O Jogo Perfeito

O Jogo Perfeito J. Sterling




Resenhas - O Jogo Perfeito


54 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Jessica A. 14/03/2015

Vamos lá, comecei a leitura pois uma amiga minha sempre comentou sobre esse livro, que eu iria gostar e tal... mas, se arrependimento matasse, estaria mortinha! Não gostei, forcei totalmente a leitura, diversas vezes queria abandona-lo, só não parei a leitura, pois sou brasileira e não desisto nunca rsrsrs sempre quero continuar a leitura pra achar algo legal, mas com esse livro não aconteceu! Detestei os personagens, o único que gostei um pouquinho foi o Dean, só! Mas o restante... nem chance!
O amor dos dois já começa nas primeiras páginas (what?), tipo rola um draminha e tal, mas é só o cara insistir mais uma vez que a garota já se entrega, e olha que ela detestava até ele respirar do lado dela... juro que rolou nos primeiros capítulos o "eu te amo". E nos últimos capítulos... nem irei comentar, totalmente a autora quis dar uma boa enrolada e tentar fazer alguma drama pra prender o leitor.
Não gostei da premissa, totalmente cansativa.
Tem mais dois livros, com certeza não irei ler!
Se recomendo? Não.
Nota: 2
Fabiane 15/03/2015minha estante
Você foi boazinha. Eu dei uma estrela (o q significa livro ruim) e se alguém me pergunta desse livro eu já logo solto 'é uma b$&ta!'. Ainda fui burra a ponto de ler o segundo pq tinha esperança, e vi várias reviews no GR falando que melhora... Já logo digo de novo'mentira!' Kkkkkk


Jessica A. 15/03/2015minha estante
Fabi tbm achei que fui muito boazinha em dar duas estrelas. Eu não gostei, muito chato! Um dos piores que eu já li. Sem condições de ler o resto!


Lori 15/03/2015minha estante
Esse livro nunca me apeteceu...


Fabiane 15/03/2015minha estante
Sabem pq me apateceu? Eu vi uma enquete gringa, uns 6 meses depois de lançar Belo Desastre aqui, em que esse Jack foi considerado o melhor bookboyfriend disparado. Me bateu a curiosidade pq o Travis ficou em segundo lugar. Durante toda a leitura eu ficava pensando, como? Onde? Nem se compara. Hj eu sei que a tal enquete foi respondida em peso pela família da autora, só pode...


Jessica A. 17/03/2015minha estante
Lori não leia!!! Detestei!
Fabi que enquete mentirosa! Esse livro não tem nada a ver com Belo Desastre, nunca será!


Lori 18/03/2015minha estante
Depois da sua resenha, agora é que eu não leio mesmo....


Jessica A. 19/03/2015minha estante
Não leia mesmo Lori! Tempo perdido!


Raquel Uliana 17/08/2016minha estante
Comecei a ler e estou muito irritada, porque a autora quer correr tanto com a história? Isso faz com que o leitor perca o interesse, pois ela não se aprofunda nos acontecimentos. Tudo é tão rápido que acaba não fazendo sentindo. A gente fica tipo "O que?". Quando rolou o "eu te amo" queria tacar o livro na parede, os personagens nem se conhecem deireito e já se amam?! To pensando seriamente em abandonar.


Jessica A. 18/08/2016minha estante
Raquel esse livro foi um teste com a minha paciência e sanidade. Foi sofrível, personagens chatos e história péssima! Até hoje me dou uns tapas por não ter abandonado ele, aguentei essa lenga lenga até o fim :@
Abandona cara, desapega! Perca seu precioso tempo lendo essa bosta não!


Raquel Uliana 19/08/2016minha estante
Então tá decidido, não vou mais perder um segundo do meu tempo com esse livro porcaria! ?


Jessica A. 21/08/2016minha estante
Isso mulher! Larga esse livro xinfrim!




Kiara 02/04/2015

Indignada com este livro.....
Eu realmente não gostei deste livro, eu lia e parava de raiva sem poder aproveitar a leitura por completo......
Esta mocinha é a tipica chatinha, daquelas que tem sérios problemas de autoestima, é constrangedor ver o quanto ela se humilha sobre Jack "o mocinho" que para mim estava mais para vilão...... Eu torcia profundamente que aparecesse um outro mocinho para ficar com a Cassie, de tão frustrada que eu estava com as coisas que o mocinho fez para ela....

O livro é corrido já nas primeiras paginas com a Cassie se apaixonado pelo Jack e vise versa e começa a se torna lento logo após, com um vai e vem e muito romance do casal, até ai normal para um new adult.......mas já mais para o fim o Jack faz uma "merda" indescritível...... e o livro se torna corrido novamente, com um final acelerado......

A ideia do livro foi passar que o amor perdoa tudo, mas ate quanto vc precisa aceitar este tudo e se humilhar para isto??? Para mim a merda que ele fez, em conjunto com as atitudes que ele tomou logo após o acontecido e o quanto ela sofreu sem ele se quer ser sensível em ajuda-la, foi demais, inimagináveis e sem possibilidade de perdão..........
Era irreal em algumas partes e como ela simplesmente passa por cima de tudo e se joga nos braços dele..........

E por fim eu como quase nunca desisto de uma leitura fui ler o 2º livro, para perceber que realmente eu deveria ter ficado só com o 1º........ o 3º livro então eu nem passarei perto....... O 1º e 2º já foi frustante o suficiente para uma vida.......
comentários(0)comente



Sagas Brasil 30/06/2014

[RESENHA] O Jogo Perfeito
Com um romance que foge do padrão clichê e uma trama que se desenvolve de uma forma bem rápida, O Jogo Perfeito é uma grande promessa no mundo literário. A autora consegue trazer uma obra bem diferenciada e que realmente tem tudo para agradar um grande público de uma obra bem produzida. Os personagens conseguem se desenvolver com maestria ao longo de novas páginas e os detalhes sobre eles e suas decisões estão sempre aparecendo, oque faz o leitor não enjoar do personagem ou perder o interesse em seu enredo. A Faro Editorial está de parabéns por trazer e publicar aqui no Brasil uma obra com um grande potencial.

O Jogo Perfeito narra um impossível romance que acaba se tornando possível. Cassie Andrews é a personagem principal, uma jovem quem havia acabado de ingressar na faculdade Fullton, cursando o curso de Fotojornalismo. Cassie dividia o apartamento com Melissa, sua melhor amiga, cuja qual foi uma das responsáveis por fazer Cassie adentrar nesta faculdade e mudar de vida. As primeiras páginas do livro apresentam essa questão de mudança e de uma nova vida, narrando também os primeiros dia de Cassie em sua nova faculdade e em seu novo interesse a primeira vista, Jack Carter.

Jack é um jogador de beisebol, e por ser um cara bonito, basicamente todas as garotas da instituição eram loucas por eles e muitas delas já haviam o pego, pois Jack era um daqueles caras que pegava qualquer garota só por diversão mesmo e no outro dia a jogava fora. Uma das suas regras de vida era não fazer sexo mais de uma vez com uma mesma garota.

Regras da Cassie para uma vida feliz:
1)Não minta.
2)Não traia.
3)Não faça promessas que não é capaz de cumprir.
4)Não diga coisas que não leva a sério.

Cassie tem uma personalidade totalmente ao contrário da dele e ao ficar sabendo desses seus defeitos ela acabou perdendo o gosto por ele, naquele momento ela queria apenas distância. Mas essa distância acabou chamando a atenção de Jack, ele colocou em sua cabeça que iria conseguir sair com ela, e assim, passou a persegui-la com essa proposta de um encontro, que sempre que possível era negado por Cassie.


Uma das coisas interessante do livro é o que o mesmo é narrado pelos dois personagens principais, Cassie e Jack. E com isso podemos saber o que se passava na cabeça de cada um e descobrir qual era realmente o interesse de ambos.

Em O Jogo Perfeito, aprendemos o quanto é importante persistir nas coisas que temos interesse e que a vida pode ser perfeita em alguns momentos, mas que em outros é preciso ter forças para viver esse extenso mundo cheio de reviravoltas.

O Jogo Perfeito é uma trilogia e o próximo lançamento está previsto para set/out, o segundo livro vai se chamar Virando o Jogo. Já o terceiro livro ainda não tem uma data prevista, mas o seu título provisório é O Jogo mais doce.

site: http://www.sagasbrasil.com/resenha-o-jogo-perfeito/
comentários(0)comente



Vai Lendo 28/12/2017

Um romance puramente humano
Vale a pena desistir de um sonho por amor? Na vida real, quando se quebra a confiança, parece que nada nunca mais será como antes e, muitas vezes, o coração se fecha para evitar ser despedaçado novamente. É preciso coragem e força de vontade para abri-lo outra vez. Especialmente se for para a mesma pessoa. Será que vale a pena investir nesse amor? É possível viver esse amor sem precisar abrir mão de outras coisas? É isso o que descobrimos em "O Jogo Perfeito", primeiro volume da trilogia "The Game Series", escrita por J. Sterling e publicado pela Faro Editorial.

Neste primeiro livro, conhecemos Cassie e Jack, dois jovens universitários com vidas e prioridades completamente diferentes. Enquanto Jack é um astro do basquete na universidade e tem todas as meninas aos seus pés, Cassie precisa batalhar para realizar o sonho de ser uma fotógrafa. Quando Jack é dispensado por Cassie, algo com o qual não está acostumado, ele faz de tudo para conseguir um encontro com ela. O problema é que ambos têm os seus próprios traumas e feridas para cuidar, incertezas e inseguranças. Mas a conexão entre eles aparenta ser mais forte do que qualquer medo, capaz de recuperar os dois corações feridos.

"O Jogo Perfeito" vai além de uma complicada história de amor. J. Sterling fala sobre um amor real, com situações reais e personagens reais. Tão reais que você chora, sofre e se incomoda com eles. Porque Jack e Cassie são muito humanos e erram tanto quanto eu ou você. E é muito fácil apontar o erro dos outros, em vez de olhar para as coisas que nós mesmos já fizemos. Quem nunca sofreu, errou por amor?

Cassie poderia ser qualquer uma de nós. Insegura, com problemas familiares que a impedem de confiar nos outros, porém, obstinada, forte e cheia de sonhos pela frente. Até que Jack cruza o seu caminho e pode colocar tudo a perder. Ou não. Depende do ponto de vista e do que Cassie realmente quer para a sua vida. A maneira como ela conseguia perdoar e, apesar de tudo, continuar muito ligada a Jack me incomodou profundamente. Mas, talvez, seja justamente pelo fato de que, puxa, todos nós poderíamos agir assim, em algum momento, embora a traição, para mim, seja algo imperdoável. Perceber que, ainda que eu não concordasse com as escolhas de Cassie, eu mesma poderia tomá-las, me perturbou bastante. Cassie é um ser humano. Que ama, erra e perdoa.

Jack, por sua vez, é um pouco daquele já batido clichê de atleta popular que não se liga a ninguém intimamente, mas adora acrescentar nomes de meninas à sua lista de conquistas. Até conhecer Cassie. Sabe aquela coisa do cara que jurava que nunca iria se apaixonar, mas acontece e ele resolve mudar? Então, é e não é o caso do Jack (e mais do que isso eu não posso falar). O interessante em "O Jogo Perfeito" é que é Cassie que detém o controle da situação. É por ela que Jack se esforça para fugir do estereótipo e enfrentar os seus próprios fantasmas do passado, que lhe deixaram marcas profundas. No entanto, são esses mesmos fantasmas que levam Jack a fazer escolhas um tanto quanto questionáveis, porém, compreensíveis, de certo modo. É aquela premissa de todo ser humano de querer fazer sempre a coisa que achamos ser a mais certa, mas que nem sempre é o certo para todo mundo e isso pode acabar piorando a situação.

"O Jogo Perfeito" nos faz conhecer Cassie, Jack, além de outros personagens, como Dean e Melissa e os adoráveis avós de Jack. Nos faz refletir sobre amor verdadeiro, escolhas, erros, confiança e sonhos numa mistura de ficção com realidade.

site: http://www.vailendo.com.br/2017/12/08/o-jogo-perfeito-de-j-sterling-resenha/
comentários(0)comente



Vick 12/02/2015

Vem ai um jogo mais disputado do que uma simples partida de beisebol: o jogo de sedução
O Jogo Perfeito é o primeiro livro da trilogia Jogo Perfeito, de J. Sterling. O segundo volume, Virando o Jogo, foi publicado no ano passado pela Faro Editorial. E o terceiro, The Sweetest Game, deve sair ainda em 2015.
É uma série new adult que conta a história do amor conturbado entre Jack Carter, uma estrela do beisebol em ascensão, e Cassie Andrews, uma universitária que o que menos quer em sua vida é alguém que faça promessas que não possa cumprir e que não se entregue de corpo e alma à uma relação. E já que Jack é lindo, sexy e tem um roll de marias-chuteiras atrás dele, desfilando em seus jogos (e na sua cama), sem promessas e sem preocupações, bom... quando ele encontra alguém como Cassie, que o despreza pelo que ele é... Sabe como é, quando não se pode ter o que se mais quer, passa-se a desejar com mais afinco! Não é? E o resultado disso é um romance deliciosamente regado a situações intensas, diálogos afiados e muita turbulência nas "bases"!
A autora J. Sterling é fã incondicional do beisebol (mais precisamente do Los Angeles Dodgers) e foi lá que buscou inspiração para sua trilogia.
-----
Cassie Andrews é uma jovem universitária, linda, confiante e bem resolvida. Mas por causa do próprio pai, ela tem sérios problemas em confiar nas pessoas. Seu porto seguro é sua melhor amiga Melissa, com quem ela divide um apartamento, suas preocupações e seus segredos. O que Cassie menos quer nesse momento é se envolver com alguém em quem ela não possa confiar, que não cumpra suas promessas e que não se entregue de corpo e alma à uma relação.
Entretanto, bastou seu olhar cruzar com o de Jack Carter para que algo acontecesse....


Jack Carter é a estrela do beisebol da faculdade. Sua carreira está em ascensão e não vai demorar para que ele seja contratado por um time maior. Ele é lindo, sexy, idolatrado pelos fãs e tem uma fila de mulheres aos seus pés, prontas para disputar uma vaga em sua cama - e no seu coração. Mas Jack não dorme com a mesma garota uma segunda vez e não quer se envolver com ninguém. O beisebol é sua única e verdadeira paixão.
Entretanto, bastou seu olhar cruzar com o de uma certa loirinha boca dura para que algo acontecesse...
Cassie não tem planos de se apaixonar e nem em entregar seu coração a alguém em que não confie. Ela quer terminar a faculdade e se dedicar a sua verdadeira paixão: a fotografia. Mas, durante uma festa da faculdade, bastou uma troca de olhares com a estrela do beisebol para que um jogo maior fosse travado: o jogo da sedução - ou de gato e rato, melhor dizendo!
ack bem que tentou seduzir Cassie durante seu primeiro contato, mas ela logo o colocou no seu devido lugar. Bem ao estilo: "Ah, você é o tal de Jack Carter... Tá. E daí?!". A aparente indiferença de Cassie só serviu para atiçar ainda mais o interesse de Jack por ela.

E daí por diante, Jack começa, literalmente, a persegui-la. Com ligações telefônicas, indo ao apartamento dela, usando Dean (seu irmão mais novo) como "informante" (pelo menos é o que me pareceu... rsrsrs), a assediando durante as aulas... - para inveja das maria-chuteiras de plantão. Do outro lado, Cassie, apesar de atraída por ele, continua soltando suas farpas (os diálogos entre eles são demais!) e o ignorando quase que completamente.
E dos improváveis, nasce um amor poderoso...
Jack vive com medo de fazer alguma besteira, como antigamente. Daquelas que envolvem bebidas, mulheres, festas regadas a sexo e por aí vai. Mas isso ficou pra trás desde que Cassie entrou em sua vida. Entretanto, um deslize i-d-i-o-t-a coloca o amor deles a prova e a história sofre uma reviravolta daquelas.
Numa relação onde amor e confiança são a chave, Jack e Cassie são levados a colocar seu dramas de lado e tomar decisões maduras quanto ao futuro de suas vidas. Nada é um mar de rosas...

- O livro:
O Jogo Perfeito é um new adult que me agradou. Tem doses adequadas de cenas sensuais (sem ser apelativas), diálogos afiados e drama na medida. É narrado em primeira pessoa, mas a autora alterna os pontos de vista entre Jack e Cassie, permitindo que conheçamos os sentimentos de cada um deles.
A história começa e se resolve no próprio livro. Ou seja, nada de cliffhanger. O próximo da trilogia, Virando O Jogo, aparenta ser um novo "capítulo" na vida do nosso casal.
A narrativa flui, a diagramação é boa e a capa é charmosa. Enfim, a leitura é gostosa, agradável e entretém.

RESENHA COMPLETA NO BLOG DO PAIXÃO POR LIVROS


site: http://paixaoporlivros-vick.blogspot.com.br/2015/01/resenha-o-jogo-perfeito-j-sterling.html
comentários(0)comente



TamiresCipriano 05/07/2014

O jogo perfeito / A jogada perfeita
Quando recebi o e-mail falando desta grande novidade, eu vibrei, a editora apostou em uma ótima obra com certeza.
Sabe aqueles filmes de astros do esporte? Pois é, se gosta este é um bom livro para devorar em até dois dias como eu.

De um lado temos uma menina nada popular e de outro temos o garotão, jogador de beisebol, popular e que deixa as meninas babando.
Mas não para por ai, apesar de terem o "mundo diferente", ao se conhecerem melhor percebem que não são tão diferentes um do outro assim, ou pelo menos a vida deles, os pais...

O jogo perfeito é perfeito, o Jack é perfeito!

Jack Carter é um astro, jogador de beisebol do colégio, ele nunca sai mais de uma vez com uma garota e ainda pega todas as amigas dela.
Desta vez é diferente, não faria isso com Cassie Andrews, a menina que apesar de saber que la no fundo gosta, sempre o deixa no "chinelo" e não da a menor bola para ele.

"Examinei a multidão e me detive, de repente, num par de olhos deliciosos, cor de chocolate. O fato de que os olhos pertenciam a um dos rostos mais belos que já vi era meramente bônus. O rapaz passou os dedos pelos cabelos negros até que eles alcançassem o rosto bronzeado. Sorriu de forma preguiçosa para mim, e eu senti um arrepio percorrer meu corpo." Pág 9.

Cassie cursa o fotojornalismo e divide o apartamento com sua amiga Melissa. Cassie é inteligente e suas fotos são ótimas, tem o talento imensurável.


Jack percebeu que Cassie era diferente das outras garotas, ela era grossa com ele e sempre recebia um "fora" quando a convidava para sair.
Vendo que ele não ia desistir, Cassie se sentiu encurralada e aceitou o convite de sair com ele. Apesar de ambos brigarem muito e o toque dele ter que valer os 25 centavos, conhecem mais um ao outro, conseguem enxergar que eles são parecidos em muta coisa.

Jack era ele mesmo no campo, nunca olhava o público... era sempre ele, o campo e a bola, as coisas mais importantes de sua vida... Até que Cassie invadiu seu coração.

Os capítulos iam passando e eu ficava ora com coração na mão, ora sorria de felicidade e outra, ficava chocada. Alguns personagens do livro me deixaram maluca de raiva!

Acho que mais fofo ainda é o irmão do Jack, tenho quase certeza que ele terá o futuro certo com uma pessoinha que não posso dizer rs.

Gente! Que final, achei lindo demais, muito fofo.
A história ficou impressionante, o enredo te prende de tal forma que não faz parar mais, eu o li assim que chegou em casa em apenas dois dias.
Ah! Não posso me esquecer das piadinhas ao longo do livro, as vezes me pegava sorrindo sem saber o porque, era automático.
Ao fim do livro a autora agradece o Jack Carter (o real) por ter feito tanta burrada para o material de seu livro, e que livro! Claro que quero saber mais no que vai dar esta grande história, fico no aguardo do próximo livro da trilogia.

A capa ficou perfeita, a fonte é de um tamanho excelente e o espaçamento tem o tamanho bom.
Os capítulos são narrados por Jack e por Cassie, isso ficou muito bom, assim sabíamos um pouco de cada personagem.

Não posso dizer que seja para todos os gostos porque não é, mas se te interessou vale a pena ler e descobrir, tire suas próprias conclusões.

Saiba mais no blog:

site: http://de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/2014/07/resenha-o-jogo-perfeito.html
comentários(0)comente



House of Chick 19/09/2014

Cassie Andrews acaba de mudar para a universidade onde sua melhor amiga desde a infância estuda e logo conhece o astro do beisebol Jack Carter, aquele típico homem mulherengo que não se importa o suficiente com nenhuma garota para ligar para ela depois de passarem a noite juntos. Cass sabe suas intensões quando ele se aproxima dela, tratando-o com frieza e indiferença desde o início, tendo certeza de que vai resistir a seus encantos, mas, quanto mais insistente ele fica, ela acaba cedendo um primeiro encontro sem imaginar que isto vai acabar mudando tudo entre os dois, tanto sozinhos, quanto em conjunto. Agora eles vão precisar lidar com muito mais do que previam, e de forma mais intensa. Entre confiança, amor e perdão, esta história só está começando.

Como já comentei em resenhas anteriores, eu gosto bastante da ideia de livros new adult, mas infelizmente são poucos o que realmente me agradam, o que nunca me fez desistir e continuei tentando encontrar algo bom. E agora, depois de mais uma experiência com o gênero, posso ficar feliz por este estar na parte que me agradou, já que eu gostei bastante desta obra de J. Sterling.

A narrativa é em primeira pessoa e intercalada entre os dois protagonistas, e este é meu tipo preferido de narrativa, então ganhou muito pontos positivos comigo. Principalmente porque podemos ver realmente o que se passa dos dois lados da história e o que cada um pensa, então não tem como ficarmos com raiva nem de um nem de outro porque sabemos seus problemas internos e suas motivações para agir de tal maneira. A única coisa que eu fiquei meio sentida é que, em alguns momentos, fiquei com pena de Cass por conta de tanto sofrimento que esta menina passa durante a leitura, tanto por conta de absurdos cometidos por Carter, como por coisas por fora.

Todos os personagens são muito carismáticos e, além dos protagonistas, gostei muito do irmão fofo do Jack, Dean, e dos seus avós. Também adorei a Melissa, melhor amiga de Cassie, muito divertida e alto astral, e confesso que torço para que ela fique com Dean.

Gostei da Cassie, não achei ela uma protagonista chatinha que irrita. Nas primeiras páginas ela passou a impressão de que seria bem diferente, mais solta e provocadora, mas acontece que Cass não é nada disso, pelo contrário, ela é bem centrada, não tem facilidade de confiar nas pessoas por conta de seu relacionamento com o pai, é inteligente e bem humorada.

Ela percebe que Jack é muito mais do que apenas aquela aparência estonteante que faz a grande maioria das mulheres ficarem loucas, e conhece um lado seu que ele reserva para apenas pouquíssimas pessoas que têm a sorte de saber o que passou em sua vida e como isso o afetou. Além de poder ver de perto sua interação com os membros mais importantes de sua família, seus avós que o criaram e seu irmão mais novo.

O que o seu coração diz?
Que importa? Meu coração é tolo. Acredita em qualquer coisa.
Jack sorriu, com o olhar fixo em mim.
Certo. Então, o que diz sua cabeça?
Minha cabeça questiona tudo e não acredita em nada.
Nesse caso, sua cabeça quer provas, e seu coração quer garantias.

Essa é uma daquelas histórias onde a protagonista consegue fazer o cara mulherengo mudar completamente a sua forma de se relacionar com as mulheres, e Cass vê, então, um lado seu romântico e protetor, além de fofo e cavalheiro, com um coração incrível e que se importa de verdade com aqueles que ama, o que faz com que ela não consiga não se apaixonar por ele.

Só que Jack acaba não sendo esta perfeição toda que aparenta ser e, como todo ser humano, erra. E erra feio mesmo, afetando muito tanto a sua felicidade, quanto a dos outros a sua volta, principalmente Cass. Só acho que em alguns momentos Jack precisava ter confiado mais nas pessoas que ama, pois, mesmo com vários empurrões e dicas que eles lhe davam, ele era muito cabeça dura e fazia a Cass sofrer desnecessariamente por ter ideias meio loucas e até absurdas, ou, como aconteceu mais para o final do livro, demorava muito a tomar uma atitude.

E, como Jack sabia da má índole de uma personagem que surgiu em seu caminho, não deveria ter acreditado tão facilmente na palavra dela para nem precisar de provas para isso, já que ele nem a conhecia direito além da má fama. Acho que isso acabou sendo ruim porque ficou um clichê meio forçado ali no meio para dar uma balançada na história de amor do casal protagonista.

Apesar disso, achei interessante que a autora não tenha simplesmente jogado informações sem mostrar o que realmente os personagens pensavam a respeito de tal assunto, ou seja, mesmo achando meio forçada esta atitude de Jack, há uma explicação plausível para ele agir assim e, apesar de nem eu nem os outros personagens concordar com isso, depois de questionado por eles, Carter se mostra cabeça dura e responde os motivos de acreditar no que faz, nos fazendo entendê-lo, mesmo sem aceitar.

O que eu mais gosto em romances, é quando o relacionamento amoroso do casal é bem desenvolvido com o passar das páginas, porque eu detesto aqueles tipos de história que as pessoas se olham e já são um o amor da vida do outro sem nem ao menos conhecer suas personalidades. E posso afirmar que isto não ocorre neste volume e, apesar de não demorar muito para eles ficarem juntos, eles vão se conhecendo melhor no processo e gostando cada vez mais um do outro, fazendo com que o leitor possa sentir junto com eles e torcer pelo casal a cada folha virada.

Mas não é só de romance que esta história vive, há muitas reviravoltas em todo o texto (acho que foi o livro do gênero que mais teve coisas diferentes acontecendo que eu tenha lido), além de dificuldades que os personagens enfrentam, passados ruins que os atormentam no presente, e muitas coisas boas, como a descoberta do amor, como aprender a confiar no outro, a amizade está bem presente também, e os relacionamentos familiares com a família de Jack. Também tem cena de sexo explícito, apesar de não ser tão forte, então os leitores que não gostam deste tipo de cena não precisam ficar preocupados.

Além de podermos nos divertir em muitos momentos e conhecer (para aqueles que não sabem nada sobre o esporte) mais sobre beisebol, já que, por ter Jack como protagonista, fala bastante de beisebol, mas de um jeito que até quem não conhece nada do assunto, como eu, acaba entendendo, porque há explicações, mas nada que seja chato ou cansativo, pelo contrário, só nos insere bem.

A história de O Jogo Perfeito é leve e a narrativa de Sterling é envolvente e fluida, fazendo com que as páginas sejam avançadas rapidamente e deixando um gostinho de quero mais no final, apesar de ter um fim mais fechadinho e eu não conseguir prever o que vai vir por aí. Sorte (para mim e aqueles que gostam de continuações) que este é apenas o primeiro volume da Trilogia Game Series e o próximo livro, Virando o Jogo, já tem previsão de lançamento para setembro ou outubro deste ano.

Vários pontos do começo fizeram eu me lembrar de Belo Desastre, que é o meu livro do gênero new adult preferido. Entre as semelhanças posso citar algumas, Jack chama Cass de gatinha, assim como Travis chamava Abby de beija-flor, ele cisma com ela desde o início, mesmo que ela fique relutante quanto a ter um relacionamento com ele por conta de sua fama de mulherengo, e o primeiro encontro.

Este foi o primeiro livro da Faro Editorial que eu li e posso afirmar que eles estão de parabéns pelo trabalho que fizeram com O Jogo Perfeito, que está incrível. A parte gráfica está divina, começando pela capa, a original foi mantida e adaptada e tem tudo a ver com a história, além de ser linda. A parte de trás da capa e da contracapa estão em azul com estrelinhas, lindas! A fonte e o espaçamento estão com um ótimo tamanho, bem confortáveis para uma leitura por mais tempo, além de contar com páginas amarelas, o que agrada a mais leitores.

A leitura deste livro é indicada para todos aqueles que gostam de romances do gênero new adult, com muitas reviravoltas, personagens carismáticos, em uma narrativa descontraída e que desperta sentimentos bons e também alguns tristes. Remendado!

http://goo.gl/xxbZuK

site: Confira esta e outras resenhas no blog: www.houseofchick.com
comentários(0)comente



Sah (@perolasliterarias_ ) 28/05/2015

Resenha – O Jogo Perfeito.
Sabe quando você anseia tanto por um livro, e quando finalmente você tem a chance de lê-lo você se decepciona totalmente? Qual o sentimento? Que vontade dá de fazer?

Cassie Andrews é uma universitária com sérios problemas de confiança. Ela não sabe confiar facilmente.

Jake Carter é o grande pegador da faculdade. Joga beisebol e está sempre rodeado de tietes.

Cassie é avisada para manter distância de Jake por sua amiga Melissa. Ele não é do tipo constante e não dorme com a mesma garota mais de uma vez. Isso já bastou para Cassie odiar Jake.

Ele respira muito perto dela? Ela o odeia por isso! Ele fala com ela? Ela sempre “acha” que tem uma tiradinha para ele.

Após um espaço de tempo realmente pequeno Jake e Cassie estão namorando. E se amando loucamente. Sim amando!!! Eles já estão completamente, irrevogavelmente apaixonados. O que isso tem de errado?!? Nada, nada mesmo nadica, mas eita que foi rápido demais. Não convence esse amor todo.

Sabendo dos problemas que Cassie tem de confiança, Jake se esforça para cumprir as regras de Cassie. E falha! Miseravelmente ele falha.

Um dramalhão mexicano e o que poderia ter acabado bem teve um final a desejar, em minha opinião. A autora poderia ter encerrado ali. Mas não! Continuou e a minha esperança é que tenha uma grande reviravolta.

Não gostei de Cassie. A achei passiva e depois de tantas regras, de tanto “diz que me diz” aceita as coisas muito facilmente. Esperava mais dessa personagem. Ela é apresentada de uma forma que faz o leitor pensar: Essa é durona. Mas não, ela mostra ser o oposto total.

Enfim está aí um livro que não gostei. Duas estrelas para ele.

site: http://nosleitoras.com/resenha-o-jogo-perfeito/
comentários(0)comente



Juu 23/08/2014

O livro que mudou a minha vida
Um livro perfeito. Maravilhoso. E que mudara minha vida da água pro vinho. Personagens marcantes e apaixonantes. Aqui vai um adjetivo que descreve fielmente este livro: DE TIRAR O FÔLEGO.

Cassie Andrews é universitária, atualmente estuda jornalismo. Adora fotografar. Divide o apartamento com sua amiga Melissa. As duas são carne e osso. Sua amiga a alertou de um cara, vulgo Jack Carter(até o nome é lindo, ui! ), dizendo-a o quão galinha ele era e que NUNCA fica com uma garota duas vezes, isto quando Cassie começa a se interessar por ele. Ela dá ouvidos, é claro, afinal, não quer ser "mais uma jogada fora".

PORÉM... Jack começa a se aproximar, balançando o coração do leitor... Quer dizer, de Cassie. E é claro que ele também acaba se envolvendo bastante.

Jack é um jogador de beisebol, arremessador. O melhor arremessador da atualidade. LINDO, PERFEITO E DE RETIRAR SUSPIROS DAS LEITORAS!

Este livro mostra que um homem pode, sim, mudar de maneira drástica, contanto que encontre a pessoa certa! E essa pessoa foi Cassie Andrews.

Uma história de amor, a qual inclui cenas hots, de amor e algumas brigas. E muitas, muitas surpresas! Os personagens são apaixonantes, não tem como não se apaixonar! Apesar de Jack não ser 100% fiel, conseguimos captar sua essência e não sentirmos raiva dele por alguns atos(sem spoilers!). Pois sabemos que, BEM LÁ NO FUNDO, ele ama Cassie. E ama pra valer.

Recomendo este livro com todas as minhas forças! Uma história surpreendente, que vai te fazer suspirar, chorar, espernear. Despertará inúmeras emoções em você!

Conheça Jack Carter e Cassie Andrews, o casal mais apaixonante e lindo do mundo!

site: http://nescaucomnutella.blogspot.com.br/2014/08/eu-li-so-falta-voce-o-jogo-perfeito-j.html
comentários(0)comente



Clã 20/07/2014

Clã dos Livros - O Jogo Perfeito
A vida as vezes fica triste antes de se tornar maravilhosa...

Jack Carter é a estrela do beisebol da Fullton State, por ser um lançador excelente, ele tem tudo para ser o novo astro do esporte nos EUA. Sexy e excitante, tem todas as meninas andando atrás dele, e não faz nenhuma questão de esconder, que dorme com várias. A única coisa que parece levar realmente a sério, é o jogo. Quando entra, sua concentração e dedicação é total.

Cassie Andrews, acaba de chegar A Fullton State, para cursar fotojornalismo. Ela dividi um apartamento com sua melhor amiga Melissa, e em pouco tempo recebe a atenção de Jack.

Cassie não confia! Após uma infância traumática com um pai que sempre prometia e nunca cumpria, deixando-a para resolver os problemas causados por suas irresponsabilidades sozinha, ela sente enorme dificuldade em confiar.
Jack Carter é persistente. Ao conhecer Cassie, fica intrigado com sua distância e resolve ir atrás dela. Ele é bonito, inteligente, e ídolo da universidade. Todas as meninas querem ficar com ele, por que Cassie teima em ignorá-lo?

Os dois parecem muito diferentes, mas uma aproximação é inevitável.

"A fotógrafa em mim não conseguiu mais se conter. Dei um zoom nas mãos de Jack, focalizando suas luvas enquanto ele se afastava da segunda base com três passos largos. Clique. A cor escura de seus olhos, sombreados pelo capacete, davam-lhe uma aparência ameaçadora. Clique.
- Vai fazer um álbum de fotos do Jack para você?- Melissa quis saber."

Jack e Cassie começam a namorar, e ele, um fofo, quer provar para ela que pode ser diferente do namorador sem compromisso que tem sido até então. Se apaixonou por uma menina linda e inteligente e não quer perdê-la.


"- Não é bem um teste. Na realidade são algumas regras. Regra número um: o cara não pode mentir. Regra número dois: não pode trair. Regra número três: não pode fazer promessas que não é capaz de cumprir. E quatro: não pode dizer coisas que não leva a sério."

Porém estar junto dele, rodeado constantemente de tietes, pode ser muito difícil para qualquer garota, principalmente para uma que tenha dificuldades em confiar. Além disso, ela ainda precisará lidar com a distância, já que os jogadores saem em turnês constantemente.

Os dois são jovens que tiveram infâncias difíceis, e estas influenciam seu comportamento atual, mesmo assim, ambos lutam por fortalecer seu relacionamento, mas muitos obstáculos vão aparecendo ao longo do caminho, para desafiar sua resitência, seu amor e sua capacidade de perdoar.

A história é linda e com um enredo conduzido de maneira verossímel, saindo do comum pelas escolhas feitas pelos personagens, que erram, acertam e vão amadurecendo no processo.

"Mas ninguém sabia o que se passava em meu íntimo. Enfim eu conhecera uma menina que não tentara me impressionar. Cassie não se interessava por aquilo que eu fazia como atleta, mas sim por aquilo que eu fazia como pessoa. Eu estava mergulhando de cabeça naquela história. Agarrando Cassie com as duas mãos."

Adorei e recomendo!

O próximo livro Virando o Jogo, tem previsão de lançamento para setembro/outubro deste ano.


site: http://cladoslivros.blogspot.com.br/2014/07/resenha-o-jogo-perfeito-livro-1-da.html
comentários(0)comente



Cássio Ulisses 03/10/2014

Livro curto.
J. Sterling - 224 páginas - Faro Editorial
O livro é sobre Cassie. Uma garota que se apaixona por um cara que parece ser um otário. É um típico livro de romance, mas é bem legal. É interessante ver a visão da Cassie nos diversos momentos, a visão da garota. Muitos livros o cara que é o protagonista, mas nesse é ela e o Jack. Jack parecia ser um típico otário, mas surpreende em muitos aspectos. Vale a leitura.
comentários(0)comente



Jeizy 16/02/2015

Legalzinho
Bonzinho, nada muito diferente, mocinha que muda bad boy galinha, ele apronta, mas final feliz.
comentários(0)comente



Paulo Cilas @estantedopc 25/08/2019

O Jogo Perfeito é o primeiro volume da trilogia The Game Series, da autora J. Sterling. Conta a história de Cassie, uma garota caloura da universidade, que não entende o motivo de todas as meninas serem apaixonadas por Jack Carter.

Jack é a estrela de baseball da universidade, e é a grande promessa das ligas profissionais. Quando Cassie, a fotógrafa mais bonita que ele já viu, começa a tirar fotos suas nos jogos, ele vê a oportunidade perfeita para conquistá-la.

O livro começa de maneira interessante, o badboy e a garota que prometeu não se apaixonar por ele, aquele clichê legalzinho. Mas as coisas se desenrolam de maneira totalmente estranha. De uma hora para a outra os personagens já estão em um relacionamento, e o plot inicial é deixado de lado.

A história tem muitos problemas de relacionamento abusivo, machismo e falta de sororidade. A personagem principal não vê nenhum problema em chamar outras mulheres de vagabundas, e em seguida age de maneira idêntica a delas. E o Jack com aquela desculpa machista de "você é diferente de todas as outras". Em alguns momentos o livro parece fanfic de O Quarteto de Noivas, da Nora Roberts. A profissão da personagem feminina é a mesma da protagonista do primeiro livro do Quarteto, o nome Carter é o mesmo do personagem masculino, e a profissão de jogador de baseball também aparece em outro personagem da Nora. E as coincidências não param por aí, tem muita coisa que parece cópia. E não é uma cópia muito bem feita.

Particularmente não indicaria esse livro para ninguém, tenho o box com o restante da trilogia e por enquanto não tenho nenhuma vontade de ler.

Mais resenhas no Instagram @estantedopc
comentários(0)comente



Blog Stalker Literária 20/10/2017

Um clichê gostoso e que dá vontade de bater nos personagens :D
O Jogo perfeito foi um livro que eu queria ler desde o lançamento, quando via o pessoal recebendo o livro com a camiseta do Jack Carter, até porque naquela época não tinha lido nada de Jogadores de Beisebol, mas acabei esquecendo de tal leitura e quando voltava a ela sempre via alguém falando que eu ia passar raiva. Mas esse mês Ana me chamou para lê-lo com ela, e mesmo sabendo que eu ia passar um pouquinho de raiva nessa leitura me arrisquei rsrsrs

Mesmo a sinopse já contando muito do livro vou falar rapidinho dele aqui pra vocês...

O Jogo perfeito vai trazer a história de Carter e Cassie. Ele é a estrela da faculdade, o jogador de beisebol que está sendo estudado para vários times importantes e toda sua fama acaba atraindo todas as mulheres, e ele aproveita tais oportunidades. Já Cass é a garota que tem muitas mágoas e dificuldade de confiar por causa de traumas com seu pai, ela não quer um garoto encrenca como Jack Carter, mas ao aceitar sair com ele apenas uma vez ela percebe quem realmente ele é, e de acordo com suas regras para relacionamento os dois começam a se envolver.

O livro é um típico clichê NA, mas que é extremamente gostoso de ler por ter uma narrativa bem rápida e que não peca em excessos de dramas, sexo ou mimimi's dos personagens.

"Eu amo você, Cassie. Tenho certeza de que vou fazer algumas besteiras, pois não tenho experiência. Prometa que será paciente comigo."

Não nego que no começo do livro quis dar uns tapas em Cassie por ser tão insegura e também tão teimosa, sabe aquele tipo de pessoa que desconfia que errou mas não quer dar o braço a torcer? É ela no começo, ainda bem que ela evolui muito durante a história e termina com uma personagem encantadora e decidida. Jack Carter não foi nada do que eu esperava, estava preparada para odia-lo por ser um babaca possessivo, mas que personagem mais cativante! Eu adorei seu humor, sua preocupação e principalmente seu amor ao beisebol, que é seu sonho e um trabalho pelo qual ele tem muita dedicação.

Os personagens secundários também ganharam meu coração, Melissa e Dean são uns fofos, tem papeis super importantes na história e provavelmente são o próximo casal da série (shipando eternamente). Eles são sinceros, engraçados, apoiam os personagens quando precisam e também dão aquele puxão de orelha que a gente morre de vontade de dar nas atitudes bestas do casal principal.

A única coisa que eu não gostei da história com certeza foi a reviravolta, achei que ficou meio boba demais, a atitude de Carter por mais que seja justificada pela sua personalidade ficou meio lol, e nesse momento eu passei raiva porque simplesmente não conseguia acreditar que ele estava realmente levando a sério aquilo e ia continuar agindo feito um bobo. Mas com certeza não é algo que estraga o livro, só faz você dar um tapa na testa e pensar: "Que burro cara!"

Eu gostei muito de como a autora trabalho temas como as marcas que nossos pais deixam na nossa vida, como é difícil confiar em alguém quando você tem traumas com isso e principalmente como é difícil amar uma pessoa e querer ela mesmo quando esta faz uma cagada. Em todos os momentos do livro eu achei as atitudes dos personagens muito reais (tira só o que Carter decide fazer após a burrada dessa frase, isso foi idiota) e sinceramente não faria nada diferente, porque assim como Cassie eu também sou extremamente insegura e tenho problemas para confiar nas pessoas hahahaha (olha o sujo falando do mal lavado nos stories kkkkk).

Mas enfim, para quem quer um romance leve, super fluido e engraçado eu recomendo muito O Jogo Perfeito. Esse é um daqueles livros que você não consegue parar de ler porque quer saber o que vai acontecer na próxima página, e mesmo que seja um pouco clichê as descobertas é ótimo para dar uns gritos com os personagens e também rir da desgraça alheia hahaha. Este é um NA que tem tudo na medida certa, e que com certeza vai agradar todos os leitores.

site: http://www.stalker-literaria.com/2017/09/resenha-o-jogo-perfeito-1-j-sterling.html
comentários(0)comente



Michelly | @oventodoleste 30/03/2018

O Jogo Perfeito
Foi difícil começar a escrever sobre este livro. As leituras que escolhi para iniciar este ano foram perturbadoras e surpreendentes. Com este livro não foi diferente. Fui da alegria a raiva em questão de algumas páginas e isso quase me fez abandonar o livro. Não por ser ruim, pelo contrário, foi uma leitura incrível! Mas a raiva que senti por um personagem em determinados momentos não me deixava entender como era possível que tudo estivesse acontecendo daquela forma. Sabe aquela sensação de querer entrar na história e dizer: o que você está fazendo? Apesar de a história ser próxima da realidade e não ser impossível de acontecer com qualquer pessoa, me deixou frustrada durante alguns capítulos.

"O Jogo Perfeito" é o primeiro livro da série The Game Series e traz a história de dois jovens que carregam o seu próprio fardo. De um lado, Jack Carter, uma promessa do beisebol cheio de charme e mulherengo. Do outro lado, Cassie Andrews apaixonada por fotografia e incapaz de confiar em um homem. Ao conhecer Jack, durante a festa da faculdade, apesar de toda a atração que sentia, era nítido que ele era o cara errado, um problema. Sempre cercado de garotas e nada de relacionamentos sérios.

Ela não está disposta a se envolver e ele não está disposto a desistir sem pelo menos um encontro. Jack sabe que com ela será diferente. Bastou um olhar de desinteresse e umas poucas palavras secas para ele entender isso. Depois de alguns dias insistindo e perseguindo Cassie pela faculdade, ela decide sair com ele e por um fim em tudo. Mas não será tão simples. Alguns desabafos sobre o passado e o reconhecimento de sentimentos que os magoaram por todo uma vida fará com que eles se aproximem.

Cassie teve um péssimo relacionamento com o pai e por isso não confia em nenhum homem. Jack foi criado pelos avós e também não teve uma imagem paterna muito boa. São duas pessoas que foram capazes de ser o melhor que podiam pelo outro, mas que terão que provar a eles mesmo que podem superar os seus erros e ficarem juntos.

Resenha completa no blog

site: http://www.dezoitoprimaveras.com.br/2018/01/o-jogo-perfeito-j-sterling.html
comentários(0)comente



54 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4