Indesejadas

Indesejadas Kristina Ohlsson




Resenhas - Indesejadas


39 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


ValGouveia 16/07/2014

Eletrizante
Como resenhar um livro de suspense? Fiquei aqui pensando sobre o que escrever neste post, e qualquer coisa que escreva sobre a história do livro, acabará gerando spoiler. Porque livros de suspense são assim. Então decidi fazer um apanhado geral sobre personagens e autora.

Este é o primeiro livro da autora sueca, que é cientista policial. E ela não poderia ter sido mais feliz. Eu acho. Por ter sido o primeiro livro, está perfeito. Sabe quando você começa a ler e não quer mais parar? E como é que um autor consegue prender tanto a atenção do leitor num livro de 400 páginas? Eu considero um livro de 400 páginas um livro extenso. É preciso ter muito talento pra conseguir juntar todas as pontas soltas de um livro como esse, cheio de suspense, cheio de mistérios, morte.

Legal que o livro também tem romance. Tem personagens bem intensos. A autora descreveu de forma detalhada a vida dos 3 personagens principais (que investigam os crimes no livro). Falou sobre a forma como vivem fora do trabalho, focou nas famílias, nas dificuldades vividas fora do trabalho. Acho que pelo fato de que ela vai escrever outros livros da série chamada de "Fredrika Bergman & Alex Recht".

Sim, são três investigadores no livro, mas a protagonista é Fredrika Bergman. Uma filha de músicos, que teria tudo para ter sucesso como violinista, mas que perdeu os movimentos da mão em um acidente. Fredrika caiu meio que de pára-quedas no mundo policial. E acaba sendo muito hostilizada por um dos colegas de trabalho, Peder, que faz parte da equipe que investiga os assassinatos.

Enfim, a capa do livro é perfeita. Condiz com a história narrada pela autora. Crianças indesejadas, que são sequestradas e deixadas em lugares estratégicos, em posição fetal e com a escrita "INDESEJADA" na testa. A função de Fredrika e sua equipe é descobrir o assassino, mas o trabalho é árduo. Precisam descobrir porque ele age dessa forma. Qual o motivo que o leva a atos tão grotescos.

Para continuar lendo ---> http://www.livroseblablabla.com/2014/07/indesejadas-kristina-ohlsson.html

site: http://www.livroseblablabla.com/2014/07/indesejadas-kristina-ohlsson.html
Narayana 23/07/2014minha estante
Adorei a resenha Val, o livro tem 400 pgs? Nem senti rs, a gente fica tão entretido no livro que não quer mais parar. Muito bom!!!




Rose 17/08/2014

policial
Quando Lilian Sebastiansson, uma menina de 6 anos desapareceu sem deixar pistas de dentro de um trem que ia para Estocolmo, a equipe de Alex Recht foi chamada para investigar. E o que achavam se tratar de uma desavença familiar, rapidamente transformou-se em pesadelo.
A menina foi encontrada morta com a palavra "indesejada" escrita em sua testa. Em um erro que para mim foi enorme, a polícia não abriu outras frentes de investigação, fixando apenas em caçar e encontrar Gabriel Sebastiansson, pai de Lilian.

" A grande maioria destas crianças acabava sendo encontrada. Mais cedo ou mais tarde. E "mais tarde" era no máximo um ou dois dias" (pág. 74)

Quando outra criança é roubada e também encontrada morta, a polícia é pega de calças curtas. Só não foi pior porque Fredrika Bergman, uma analista criminal que não era bem vista pelos membros policiais por ter apenas "formação acadêmica" se negou a ficar em apenas uma linha de investigação. Foi ela a responsável por começar a ver que os crimes eram mais sérios, frutos de uma mente criminal fria e cruel.

"As crianças não desaparecem, são as pessoas que as perdem." (pág. 19)

Em uma ocorrida contra o tempo, toda a polícia está caçando o verdadeiro culpado, e tentando salvar outro garoto sequestrado. Cada minuto perdido, era um minuto a menos na vida deste garoto. E eles ainda tinha uma grande rede de pedofilia para ser desmanchada...
Um livro ótimo, principalmente para quem gosta do gênero policial. Conforme vamos lendo, tentamos montar o quebra cabeça junto com a polícia. Pensamos em algumas possibilidades descartamos outras...

"Ela insistiu que queria ir sozinha, disse que estava tudo bem, mas eu mandei uma viatura junto. Alguma coisa estava estranha naquela história."(pág. 369)

Não gostei muito do policial Peder. Achei-o infantil, em vários momentos tentando provar ser melhor que Fredrika. Me irritava vê-lo pensando com a cabeça de baixo em vez da de cima... Mas isso só contribuiu para a tensão do livro aumentar. Aprovadíssimo!

site: http://fabricadosconvites.blogspot.com.br/
Andressa 07/09/2014minha estante
Gostei da sua resenha, apesar de não ter lido nenhum policial ainda, esse parece ser instigante! adoro!
Muito bom!
bjo
Leitura de Ouro


Yassui 10/09/2014minha estante
Já gostei do livro logo de cara, só pela arte da capa. Achei linda. E a resenha só me instigou a querer conhecer a estoria.


Cinthia 23/10/2014minha estante
Gostei desse livro, e ameio quote: "As crianças não desaparecem, são as pessoas que as perdem." (pág. 19)
Não poderia ter sido um quote melhor!


Clarice.Castanhola 29/05/2015minha estante
Já tinha lido sobre esse livro num post sobre os lançamentos da Vestígio e me interessei bastante, e pela sua resenha mais ainda! Estou gostando bastante de livros policiais e esse entrou pra minha lista.




Challis 27/08/2014

Escrita ágil, leitura surpreendente
Indesejadas, o primeiro livro da escritora sueca Kristina Ohlsson me conquistou desde o início da narrativa justamente por causa da sua protagonista, Fredrika Bergman. É maravilhoso quando a literatura foge do infeliz lugar comum de colocar pouquíssimas mulheres como destaque em seus livros. E Fredrika não é apenas mais uma protagonista; ela foi construída de maneira primorosa. Ao mesmo tempo que é uma mulher atraente e dona da própria sexualidade, é cheia de habilidades, sonhos e medos. Seu passado se mostra triste, quando ela é impedida de se tornar musicista profissional por causa de um grave acidente. Depois de ser obrigada a abandonar seu maior sonho, o "destino" a empurra para a polícia. Lá, ela enfrenta muitas dificuldades pois desde o início era desacreditada por seus colegas de trabalho por ser mulher e não ter a "formação necessária" para a polícia. Mas aos poucos Fredrika vai demonstrando ter muito mais talento como investigadora do que qualquer pessoa imaginava, do que até mesmo ela imaginava.

E é desde Fredrika que Ohlsson mostrou ser uma feminista realmente disposta a tratar os problemas que envolvem mulheres. Ela usa os mais diferentes cenários e personagens para expor como o preconceito ainda está presente na sociedade, desde como as mulheres podem ser desacreditadas no trabalho até casos em que convivem com a violência doméstica.

Mas Ohlsson não se foca apenas nas mulheres. Todas as personagens foram construídas de maneira surpreendentemente complexa e humana. Elas não foram divididas apenas em vilões e mocinhos, mas todos demonstram possuir virtudes e defeitos, anseios e receios, diferentes formas de ver a vida.

Justamente por causa dessa complexidade é que o enredo não apresenta apenas uma via central, mas sim diferentes perspectivas, o que possibilitou a criação de diversas histórias secundárias, onde conhecemos o passado das principais personagens, acompanhamos o desenrolar de amores e traições e até casos extremos de pedofilia (comuns na literatura escandinava).

Quando tantos aspectos positivos se encontram com a escrita ágil e envolvente de Kristina Ohlsson, Indesejadas se torna um prato cheio para qualquer amante de literatura, principalmente para aqueles mais afeitos aos thrillers policiais. Neste seu primeiro livro a autora já mostrava ter um talento indiscutível e certamente será lebrada como um dos grandes nomes da literatura escandinava contemporânea. Mal espero poder ler os próximos livros da série de Fredrika Bergman e Alex Recht.

Leia a minha resenha completa:

site: http://www.acrobatadasletras.com.br/2014/08/resenha-indesejadas-de-kristina-ohlsson.html
comentários(0)comente



Naty 04/10/2014

Indesejadas é o primeiro livro da série de Kristina Ohlsson e seu romance de estreia. A autora é sueca e cientista policial. Sua obra foi uma surpresa para mim; a história é angustiante e eletrizante. Não dá para largar o livro e não ficar curioso pelo o que acontecerá.

Fredrika Bergman é a protagonista da série, uma analista criminal que seus colegas de trabalho, Alex e Peder, não fazem questão de seu auxílio nas investigações, menosprezando sua qualificação profissional.

Em muitos momentos, o preconceito predomina. Na maioria das vezes, o leitor se apega com raiva de Alex e Peder, por tratar Fredrika como se não tivesse nenhuma utilidade no trabalho. Porém, ela mostrará que é capaz de fazer muito mais do que eles pensam e do que ela acredita.

As crianças não desaparecem, são as pessoas que as perdem (p.19).

Os três realizarão um trabalho incrível, mesmo tendo alguns desentendimentos. A autora se preocupou até nisso: em mostrar que em toda relação trabalhista existe uma intriga, mas que é possível ser resolvido. Ohlsson soube criá-los de forma a mostrar que os detetives são extremamente humanos e passíveis de erros.

Indesejadas é um nome intrigante e chamativo. A trama não poderia ser inferior ao título do livro. Sara está com sua filha Lilian na estação de trem da segunda maior cidade da Suécia: Estocolmo. Porém, Ela deixa sua filha dentro do trem e vai fazer uma ligação. Contudo, é surpreendida por uma jovem que está com o seu cachorro passando mal e resolve ajudá-la. Porém, algo surpreendente acontece: o trem parte antes do horário e sua filha fica sozinha no vagão. O desespero toma conta de Sara e ela se vê atada sem saber o que fazer.

A criança simplesmente desaparece do trem e a equipe de Alex é designada para desvendar esse caso. Quando a criança aparece morta, nua e com a palavra indesejada estampada em sua testa, o temor toma conta e o caso repercute na mídia.

De todas as pessoas doentes do mundo, nenhuma era mais repugnante do que as pessoas que violentavam crianças (p.84).

O crime é totalmente voltado para um suspeito e, de repente, todas as pistas são jogadas na mesa e eles se veem preso a outro suspeito. A trama é totalmente bem feita, criativa e o crime é surpreendente. Ohlsson deixa o leitor indignado, estagnado e preso em sua narrativa.

Não teremos apenas um crime, mas outros que nos deixarão receosos pensando em se tratar de um serial killer; será? A história é bem desenvolvida e a autora não deixa pontas soltas. Para tudo existe um motivo e isso faz com que a autora ganhe destaque em minha biblioteca.

A capa é muito linda, sombria, misteriosa e dá um aperto só de ver o par de sapatos de Lilian na foto. Ao terminar a obra, fiquei olhando a capa e divagando em tudo o que acontecera com a garota. Ohlsson soube me tocar até mesmo em pequenos detalhes. A diagramação é simples, mas deixa a leitura rápida. Notei pequenos erros de tradução, mas nada que desmerecesse a qualidade do livro ou que diminuísse minhas cinco estrelas à obra.

O mais importante não é o que você diz, mas o que você faz. Se eu não souber o quanto você me ama, se você tem que me dizer isso, é porque nosso amor não vale nada. Estou certo? (p.124).

Se vocês precisavam de um ânimo para ler este livro, se existia algum resquício de dúvida se vocês deveriam ler ou não, acredite: leiam! É totalmente surpreendente a resolução desse caso. Parabéns à autora e à editora Vestígio que já virei fã.
comentários(0)comente



Ju 22/01/2015

Indesejadas
A história começa com o desaparecimento de uma criança de 6 anos, Lilian, em um trem que viajava de Gotemburgo a Estocolmo, na Suécia. Durante uma pausa do trem, sua mãe, Sara, sai para fazer um telefonema e acaba por ajudar uma mulher desconhecida que estava com problemas com seu cachorro. Devido a isso, Sara perde o trem e Lilian segue sozinha a viagem. Sara segue o trem de táxi, porém quando ele chega ao seu destino e os passageiros começam a desembarcar, Lilian desaparece, deixando no trem seus sapatos e sua bagagem.

A equipe de Alex Recht, um respeitado delegado, passa a investigar o desaparecimento, porém ninguém parece ter visto Lilian deixando o trem sozinha ou sendo levada por alguém. Na equipe também estão Peder (que passei metade do livro lendo como "Perder", até me acostumar u_u) e Fredrika. Peder e os demais membros da equipe não levam Fredrika muito a sério, por ela não ser policial e sim uma civil formada em criminologia e especializada em crimes contra mulheres e crianças. Mesmo Fredrika não acha que tem vocação para o trabalho na polícia e o vê apenas como um trabalho temporário.

O principal suspeito do desaparecimento de Lilian é seu pai, Gabriel, de quem sua mãe sofria abusos físicos e havia se separado recentemente. Apesar de contestações de Fredrika, que enxerga algo além nesse caso, Alex e a equipe concentram todos seus esforços numa perseguição a Gabriel. Porém, quando Lilian é encontrada nua e morta no estacionamento de um hospital em outra cidade (após seus cabelos terem sido raspados e enviados juntamente com suas roupas para Sara) com a palavra "Indesejada" escrita na testa, as investigações tomam outros rumos e o caso se mostra muito mais obscuro e complicado do que imaginavam.

O que eu achei bem legal nesse livro é que acompanhamos a vida pessoal dos personagens, principalmente da equipe de Alex, podendo enxergá-los de forma mais humana, não só como investigadores. Vemos Peder em um casamento desgastado, após a esposa ter depressão pós-parto, tendo um caso com uma colega e Fredrika frustrada por ter tido o sonho de ser uma violinista profissional interrompido por um acidente quando era jovem. Além disso, é mostrado um pouco da vida de todos envolvidos no caso, das vítimas aos criminosos. Os capítulos são intercalados entre os diferentes personagens, e desde o início vamos descobrindo um pouco sobre os planos do homem que levou Lilian, apesar de não ser mostrado muito sobre ele e de ser tratado apenas como "o Homem".

Fiquei um pouco incomodada com a inflexibilidade e a lerdeza falta de percepção da equipe de Alex. Todos falavam que Fredrika não tinha jeito para ser policial porque não tinha intuição, porém ela era a única a encarar os fatos de uma forma mais profunda...

Resenha completa no blog

site: http://book-selfie.blogspot.com.br/2015/01/resenha-indesejadas.html#more
comentários(0)comente



Simone de Cássia 01/06/2017

Trama boa, mas no geral, não me agradou muito. O autor dá preferência em esmiuçar a vida particular dos policiais e se dedica muito pouco ao assassino. Prefiro o contrário. Não me agradou também o fato da delegacia parecer mais uma creche: ciuminhos, disputas de quem trazia a descoberta mais relevante, preconceitos, enfim, achei os policiais mais focados em seus interesses do que na elucidação do crime. A detetive que vai dar seguimento à série, a tal Fredrika, não me cativou nem por um momento... coisa mais sem sal essa pessoa... E um ponto que achei sem noção foi o foco dado a um personagem como se ele fosse "o" capeta, e de repente nem se fala mais nele... uma dúvida que se elimina em questão de segundos, tipo " então tá, desculpa aí..." Geral? Trama boa, desenvolvimento fraquinho.
Claudia 01/06/2017minha estante
Achei a mesma coisa! No outro livro dela que li também. E ando farta dessas disputas entre policiais que investigam caso. Gente, que coisa mais clichê, mais chata!!! Em vários livros policiais tem isso... :(((((((




criscat 10/12/2017

Mais um autor, no caso, autora policial nórdica publicada aqui no Brasil. Afinal, não existem apenas Stieg Larsson e Jo Nesbø. Há uma variedade de outros autores que, mesmo não sendo tão famosos, produzem literatura policial de qualidade. E Kristina Ohlsson é uma delas. O livro tem, sim, alguns defeitos que acredito que possam ser creditados ao fato de ser a primeira obra da autora. Mas nada que desagrade tanto o leitor a ponto de fazê-lo abandonar a leitura.

site: http://www.cafeinaliteraria.com.br/2017/06/19/indesejadas-de-kristina-ohlsson/
comentários(0)comente



João 24/07/2015

O sequestro de uma menina é o início de uma longa jornada de investigação para os policias inspetores Fredrika,Alex e Peder.Correndo contra o tempo para salvar a criança tudo desaba quando o corpo da menina é encontrado abandonado no estacionamento de um hospital.Na testa da menina escrita a palavra Indesejada!
As pistas são muitas mas nenhuma parece levar a algum lugar.Quando outra criança é sequestrada as coisas pioram ainda mais.O tempo é curto e o assassino muito esperto.
E por trás de tudo há um crime ainda mais monstruoso.

Indesejadas foi um dos melhores suspenses policiais que li esse ano.
O livro é excelente,a autora entende do assunto e faz cada capítulo do livro se tornar mais interessante com as muitas pistas lançadas numa jogada inteligente.
Os personagens muito bem estruturados,cada um com seu drama particular,o que torna o livro ainda mais interessante.
No final tudo explicado sem tentar fazer o leitor de bobo.
Só depois que li foi que descobri que é uma série da autora com os mesmos policiais.
Leitura de primeira!!


comentários(0)comente



Bruno.Kempfer 28/01/2017

Parece previsível mas acaba surpreendendo
Aqui em Indesejadas teremos um serial Killer que sequestra crianças raspa a cabeça delas as despe e manda num pacote para a mãe o cabelo e as roupas das mesmas e logo após o corpo é encontrado com a palavra "indesejada" marcada no corpo
Esse é o primeiro livro da escritora senti que ela abusou demais nas entrevistas o que tornou um pouco cansativo mas ao mesmo tempo o livro te prende pela brutalidade como é realizado esses crimes e a polícia sueca está apavorada
Gostei bastante vou acompanhar a série
comentários(0)comente



Renata 07/12/2016

Não conhecia a história, a autora e nem a editora, foram três gratas surpresas.
A história policial, gênero que tem tudo para cair no mais do mesmo, é, na verdade, empolgante. Os personagens, longe de se enquadrarem no típico rótulo "mocinho" e "bandido", apresentam nuances, ninguém é tão perfeito, e ninguém está isento de um passado.
A escrita é linear, e o passado aparece na medida em que é descoberto, junto com os leitores. É o leitor segue junto construindo hipóteses de investigação, e ficando bravo com o "será que não percebem isso", "será que não percebem aquilo", isso por que a autora da indícios, mas ela também nos engana a safadinha.
Já Vestígio eu não conhecia, mas a leitura foi muito agradável, não deixou aquela sensação de tradução estranha, e em relação à revisão só umas duas coisinhas que chamam atenção, como um "concertar" quando o sentido era "consertar".
De um modo geral me arrependi de não ter aproveitado a promoção para comprar outros da Vestígio :(
Entretenimento de primeira.
comentários(0)comente



Tammy 28/04/2017

Indesejadas (Livreando)
Em um dia aparentemente comum, Sara Sebastiansson e sua filha Lilian viajam em um trem pela Suécia, até que uma sucessão de fatos programados mudam o destino das duas e dão início a uma história vivaz e bem amarrada.

"Num momento parece que está tudo bem, que sabemos onde estamos pisando, mas no outro o gelo cede e afundamos na mais insondável escuridão." p.193

Um telefonema, um contratempo, um trem perdido. Esses fatos foram o suficiente para que o desaparecimento de Lilian acontecesse. Um caso tratado aparentemente como uma disputa familiar dão início a assassinatos que irão deixar a polícia local bem mexida.

"Alex gostava de trabalhar com pessoas que, como ele, tinham um senso particular de vocação no trabalho. Gostava de trabalhar com quem tinha a mesma intuição que ele e um discernimento bem desenvolvido para o que era fato e o que era absurdo." p.19

Alex Recht é o responsável pelo caso junto com a sua equipe, Peder Rydh e Fredrika Bergman. Alex é um veterano na policia e sempre teve sucesso nos seus casos, mas esse estava lhe tirando dos eixos pela sua complexidade. Peder era um ótimo policial, apesar de gostar dos holofotes, sua única objeção era o fato de trabalhar junto com Fredrika, uma civil analista de sistemas, que não compreendia o furor e a paixão de seu trabalho. Pensamento esse que Alex também compartilhava.

"Peder quase sentiu-se zonzo ao pensar nos acontecimentos da última semana. Ele jamais imaginaria que o caso de Lilian Sebastiansson se transformaria no monstro que eles tinham nas mãos." p.304

Com a equipe formada, começaram a mapear o caso até que indicaram um suspeito. Gabriel. Um ex marido violento e pai de Lilian. As investigações estavam começando a fluir até que outra criança é encontrada morta e com características parecidas de como o corpo Lilian foi encontrado. A partir daí, as investigações mudam completamente de rumo e deixam a equipe com diversos fatos isolados, mas sem a construção de um caso em si.

Indesejadas traz toda a trama amarrada ao título. Não só pelas crianças que desaperacem por esse motivo, mas também pelo motivo que o serial se convenceu para fazer a sua justiça, deturpando situações do passado. É interessante ver como um caso como este vai criando caminhos bem limitados e detalhados durante a história. Esse é um livro que instiga e desafia o leitor a todo o instante para saber se a sua própria teoria serviria para o desfecho do caso. Confundido por diversas vezes e nos fazendo mudar o olhar em vários momentos conforme as informações são colocadas à mesa

Kristina Ohlsson soube como conduzir de maneira bem próxima o dia a dia da policia em casos do tipo. Todas as investigações e pistas que são distribuídas ao longo da narrativa são entregues ao mesmo tempo tanto ao leitor, quanto aos personagens que compõe essa história. Aqui, não existe a possibilidade do personagem guardar o segredo para si e deixá-lo exposto somente no ápice da história. Vamos descobrindo, nos achando e nos perdendo entre as pistas junto com os personagens nessa narrativa, e o fato da autora ser experiente na área, só ajudou para que a narrativa fluísse de maneira quase real.

Uma coisa interessante é que assim como vamos conhecendo os passos do assassino e sua maneira de agir, conhecemos também os personagens em suas vidas paralelas, com seus problemas, medos e arrependimentos. Ohlsson fez questão de humanizá-los o máximo possível, tanto através de suas vidas particulares como na forma que eles atuam na policia, com acertos erros compreensíveis aos nossos olhos. Há uma disputa de espaço e preconceito bem interessante dentro do departamento, onde o alvo é Fredrika por ser uma mulher que não se expressa como o espaço acha o ideal, uma deixa que a autora explora bem.

O livro traz um bom enredo que ao final, convence o leitor. É um livro bem dinâmico e o fato de a cada momento uma nova prova ser exposta, faz com que a leitura seja ritmada e bem especulativa. Para quem aprecia algo como Criminal Minds, CSI e livros policiais cheios de mistérios, com certeza essa leitura é válida. O romance não tem o foco principal, na verdade ele é retratado em cenas paralelas que completam o enredo.

A capa é completamente de acordo com a história, as cores também lembram o clima. Senti falta das orelhas e achei o espaçamento curto, mas as folhas amareladas facilitam a leitura. O livro é dividido em três partes e acompanhamos a história em quase uma semana corrida.

site: http://www.livreando.com.br/
Mallu Drugovich 31/07/2017minha estante
undefined




Dani 01/04/2018

Indesejadas - Fredrika Bergman & Alex Recht # 01
Sempre fui muito fã de estórias policiais. Adoro acompanhar investigações, tentar descobrir as soluções de crimes junto com os personagens. Por isso, não hesitei em escolher Indesejadas.
Em Indesejadas, O verão de Estocolmo sempre será marcado por algo terrível: Durante uma simples viagem de trem, uma criança, Lilian Sebastiansson desapareceu.
Não há pistas, não há nenhum vestígio de quem a sequestrou e porquê. Então, cabe á equipe de Alex Recht desvendar este mistério e descobrir quem é o criminoso por trás.
Primeiro, gostaria de ressaltar que a sinopse contém um Spoiler. Como todos podem ler, é dito que "(...) No entanto, quando a menina é encontrada morta no extremo norte da Suécia, com a palavra “indesejada” escrita na testa, o caso se transforma rapidamente no pior pesadelo da equipe de investigadores."
Ok, por causa desta frase, você pode imaginar que este fato, de a menina ser encontrada morta com a palavra Indesejada escrita em sua testa, é um fato inicial, que desencadeia a estória. No entanto, não é. Vou explicar melhor: Acontece que esta simples frase entrega que a criança não será encontrada pelos policias com vida. Então, é um spoiler, visto que, no livro, somente na página 143 ou 144 que os policiais descobrem a criança morta. Então, quem está lendo o livro sem ter lido a sinopse (o que acho bem difícil de acontecer), vai descobrindo junto com os policiais que, enquanto eles estavam desesperados procurando Lilian, ela já está morta.
Assim, quem leu a sinopse, como eu, recebeu spoiler. Sinceramente, eu imaginava, durante a leitura, que a equipe de Alex iria encontrá-la de alguma forma com vida, mas depois caí na real e me lembrei de que a sinopse contava claramente que ela seria encontrada morta. Então, achei uma falha muito grave incluir essa revelação na sinopse.
Porém, isso não fez com que eu diminuísse sequer uma estrela da leitura, pois o livro soube me prender e surpreender como um bom romance policial deve. Mas não falarei mais sobre o enredo, pois os próximos acontecimentos você deve descobrir durante a leitura.
Acompanhar a leitura foi o máximo, pois eu me pegava querendo desvendar cada pista junto aos personagens. Vários momentos de tensão acompanharam a trama, que se desenvolveu não só no desaparecimento de Lilian como em outros crimes brutais. A leitura soube me prender até a última linha.
Outra coisa que achei bem diferente, no entanto, positiva, foi o fato de a autora construir para cada policial encarregado de investigar os crimes uma personalidade única. Algumas vezes, foi "cortado" o momento de tensão e suspense para se iniciar, no novo capítulo, um pouco sobre a vida do outro investigador, deixando o leitor curioso. Pode parecer, sabendo disso, que a leitura acaba "escorregando" pelo caminho errado, mas, ao contrário!
Essa descrição da personalidade de cada um criou o efeito de personagens realmente reais - com problemas, medos, inseguranças - que, pelo meu visto, me cativou e fez com que eu passasse a torcer e distinguir cada um. Essa distinção de personalidades, também, me fez refletir um pouco sobre o trabalho dos policiais e o quanto deve ser difícil, com tanta pressão.
Finalizo com a opinião de que a leitura foi ótima, soube prender e manter a curiosidade o tempo todo. Não retiraria uma única palavra dos textos, o livro todo ficou ótimo e com informações ótimas, bem escritas. Uma leitura pesada? Sim, mas que os adoradores de policiais irão amar. Favoritei, um dos melhores policiais que já li.

site: http://blueunendlichkeit.blogspot.com.br/2018/04/indesejadas-fredrika-bergman-alex-recht.html
comentários(0)comente



Guynaciria 15/04/2019

Esse é o tipo de thriller que vai te tirar o fôlego, fazendo com que você fique juntando cada peça que é fornecida, no intuído de formar uma teoria válida para o que está acontecendo na história.

Indesejadas é o primeiro volume de uma série de livros da autora sueca Kristina Ohlsson.

A trama se inicia com o sumiço de uma criança de 6 anos, em um trem que estava indo para  Estocolmo. Ninguém sabe como a garota sumiu, se ela saiu sozinha ou foi levada enquanto a sua mãe Sara estava fora do trem, presa em uma situação alheia a sua vontade. 

Alex Recht, inspetor renomado assume o caso, ele inicialmente se prenda ideia de que o sumiço de Lilian tem a ver com uma suposta briga pela guarda da criança, infelizmente essa teoria se mostra invalida. A partir desse ponto a história se bifurca em duas linhas de investigação, que vão prender a atenção do leitor.

A cada novo crime cometido, os investigadores Alex e Fredrika, vão analisando as poucas pistas deixadas por esse assusto criminoso. É interessante observar que a autora não apresenta o criminoso diretamente em nenhum momento, mas temos uma ideia da sua motivação através da observação de seus cúmplices e de seu passado. 

O livro é bem escrito, com uma diagramação confortável, a edição está belíssima, inclusive saiu uma nova capa recentemente para essa obra.

Para quem gosta de um bom suspense policial, esse livro não vai decepcionar. Recomendo à leitura. 



comentários(0)comente



Guynaciria 15/04/2019

Esse é o tipo de thriller que vai te tirar o fôlego, fazendo com que você fique juntando cada peça que é fornecida, no intuído de formar uma teoria válida para o que está acontecendo na história.

Indesejadas é o primeiro volume de uma série de livros da autora sueca Kristina Ohlsson.

A trama se inicia com o sumiço de uma criança de 6 anos, em um trem que estava indo para  Estocolmo. Ninguém sabe como a garota sumiu, se ela saiu sozinha ou foi levada enquanto a sua mãe Sara estava fora do trem, presa em uma situação alheia a sua vontade. 

Alex Recht, inspetor renomado assume o caso, ele inicialmente se prenda ideia de que o sumiço de Lilian tem a ver com uma suposta briga pela guarda da criança, infelizmente essa teoria se mostra invalida. A partir desse ponto a história se bifurca em duas linhas de investigação, que vão prender a atenção do leitor.

A cada novo crime cometido, os investigadores Alex e Fredrika, vão analisando as poucas pistas deixadas por esse assusto criminoso. É interessante observar que a autora não apresenta o criminoso diretamente em nenhum momento, mas temos uma ideia da sua motivação através da observação de seus cúmplices e de seu passado. 

O livro é bem escrito, com uma diagramação confortável, a edição está belíssima, inclusive saiu uma nova capa recentemente para essa obra.

Para quem gosta de um bom suspense policial, esse livro não vai decepcionar. Recomendo à leitura. 



comentários(0)comente



Marla 24/04/2017

Resenha: Indesejadas – Kristina Ohlsson
A trama tem inicio com o desaparecimento de Lilian Sebastiansson, uma menina de seis anos, que viajava com a mãe de trem de Gotemburgo a Estocolmo. O veterano Alex Richt assume o caso juntamente com sua equipe, que é formada por Fredrika Bergman e Peder Rydh. Assim que interrogam Sara, a mãe de Lilian, Alex descobre que a jovem sofria violência doméstica por parte de seu ex-marido Gabriel Sebastianson que logo se torna o principal suspeito do sumiço da menina.

Convicto em seus instintos, Alex não vê outro caminho em que seguir nesse caso, diferente de Fredrika que enxerga algumas pontas soltas, que se mostram importantes, quando Lilian aparece morta e com a palavra Indesejada escrita na testa.

Seguindo essa linha de raciocínio, Fredrika passa a investigar pistas soltas que acabam por formar um quebra - cabeça que pode levar ao verdadeiro culpado. Agora eles precisam correr contra o tempo para encontrar o Homem, antes que ele faça uma nova vítima.

"" A primeira criança desapareceu em meados daquele verão de chuvas ininterruptas.""

Indesejadas possui uma trama instigante e bem escrita que é dividida em três partes e se desenrola durante uma semana. Na primeira parte a autora nos apresenta os personagens e tem inicio a investigação sobre o desaparecimento de Lilian, já na segunda a investigação toma um novo rumo e passamos a entender melhor a cabeça do criminoso que se denomina apenas como o Homem, e a terceira mostra as consequências da investigação e o rumo tomado pelos personagens.

Falando em personagens a trama e narrada principalmente por Fredrika, Alex e Peder, mas outros personagens como Ellen (a assistente que faz parte da equipe de Alex), Sara (a mãe de Lilian), Jelena (jovem misteriosa que tem ligação com o homem) e o Homem, também ganham a sua vez e contribuem para o desenvolvimento da trama.

Determinada e competente, Fredrika na adolescência tinha o sonho de ser violonista, mas uma lesão em seu braço acabou com ele, sendo assim ela se entregou aos estudos acadêmicos e acabou se tornando uma criminalista especializada em crimes contra mulheres e crianças. Alex sempre teve vocação para ser policial e com vinte cinco de profissão era considerado uma lenda entre os seus colegas, confiante e convicto em seus instintos, acaba não aceitando tão bem sugestões e isso acaba dificultado seu relacionamento com Fredrika. Peder era um bom policial, mas um tanto infantil e invejoso, no decorrer da trama ele vai amadurecendo e aprendendo a trabalhar em equipe, principalmente com Fredrika.
O interessante da trama e que acabamos descobrindo a identidade do Homem, ao mesmo tempo em que os personagens (Fredrika, Alex e Peder), assim como descobrimos também os motivos de seus atos.

A leitura fluiu sem problemas, graças á escrita envolvente da autora, que vai juntando as peças durante o decorrer da trama não deixando nenhuma ponta solta. Com um criminoso insano, personagens carismáticos e uma trama instigante, “Indesejadas” entrou para o time dos melhores romances policiais que já li. Recomendo com certeza!!



site: Louca por Romances - 23.04.17 - http://loucaporromances.blogspot.com.br/2017/04/resenha-indesejadas-kristina-ohlsson.html
comentários(0)comente



39 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3