Indesejadas

Indesejadas Kristina Ohlsson




Resenhas - Indesejadas


58 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4


Dani 23/07/2014

Indesejadas - Fredrika Bergman & Alex Recht # 01
Sempre fui muito fã de estórias policiais. Adoro acompanhar investigações, tentar descobrir as soluções de crimes junto com os personagens. Por isso, não hesitei em escolher Indesejadas.
Em Indesejadas, O verão de Estocolmo sempre será marcado por algo terrível: Durante uma simples viagem de trem, uma criança, Lilian Sebastiansson desapareceu.
Não há pistas, não há nenhum vestígio de quem a sequestrou e porquê. Então, cabe á equipe de Alex Recht desvendar este mistério e descobrir quem é o criminoso por trás.
Primeiro, gostaria de ressaltar que a sinopse contém um Spoiler. Como todos podem ler, é dito que "(...) No entanto, quando a menina é encontrada morta no extremo norte da Suécia, com a palavra “indesejada” escrita na testa, o caso se transforma rapidamente no pior pesadelo da equipe de investigadores."
Ok, por causa desta frase, você pode imaginar que este fato, de a menina ser encontrada morta com a palavra Indesejada escrita em sua testa, é um fato inicial, que desencadeia a estória. No entanto, não é. Vou explicar melhor: Acontece que esta simples frase entrega que a criança não será encontrada pelos policias com vida. Então, é um spoiler, visto que, no livro, somente na página 143 ou 144 que os policiais descobrem a criança morta. Então, quem está lendo o livro sem ter lido a sinopse (o que acho bem difícil de acontecer), vai descobrindo junto com os policiais que, então eles estavam desesperados procurando Lilian ela já está morta. Assim, quem leu a sinopse, como eu, recebeu spoiler. Sinceramente, eu imaginava, durante a leitura, que a equipe de Alex iria encontrá-la de alguma forma com vida, mas depois caí na real e me lembrei de que a sinopse contava claramente que ela seria encontrada morta. Então, achei uma falha muito grave incluir essa revelação na sinopse.
Porém, isso não fez com que eu diminuísse sequer uma estrela da leitura, pois o livro soube me prender e surpreender como um bom romance policial deve. Mas não falarei mais sobre o enredo, pois os próximos acontecimentos você deve descobrir durante a leitura.
Acompanhar a leitura foi o máximo, pois eu me pegava querendo desvendar cada pista junto aos personagens. Vários momentos de tensão acompanharam a trama, que se desenvolveu não só no desaparecimento de Lilian como em outros crimes brutais. A leitura soube me prender até a última linha.
Outra coisa que achei bem diferente, no entanto, positiva, foi o fato de a autora construir para cada policial encarregado de investigar os crimes uma personalidade única. Algumas vezes, foi "cortado" o momento de tensão e suspense para se iniciar, no novo capítulo, um pouco sobre a vida do outro investigador, deixando o leitor curioso. Pode parecer, sabendo disso, que a leitura acaba "escorregando" pelo caminho errado, mas, ao contrário! Essa descrição da personalidade de cada um criou o efeito de personagens realmente reais - com problemas, medos, inseguranças - que, pelo meu visto, me cativou e fez com que eu passasse a torcer e distinguir cada um. Essa distinção de personalidades, também, me fez refletir um pouco sobre o trabalho dos policiais e o quanto deve ser difícil, com tanta pressão.
Finalizo com a opinião de que a leitura foi ótima, soube prender e manter a curiosidade o tempo todo. Não retiraria uma única palavra dos textos, o livro todo ficou ótimo e com informações ótimas, bem escritas. Uma leitura pesada? Sim, mas que os adoradores de policiais irão amar. Favoritei, um dos melhores policiais que já li.

site: http://danielabyrinth.blogspot.com.br/2014/07/resenha-indesejadas.html
comentários(0)comente



Anne @clubeleya 17/05/2020

Decepcionante
Eu amo um bom suspense, mas esse me desagradou em todos os cenários possíveis.

Os 3 protagonistas detetives são intragáveis, o enredo da Ellen foi totalmente desnecessário pra história, os motivos dos assassinos óbvios.
comentários(0)comente



Manu 15/07/2021

Indesejadas ébo primeiro livro da série policial que envolve a investigadora Fredrika Bergman.

Neste livro de ficção polícia sueca a polícia se depara com um caso em que uma criança desaparece de um trem com. Destino a Estocolmo.

Dentre o grupo de investigadores está a civil Fredrika Bergman, que junto aos policiais Peder e Alex Recht.

O caso que a princípio teve como principal e o pai da criança desaparecida, mas logo outra criança desaparece e as circunstâncias que envolvem o segundo caso o fazem crer que estão diante de criminoso em série.

Muito embora Fredrika seja a personagem principal, viu-se que a narrativa ficou no trabalho em equipe, destacando qualidades dos três principais investigadores.

A escrita da autora Kristina Ohlson me cativou. Uma história muito bem desenvolvida, fácil de ler e que prende do início ao fim.

Já curiosa para ler os demais livros da serie.
comentários(0)comente



ValGouveia 16/07/2014

Eletrizante
Como resenhar um livro de suspense? Fiquei aqui pensando sobre o que escrever neste post, e qualquer coisa que escreva sobre a história do livro, acabará gerando spoiler. Porque livros de suspense são assim. Então decidi fazer um apanhado geral sobre personagens e autora.

Este é o primeiro livro da autora sueca, que é cientista policial. E ela não poderia ter sido mais feliz. Eu acho. Por ter sido o primeiro livro, está perfeito. Sabe quando você começa a ler e não quer mais parar? E como é que um autor consegue prender tanto a atenção do leitor num livro de 400 páginas? Eu considero um livro de 400 páginas um livro extenso. É preciso ter muito talento pra conseguir juntar todas as pontas soltas de um livro como esse, cheio de suspense, cheio de mistérios, morte.

Legal que o livro também tem romance. Tem personagens bem intensos. A autora descreveu de forma detalhada a vida dos 3 personagens principais (que investigam os crimes no livro). Falou sobre a forma como vivem fora do trabalho, focou nas famílias, nas dificuldades vividas fora do trabalho. Acho que pelo fato de que ela vai escrever outros livros da série chamada de "Fredrika Bergman & Alex Recht".

Sim, são três investigadores no livro, mas a protagonista é Fredrika Bergman. Uma filha de músicos, que teria tudo para ter sucesso como violinista, mas que perdeu os movimentos da mão em um acidente. Fredrika caiu meio que de pára-quedas no mundo policial. E acaba sendo muito hostilizada por um dos colegas de trabalho, Peder, que faz parte da equipe que investiga os assassinatos.

Enfim, a capa do livro é perfeita. Condiz com a história narrada pela autora. Crianças indesejadas, que são sequestradas e deixadas em lugares estratégicos, em posição fetal e com a escrita "INDESEJADA" na testa. A função de Fredrika e sua equipe é descobrir o assassino, mas o trabalho é árduo. Precisam descobrir porque ele age dessa forma. Qual o motivo que o leva a atos tão grotescos.

Para continuar lendo ---> http://www.livroseblablabla.com/2014/07/indesejadas-kristina-ohlsson.html

site: http://www.livroseblablabla.com/2014/07/indesejadas-kristina-ohlsson.html
Narayana 23/07/2014minha estante
Adorei a resenha Val, o livro tem 400 pgs? Nem senti rs, a gente fica tão entretido no livro que não quer mais parar. Muito bom!!!




Challis 27/08/2014

Escrita ágil, leitura surpreendente
Indesejadas, o primeiro livro da escritora sueca Kristina Ohlsson me conquistou desde o início da narrativa justamente por causa da sua protagonista, Fredrika Bergman. É maravilhoso quando a literatura foge do infeliz lugar comum de colocar pouquíssimas mulheres como destaque em seus livros. E Fredrika não é apenas mais uma protagonista; ela foi construída de maneira primorosa. Ao mesmo tempo que é uma mulher atraente e dona da própria sexualidade, é cheia de habilidades, sonhos e medos. Seu passado se mostra triste, quando ela é impedida de se tornar musicista profissional por causa de um grave acidente. Depois de ser obrigada a abandonar seu maior sonho, o "destino" a empurra para a polícia. Lá, ela enfrenta muitas dificuldades pois desde o início era desacreditada por seus colegas de trabalho por ser mulher e não ter a "formação necessária" para a polícia. Mas aos poucos Fredrika vai demonstrando ter muito mais talento como investigadora do que qualquer pessoa imaginava, do que até mesmo ela imaginava.

E é desde Fredrika que Ohlsson mostrou ser uma feminista realmente disposta a tratar os problemas que envolvem mulheres. Ela usa os mais diferentes cenários e personagens para expor como o preconceito ainda está presente na sociedade, desde como as mulheres podem ser desacreditadas no trabalho até casos em que convivem com a violência doméstica.

Mas Ohlsson não se foca apenas nas mulheres. Todas as personagens foram construídas de maneira surpreendentemente complexa e humana. Elas não foram divididas apenas em vilões e mocinhos, mas todos demonstram possuir virtudes e defeitos, anseios e receios, diferentes formas de ver a vida.

Justamente por causa dessa complexidade é que o enredo não apresenta apenas uma via central, mas sim diferentes perspectivas, o que possibilitou a criação de diversas histórias secundárias, onde conhecemos o passado das principais personagens, acompanhamos o desenrolar de amores e traições e até casos extremos de pedofilia (comuns na literatura escandinava).

Quando tantos aspectos positivos se encontram com a escrita ágil e envolvente de Kristina Ohlsson, Indesejadas se torna um prato cheio para qualquer amante de literatura, principalmente para aqueles mais afeitos aos thrillers policiais. Neste seu primeiro livro a autora já mostrava ter um talento indiscutível e certamente será lebrada como um dos grandes nomes da literatura escandinava contemporânea. Mal espero poder ler os próximos livros da série de Fredrika Bergman e Alex Recht.

Leia a minha resenha completa:

site: http://www.acrobatadasletras.com.br/2014/08/resenha-indesejadas-de-kristina-ohlsson.html
comentários(0)comente



Manu 05/10/2020

Achei o livro "sem sal". Tinha tudo pra ser uma história interessante, que tem início com desaparecimento de uma criança de um trem. Mas, a verdade é que o livro tem diálogos chatos e o final deixou a desejar. No entanto, por se tratar de uma trilogia, quem sabe os próximos livros serão melhores!
comentários(0)comente



Pam 26/07/2021

Que livro incrível!! Fiquei um tempo presa no início, mas depois que a história realmente começa eu não consegui parar. Confesso que não fiquei muito surpresa pq consegui desvendar as coisas sozinha, mas mesmo assim achei uma ótima história!!
comentários(0)comente



Rose 17/08/2014

policial
Quando Lilian Sebastiansson, uma menina de 6 anos desapareceu sem deixar pistas de dentro de um trem que ia para Estocolmo, a equipe de Alex Recht foi chamada para investigar. E o que achavam se tratar de uma desavença familiar, rapidamente transformou-se em pesadelo.
A menina foi encontrada morta com a palavra "indesejada" escrita em sua testa. Em um erro que para mim foi enorme, a polícia não abriu outras frentes de investigação, fixando apenas em caçar e encontrar Gabriel Sebastiansson, pai de Lilian.

" A grande maioria destas crianças acabava sendo encontrada. Mais cedo ou mais tarde. E "mais tarde" era no máximo um ou dois dias" (pág. 74)

Quando outra criança é roubada e também encontrada morta, a polícia é pega de calças curtas. Só não foi pior porque Fredrika Bergman, uma analista criminal que não era bem vista pelos membros policiais por ter apenas "formação acadêmica" se negou a ficar em apenas uma linha de investigação. Foi ela a responsável por começar a ver que os crimes eram mais sérios, frutos de uma mente criminal fria e cruel.

"As crianças não desaparecem, são as pessoas que as perdem." (pág. 19)

Em uma ocorrida contra o tempo, toda a polícia está caçando o verdadeiro culpado, e tentando salvar outro garoto sequestrado. Cada minuto perdido, era um minuto a menos na vida deste garoto. E eles ainda tinha uma grande rede de pedofilia para ser desmanchada...
Um livro ótimo, principalmente para quem gosta do gênero policial. Conforme vamos lendo, tentamos montar o quebra cabeça junto com a polícia. Pensamos em algumas possibilidades descartamos outras...

"Ela insistiu que queria ir sozinha, disse que estava tudo bem, mas eu mandei uma viatura junto. Alguma coisa estava estranha naquela história."(pág. 369)

Não gostei muito do policial Peder. Achei-o infantil, em vários momentos tentando provar ser melhor que Fredrika. Me irritava vê-lo pensando com a cabeça de baixo em vez da de cima... Mas isso só contribuiu para a tensão do livro aumentar. Aprovadíssimo!

site: http://fabricadosconvites.blogspot.com.br/
Andressa 07/09/2014minha estante
Gostei da sua resenha, apesar de não ter lido nenhum policial ainda, esse parece ser instigante! adoro!
Muito bom!
bjo
Leitura de Ouro


Yassue 10/09/2014minha estante
Já gostei do livro logo de cara, só pela arte da capa. Achei linda. E a resenha só me instigou a querer conhecer a estoria.


Cinthia 23/10/2014minha estante
Gostei desse livro, e ameio quote: "As crianças não desaparecem, são as pessoas que as perdem." (pág. 19)
Não poderia ter sido um quote melhor!


Clarice.Castanhola 29/05/2015minha estante
Já tinha lido sobre esse livro num post sobre os lançamentos da Vestígio e me interessei bastante, e pela sua resenha mais ainda! Estou gostando bastante de livros policiais e esse entrou pra minha lista.




NaniD 23/10/2020

Um pouco confuso mas um caso bom
Quando comecei ler Indesejadas, eu achava que a personagem "principal" seria uma boa "adversária" pra Eve Dallas mas a medida que fui lendo percebi que estava equivocada.
Indesejadas é um livro que trás uma criança sequestrada em um trem e que logo depois aparece morta. A equipe de investigação do Alex está nesse caso. Apesar do caso ser este, ele não é bem o chamariz do livro. A autora também aborda muito a vida pessoal dos personagens centrais e o preconceito com quem é estudado. É um livro com personagens odiosos, mas um caso muito bem escrito, bem feito. Então vale a pena ler.
comentários(0)comente



Iuri 23/08/2021

Frustração.

Este foi meu sentimento ao terminar “Indesejadas”, thriller da sueca Kristina Ohlsson.

Que belo balde de água fria.

Sim, pois depois de acompanhar avidamente por mais de 300 páginas uma equipe policial investigando um serial killer de crianças, a autora resolve a parada do modo mais xexelento possível entregando um final mais frouxo do que saco vazio.

O que é uma pena, pois o livro tem um ritmo ótimo, tipo daqueles que não dá pra largar.

Os personagens são ótimos e bem desenvolvidos, especialmente os membros da equipe policial.

A trama é bem construída; inclusive Kristina é esperta e cria uma pegadinha que leva o leitor numa direção. Só que esta tal pegadinha, ao invés de surpreender quando é revelada, só te deixa tipo “ mas que grandessíssima e bela imbecilidade”.

Por outro lado, claro que os assassinatos são solucionados (ainda bem), só que tudo se fecha de modo tão sem graça, tão sem sal - e abruptamente - que tu até te questiona se realmente o caso foi resolvido de tão idiota que é a explicação, e se o assassino era tão genial como a autora vinha dando a entender.

Resumindo, “Indesejadas” é um belo de um engodo.

Uma farsa travestida de thriller.

Nunca mais boto minhas mãos num livro desta fulana.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Glaucia 20/02/2020

Indesejadas
"Uma garotinha desaparece de um trem com destino ao centro de Estocolmo, mas o que parecia simples, ganha contornos dramáticos, e a equipe deve se apressar para chegar ao agressor antes que mais vidas sejam perdidas."

O inspetor Alex reuni sua equipe de detetives e a analista criminal, Fredika, a unica com formação acadêmica e a unica mulher detetive. Isso acaba acarretando alguns confrontos entre o grupo, que a julgam pouco capaz ao lidar com a forma inusitada que Fredika tem de analisar as situações, ela mesma não tem muito entusiasmo na carreira, ela sonhava em ser violinista e tinha talento para isso, só que devido a um acidente, ela foi forçada a tomar outro rumo e mesmo ainda incerta sobre o que fazer, ela esta determinada a encerrar o caso antes de repensar nas suas opções para o futuro.
Quando a segunda criança desaparece, Alex decide arriscar e apoiar as sugestões de Fredika, as coisas acontecem muito rápido, mas juntos eles descobrem a verdade.
O livro é bem escrito, é de fácil entendimento e os capítulos são curtos e alternados, temos um rápido ponto de vista do assassino e também conhecemos um pouco da vida pessoal da equipe principal que engloba o caso, contudo não consegui me apegar a nenhum personagem, apesar de não desgostar deles, é diferente quando você simpatiza e fica ansioso pra saber mais sobre eles.
Esse é o primeiro livro de uma trilogia focada nos detetives Fredrika Bergman & Alex Recht. É um livro sueco de suspense policial e meu primeiro livro da autora, provavelmente meu primeiro livro escrito por uma Sueca.
Apesar de alguns detalhes estou muito satisfeita com a leitura, tem algumas coisinhas que eu faria diferente, tem, mas isso não faz com que o livro seja ruim, justamente por isso pretendo ler os outros pra ver se a coisa melhora

site: https://www.instagram.com/minhaestanteazul/
comentários(0)comente



Naty 04/10/2014

Indesejadas é o primeiro livro da série de Kristina Ohlsson e seu romance de estreia. A autora é sueca e cientista policial. Sua obra foi uma surpresa para mim; a história é angustiante e eletrizante. Não dá para largar o livro e não ficar curioso pelo o que acontecerá.

Fredrika Bergman é a protagonista da série, uma analista criminal que seus colegas de trabalho, Alex e Peder, não fazem questão de seu auxílio nas investigações, menosprezando sua qualificação profissional.

Em muitos momentos, o preconceito predomina. Na maioria das vezes, o leitor se apega com raiva de Alex e Peder, por tratar Fredrika como se não tivesse nenhuma utilidade no trabalho. Porém, ela mostrará que é capaz de fazer muito mais do que eles pensam e do que ela acredita.

As crianças não desaparecem, são as pessoas que as perdem (p.19).

Os três realizarão um trabalho incrível, mesmo tendo alguns desentendimentos. A autora se preocupou até nisso: em mostrar que em toda relação trabalhista existe uma intriga, mas que é possível ser resolvido. Ohlsson soube criá-los de forma a mostrar que os detetives são extremamente humanos e passíveis de erros.

Indesejadas é um nome intrigante e chamativo. A trama não poderia ser inferior ao título do livro. Sara está com sua filha Lilian na estação de trem da segunda maior cidade da Suécia: Estocolmo. Porém, Ela deixa sua filha dentro do trem e vai fazer uma ligação. Contudo, é surpreendida por uma jovem que está com o seu cachorro passando mal e resolve ajudá-la. Porém, algo surpreendente acontece: o trem parte antes do horário e sua filha fica sozinha no vagão. O desespero toma conta de Sara e ela se vê atada sem saber o que fazer.

A criança simplesmente desaparece do trem e a equipe de Alex é designada para desvendar esse caso. Quando a criança aparece morta, nua e com a palavra indesejada estampada em sua testa, o temor toma conta e o caso repercute na mídia.

De todas as pessoas doentes do mundo, nenhuma era mais repugnante do que as pessoas que violentavam crianças (p.84).

O crime é totalmente voltado para um suspeito e, de repente, todas as pistas são jogadas na mesa e eles se veem preso a outro suspeito. A trama é totalmente bem feita, criativa e o crime é surpreendente. Ohlsson deixa o leitor indignado, estagnado e preso em sua narrativa.

Não teremos apenas um crime, mas outros que nos deixarão receosos pensando em se tratar de um serial killer; será? A história é bem desenvolvida e a autora não deixa pontas soltas. Para tudo existe um motivo e isso faz com que a autora ganhe destaque em minha biblioteca.

A capa é muito linda, sombria, misteriosa e dá um aperto só de ver o par de sapatos de Lilian na foto. Ao terminar a obra, fiquei olhando a capa e divagando em tudo o que acontecera com a garota. Ohlsson soube me tocar até mesmo em pequenos detalhes. A diagramação é simples, mas deixa a leitura rápida. Notei pequenos erros de tradução, mas nada que desmerecesse a qualidade do livro ou que diminuísse minhas cinco estrelas à obra.

O mais importante não é o que você diz, mas o que você faz. Se eu não souber o quanto você me ama, se você tem que me dizer isso, é porque nosso amor não vale nada. Estou certo? (p.124).

Se vocês precisavam de um ânimo para ler este livro, se existia algum resquício de dúvida se vocês deveriam ler ou não, acredite: leiam! É totalmente surpreendente a resolução desse caso. Parabéns à autora e à editora Vestígio que já virei fã.
comentários(0)comente



Mariana Helt 23/02/2019

Resenha de Indesejadas - Kristina Ohlsson
Eu amo livros com esses temas e Indesejada não foi diferente. O livro já começa nos deixando louca para entender tudo, e depois no meio da história, quando você já sabe o que está acontecendo é quase impossível parar de ler. A autora não nos dá brecha para saber quem é o responsável pelos assassinatos e nos faz torcer torcer por Fredrika que faz de tudo para descobrir quem é o "Homem".
Dei 4 estrelas por que quando enfim o "Homem" é descoberto, sua história não é contada com detalhes para nos fazer entender o motivo de tudo, e sim corrida, como se ele não fosse super importante na historia. Senti que a autora correu e não deu o devido final para uma história tão boa que tinha tudo para ganhar minhas 5 estrelas.
comentários(0)comente



Caroline 04/09/2015

Indesejadas
Tenho enorme fascínio por livros de história policial e fiquei muito feliz quando ganhei o livro Indesejadas. Não conhecia a escrita da autora, sendo que, esse foi o primeiro livro dela que li, não sabia o que esperar da história, mas a sinopse me chamou a atenção.
Sara era mãe de Lilian, as duas viajavam em um trem pela Suécia. Quando o trem parou, Sara desceu até a plataforma para um telefonema e logo em seguida o trem deu partida novamente deixando a mãe da menina para trás. Apesar de todos os esforços de Sara, que pegou um táxi para seguir o trem, alguém chegou antes dela e sequestrou a pequena Lilian deixando apenas a marca do sapato como pista.
A equipe de Alex Recht, um policial muito experiente de Estocolmo foi chamada para investigar o caso. Alex tinha a ajuda do policial Peder Rydh e da analista criminal Fredrika Bergman. No primeiro momento toda a investigação voltou-se para o pai de Lilian, com exceção de Fredrika, a qual acreditava que o sequestrador poderia ter sido outra pessoa, porém, sua opinião não foi levada em consideração pelos seus colegas de trabalho.
Quando a mãe de Lilian recebeu as roupas e uma mexa de cabelo da menina, o que os policiais achavam se tratar de uma desavença familiar rapidamente transformou-se em pesadelo. Em seguida, Lilian foi encontrada morta, em outra cidade, em frente a um hospital, com a palavra Indesejada escrita na testa.
Após, ocorreu o desaparecimento de uma segunda criança e as investigações mudaram de rumo. A forma de agir do assassino era a mesma. Uma criança era sequestrada e logo a mãe recebia suas roupas e o cabelo, exatamente da mesma forma que o suspeito agiu no caso de Lilian. A equipe concluiu que estavam diante de um assassino em série e Fredrika logo passou a receber um pouco mais de respeito pelos seus colegas de trabalho, afinal ela foi a primeira a perceber que as investigações estavam caminhando para o lado errado.
Indesejadas é um livro ótimo e interessante, principalmente para quem gosta do gênero policial. Conforme vamos lendo, tentamos montar o quebra cabeça junto com a polícia. Não dá vontade de parar de ler, fiquei ansiosa para terminar a leitura e descobrir o verdadeiro culpado, é muito eletrizante.


site: http://www.livrosechocolatequente.com.br/2014/10/resenha-indesejadas.html
Simone 05/09/2015minha estante
ótima resenha, assim como o livro! ;)


Ed 17/08/2016minha estante
Eu gostei muito mais ainda fiquei com umas pulgas atrás da orelha. Eu gostaria de ter visto uma ligação do assassino com a família do pai da primeira vítima.. Aquela coisa das bonecas por exemplo.




58 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR