesia tenha sido lida no evento.

Libertinagem é a demonstração mais clara e simples do que foi o Modernismo na poesia brasileira.

PARA A RESENHA COMPLETA COM TRECHOS E IMAGENS DO LIVRO, ACESSE MEU BLOG:

site: http://interesses-sutis.blogspot.com/2018/05/resenha-libertinagem.html
comentários(0)comente



Mariana 05/04/2020

quero antes o lirismo dos loucos
Não gosto muito de comentar sobre livro de poesia porque acho que talvez as interpretações podem ser compartilhadas mas as experiências são muito próprias. Tem poema que você gosta, tem poema que você não gosta, tem poema que te faz chorar!!!!

Pra mim, Manuel Bandeira é (com o perdão dos letristas e entendedores) um tio inteligente, divertido, que nos brinda com poemas sobre existência, brasilidade, saudosismo, literatura.

"- Meu pai, ah que me esmaga a sensação do nada!
- Já sei, minha filha... é atavismo.

E ela reluzia com as mil cintilações do Êxito intacto."

Recomendo bastante.
comentários(0)comente



Biblioteca Álvaro Guerra 11/01/2019

Libertinagem, publicado em 1930, é composto por 38 poemas. O primeiro deles é “Não sei dançar”, uma espécie de resumo poético dos temas que o livro vai apresentar, são eles: reflexões sobre a vida, o país e o fazer poético, bem ao gosto do modernismo pós Semana de 22.
site: http://educacao.globo.com/literatura/assunto/resumos-de-livros/libertinagem.html

Livro disponível para empréstimo nas Bibliotecas Municipais de São Paulo. De graça!

site: http://bibliotecacircula.prefeitura.sp.gov.br/pesquisa/isbn/9788599896327
comentários(0)comente



Biblioteca Álvaro Guerra 11/12/2018

Certas lembranças são assim mesmo, meio inexplicáveis, acompanham o dia-a-dia da gente para sempre. Quando tomei contacto pela primeira vez com a poesia de Manuel Bandeira, sonhei, quase levitei.(...) Poesia que rompe, que ajuda a fixar a nacionalidade brasileira, que consolida as letras e as coisas nacionais, que a gente sente e pode alcançar com as mãos.

-Godofredo de Oliveira Neto
Livro disponível para empréstimo nas Bibliotecas Municipais de São Paulo. De graça!


Livro disponível para empréstimo nas Bibliotecas Municipais de São Paulo. De graça!

site: http://bibliotecacircula.prefeitura.sp.gov.br/pesquisa/isbn/8520917941
comentários(0)comente



Dan 02/04/2017

O lirismo difícil e pungente dos bêbados
"Abaixo os puristas"! Manuel Bandeira é um avant-garde. É poesia da boa. Sempre lembrando do Recife, de Belém e do Rio. É uma libertação na forma de escrever e pensar a poesia. Um tom bem mais coloquial, íntimo . Em "Libertinagem" a criatividade do poeta é mais provocativa, nota-se até pela distribuição dos versos. "Uns tomam éter, outros cocaína. / Eu já tomei tristeza, hoje tomo alegria". Em "Estrela da Manhã" os poemas se aproximam das canções e baladas.
comentários(0)comente



Dan 02/04/2017

O lirismo difícil e pungente dos bêbados
"Abaixo os puristas"! Manuel Bandeira é um avant-garde. É poesia da boa. Sempre lembrando do Recife, de Belém e do Rio. É uma libertação na forma de escrever e pensar a poesia. Um tom bem mais coloquial, íntimo . Em "Libertinagem" a criatividade do poeta é mais provocativa, nota-se até pela distribuição dos versos. "Uns tomam éter, outros cocaína. / Eu já tomei tristeza, hoje tomo alegria". Em "Estrela da Manhã" os poemas se aproximam das canções e baladas.
comentários(0)comente



Adriana Scarpin 23/12/2016

Poética
"Estou farto do lirismo comedido
Do lirismo bem comportado
Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente
protocolo e manifestações de apreço ao Sr. Diretor.
Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário o
cunho vernáculo de um vocábulo.
Abaixo os puristas

Todas as palavras sobretudo os barbarismos universais
Todas as construções sobretudo as sintaxes de excepção
Todos os ritmos sobretudo os inumeráveis

Estou farto do lirismo namorador
Político
Raquítico
Sifilítico
De todo lirismo que capitula ao que quer que seja fora
de si mesmo
De resto não é lirismo
Será contabilidade tabela de co-senos secretário
do amante exemplar com cem modelos de cartas
e as diferentes maneiras de agradar às mulheres, etc.

Quero antes o lirismo dos loucos
O lirismo dos bêbados
O lirismo difícil e pungente dos bêbedos
O lirismo dos clowns de Shakespeare

– Não quero mais saber do lirismo que não é libertação."
comentários(0)comente



eicross 24/03/2016

Libertudo e Estrenada
Eu peguei esse da biblioteca da escola tão logo quanto foi possível por ser do Manuel e ter uma capa ainda mais linda que a do livro anterior que eu havia pego. Agora há uma novidade na biblioteca da escola: só podemos retirar 4 livros por vez, por isso não quis trazer outros do Manuel para este final de semana.


No início do livro há uma crítica muito boa e positiva escrita por Godofredo de Oliveira neto, que achei proveitoso pesquisar e descobri que é um escritor nascido em 1951 e que já ganhou o segundo lugar no prêmio Jabuti, o prêmio literário mais importante do Brasil. Todavia, não era preciso pesquisar para saber que se trata de um homem muitíssimo culto e entendido. Fala sobre a zombaria, ironia, maneira trágica de lidar com o mundo e outras características do autor. "Mais do que sonho, é luta" - escreveu.

Neste de tempo, de 22 a 36, Bandeira publica Poesias, que é a junção de A Cinza das Horas e um novo livro, "O Ritmo Dissoluto", colabora com Klaxon, revista difusora do modernismo, lida com a morte de seu irmão e escreve "Sim, já perdi pai, mãe, irmãos / Perdi a saúde também" no poema "Não sei dançar"; conhece Carlos Drummond de Andrade, viaja a várias cidades que o inspiram a escrever poemas como "Mangue", "Belém do Pará", "Evocação do Recife" e "Oração no saco de Mangaratiba", começa uma publicação semanal no jornal Diário Nacional. Faz piada com a sua doença no poema Pneumotórax, um dos meus favoritos, mostrado abaixo.

Pneumotórax
"Febre, hemoptise, dispneia e suores noturnos.
A vida inteira que podia ter sido e não foi.
Tosse, tosse, tosse.

Mandou chamar o médico:
- Diga trinta e três.
- Trinta e três... trinta e três... trinta e três
- Respire.

..........................................................

- O senhor tem uma escavação no pulmão esquerdo e o pulmão direito infiltrado.
- Então, doutor, não é possível tentar o pneumotórax?
- Não. A única coisa a fazer é tocar um tango argentino."

Libertinagem conta também com lembranças simpáticas do porquinho-da-índia que queria sempre estar debaixo do fogão em "Porquinho-da-índia", insere o negro nos versos com "Irene no céu" e faz a desmistificação da mulher, zombando dos amores, em "Namorados"(abaixo) e "Mulheres", por exemplo, conta com dois poemas em língua estrangeira (francês) e apoia abertamente os versos livres em "Poética"

Namorados
"(...)
Antônia, você parece uma lagarta listada.

O rapaz concluiu:
-Antônia, você é engraçada! Você parece louca."

site: http://nymeka.blogspot.com.br/search/label/Resenha%20-%20ou%20algo%20assim
comentários(0)comente



Elias 12/07/2015

Manuel Bandeira é um dos nossos poetas mais amados (e meu favorito). Consegue a proeza de agradar gregos e troianos: se alguém gosta de poesia, provavelmente gosta de Manuel Bandeira. Aqui estão dois de seus livros mais importantes, aqueles que melhor se encaixam na estética modernista. Mas eu recomendaria a aquisição de Estrela da Vida Inteira, com a poesia completa do grande bardo, pois cada um de seus livrinhos é uma verdadeira pérola da nossa literatura, Libertinagem e Estrela da Manhã são devorados muito rapidamente.
comentários(0)comente



Felipe 16/06/2015

nao peçam mais isso na fuvest...
comentários(0)comente



Glaucia Lisboa 09/05/2015

Poesias corajosas
Não se trata somente de uma coletânea de melhores poemas de Manuel Bandeira. Nestes poemas, o leitor encontrará elementos típicos da primeira geração modernista como versos livres e brancos e aproximação do surrealismo. Manuel Bandeira consegue manifestar sua crítica social em todos os poemas destes dois livros.
comentários(0)comente



Dani 15/12/2013

Não se trata de uma resenha mas apenas um lembrete de um poema que gostei bastante: pensão familiar.:-)
Vinícius 16/12/2013minha estante
gatinhos garçons?




24 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2